sexta-feira, 28 de fevereiro de 2020

Bolsonaro e o “Beijinho, beijinho; pau, pau”



Edição do Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Jorge Serrão - serrao@alertatotal.net
Siga-nos no Twitter - @alertatotal

O Grande Manicômio Tupiniquim se amplia a cada nova doideira. Diante da paranóia com a pandemia transnacional do Coronavírus, autoridades do Ministério da Saúde soltaram uma pérola de “sugestão” para impedir uma eventual disseminação da gripe chinesa entre os brasileiros: “Jenial” - com J de jeque...

O negócio é parar de dar beijos.... Nada de um beijinho, nem de dois ou três beijocas... Claro, além da economia oscular, também é bom restringir os apertos de mão... Só vale com quem você viu ter lavado, com sabão, até o cotovelo. Aliás, ele é o protetor na hora de espirrar ou tossir.

A dica de restrição ao beijinho é como pedir ao Governo Federal que pare totalmente de dialogar e negociar com o Congresso Nacional, com o Poder Judiciário e com os Governadores. O vice-versa também vale. Não adianta propor sugestões estapafúrdias ou paliativas para resolver problemas práticos impostos pela realidade.

A guerra de todos contra todos os poderes, que já era intensa, tende a se aprofundar ainda mais. As cúpulas do Legislativo e do Judiciário, junto com a oligarquia financeira, seus vassalos da politicagem e da extrema mídia não cessam de desafiar e provocar o Poder Executivo. Por sua vez, o Presidente Jair Bolsonaro reage em seu estilo direto, contundente e sem meias-palavras.

Embora fique distante a cada “canelada”, algum diálogo terá de ser restabelecido, em nome de um problema acima de todos: a persistente crise econômica. Apesar das melhoras inegáveis com juros mais baixos e inflação sob controle, seguem altos o desemprego, a inadimplência (às vezes, calote) e a insegurança (no sentido amplo do termo). O dinheiro ainda anda sumido para grande parte das classes média e baixa.

Não tem outro jeito: o Governo Federal terá de liderar a retomada da agenda positiva. Terá de enquadrar os inimigos, sem promover ataques autoritários. Não pode ficar refém da burocracia, da tecnocracia e muito menos da politicagem profissional que nada mais é que um sofisticado fantoche de poderosos econômicos daqui e de fora. Estes parasitas são vassalos que só temem a pressão do povo. Por isso morrem de medo das manifestações de rua programadas para 15 de março.        
Estão com os dias contados atos canalhas e criminosos, antidemocráticos, de Nhonhô, Batoré, comedores de sanduíche fast-food e outras múmias ou latas velhas menos votadas. Só quem tem poder e legitimidade de fato para exercer toda pressão é o Povo (aqui considerando os segmentos esclarecidos da sociedade, aqueles que estudam, trabalham e produzem, sendo diretamente afetados pelas crises). Não existe mais margem para vacilação, nem conivência. É tolerância zero contra os inimigos do Brasil e dos brasileiros.

Ao Presidente Bolsonaro cabe a ação prioritária de bem governar, sem cometer vaciladas primárias de gestão. Como os inimigos não dão mole nem trégua para o Presidente, ele também não pode agir candidamente. A resposta precisa ser dura e imediata. Aí sim, vale a dica da turma da saúde: nada de beijinhos nos inimigos, porém é recomendável não exagerar na dose da porrada.

Depois da eleição, novamente, o Povo fará sua parte. Só que, a partir de 15 de  março, o Governo terá de ser mais ágil, eficaz, eficiente e efetivo – o que não é fácil, mas não é impossível. Bolsonaro tem de exibir sua Agenda com mais clareza, deixar claras as pautas e cumpri-las contanto com a pressão do Povo. Os conservadores precisam agir, em vez de ficar só reclamando da esquerda perdida.

A Democracia é garantida pelo Poder Armado da Nação. Os Generais já sabem o que fazer... E não vão dar golpe... A  fórmula combina Inteligência, Pressão e Ação por resultados objetivos. O resto é “beijinho, beijinho, pau, pau”... O momento do Xeque-Mate nunca esteve tão próximo...   

Colabore com o Alerta Total

Jorge Fernando B Serrão

Itaú - Ag 9155 cta 10694 2

Banco do Brasil - Ag 0722-6 cta 209.042-2

Caixa (poupança) - 2995 013 00008261-7







Ave atque Vale! Fiquem com Deus. Nekan Adonai!

Jorge Serrão é Editor-chefe do Alerta Total. Especialista em Política, Economia, Administração Pública e Assuntos Estratégicos.  A transcrição ou copia dos textos publicados neste blog é livre. Apenas solicitamos que a origem e a data original da publicação sejam identificadas.

© Jorge Serrão. Edição do Blog Alerta Total de 28 de Fevereiro de 2020.

Feliz Ano Novo!?


Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Carlos Maurício Mantiqueira

Dizem que no Brasil o ano só começa depois do Carnaval.

Até então vivemos o período da GangBang arrecadatória: IPVA, IPTU, etc.

Os governos estaduais “gastam” fortunas com os folguedos. Pagar direito os policiais, nem pensar. Aos professores? Você bebeu demais no carnaval...

O saudoso filósofo e apresentador de programa nos primórdios da televisão brasileira, Silveira Sampaio, já dizia ser o Brasil o país dos paradoxos.

Quantas “Marias Candelárias” altas funcionárias, caíram (e ainda caem) de paraquedas na letra Ó?

Haverá “parasitas” com diferentes graus de importância ?

E o tal “direito adquirido”?

Enquanto não se fizer uma devassa no judas ciário, tudo é em vão.

Penduricalhos, férias dobradas e assessores (de preferência jovens e bonitas) que realmente fazem todo o serviço, desqualificam os deuses e semideuses de sua autoridade moral para julgar quaisquer réus ou réias.

Menos mal que todos os injustiçados lhes roguem pragas.

Reis Momos, Arlequins, Pierrots e Colombinas somos todos nós, simples mortais, desde outros carnavais.

Leoncavallo que o diga! Com a cara enfarinhada devemos chorar ou dar risada?.

Algum dia entrarão pelo Canio?


Carlos Maurício Mantiqueira é um livre pensador.

O que faltou no desfile da Mangueira


Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Félix Maier

Faltou a Mangueira apresentar o Cristo traficante de drogas e armas, o Cristo bicheiro, o Cristo assaltante de caminhões de carga, o Cristo vendedor de produtos roubados/pirateados/falsificados em bancas de rua e nas calçadas, o Cristo cheirador de cocaína e tragador de maconha do Alto Leblon e da Baixa Gávea - que são os que alimentam a bandidagem na cidade, não só nas favelas, além de financiar as escolas de samba.

Os carnavalescos jamais irão tocar nas impolutas figuras de benemerência do traficante, do bicheiro e do miliciano, porque seria uma sentença de morte.

Vibrei quando o Cristo funkeiro da Mangueira levou borrachada da PM. Afinal, todos sabemos sobre a promiscuidade que existe nos bailes pornofunk, com meninas menores de idade fazendo sexo com uma dezena de bandidos, em revezamento.

Dizer que a violência na favela é obra da polícia é papo de bandido.

Félix Maier é Capitão reformado do EB.

quinta-feira, 27 de fevereiro de 2020

Os tumultuadores da República



Edição do Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Jorge Serrão - serrao@alertatotal.net
Siga-nos no Twitter - @alertatotal
Ao mesmo tempo em que diz que não há motivo para qualquer pânico no Brasil, a extrema mídia tupiniquim produz um terrorismo psicológico sobre o primeiro caso confirmado de paciente com coronavírus no Brasil. Vamos lavar as mãos e tomar os cuidados que os médicos não param de recomendar. Não tem outro jeito...

As pessoas devem ter bom senso, e não embarcar em paranóias – como tem feito o mercado financeiro. A fragilidade psicológica dos rentistas faz as cotações das bolsas caírem, enquanto o dólar sobe. Já se especula que chegue a R$ 5 reais, brevemente. Não demora, a Covid19 cai no esquecimento... A crise econômica é que segue renitente... É mais preocupante que esta epidemia fake... A economia chinesa deve desacelerar... Acostume-se com isto e bola pra  frente...

Aqui em Bruzundanga, outra doideira. O Supremo e a Câmara dos Deputados – duas instituições com alto índice de impopularidade – agora voltam a dar faniquitos com mais um vídeo polêmico do Presidente da República. Jair Bolsonaro foi detonado porque manifestou apoio às manifestações marcadas para 15 de março. Celso de Mello já tenta induzir que Bolsonaro até cometeria crime de responsabilidade. Rodrigo Maia acusa Bolsonaro de gerar tensão institucional. Blá, blá, blá...

Bolsonaro resume que estão tentando tumultuar a República. A esquerda perdida insiste na criação de narrativas que tentam transformar Bolsonaro em um monstro, inimigo da Constituição, da Democracia e do Estado Democrático de Direito. Este papo furado enche o saco da maioria sensata – que vai ficando com mais vontade de sair à rua para demonstrar que está a favor do governo e contra a vanguarda do atraso (que todos sabem quem é).

A paz parece impossível em sua plenitude. Então, é preciso estabelecer alguma forma de arrefecimento dos ânimos exaltados. Os chantagistas do Congresso apenas encenam o manjado teatro de molecagens. Só que o Brasil precisa executar as pautas de reformas que façam a economia andar para frente. Se isto não acontecer, aí sim, fica gigantesca a possibilidade de ocorrer uma quebra institucional, com explosões de anarquia e violência.

Quem quer o caos? Só os canalhas e os otários.

Mengão campeão de novo

Parabéns ao Flamengo de Jorge Jesus pelo inédito título da Recopa Sulamericana.

Golaços de Gabigol e dois de Gérson, com atuação impecável da defesa.

O placar de 3 a 0 detonou o equatoriano Independiente del Valle, diante de 64.504 torcedores no Maracanã.


Mengão, o levantador de taças. Obra de Ney Tecídio.

Colabore com o Alerta Total

Jorge Fernando B Serrão

Itaú - Ag 9155 cta 10694 2

Banco do Brasil - Ag 0722-6 cta 209.042-2

Caixa (poupança) - 2995 013 00008261-7





Ave atque Vale! Fiquem com Deus. Nekan Adonai!

Jorge Serrão é Editor-chefe do Alerta Total. Especialista em Política, Economia, Administração Pública e Assuntos Estratégicos.  A transcrição ou copia dos textos publicados neste blog é livre. Apenas solicitamos que a origem e a data original da publicação sejam identificadas.

© Jorge Serrão. Edição do Blog Alerta Total de 27 de Fevereiro de 2020.

The Best of Manti (A besta do Manti?)



Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Carlos Maurício Mantiqueira

Quero agradecer ao editor-chefe do Alerta Total pela gentileza de seu comentário sobre nosso artigo n° 2.000, bem como aos amáveis leitores que também se manifestaram.

Sempre fico tentado a traduzir do inglês para um português macarrônico.

Nada mais cômico que “The cow went to the swamp”.

Tenho um amigo lusitano que traduz o nome da delivery “I food” para “ Eu f... (vocês entenderam).

Adoro substituir “jeopardize” por “leopardize”, mais lampedusiano.

Ver um petralha “convict” preso, is the very best.

Dizer Milf shake em lugar do refresco.

Ou “I did my best” por banquei o besta.

Também do francês “J'ai fait de mon mieux” por Fiz meus miados !

Do italiano “Stuzzicadente” pra palito decadente.

Do castelhano “alrededor” para enrolação de argentino!

Do latim “Cave canem” para adega do vinho Cachorro.
distribuído por:

Grapes & Nuts Importadora e Distribuidora S.A.
Telefone: (11) 99861-4691  


Carlos Maurício Mantiqueira é um livre pensador.

Poderes Constituídos: Consentimento e Dependência



Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Maria Lucia Victor  Barbosa

O Estado Democrático de Direito onde existem o Executivo, o Legislativo e o Judiciário para que não haja concentração de poder em apenas um deles, surgiu ao longo do tempo através das obras de grandes pensadores como Montesquieu e da evolução do Liberalismo. Desse modo, prevalece nas sociedades onde há o Estado Democrático de Direito a democracia com suas liberdades inerentes e não o despotismo, presente especialmente em sistemas totalitários como o comunismo, o nazismo e o fascismo.

No momento, certos acontecimentos nos levam a indagar como funcionam os Poderes Constituídos em nosso país. Comecemos por perguntar: Temos uma democracia? Apesar de que nesse mundo nada é perfeito, devemos responder que, sim. Afinal, temos pluralidade partidária, eleições livres, liberdade de pensamento (em que pese o detestável politicamente correto), liberdade da mídia, liberdade de reunião. Entretanto, existem falhas graves em nossa democracia.

Só para citar um exemplo, temos a esquisita fórmula matemática do quociente eleitoral, através da qual um deputado federal, estadual ou vereador que obtenha um grande de número de votos arrasta consigo vários candidatos que, assim, ascendem ao Legislativo sem voto e, portanto, sem legitimidade.

Além disso, se nossos Poderes Constituídos sempre estiveram longe da ética e da eficiência necessárias, agora estão sofrendo mutações para pior. O Supremo Tribunal Federal deu em legislar, intrometendo-se no Legislativo; acentua a parcialidade e a demora nos julgamentos (exceto quando existem interesses mútuos em jogo); usa a lei não para os honestos em causas justas, mas para os bandidos (exemplo, fim da prisão em segunda instância). Por essa e por outras o STF tornou-se um Poder tão detestado quando o Legislativo que está funcionando como uma espécie de parlamentarismo que avança sobre o Executivo no intuito de inviabilizá-lo.

O Congresso Nacional tem legislado em causa própria e contra o povo; desfigurou as necessárias reformas do Executivo; estraçalhou o pacote anticrime do ministro Sérgio Moro; inventou a Lei do Abuso de Autoridade;  juntamente com o STF não admite a prisão em segunda instância e quer fazer surgir um juiz de garantias junto com o juiz de primeira instância. Portanto, colaborando com a violência os legisladores indicam que é proibido prender, especialmente os de colarinho branco.

Tais atos antidemocráticos não param aí.  A toque de caixa foi aprovado o Fundo Eleitoral. Serão bilhões tirados do bolso do povo através dos impostos para custear as eleições de suas excelências e, quem sabe, outros custeios mais.

Tem mais, o dinheiro do Orçamento que iria para a Saúde, Educação e outras necessidades sociais corre o risco de servir para aumentar o estrondoso lucro dos parlamentares, que o gastarão nos seus currais eleitorais e, sabe Deus, em que mais. Isso porque, através do Orçamento Impositivo, o Congresso está rejeitando o veto do presidente no sentido de reduzir a parcela que vai para as emendas parlamentares que possibilitam a barganha. Suas excelências são insaciáveis e não se satisfazem com 15 bilhões, querem 30 bilhões. Sobra, então, basicamente 3% da receita livre do governo para tocar seus projetos. Na prática, o Congresso está inviabilizando o Executivo. Afinal, como disse o deputado federal e sindicalista Paulinho, da Força, “não podemos deixar Bolsonaro fazer coisa nenhuma, senão ele se elege para um segundo mandato”.

Em comentário particular o general Heleno disse: “Não podemos deixar esses caras chantagearem a gente o tempo todo”

Essa verdade causou grande melindre nos presidentes da Câmara e do Senado e o Centrão avisou: “a partir de agora o governo que arque com as consequências dos seus atos porque propostas enviadas pelo Planalto serão derrubadas”.

Portanto, somos todos reféns das chantagens e abusos do Congresso Nacional. Consentimos com nosso voto a ascensão de pelo menos parte dos que tomam decisões em nosso nome, mas vivemos na dependência de sua ganância e irresponsabilidade para com o país. Parece que o Legislativo está inventando uma nova modalidade de poder: o parlamentarismo despótico. Isso não pode ser permitido porque, nesse caso, nossa democracia será uma completa farsa.

Não se trata de negar a importância dos Poderes Constituídos, eles são essenciais, o problema está na distorção que deles fazem seus membros. Nesse sentido é que a sociedade deve reagir. Afinal, “o poder emana do povo e em seu nome será exercido”.

Maria Lucia Victor Barbosa é Socióloga.

Coronavírus no Brasil – Agora se virem!



Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Milton Pires

Sete anos atrás, por ocasião do incêndio da Boate Kiss em Santa Maria (RS), eu escrevi um artigo chamado “Santa Maria e a Guerra do Vietnam”. Alertei sobre o descaso com a rede hospitalar brasileira, alertei para as consequências clínicas da inalação de fumaça e gases tóxicos e dei “nome aos bois” provando ao leitor que toda Saúde Pública Brasileira estava entregue à uma legião de marginais, estelionatários e corruptos do PT, PSOL e PC do B dizendo, antes de todo mundo saber, que os Vagabundos Petistas trariam falsos médicos cubanos ao país.

Estamos em 2020. A pior presidente (ou presidenta como ela gosta de ser chamada) da história do Brasil foi derrubada – a terrorista e ladra Dilma Rousseff. Os chefes da organização criminosa que levou Dilma ao governo, o analfabeto alcoólatra e ladrão Luiz Inácio Lula da Silva e o terrorista José Dirceu foram presos, Bolsonaro assumiu o governo e NADA mudou.

Falsos médicos cubanos vão voltar a atender pacientes (com e sem coronavírus) no SUS, uma legião de incompetentes formados em Medicina na Bolívia vai ser médica no Serviço Público e, acima de tudo, a Rede Hospitalar Brasileira continua destruída.

A Rede Hospitalar continua destruída porque Jair Bolsonaro deixou dentro do Ministério da Saúde pessoas que continuam insistindo na ideia de transformar o país num gigantesco postão de saúde.

Agora vamos ver quais são as consequências desse tipo de atitude. Pacientes infectados pelo coronavírus evoluem (em número significativo) para Insuficiência Respiratória Aguda como aconteceu com os jovens que sobreviveram ao incêndio da Boate Kiss que precisaram de leito em Unidade de Terapia Intensiva.

O que os médicos que estão nos postos de saúde, nas UPA’s ou dentro das salas de observação dos hospitaizinhos “das irmãs” por todo Brasil devem fazer com estas pessoas? Devem colocá-las em “lista de espera para leito de UTI” ou devem fazer “teleround” com os médicos do Hospital Albert Einstein em São Paulo?

Respondam! Digam qual é a saída para isso que eu escrevi acima!

Expliquem, ainda, qual o tipo de “medidas de prevenção” que podem ser implantadas numa cidade em que o Secretário Municipal da Saúde é o “Zezinho do PC do B” ou a “Enfermeira Sandrão do PSOL”.

A Esquerda criou o problema, Bolsonaro não fez NADA para resolver o problema, não quis escutar a opinião de NINGUÉM que já passou pela desgraça de ser médico na linha de frente do SUS, e aí está o problema (mais uma vez) para médicos e pacientes resolverem.

Agora se virem!

Milton Simon Pires é Médico. Editor do Ataque Aberto.

Samba do Corona Doido



Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Carlos Henrique Abrão e Laércio Laurelli

Em plena quarta feira de cinzas a bolsa de valores virou pó, mais de 290 bi de prejuízos. Findo o carnaval ainda entramos no samba do corona doido, e o descarrilamento vem da China que de carro chefe da economia deu freada brusca por causa do vírus, com capotamento em série.


A questão fulcral: poderia a China ser responsabilizada pelo prejuízo superior a um trilhão de dólares mundo afora? A questão é polêmica e de alta indagação. Mas se for provado que a China não deu atenção ao problema e deixou que o vírus contaminasse e se espalhasse por vários continentes, cremos que os tribunais internacionais poderão sim responsabilizar os chineses pelo desequilíbrio geral e confusão com pânico nos mercados.

Não é possível uma Nação se servir de animais e ter uma doença gerada por provável alimentação inadequada e pior não tomar qualquer atitude até permitir que se alastrasse com força e rumores de total desaquecimento na economia global. O que fazer se não há, por ora, medicamento, remédio ou qualquer orientação dos cientistas, médicos e laboratórios para debelar grave doença,
já que os infectados, dependendo da idade, terão que ficar, no mínimo, duas semanas em quarentena, mas os idosos poderão falecer.
impune.


É uma insanidade se cogitar que uma Nação com bilhões de habitantes tripudia sobre os povos com tanta leviandade e falta de responsabilidade,
donde é fundamental levar o País para que seja responsabilizado pela contaminação de toda a economia e ressarça pelo menos Países emergentes e do terceiro mundo.

Toda a América Latina já debelada e combalida com crescimento pífio e do dólar na casa dos cinco reais, tudo isso é um perigoso precedente para que exclusões,greves e graves consequências sejam amealhadas já que o Brasil só se permite exportar commodities e agora o tempo está nublado com sérias pancadas de chuva e quem causou a parafernália corre o risco de ficar impune.


Carlos Henrique Abrão (ativa) e Laércio Laurelli (aposentado) são Desembargadores do Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo.

Políticos delinqüentes protegidos por um “Estado-Democrático-de-Direito Deturpado


Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Sérgio Alves de Oliveira

Quem mais se aproximou da exata definição que merece a grande maioria dos políticos brasileiros, por mais surpreendente que isso possa parecer, foi exatamente Adolf Hitler, que governou, com mãos de ferro, como Chanceler do Reich, e Fuhrer da Alemanha, de 1934 a 1945.

Apesar de Hitler ter sido o principal responsável pelo genocídio  (holocausto) de cerca de 6 milhões de judeus, só “perdendo” para os comunistas, que “assassinaram mais de 100 milhões de pessoas por onde passaram, o “Fuhrer”  também disse e escreveu algumas verdades, como também ocorre  com os piores bandidos. Ninguém passou ou passa pela vida sem  algum momento de “verdade”, incluídos os mais desclassificados seres humanos.                        

Uma dessas  “excepcionais” verdades  de Hitler constou do seu livro “Mein Kampf” (Minha Luta), escrito enquanto ele estava preso, durante a sua juventude, na “velha” Áustria, seu país natal. Referindo-se aos políticos do seu país, ele escreveu que “eram atraídos para  fazer política elementos da pior escória da sociedade”.

Ora, se trouxermos essas palavras de Hitler, escrita na sua “Mein Kampf”, publicada em 1925, para a realidade política do Brasil atual, observaremos que a definição do “Fuhrer” serve como uma “luva” para definir o com exatidão o  perfil da imensa maioria dos políticos brasileiros.

O que dizer,por exemplo,do perfil  moral dominante dos parlamentares do Senado e da Câmara Federal ,que optaram pela escolha de “iguais”, respectivamente, Davi Alcolumbre e Rodrigo Maia, elementos mais desqualificados que qualquer bandido? Os perfis morais  desses dois “cidadãos” não estariam “sintonizados”, exatamente, com os dos seus “eleitores”, senadores e deputados federais? A resposta só pode ser um SIM !!!

E porventura esse tipo de “representatividade” pervertida  não seria prática corriqueira em toda a política brasileira,nas assembleias legislativas estaduais,nas câmaras de vereadores, nos tribunais judiciais,em outros tipos de tribunais (contas,etc.), e em qualquer outro órgão de alguma forma ligado ao serviço público?

O problema da democracia degenerada em funcionamento no Brasil é que ela se tornou uma verdadeira ARAPUCA para o povo. Esse modelo adotado serve como “democracia” exclusivamente dentro e para a própria comunidade de políticos e autoridades  encarregadas de propor, aprovar, ”usufruir”, e “julgar” as demandas da sociedade frente às leis. É, portanto,uma democracia “eletista”, ”seletiva”, privativa dos políticos e juízes, à qual o povo só tem acesso mediante as alternativas escolhidas pelos  “outros”, pelos políticos e seus partidos. Só os políticos podem cancelar e aprovar leis,intitulando-se, ”cinicamente”, ”representantes” do povo.

O pior é que eles ainda têm a cara de pau de escreverem constituições hipócritas, que estabelecem a (rara) possibilidade do povo praticar o que chamam “democracia direta”, mas que não passa de uma fantasia mentirosa, sendo praticamente impossível colher o número mínimo de assinaturas (1% dos eleitores) e, mesmo assim, se isso acontecer, ainda tem que passar pela aprovação do respectivo parlamento, valendo tanto quanto a iniciativa de um só parlamentar. E chamam essa droga de “iniciativa popular”. “Democracia direta” !!!

Portanto o povo não tem meios para acabar com as tramoias dos políticos que se perpetuam no poder mediante as sucessivas renovações de mandados. São eles que fazem as leis.

E esses políticos canalhas são tão espertos  que quaisquer reformas na constituição ou nas leis sempre vai depender deles. Protegem-se denominado esse emaranhado de normas que enclausuram o povo de “estado-democrático-de-direito”. Mas esse  estado “democrático” e de “direito” beneficia tão somente a eles, aos políticos, e o povo fica sempre a “ver navios”.

Mas com todas as cautelas que os políticos ,nessa condição  chamados “constituintes”,tiveram ao escrever a Constititução vigente, a de 1988,eles conseguiram deixar uma única “brecha”, talvez por algum descuido, na constituição ,para que houvessem reformas  profundas, sem que eles participassem dessas reformas diretamente.                                       

Essa “brecha” está  exatamente no artigo 142 da Constituição, que autoriza as reformas necessárias, não por políticos, parlamentos, etc , porém pelo Poder Militar, pelas Forças Armadas,nas 4 (quatro) hipóteses ali previstas (manutenção da “ordem”, da “lei”, e proteção da “pátria”, e dos “poderes constitucionais”).

De vez em quando  generais comparecem à mídia, justificando as razões de não terem tomado ainda nenhuma providência à respeito, dizendo a “gracinha” que o povo teria que ir para frente dos quarteis reclamar a tal “intervenção”. Mas eles esquecem que seria  impossível o povo fazer uma gigantesca  mobilização como essa, de se reunir ao mesmo tempo em um só lugar, ou na frente de todos os inúmeros quarteis.

E o povo  nem tem “grana” para isso. E também  não tem uma “Justiça Eleitoral” à disposição ,que  só serve aos políticos ,e faz o que eles querem, ou escrevem nas leis que editam. Essa exigência, portanto, não passa de “cretinice” pura, e de uma desculpa esfarrapada que esconde o verdadeiro motivo dessa omissão, dessa covardia, quando  viram as costas para um povo que é o verdadeiro “soberano” e a quem deveriam  servir em primeiro lugar, antes dos políticos.

Ora, está mais que evidenciado que o povo brasileiro não mais tolera  essa  tal “democrac ia”, e esse “estado-de-direito” corrompido ,que os políticos lhe enfiaram goela-abaixo, e que “pensam” que só eles têm o poder de modificar. E se o povo não mais tolera tudo isso, e nada muda,é claro que deixou de existir  tanto a democracia, quanto o festejado “estado de direito”, por força, simplesmente, da soberania popular, prevista no parágrafo único do art. 1º,da Constituição, pelo qual TODO O PODER EMANA DO POVO.

E essa absoluta e justa intolerância da parcela do povo que consegue pensar  com a própria cabeça, e que com muito  esforço conseguiu escapar das teias da  lavagem cerebral  “esquerdista”, no “ar” desde 1985, manifestada não só nas ruas, mas principalmente, e com maior profundidade, nas redes sociais, certamente transfere ao Poder Militar, às Forças Armadas, os  poderes necessários para agir, em nome do povo, no sentido de que “detonem” a ação militar prevista no artigo 141 da CF.                                                                                                                                                      
Valendo-se da sua “soberania”,  prevista  na Constituição, o povo brasileiro está delegando às Forças Armadas todos os poderes  que lhe pertencem ,necessários ao rompimento brusco com esse falso “estado-democrático-de-direito”, guarnecido criminosamente  pelos Três Poderes Constitucionais, que “roubaram” o poder pertencente exclusivamente ao  povo.

Sérgio Alves de Oliveira é Advogado e Sociólogo.

quarta-feira, 26 de fevereiro de 2020

Cinqüenta Sons de Cinza



Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Carlos Maurício Mantiqueira

Som risal é o primeiro após a ressaca.

Som nâmbulo passará o resto do dia.

Som matória de todos os excessos, a enxaqueca reinará um bom tempo.

Sombras do passado. Você esta frito ou assado ?

Somme foi fichinha em comparação à batalha pelo almoço no fundo do poço.

Somadas todas as burradas, parecem menos importantes que as de antes.

Somerset Maugham não teve uma vida feliz. Sofreu a Servidão Humana.

Somália tem como hospício a capital Mogadíscio.

Some daqui, seu vagabundo ! Ouviu ao chegar em casa após a folia.

Somenos são coisas de que nos preocupamos e comemos.

Somatória de canalhas forma a escória.

Som do coro angélico não supre a fome do famélico.

Sommelier de cachaça até etanol também traça.

Sombrero mexicano é entrar pelo cano.

Sombrio foi o carnaval no de nojeira rio.

Somos todos Bolsonaro; nosso querido Mito que deixa bolo fofo aflito.

PS - Não foram cinquenta, mas quase!






Carlos Maurício Mantiqueira é um livre pensador.