quinta-feira, 12 de março de 2020

A esquerda tentando “comer o mundo pelas beiradas”



Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Sérgio Alves de Oliveira

Não me perdoo da bobagem que fiz, mas que na época me “deu na telha”. Lá pelos anos 60, em plena juventude, especialmente após a “intervenção” dos militares, em 31 de março de 1964, que depôs o Governo de Jango Goulart, e o  seu projeto comunista de poder, comecei a ter curiosidade e a me aproximar da  linha ideológica de esquerda, ”pensando” que seria melhor, não só para o Brasil, mas também  para o mundo. Cheguei a escrever um livro,em 1984, nesse sentido, sempre valorizando a esquerda, que levou o  título  “Que Rumo Tomar? Socialismo?Capitalismo?Ambos?

Mas apesar dos seus inúmeros feitos, enquanto governaram (de 1964 a 1985), os militares acabaram devolvendo o poder aos políticos, em 1985, apesar dos prognósticos pessimistas, dos então Presidentes Ernesto Geisel, e por último  João Figueiredo, que acertaram “em cheio”, sobre a “tragédia” que iria acontecer com a devolução do poder a essa gente.

Pois “não deu outra”. Com a posse de José Sarney, na Presidência,em 1985, do MDB, em eleição indireta, que  na ocasião era “vice” na chapa encabeçada por Tancredo Neves, que morreu antes de assumir, a esquerda, que estava  de  “quarentena”, durante o Regime Militar, começou a se agitar, retomando a trajetória esquerdista/comunista, interrompida, ”parcialmente”, pelo episódio cívico-militar, de  31 de março de 1964.

Muito espertamente, o Governo Sarney preparou uma grande armadilha e fraude contra o povo brasileiro, na busca dos votos necessários para eleger uma Assembléia Nacional Constituinte, que iria escrever uma nova Constituição, para que fizessem o que “eles” queriam, cujo objetivo tinha inspiração nitidamente  esquerdista, estabelecendo muitos direitos e “assistencialismos”, para poucas obrigações e “recursos”correspondentes, o que geraria, com certeza, uma “conta” absolutamente impagável, como realmente aconteceu.

A “armadilha” montada para captar os votos dos “incautos” chamou-se “Plano Cruzado”,de 1986, que foi uma “improvisação” econômica, que no máximo    conseguiu  colocar galinha  barata na mesa do povo durante alguns poucos meses. Ora, com isso a vitória do partido do Sarney, o  MDB, foi estrondosa, elegendo a maioria dos constituintes que escreveram essa “merda”, que não passa de um “manual esquerdista”, mas que  comanda os brasileiros desde 1988, até hoje, 2022, e que ninguém teve tutano nem  coragem de mandar para o “quinto-dos-infernos”, como merecido, nem os “novos” militares no poder.

O desastre moral, político, social e econômico do Brasil começou por aí, em 1985, prosseguindo com Itamar Franco (que substitui o Presidente Collor,impichado), que “construiu” o FHC, dando-lhe o Ministério da Fazenda,  através do relativo sucesso do “Plano Real” (de 1994), que lhe oportunizou  assumir a Presidência da República, por  dois mandatos consecutivos (1985 a 2003), e que, por sua vez ,“construí” (às escondidas) Lula da Silva, ”colega” de esquerda, que por seu turno, “pariu” Dilma Rousseff, prosseguindo com Michel Temer, até 2018,ciclo maldito esse só interrompido com a eleição e posse de Jair Bolsonaro ,em 1º de janeiro de 2019,mas que está “comendo o pão que o diabo amassou” com a oposição  desleal do PT e seus “comparsas”.

Mas observando a realidade do Brasil, e do mundo, hoje, abandonei  totalmente a  relativa  vocação “esquerdista” que eu tinha, não querendo nem mais  sentir o  “cheiro” dessa opção ideológica nojenta, de tantos estragos que ela    causou, e está  causando, no Brasil, e no  resto do mundo. A “gota d’água” da minha decepção  com a  esquerda se deu na sua péssima governança do Brasil, somado à roubalheira que fez  de 10 trilhões de reais do erário.                                          

Nem por isso me entrego de “corpo-e-alma” à chamada “direita”, com  a qual tenho imensas restrições, mas que ainda  seria, no mínimo, ”menor pior” que a sua antagônica, a  esquerda. Por isso, enquanto não surgir nada melhor, ainda prefiro a direita.  E o tal “centro” também não me serve. É pior que os outros dois,”somados”. Quem já ouviu falar no “Centrão” lá do Congresso Nacional?  Existe “escória” pior que essa?

Trocando tudo em miúdos, a esquerda, sob todas as suas variantes e formas - comunismo,socialismo,marxismo cultural, social-democracia, gramscismo,progressismo, e todos os  outros “ismos” - jamais conseguiu construir um país próspero e justo por onde passou. Só negou  bem estar e felicidade ao povo. As grandes potências socialistas, como Rússia e China, produziram  sim, muita riqueza, mas nada foi repartido com os  seus povos, que vivem na mais absoluta miséria ,transformados que foram em “escravos” a serviço do Estado. Nesses países esquerdistas, só o Estado, e a “Nomenklatura  (elite dirigente ou “estamento burocrático”) , ficaram ricos. O povo continuou   pobre, muito pobre, mais pobre que os trabalhadores “explorados” no mundo capitalista.

Certamente  conscientes da sua incapacidade absoluta de construir países desenvolvidos ,as esquerdas resolveram “investir” no mundo  livre, próspero, “já prontinho”, construído por “outros”, que não eles, esquerdistas, que jamais tiveram capacitação para construir coisa alguma, fora da  destruição , pobreza, e matança de mais de cem milhões de pessoas por onde passaram, superando o “holocausto”, onde os nazistas mataram seis milhões de judeus.

Nessa empreitada de tomar conta do mundo “rico”, dos “outros” - já que não teve capacitação  de fazer nada igual - a esquerda conta com o apoio indisfarçado das grandes organizações internacionais, como a ONU e a UNIÃO EUROPEIA ,além de organizações privadas  que concentram os interesses das grandes fortunas mundiais, como a NOVA ORDEM MUNDIAL, e o CLUBE DE BILDERBERG, que fizeram uma aliança “secreta” com a esquerda, a quem prometem a entrega do PODER POLÍTICO,em troca  da reserva para si mesmos do PODER ECONÔMICO.

E esse “consórcio”, da esquerda, com o Grande Capital, e as maiores  organizações políticas internacionais, é que está patrocinando o enorme fluxo migratório em todo o mundo, com multidões de gente humilde, de países pobres, INVADINDO clandestinamente  os países mais  ricos,forçando-os a repartir  uma riqueza construída por eles, da qual não participaram.

A Europa, em grande parte, já foi vítima desse fluxo migratório predatório, mais acentuadamente, França e a Alemanha. Em pouco tempo, os migrantes ilegais acabam recebendo título eleitoral ,e se igualando em direitos e privilégios  aos  nacionais. E quando formam maioria,passam a mandar “politicamente” no respectivo país, dentro da regras democráticas vigentes.  Ou seja,  tomam o comando  do  país  para si mesmos.                                                                                              

Os Estados Unidos são  o “país da vez”. Já iniciaram, moderamente, com Bill Clinton e Barack Obama, e  esse último, segundo alguns, “cria” do Clube de Bilderberg, que  teria patrocinado  a série de filmes americanos que tinha sempre  um negro “mocinho”, como Presidente dos Estados Unidos. Preparação do “terreno” eleitoral para Obama?                                               

E agora “ameaçam”, mais seriamente, com o candidato que for escolhido pelo PARTIDO DEMOCRATA, para concorrer com Donald Trump, do PARTIDO REPUBLICANO, que inclusive conta com um concorrente  “vermelhinho”  para ninguém “botar defeito”, Bernie Sanders.

Sérgio Alves de Oliveira é Advogado e Sociólogo.

Nenhum comentário: