segunda-feira, 13 de abril de 2020

“Arte da Traição”



Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Fábio Chazyn

Sem punir o transgressor não pode haver redenção! Apesar disso, aprendemos na Bíblia que Jesus Cristo interveio junto a Deus para nos conceder o Perdão, chamando todo o castigo para Ele, na esperança de ver o humanóide virar humano pela força da gratidão. Será que merecemos a dádiva que Ele nos deu e a confiança que Ele nos depositou?

Fora da Bíblia, na menos popular Divina Comédia, Dante Alighieri viu a história por um outro ângulo. Nos contou que o presente que Deus nos deu foi a razão humana, para nos guiar a evitar o pecado. E que Ele ficou na esperança de acreditarmos que, para atingir o Paraíso, é necessário perseguir o Amor Divino. Chamou esse sentimento de Devoção e, a atitude, de caminho do Bem.

Aos que falham em usar a inteligência e a racionalidade vão ficando nos acostamentos da estrada. Desde os que cometem os pecadilhos até os pecadões vão amargar eternamente os castigos do inferno. O mais brando, reservado aos oportunistas e proselitistas-de-conveniência, é ser perseguido eternamente por vespas furiosas. Dante nos contou castigo-por-castigo a que são condenados os fracos que cedem à luxúria, à gula, à avareza e à ira, e também os que decidem mal, como os hereges e os suicidas covardes. Nos diz também que Deus reservou o pior dos castigos para o pior dos pecados: a traição.

Deus reservou um mundo escuro e gelado para os traidores que enganaram seus amigos, sua família, sua Pátria. Condenou-os a serem mastigados eternamente pelo Diabo, o maior dos traidores.

Aparentemente muitos dos nossos conterrâneos contemporâneos não acreditam nisso. Senão não seriam tão indulgentes à traição que cometem de ofício. Os “políticos” brasileiros acham que usar meios indignos podem justificar fins insidiosos. Assim, no nosso Brasil atual, a impunidade conseguiu soltar o pecado da traição das entranhas do Inferno e a oficializou como meio de conquista do poder.

Aqui, a política virou a arte da traição!

De conjunto de meios orientados à formação ética e virtuosa dos cidadãos para o exercício da cidadania, a “Política” virou sinônimo de jôgo sujo de politiqueiros. Estes dizem que defendem o povo numa guerra de ideologias, mas a disputa está mais p’ra guerra de egos, com intenções inconfessáveis. Eles não estão interessados na emancipação do cidadão e muito menos na prosperidade da coletividade dos cidadãos, ainda que lado e outro explorem a mesma retórica.

Os políticos-politiqueiros se fingem de democratas para não revelar a sua verdadeira natureza. São lobos-em-pele-de-cordeiro. Discursam pelo cada-um-por-todos e agem no cada-um-por-si. Se juntam entre si para impor a impunidade aos criminosos-de-colarinho branco. Hipócritas tripudiantes, seguem conspirando contra a democracia, em nome dela.

É a grande traição contra o povo. E contra a Pátria. O maior e mais vil dos pecados. Que os nossos políticos-politiqueiros sejam castigados com o abandono eterno nos acostamentos da História. E dos infernos dantescos!


Fabio Chazyn, autor do livro “O Brasil Tem Futuro?” recém-lançado. Adquira seu exemplar pelo site https://clubedeautores.com.br/livro/o-brasil-tem-futuro

Nenhum comentário: