domingo, 26 de abril de 2020

Bolsonaro x Moro



Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Percival Puggina

“Quando Sérgio Moro, na manhã de hoje (24/05), encerrou sua manifestação, os grupos de whatsapp se robusteceram de conteúdos com os piores prognósticos possíveis em relação ao futuro do governo Bolsonaro. Amigos me ligaram. Correspondentes que, como eu, preferem o velho e bom e-mail como forma de comunicação, se afanaram em querer saber minha opinião sobre o que estava acontecendo. Moro fizera acusações graves. Enquanto falava, a bolsa caía e o dólar subia e, claro, a nação se inquietava. Dava-se vitória ao ex-ministro sem sequer ouvir a outra parte...
É interessante esse impulso, profundamente humano, que nos impele a reagir imediatamente diante de eventos inesperados. Neles, muitas vezes, a pressa é inimiga do bom discernimento. O próprio Procurador Geral da República apressou-se a pedir ao STF autorização para investigar as denúncias do ministro. Horas mais tarde, cumpriu-se o segundo evento do dia, a impostergável manifestação de Bolsonaro. Tivesse o presidente falado em horário vespertino mais cedo, pressinto que a bolsa teria recuperado os pontos perdidos e o dólar retornado à cotação de quinta-feira.
Prestigiado por seus ministros e principais assessores, o Presidente falou de modo sereno, refutou as acusações, explicou suas motivações. Proporcionou sua melhor imagem como chefe de Estado desde a posse. La pelas tantas disse: “Eu tenho um Brasil a zelar”. Esse sapato serve no meu pé. Serve para me fazer andar. Um Brasil a zelar também me mobiliza. Aconselha a não reagir por efeito manada. Muitos o fazem, servindo a um oportunismo pouco interessado no Brasil e muito interessado nas próprias conveniências políticas, financeiras, ideológicas.”
Percival Puggina (75), membro da Academia Rio-Grandense de Letras, é arquiteto, empresário e escritor.

3 comentários:

aparecido disse...

Moro é um carro sem suspensão para absorver os impactos... qualuer irregularidade dá um tranco enorme...Na verdade ele nunca deixou de ser juiz... e foi um dos piores ministros da justiça de nossa história...Não tem absolutamente nenhuma liderança.. e seu maior ERRO foi quando deixou seu cargo em Curitiba e tentou ir além de suas sandálias.. e fracassou retumbantemente...A nossa PF é um desastre completo e é politcia a serviço de partido politico...com suas varias tendencias lá dentro.. É UMA VERGONHA NACIONAL QUE A PF ainda não resolveu o caso do atentado presidencial e isso só mostra a atuação politica da PF na proteção de outros..grupos...Os delegados deviam ir pra casa emvergonhados pelo fracasso. e MORO provavelmente vai trabalhar nos steites pois aqui corre serio risco de morte pelos muitos inimigos arranjados...E o governo vai melhorar muito sem MORO...é preciso colocar alguém linha dura que faça a PF trabalhar de verdade...

Paulo Robson Ferreira disse...

Percival, eu acredito profundamente na sua honestidade de observador mas discordo completamente do das suas conclusões sobre o episódio do dia 24. Dizer que a resposta de Bolsonaro apaziguou a nação é piada. Bolsonaro mentiu e a resposta de Moro com provas das mentiras do presidente foi poderosíssima e deixou Bolsonaro ainda mais desacreditado. Hoje, pelo que vemos de concreto do governo atual, um convincente legado nos é oferecido pelos fatos: - como é estúpida a opção de nos rendermos às ideologias. Elas, sejam políticas, religiosas ou de qualquer outra natureza, só nos induzem ao adormecimento mental, obliterando nossa percepção na análise das peculiaridades dos fatos em privilégio das generalidades. Não sei se fui claro.

Sérgio Alves de Oliveira disse...

Só o fato do novo Chefe da Policia Federal ter sido "Segurança Pessoal" do atual Presidente, e integrar o círculo "íntimo"de relações da "Família Bolsonaro",que tem gente sendo processada na PF,indica que Moro só falou a verdade nas suas denúncias.