sexta-feira, 6 de março de 2020

A Verdade sobre a formação médica no Brasil


Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Milton Pires

Desde Marcel Van Hatten até Zeca Dirceu, passando pelo Presidente do Conselho Federal de Medicina até a Dona Nhanhá (que está agora na UPA da Caveira esperando para “mostrar exames de dezembro de 2019), não existe NINGUÉM no Brasil que negue que “faltam médicos no interior” e que os “médicos que se formam estão mal distribuídos”.

Parece-me também não ser arriscado afirmar que outro tipo de “consenso”, outra opinião muito comum, é que as três funções de qualquer Estado são (para que o Estado possa justificar sua natureza democrática) a Saúde, a Educação e a Segurança.

Hoje eu estava me dando conta do seguinte: com tanta gente falando sobre formação médica no Brasil, com tanto deputado ladrão, integrante do BBB20 e guardador de carros dando palpite, com tanto Ministro e “especialista” da Globo dando declaração sobre o que deve e o que não deve se ensinar na Faculdade de Medicina, por que não existe número igual de pessoal falando sobre a “formação dos policiais e dos professores”??

Por que não vemos ninguém falando em “atenção primária em educação” e “atenção primária em segurança”? Por que as faculdades que formam professores não tem cadeiras de “Educação Preventiva” ou as Academias de Polícia não formam policiais que devam ser colocados no interior do Brasil?

Pois é...eu tenho estas minhas dúvidas...Dúvidas de gente “chata” como eu e que costumam ficar sem respostas...

Alguns me diriam que Saúde, Educação e Segurança são áreas igualmente importantes e essenciais da atuação de qualquer Estado Democrático de Direito, mas que suas peculiaridades impõem, por parte deste Estado, um tipo de intervenção diferente para cada uma delas…

É..vou fingir que acredito. Vou aceitar que me digam que “sem saúde a pessoa não tem nada”, que “não existem tantos crimes no interior quanto nas grandes cidades”, que “a criança pode fazer seu primeiro grau” nestas belas escolas do interior da Amazônia e depois, com facilidade, se mudar para Manaus...vou aceitar, não se preocupem...não vou discutir..

Mas ainda tenho uma outra dúvida: me respondam, por favor, por que os médicos brasileiros “devem um retorno” à sociedade depois de formados e os professores e policiais não devem???

Expliquem por que existe um plano de carreira para policiais e professores e não existe para médicos. Me digam porque podemos admitir médicos brasileiros formados na Bolívia e porque não temos policiais e professores fazendo sua formação lá para depois “renovarem” seu “diploma” e trabalharem como policiais e professores no Brasil….eu não consigo entender: não são áreas essenciais do Estado? Não tem a mesma importância?

Qual o motivo de haver “cooperativas de serviços médicos que atuando desde São Paulo até São Manuel da Pirocas e não haver “cooperativas” de policiais e professores?

Ah, já sei! Já sei: é que NÃO estão faltando policiais e professores no Brasil né? Ah, desculpe...eu havia me esquecido que não estão faltando…

Sabe por que, meu amigo (ou amiga como lembrariam os vagabundos petistas) você não consegue responder minhas perguntas?

Eu lhe digo: é que eu fiz uma “pegadinha” pra você desde o início. Eu disse que as três áreas essenciais de atuação de qualquer Estado Democrático de Direito são a Saúde, a Educação e a Segurança, né? Mentira minha – o Estado só tem UMA ÁREA essencial – é a aplicação da JUSTIÇA!

Não existe Justiça no Brasil. Gente pobre morrendo e atendida por médico que não sabe nada (não sabe nem se vai receber alguma coisa depois de atender) é, ainda, um grande negócio aqui no Brasil. É negócio até para gente pobre, essa gente pobre, ignorante e corrupta que está agora dentro de uma UPA para “mostrar exames” alegando que “nóis paga o INPS e eles não atende nóis”.

A morte, a dor e o sofrimento no SUS continuam, sim, sendo grande negócio – negócio para os donos de faculdades privadas, para o Governo Corrupto de Direita ou de Esquerda, para “nóis que paga o INPS”, para os médicos sem emprego que se formam aos milhares e não conseguem trabalho decente…para o Conselho Federal de Medicina que finge que não sabe de nada disso que eu escrevi, para os deputados corruptos que querem enriquecer com faculdades ou para os brasileiros formados na Bolívia.

O grande negócio, por uma questão de falta de JUSTIÇA, continua e vai continuar dando muito certo…até o dia em que os brasileiros façam JUSTIÇA consigo mesmos...e comecem a dizer a verdade, uns para os outros, sobre o que é a Saúde Pública no Brasil.

A verdade, fica nessa minha frase aqui, no meu recado para qualquer Governo Corrupto que comandou, comanda ou vai comandar o país – deixem os médicos brasileiros em paz, sua corja de cafajestes! Paguem os salários, façam concursos públicos, criem condições de trabalho e plano de carreira! Sem isso vocês JAMAIS vão ter “médicos trabalhando no interior”

Vocês vão ter médicos se formando até dentro de shopping center em São Paulo, até dentro de Igrejas Evangélicas do Rio de Janeiro ou escolas de Carnaval de Porto Alegre – NENHUM deles vai ser louco ou burro o suficiente para sair da cidade em que se formou e trabalhar no interior do Brasil!

Milton Simon Pires é Médico. Editor do Ataque Aberto.

Nenhum comentário: