sábado, 28 de março de 2020

O vírus nos gera oportunidades



Edição do Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Jorge Serrão - serrao@alertatotal.net
Siga-nos no Twitter - @alertatotal

Além do infindável número de mortes (que a extrema imprensa parece morbidamente torcer para aumentar), o coronavírus trouxe algo muito mais tenebroso para a vida das pessoas. O suposto combate à doença abriu espaço para que os Estados nacionais, em todo o mundo, promovessem abusos de poder contra a democracia (segurança do Direito) e a liberdade individual. Além do trauma pelas vidas perdidas, esta será a grande seqüela da crise pós-COVID-19.

A crise é complexa, feia e assustadora. Não há soluções prontas, padronizadas, para situações tão diferentes em cada nação do planeta Terra. O mais espantoso, em vários lugares, e particularmente no Brasil, é o aumento da “Estadodependência”. As imposições coletivistas – essência dos sistemas socialistas e regimes autoritários -ganham força sobre o legítimo poder e a liberdade do indivíduo. Perdemos (não sei por quanto tempo ou se para sempre) a simples capacidade de apertar mão, abraçar e beijar as pessoas.

O isolamento social foi a principal arma adotada, padronizadamente, na maioria dos países. Alguns lugares pegaram mais pesado e adotaram o lockdown. Acontece que a essência humana não suporta viver isolada por tanto tempo. Além disso, as condições de subdesenvolvimento, miséria, pobreza, falta de educação e ausência de hábitos de higiene agravaram o risco das pessoas. Só que o coronavírus é tão cruel que atingiu, em cheio, o rico primeiro mundo.

Devemos encarar mais uma semana com cidades paradas por causa do “inimigo invisível”. A maioria das pessoas já não agüenta mais ficar em regime de prisão domiciliar ou isolamento obsequioso. Famílias vivem o dilema da sobrevivência. Quem conseguiu suportar à virose também precisa ganhar dinheiro. Profissionais liberais e prestadores de serviços serão obrigados a fazer milagres. Sorte de quem pode encarar o home-office. E quem está no desemprego ou impedido de trabalhar?

O economista Armínio Fraga desenhou o que precisa acontecer para aliviar os efeitos do caos gerado na fase de emergência médica: “Em algum momento alguém tem de tomar uma decisão e dizer: é por aqui, e vamos executar. Normalmente, numa situação de crise, existe um padrão de gestão que define claramente responsabilidades, desenha uma estratégia, planeja e executa as ações, monitora os eventos e se comunica com a nação. Isso precisa ocorrer urgentemente”.

Ou seja: será necessária uma urgente reinvenção das pessoas, dos processos produtivos, legislativos, políticos e econômicos. O mundo terá de rever a postura diante dos idosos e doentes crônicos – os alvos preferenciais do coronavírus. Tragédia como esta não pode se repetir em tempos de suposta paz. Imagina um caos deste numa guerra? O coronavírus deixou a elite globalista bestificada. Muitos doentes e mortos.     

Precisamos manter o otimismo e agir com realismo. O Congresso Nacional está acuado em meio a esta crise. Agora é o momento da sociedade organizada em entidades e movimentos aumentar a pressão pelas reformas administrativa, tributária e (a mais importante delas) política. Depois disso, o caminho fica aberto para a imprescindível Nova Constituição, para tornar o Brasil juridicamente seguro para crescer e se desenvolver.

Lembremos de Winston Churchil: “Um otimista vê uma oportunidade em cada calamidade. Um pessimista vê uma calamidade em cada oportunidade”. Aproveitemos a oportunidade a favor das mudanças estruturais no Brasil. O Governo de Transição de Jair Bolsonaro e Antônio Mourão, com o apoio dos militares, tem de agir estrategicamente e fazer o dever de casa. Haja sabedoria, força psicológica, inteligência, coragem, resiliência, paciência e tolerância...
Intuição? A quarentena vai mais longe do que parece... Março que termina, abril e maio serão difíceis. Vem o outono, com pouca chuva, umidade relativa do ar baixa, muita alergia, junto com influenza, dengue & afins e, claro, coronavírus. Que os infectados – quase todos – sobrevivam...

Mais uma previsão, quase certeza? O Estado-Ladrão brasileiro não vai nos socorrer... Pode esquecer... Então, quem não for pego pelo chinavírus corre risco de ter a vida ameaçada pelo caos econômico.

Piadas muito sérias...

Frases soltas que circulam nas redes sociais, para tentar dar uma descontraída no clima pesado:

- Hoje lavei as mãos com Johnny Walker. Está mais barato que alcool-gel

- Recomendo andar em casa usando máscara. Não é pelo vírus. É para não comer.

- Dois dias em home-office com as crianças e já estou achando a mensalidade do colégio barata.

- Tão de saco cheio que se as Testemunhas de Jeová baterem na minha porta, atendo.

- Meta para 2020: sobreviver. Emagrecer fica pra 2021.

- Acordar ao meio-dia e saber que estou salvando o mundo...não tem preço.

- Estatística policial das últimas 24 horas: roubos 0, furtos 0, acidentes 0, brigas de casal 328.453 (e aumentando, sem parar)...

- Outro dia sem ir à academia... E já se vão 15 anos...

- Se esse é o vírus chinês, imagina o original...

Hino Nacional do Coronavírus


 Atenção Nasa: mais um caso brasileiro para estudo...

Leitura recomendada


Adquira seu exemplar agora. Clique no link








Colabore com o Alerta Total

Jorge Fernando B Serrão

Itaú - Ag 9155 cta 10694 2

Banco do Brasil - Ag 0722-6 cta 209.042-2

Caixa (poupança) - 2995 013 00008261-7

Ave atque Vale! Fiquem com Deus. Nekan Adonai!

Jorge Serrão é Editor-chefe do Alerta Total. Especialista em Política, Economia, Administração Pública e Assuntos Estratégicos.  A transcrição ou copia dos textos publicados neste blog é livre. Apenas solicitamos que a origem e a data original da publicação sejam identificadas.

© Jorge Serrão. Edição do Blog Alerta Total de 28 de Março de 2020.

5 comentários:

sergio soares disse...

É triste ter que ler uma citação do socialista fabiano Armínio Fraga.Só falta por um artigo do corrupto-mor do Brasil,FHC.

Rodrigo Almeida disse...

Empregado do George soros

JPerácio disse...

Hoje os políticos dizem que estão tomando a decisão de isolamento para proteger os pobres. Mas sempre o sistema de saúde foi colocado em segundo plano. O medo é que as pessoas passam a ver que eles são os culpados pelo estado do nosso sistema de saúde ser uma calamidade pública. Com desvios de verbas.

Anônimo disse...

O texto abaixo não é meu, é do meu cérebro...

Tristes dias esses em que, passadas quase 3 semanas de "quarentena", não sabemos de fato do que nos isolamos.

Sabemos que existe "um vírus lá fora", mas não sabemos aonde, como, porquê e quando.

Mas de uma coisa temos absoluta certeza: sabemos que a crise do vírus se tornou política. Sabemos que está sendo usada, despudoradamente, para alavancar as intenções de dois grupos políticos que à mais de um ano vem se digladiando pelo poder aqui no Brasil.

De um lado, um grupo antigo, adoradores do satã coletivista, que perdeu, em urnas viciadas, sua chance de se perpetuar no poder por mais uma década.

De outro lado, um grupo novo, surgido do nada, com raízes nas milícias do Rio de Janeiro.

Qualquer um desses dois grupos podem, e provavelmente, usam da mentira.

Ambos os grupos lutam uma luta sangrenta nos bastidores, mas o sangue que esguicha não é o deles.

Assim, não se sabe de fato se temos 20 mil mortos, 2 milhões de mortos, ou nenhum morto pelo vírus chinês. Sabemos que os mortos existem, mas não temos certeza se tais mortos foram de fato abatidos pelo vírus chinês ou não. Só sabemos que temos de confiar nas palavras "fique em casa" de pessoas que até pouco tempo atrás estiveram sendo investigadas na lava-jato e pior: temos de confiar até mesmo em outras pessoas que foram condenadas pela lava-jato.

Enquanto isso assistimos tristemente, a inanição daquilo que chamamos de "forças armadas", uma verdadeira tropa de cegos, surdos e mudos, que se recolheram em suas insignificâncias para nunca mais saírem de lá.

A conclusão é óbvia: não sei se de fato o tal vírus chinês matou todas essas pessoas que a imprensa vem exaustivamente alardeando com grande entusiasmo. Mas sei que a verdadeira vítima fatal do coronavírus foi nada mais nada menos que a própria liberdade.

Não tenho medo de morrer de coronavírus. Tenho medo é de viver com ele.

"As nossas maiores dissimulações são desenvolvidas não para esconder o que há de ruim e feio em nós, mas o nosso vazio. A coisa mais difícil de esconder é aquilo que não existe.

Eric Hoffer"

Loumari disse...

Más de 2.000 muertos y 120.000 infectados por el coronavirus en EE.UU.

https://www.youtube.com/watch?v=Tyx2qUegs0M

El número de infectados por el coronavirus en EE.UU. ha alcanzado 121.117, de acuerdo con los datos de la Universidad Johns Hopkins. Además, el covid-19 se ha llevado la vida de un total de 2.010 personas en el país.

Este viernes, EE.UU. se ha convertido en el primer país en el mundo en superar los 100.000 casos diagnosticados de coronavirus.

29.03.2020