quinta-feira, 27 de fevereiro de 2020

Samba do Corona Doido



Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Carlos Henrique Abrão e Laércio Laurelli

Em plena quarta feira de cinzas a bolsa de valores virou pó, mais de 290 bi de prejuízos. Findo o carnaval ainda entramos no samba do corona doido, e o descarrilamento vem da China que de carro chefe da economia deu freada brusca por causa do vírus, com capotamento em série.


A questão fulcral: poderia a China ser responsabilizada pelo prejuízo superior a um trilhão de dólares mundo afora? A questão é polêmica e de alta indagação. Mas se for provado que a China não deu atenção ao problema e deixou que o vírus contaminasse e se espalhasse por vários continentes, cremos que os tribunais internacionais poderão sim responsabilizar os chineses pelo desequilíbrio geral e confusão com pânico nos mercados.

Não é possível uma Nação se servir de animais e ter uma doença gerada por provável alimentação inadequada e pior não tomar qualquer atitude até permitir que se alastrasse com força e rumores de total desaquecimento na economia global. O que fazer se não há, por ora, medicamento, remédio ou qualquer orientação dos cientistas, médicos e laboratórios para debelar grave doença,
já que os infectados, dependendo da idade, terão que ficar, no mínimo, duas semanas em quarentena, mas os idosos poderão falecer.
impune.


É uma insanidade se cogitar que uma Nação com bilhões de habitantes tripudia sobre os povos com tanta leviandade e falta de responsabilidade,
donde é fundamental levar o País para que seja responsabilizado pela contaminação de toda a economia e ressarça pelo menos Países emergentes e do terceiro mundo.

Toda a América Latina já debelada e combalida com crescimento pífio e do dólar na casa dos cinco reais, tudo isso é um perigoso precedente para que exclusões,greves e graves consequências sejam amealhadas já que o Brasil só se permite exportar commodities e agora o tempo está nublado com sérias pancadas de chuva e quem causou a parafernália corre o risco de ficar impune.


Carlos Henrique Abrão (ativa) e Laércio Laurelli (aposentado) são Desembargadores do Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo.

Um comentário:

Anônimo disse...

Raciocínio perigoso. Por essa base, países que sofrem com o recrudescimento de desastres naturais atribuído às mudanças climáticas poderiam exigir ressarcimento pelo Brasil não manter a Floresta Amazônica intacta? Quem garante que os senhores do mundo não estejam provocando essas alterações ou disseminando pandemias para conseguir o clamor popular pelo controle através de um governo único?