terça-feira, 3 de março de 2020

Ma ne avró vendetta



Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Carlos Maurício Mantiqueira

Sugiro aos amáveis leitores que ouçam um dos mais importantes trechos da ópera “Rigoletto” de Verdi, referido no título deste artigo.


O poderoso de então, sentindo-se traído, promete vingança a seus inimigos.

A comparação entre aquele momento e o atual cenário político nacional, não é mera coincidência.

A questão é, apenas, identificar quem são os inimigos da Pátria, dos brasileiros e do Mito.

Um ditado reza que a vingança é um prato a ser comido frio.

Teoricamente, a ordem de eliminação deveria ser do mais perigoso ao menos perigoso. Às vezes, surge uma ocasião inesperada.

Um sábio florentino escreveu há séculos que o ser humano ataca por medo ou por ódio. Nosso herói não demonstra ter medo. Por outro lado, talvez tenha ódio dos que tentaram matá-lo, dos que o caluniam, injuriam e difamam diuturnamente.

As novelas de rádio nos anos quaehta do século passado, em países hispanohablantes, tinham a célebre frase :” Los acontecimienros se precipitan !”

Até 15 de março próximo, os canalhas tentarão de tudo para boicotar as manifestações. Pretextos não faltam: corona vírus, greves, motins, etc.

Os urubus, torquemadas e membros do cão egresso, agem cono avestruzes. Põem a cabeça no buraco para fingir que nada vai acontecer.
Luís XVI foi levado à força de Versailles a Paris. Depois, deu no que deu.

E olha que o cara nem promovia reuniões esquisitas nos restaurantes parisienses.

Carlos Maurício Mantiqueira é um livre pensador.

Nenhum comentário: