terça-feira, 4 de fevereiro de 2020

Reconhecendo as próprias fraquezas



Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Carlos Maurício Mantiqueira

Conta-se uma história de um vendedor de motocicletas que trabalhava na loja líder então existente.

Por ser tão bom funcionário, um dia foi promovido a gerente, com direito a sala e secretária. Uma semana depois, procurou a diretoria e pediu para voltar à função anterior, no chão da loja. Disse: “Estou muito infeliz como gerente. O que eu gosto é falar com as pessoas e convencê-las a comprar!”

Assim é que devemos proceder todos nós. Se conseguirmos identificar nossos pontos fortes e nossas fraquezas, ameaças e oportunidades, seremos felizes e mais úteis à sociedade.

O nosso querido Mito, verdadeiro salvador da Pátria, deve procurar melhor se assessorar em assuntos que não domina. O seu maior equívoco (ainda que tenha agido de boa fé) é manter o ministro da Economia. Este senhor está a serviço dos bancos, nacionais e estrangeiros, e não aos interesses do Brasil. Brevemente, a máscara dele cairá.

O programa de Privatização de estatais feito de atropelo corre o risco de substituir monopólios do governo por outros privados, muito mais perigosos aos interesses nacionais. Privataria não serve ao Brasil. Efegagacê já fez a dele, e o resultado cheirou mal.

Imbatível nos quesitos Coragem, Patriotismo e Lisura, o excelentíssimo senhor Presidente da República claudica na compreensão da geopolítica e do funcionamento do sistema financeiro. Por ter se deixado envolver em intrigas palacianas, perdeu um brilhante colaborador: o então Secretário de Assuntos Estratégicos.

Hoje “come” na mão de auxiliares menores. Precisa redefinir, com urgência, seu núcleo palaciano de poder. Alimentar ou não apagar o fogo amigo interno é suicídio político.

Um gesto de grandeza seria chamar de volta o antigo colaborador estrategista, e recompor alianças com outros que foram decisivos em sua eleição.

Mas e a vaidade? Pesa ou não pesa?

Está no Eclesiastes, na Bíblia: “Vaidade das vaidades, tudo é vaidade”.

Carlos Maurício Mantiqueira é um livre pensador.

3 comentários:

Anônimo disse...

Concordo, sr Maurício, sobre as privatizações. E eu ainda chamo a atenção que o banco central não deve ser privatizado. USA tem problemas com o banco central privatizado. Acredito que todos os países tem problemas com seus bancos centrais privatizados. Sabem quem são os donos dos bancos, não é?

Anônimo disse...

Essa fé cega no ministro da economia vai levar o país a um buraco mais fundo. Ele é melhor que os anteriores mas continua favorecendo a banca em detrimento do povo.

Anônimo disse...

Mas não foi o general que abandonou o presidente porque não adotou suas estratégias? Se o presidente o convidasse segunda vez, estaria transferindo seu poder para quem não foi escolhido pelo eleitor.