domingo, 26 de abril de 2020

Brasil tem de sofrer Depuração Democrática



Edição do Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Jorge Serrão - serrao@alertatotal.net
Siga-nos no Twitter - @alertatotal

O coronavírus é um detalhe mórbido no meio de uma gravíssima crise institucional brasileira – mais uma em nossa conturbada História mal contada. Não há saída mágica para o problema, porém existe um caminho. O Brasil tem de passar por um profundo processo de “Depuração Democrática”.

O radicalismo extremista deu provas objetivas de que, até agora, não representa uma solução honesta, ética e moral. Por isso, é recomendável a construção de um atalho pela via centro-direita. Este parece o contraponto equilibrado ao fracassado socialismo esquerdista ou sua versão cínico-pragmática, a social-democracia.

O espectro do golpismo já incomoda o Palácio do Planalto e adjacências. O momento crítico exige que o fantasma seja exorcizado. Grupos formados por pessoas de bom senso, patrióticas, focadas na conquista de um Brasil livre, com ordem, progresso e desenvolvimento, precisam se unir, relevar divergências, vaidades e interesses para formar um bloco comprometido com o processo de “Depuração Democrática”.

Infelizmente, apesar da retórica até de alguns bem intencionados, nossas instituições NÃO funcionam normalmente... A não ser que o “normal” seja a canalhice demagógica com os preceitos pretensamente democráticos. Nossa Constituição de 1988, que precisa ser trocada por uma Nova Carta (enxuta, programática, fácil de ser cumprida sem “interpretações”, mas por consciência cidadã).

Só a Turma do Mecanismo não deseja mudanças, sejam reformas ou profundas alterações estruturais. Então, só resta aos segmentos esclarecidos da sociedade, formados por pessoas de bem, organizar um movimento nunca antes visto para a defesa dos princípios e valores democráticos, e implantação efetiva deles no Brasil. A união dos bons de caráter é necessária para viabilizar a transição do Capimunismo Rentista para o Capitalismo Democrático.

Enquanto nos organizamos de maneira estratégica e inteligente para a “Depuração Democrática”, devemos reafirmar três posturas imprescindíveis para o momento presente: 1) Combate implacável à Corrupção; 2) Eliminação de toda ideologia socialista; 3) Combate a todo e qualquer tipo de totalitarismo. Em síntese: Pau na Turma do Mecanismo e vamos em frente...

Bolsonaro ainda é o remédio amargo contra a esquerdalha e o establishment. Por isso, ele tem de cumprir seu mandato até o fim previsto constitucionalmente. O povo brasileiro não pode tolerar o golpe em andamento para derrubar o Presidente. Exatamente por isso, também tem de fazer pressão total para cobrar que o Presidente cumpra os compromissos que o elegeram.

E vamos ter resiliência, porque muita luz da verdade vai brotar em meio às trevas brasileiras... Como tem de ser...    





Colabore com o Alerta Total

Jorge Fernando B Serrão

Itaú - Ag 9155 cta 10694 2

Banco do Brasil - Ag 0722-6 cta 209.042-2

Caixa (poupança) - 2995 013 00008261-7

Ave atque Vale! Fiquem com Deus. Nekan Adonai!

Jorge Serrão é Editor-chefe do Alerta Total. Especialista em Política, Economia, Administração Pública e Assuntos Estratégicos.  A transcrição ou copia dos textos publicados neste blog é livre. Apenas solicitamos que a origem e a data original da publicação sejam identificadas.

©
Jorge Serrão. Edição do Blog Alerta Total de 26 de Abril de 2020.

13 comentários:

Anônimo disse...

Chumbo grosso
sábado, 25 de abril de 2020
QUANDO NÃO É QUEDA... É COICE
Por Altamir Pinheiro

A petralhada safada anda fazendo a festa nos blogs sujos(esgotos a céu aberto) espalhados pelo Brasil afora e até nos porões dos sindicatos esquerdistas do exterior. Há quem diga, pasmem, ou defenda que o ex-ministro e ex-juiz Sérgio Moro é mais um COMUNISTA ENRUSTIDO. Parece Piada do Ano. Mas, na verdade, é apenas uma tragédia noticiosa anunciada. Ou seja, desonestidade intelectual de um jornalismo chinfrim e tendencioso. Veja o caso do jornalista de araque o gringo Verdevaldo que tem um blog sujo com o apelido de The IntercePT e, tempos atrás, prometeu um TSUNAMI nas hostes do honrado homem público Sérgio Moro. Como sempre, tudo BALELA!!! No frigir dos ovos a montanha pariu um rato... Ou seja, MORO 7 X 1 VERDEVALDO...

A saída de MORO do ministério arrombou com as pretensões dos petralhas para 2022 e, por tabela, a imprensa mamadeira das tetas nos governos petistas também lascou-se. Pois agora, as esquerdas, imprensa suja e os falidos sindicatos aliados aos terroristas do quebrado na emenda MST vão enfrentar nas eleições presidenciais, o Bunda Suja Bolsonaro(ou Mourão), o engomadinho Dória, o FAVORITO Sérgio Moro e a poderosa Rede Globo que já se declarou defensora intransigente da candidatura #MOROJÁ. Não há o mínimo farelo de dúvida que, 100% dos BRASILEIROS DO BEM já constataram In Loco, como o juiz honrado e com vasta credibilidade que conduziu com brilhantismo a famosa Lava Jato, quando, naquela ocasião, colocou a cúpula de bandidos petistas no xilindró, sob os aplausos de todos. Moro trouxe a crença para a população de que era possível colocar poderosos na cadeia. Daí, conclui-se que: MORO 7 X 1 PT...

Só a imprensa petista é que não viu que a monumental ação benéfica e justa do então juiz Sérgio Moro correu o mundo. Talvez seja isso a santa ingenuidade dos blogs sujos ou esgotos a céu aberto que sonham em ver o PT no poder para iniciar outra vez toda aquela comilança... Quem sabe não esteja havendo aí, uma prática de selvageria “incarnada” ou fúria ideológica dos blogs sujos petralhas que proliferam em todo o país, dissimuladamente... Essas pestes que se acham imprensa ideológica teimam em não caírem na real que é pura constatação de que a corrupção dos governos esquerdoides tinha encontrado um combatente feroz. Claro que a boa ação de MORO correu o mundo e seu convite para o Ministério da Justiça trouxe, para o Capitão Caverna Bolsonaro, um apoio maciço de parte da população que não compactua com falcatruas. Inúmeros foram os movimentos em defesa de Moro e da Lava Jato de modo que, naturalmente, ele se transformou num pilar fundamental na continuidade do governo que o Bunda Suja jogou fora. Então: MORO 7 X 1 BOLSONARO...

Para a imprensa escrota petralha (leia-se Blogs sujos e demais órgãos vomitatórios), todos os esquerdinhas, canhotos e adjacências acompanhados ou ajuntados com o pilantrão “jornalista” Verdevaldo, sem a mínima contestação, levaram uma boa sova: ALÉM DA QUEDA... COICE!!!
Postado por Altamir Pinheiro às 4/25/2020 06:13:00 PM

Anônimo disse...

Chumbo grosso
A SAÍDA DE MORO É UM BAQUE, A RODA VIVA DA LADROAGEM VAI COMEÇAR A GIRAR...

Que país é este? Em um ato de envergadura ímpar, que terá consequências importantíssimas para o país, o agora ex-ministro Sergio Moro expôs, em pronunciamento na manhã desta sexta-feira, os embates finais com o presidente Jair Bolsonaro que levaram ao seu pedido de demissão do Ministério da Justiça e da Segurança Pública. Com a tranquilidade que sempre o caracterizou, mas sobretudo com a precisão, o equilíbrio, todo o respeito possível ao (até então) superior hierárquico e extrema coragem, próprios de um estadista e um homem de bem, Moro desnudou a pressão que Bolsonaro vinha exercendo sobre ele e sobre o diretor-geral da Polícia Federal, Maurício Valeixo, para que este fosse exonerado.

Quando Moro aceitou o convite de Bolsonaro para ser ministro, assim o fez porque estava convicto de que poderia fazer pelo Brasil ainda mais do que já vinha fazendo na qualidade de juiz federal, especialmente à frente da Operação Lava Jato. No que esteve ao seu alcance, não tem do que se arrepender, e demonstrou isso ao anunciar sua demissão. A preocupação pelo bem do país sempre norteou suas atitudes. Quando vários episódios mostraram que a “CARTA BRANCA” prometida publicamente por Bolsonaro a Moro quando de sua nomeação era mais uma PEÇA DE FICÇÃO que um compromisso real, o ministro jamais deu declarações públicas que enfraquecessem o presidente, pois sabia das consequências que isso teria; mesmo no pronunciamento de sexta-feira Moro se absteve de dar mais detalhes que os estritamente necessários para que o Brasil compreendesse sua decisão. O pedido de demissão certamente não foi uma decisão fácil, mas era inevitável à luz do que estava em jogo para o bem do Brasil.

Por que Bolsonaro joga fora a lealdade, os resultados e a popularidade de Moro, ao insistir em receber a cabeça de Valeixo? E por que, ao não lhe ter sido entregue a cabeça, optou ele mesmo por ser o executor do ato, a ponto de publicar um decreto de exoneração na noite de quinta-feira, incluindo a assinatura de Moro sem o conhecimento do ministro (o que já é bastante grave)? Ao que tudo indica, Bolsonaro queria um diretor-geral dócil. Nas palavras de Moro, “uma pessoa do contato pessoal dele, para quem pudesse ligar, com quem pudesse colher informações, relatórios de inteligência”, acrescentando que “não é o papel da PF prestar esse tipo de informação”. Moro lembrou ainda que Valeixo até já havia manifestado um desejo de deixar o cargo, após meses de bombardeio, e que havia bons nomes para substituí-lo. Mas o então ministro fazia questão de que a escolha do novo diretor-geral ocorresse com lisura, sem interferências políticas nem margem para o uso político da PF. Não era essa, no entanto, a vontade de Bolsonaro, um presidente que não compreende a importância da independência dos órgãos de investigação e da necessidade de preservá-los de qualquer interferência em seu trabalho. Continua....

Anônimo disse...


chumbo grosso continua II e termina.....

Durante seu pronunciamento, Moro acrescentou também que Bolsonaro “tinha preocupação com inquéritos em curso no STF”. É aqui que entramos em terreno ainda mais sombrio, pois há suspeitas de corrupção envolvendo um dos filhos do presidente, Flávio Bolsonaro (Republicanos-RJ) e seu ex-assessor Fabrício Queiroz; já outro filho, o vereador carioca Carlos Bolsonaro, é apontado como chefe do chamado “GABINETE DO ÓDIO”, uma suposta milícia virtual que operaria de dentro do governo e que vem sendo investigada. Em outras palavras: na hipótese mais benigna, há um déficit agudo de compreensão da parte de Bolsonaro, que não sabe nada sobre a importância das instituições e da sua independência; na pior das hipóteses, ele está disposto a fazer o que for preciso para impedir que algo muito grave venha à tona.

Por tudo isso, a saída de Moro é um baque para muitíssimos brasileiros esperançosos por um país melhor e que viram, na escolha do até então juiz da Lava Jato, a esperança de que a nação deixasse definitivamente para trás anos de roubalheiras cometidas pelos governos antecedentes, em nome de um projeto de poder absolutamente nefasto. Nesta sexta-feira, festeja a bandidagem. Festejam as milícias reais e virtuais. Festejam os corruptos à esquerda (e aqueles que os chamam de “guerreiros do povo brasileiro”), à direita e ao centro. Festejam os que promoveram todo o circo midiático contra Moro e a Lava Jato. Já o Brasil e os bons brasileiros só têm a lamentar. Bolsonaro mostrou, mais uma vez, que tem a caneta, como bravateara semanas antes diante de apoiadores no Palácio da Alvorada. Mas, ao tratar Moro da maneira como tratou, demonstrou que não tem palavra e não está à altura do cargo que tantos brasileiros, de boa fé e crentes em seu discurso, lhe concederam nas urnas. O “mito” está nu como nunca antes havia estado. Sergio Moro, por outro lado, fez valer, mais uma vez, o lema que implantou no Ministério da Justiça: “faça a coisa certa, sempre”. Moro fez. - Fonte: Gazeta do Povo. -

Postado por Altamir Pinheiro às 4/25/2020 02:01:00 PM

Anônimo disse...

O MASCATE

* Democracia neste país é relativa, mas corrupção é absoluta *

* Democracia neste país é relativa, mas corrupção é absoluta *
"PIMENTORIUM IN ANUS OUTREM REFRESCUS EST"
sábado, abril 25, 2020

Bolsonaro x Moro e a tal carta branca.

Amigos, quarentena já fazendo seus 40 dias e eu não peguei esse tempo ocioso para destilar minhas "abalizadas" opiniões sobre tudo e merda nenhuma.
Para dizer a verdade, não dá tesão em sentar diante do PC e sair digitando sobre o que acontece no Bananistão. Faz mal ao figado...
Mas, resolvi dar um tempo em terras Faceboquianas e voltar às origens, o Blog. Aqui tenho mais espaço e muito mais ódio para destilar.
Ódio? Dirão alguns, é, ódio. Ódio em perceber que o que apostamos como sendo a mudança não aguentou o tranco, a velha política, a corrupção, e a esquerda estão entranhados em tal ponto dentro da estrutura social e de governo que os " esforços" do capitão em mudar tudo isso foi como dedetizar uma infestação de baratas com água.
O tiro foi longo e o resultado foi pífio, Bolsonaro é vitima de sua bocarra, suas trapalhadas, dos filhos e até dos aliados, como vimos, quando não saíram os cargos pretendidos muita gente passou a odiar o capitão, os aliados de primeira hora, os mau caráter de sempre e os surfistas da onda de popularidade do então candidato mostraram suas podres intenções. Bolsonaro foi bombardeado pelo fogo amigo . E está dando no que estamos vendo.
O capitão perdeu o folego, sendo atacado diuturnamente pelo que há de mais abjeto no jornalismo Tupiniquim alguns corações e mentes mais suscetíveis a onda da alienação televisiva começaram provar do tal arrependimento.
O desgaste é velho conhecido do presidente, quando sentiu que o congresso não legisla para o povo e apenas em causa própria a coisa começou a feder. Sem grana e sem acordos o povo que se phoda e vamos deixar o presidente isolado e tornar o país ingovernável.
Um congresso que passou DOIS anos sem fazer NADA de relevante para o país e apenas tratando de phoder o governo deu no que deu.
Votou lá as reformas que o governo precisava, não sem antes destroçar os projetos sempre em benefício próprio.
Nhônho é o ser mais detestado da republica, o ódio a ele deve ser maior do que sinto pelo Filhodaputa pinguço ex presidiário ladrão canalha analfabeto boquirroto dos nove dedos Lulla da Silva.
Mandetta, o tão festejado ministro da saúde ganhou apoio do centrão e das mídias, quando alguém do governo Bolsonaro ganha o apoio dessa turma, é certo que boa coisa não é, e não era mesmo. E o presidente fritou o ministro em rede nacional de TV e redes sociais, e enfim defenestrou o ortopedista que tem muitas investigações e alguns processos nas costas, todos por improbidade. Pois, ora vejam, alguém do centrão enrolado na justiça? Que coisa não? Continua.....

Anônimo disse...


o mascate II....
Bolsonaro não tem que ficar fritando ministro para dar munição para a esquerda, se a coisa não está boa chama e manda embora no ato. Ficar no leva e traz em rede social só acirra os ânimos e desgasta o governo. Enfim o pé cantou na bunda do deputado ministro e a mídia teve orgasmos, um verdadeiro banquete para bater no presidente.
Sergio Moro:
Esse é um capítulo a parte.
O Juiz Moro, unanimidade nacional foi cooptado pelo presidente com a promessa de combater a corrupção, teria o então Juiz "CARTA BRANCA" para atuar pesado no ministério.
E Moro acaba largando 22 anos de sua brilhante carreira na magistratura e embarca na onda do MUDAR O PAÍS.
Começo acreditando que assim que ele mandou a PF investigar os governadores que estão arrebentando os estados com os tais gastos emergenciais a batata dele começou a assar. Perceberam?
O desgaste foi óbvio, Bolsonaro nitidamente não sabe delegar e interfere em tudo, aí a diferença entre o ministério técnico e o presidente popular que acabou entrando em rota de colisão, se vocês pararem para pensar o EX presidente Filhodaputa e seu poste montaram ministérios com gente do mesmo nível moral que eles. É muito mais fácil governar com gente tão ignorante quanto os governantes, simpatizantes, militontos, doutrinadinhos da geração Toddynho e seus eleitores.
Bem, a tal carta branca foi só até a página dois o desgaste se deu quando Bolsonaro começou a intervir no trabalho da PF e do ministro. Não sabemos ainda quais os motivos verdadeiros, a radio peão diz que o superintendente da PF estava investigando os "rebentinhos" bocudos do presidente. O amor paternal falou mais alto e o presidente fez merda. Isso é só especulação, saberemos a verdade um dia?
O que ficou pior nessa lambança foi que Moro saiu do padrão e deitou acusações contra o presidente, uma pessoa nitidamente comedida e discreta como Sergio Moro sai do governo fazendo acusações contra o executivo nos níveis que fez, a coisa foi absurdamente séria.
Ou será que o mundo se enganou com Sergio Moro? Duvido.
O saco dele explodiu e o ex ministro no mínimo devolveu o que recebeu.
As acusações de Moro são contundentes a ponto de gerar um impeachment do presidente, as cartas estão na mesa e o governo Bolsonaro estaria com os dias contados, mesmo com todo apoio popular que tem? Pois é....
Parece que o governo está sem caixa para pagar a segunda parcela da esmola de 600tão para o populacho e o apoio popular vai esvair ainda mais nesse ponto. Não é só o congresso que quer dinheiro, o povo indigente moral vive de mãos estendidas a espera de algum benefício do governo. É cultural. Vai dar merda. Continua....

Anônimo disse...


mascate III e termina....
E a tal coletiva que Bolsonaro deu, faça-me um favor!!!
As declarações mostram que emocionalmente o presidente está em frangalhos, perdeu a mão e expôs um lado quase infantil em se defender. Esse lado infantil é o que vemos diuturnamente no comportamento da sociedade, o Tupiniquim padrão é sempre o coidatinho e a culpa nunca é dele. Desde os tempos de escola que o verme se mete em tudo que é confusão, é relaxado e não estuda, mas quando dá merda a culpa é do professor. Lembrem aí, vcs nunca viram esse filme? Pois é...
Paulo Guedes foi ao tal pronunciamento sem paletó, de máscara e sem sapatos, isso mostra o desprestígio de Bolsonaro, Guedes é o próximo a abandonar o barco, escrevam e guardem para ler em data oportuna.
Bem, o rei está nú.
Alguns dos meus diletos quatro leitores dirão. "Mas, Mascate, vc apoiou o governo e agora atira contra ele?"
Não amigos, eu apoiei a ideia de mudar o país e defenestrar o câncer esquerdista do poder, trabalhei para isso, mas...
Sempre deixei bem claro que NÃO TENHO POLÍTICO DE ESTIMAÇÃO, muito ao contrario da turminha da esquerda que fica fazendo "era-era" para gente como a Jumenta Rousseff, mais incapaz que o Bolsonaro, só que ela mantinha a mídia no bolso, bilhões gastos com os blogs da esgotosfera e as grandes mídias, por isso conseguiu se arrastar por seis anos destruindo o país. Afinal, todo homem teu seu preço, alguns se entregam com promessas de ministérios, outros em troca de uma cesta básica.
Agora é esperar pelos próximos capítulos, o STF vai anular os crimes do Filhodaputa pinguço ex presidiário ladrão canalha analfabeto boquirroto dos nove dedos Lulla da Silva, e ele virá candidato em 2022 como salvador da pátria e o Bananistão irá naufragar de vez. Venezuela, aí vamos nós!!
É esperar para ver.
Novos desgaste virão e o capitão não termina o governo, salvo um milagre, dizem ser Deus brasileiro, acho que ele pediu asilo em outro país ao ver a quantidade de merda que este povo torcedor, canarvalesco, arrogante, festeiro e ignorante faz.
O "ignorante" é baseado em um estudo do Instituto IPSOS onde mostra que o Brasileiro só perde para a África do Sul em percepção da realidade.
Acredito que Bolsonaro percebeu que seu governo já era e em vez de renunciar ele vai tentar o impeachment para sair como coitadinho. Coisa de político terceiro mundista.
E eu vivi para ver os tarados da esquerda defendendo Sergio Moro. Isso não tem preço!!!
E no mais.

Que Deus, mesmo renegando sua brasilidade, tenha piedade de nós!!
E PHODA-SE!!!

Anônimo disse...

Serrão concordo com você, mas o Jair Messias Bolsonaro está lutando com muita força para sair do governo ant5es do final do seu mandato. Será que ele percebeu que sua reeleição já foi para o saco e que ele só terá problemas sérios para resolver pós pandemia? Ele não tem cérebro para enfrentar os problemas que virão à frente. Está na hora da substituição: sai o capitão e entra o general.

Leo Santos disse...

Moro é títere de FHC. Bom Dia !

Leo Santos disse...

Moro não passa de um vaidoso esquerdinha filosófico. É a favor do desarmamento,deu tablet com internet pra vagabundo, não obedeceu às ordens do Presidente,sabia das mutrettas todas ocorridas na polícia Federal,fez ouvidos de mercador e usou tapa olho de pirata,sua inércia era proposital e assim ia pondo argamassa no Golpe contra Bolsonaro.
Em suma: "Até tu, Brutus"?!

Leo Santos disse...

Exatamente. Minha bisavó dizia:" Gabou,brumou".
Assim são essas estrelas cadentes eleitas pela mídia corrupta e o povão burro e cheio de emoção e expectativa. Acontece correntemente com todos os civis que o pobre ( seusdesgaste físico é nítido)Bolsonaro leva para sua equipe de governo. Só um belo tranco e os podres esmagados pelas lagartas podem resolver tanto surrealismo.

Unknown disse...

A reeleição já foi pro saco ..

Unknown disse...

Estiveram com Bolsonaro nas últimas semanas ou conversaram por telefone com ele, presidentes e líderes do PP, PL, Republicanos, PSD, Solidariedade, MDB e DEM.
Por sua iniciativa, por exemplo, Bolsonaro falou ao telefone, mais de uma vez, com o principal cacique do PL, Valdemar Costa Neto, condenado e preso no escândalo do mensalão.
Em um dos encontros, gravou um vídeo ao lado do deputado Arthur Lira (AL), líder da bancada do PP, uma das siglas mais implicadas no escândalo de desvio de recursos da Petrobras.
Embora diga que não conversou com Bolsonaro, o presidente do PTB, Roberto Jefferson, que revelou e também foi condenado no escândalo do mensalão, assumiu a linha de frente da defesa do mandatário.
Congressistas que foram a esses encontros dizem que é natural que os partidos conversem diretamente com Bolsonaro já que a interlocução anterior, feita pelo presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), foi cortada.
Nessas reuniões estariam sendo discutidas não só a ampliação da distribuição de cargos às siglas -que já têm participação no governo-, mas outros pleitos, como as emendas parlamentares.
Um dos poucos a falar abertamente é o presidente do Solidariedade, o deputado Paulo Pereira da Silva (SP). "Me ofereceram o porto de Santos e eu não vou aceitar, não vou para o governo uma hora dessas. O ideal agora é fazer um entendimento entre Maia e Bolsonaro e garantir a governabilidade", afirmou.
Além do Porto de Santos, as negociações de Bolsonaro com o centrão envolvem a ampliação da participação do grupo no Banco do Nordeste, Codevasf (Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba) FNDE (Fundo Nacional para o Desenvolvimento da Educação), Dnocs (Departamento Nacional de Obras Contra as Secas) e Funasa (Fundação Nacional de Saúde), entre outros.Não só ele, é fato, mas o sentimento anti-Moro ajuda a explicar por que o grupo saiu em defesa de Bolsonaro logo após a demissão do ministro, se colocando contra a instauração de um processo de impeachment.
Integrantes da Polícia Federal e secretários de Segurança Pública disseram à reportagem acreditar que os encontros de Bolsonaro com presidentes e líderes desses partidos, nas últimas semanas, serviram para o presidente ter a segurança de que poderia se livrar de Moro sem risco de ficar com o mandato sob ameaça.
Segundo relatos que eles receberam, Bolsonaro perguntou se os congressistas reforçariam sua retaguarda na eventualidade da saída do ministro. Congressistas ouvidos pela reportagem negaram ter tratado da situação de Moro nas conversas com o presidente.





Unknown disse...

Estiveram com Bolsonaro nas últimas semanas ou conversaram por telefone com ele, presidentes e líderes do PP, PL, Republicanos, PSD, Solidariedade, MDB e DEM.
Por sua iniciativa, por exemplo, Bolsonaro falou ao telefone, mais de uma vez, com o principal cacique do PL, Valdemar Costa Neto, condenado e preso no escândalo do mensalão.
Em um dos encontros, gravou um vídeo ao lado do deputado Arthur Lira (AL), líder da bancada do PP, uma das siglas mais implicadas no escândalo de desvio de recursos da Petrobras.
Embora diga que não conversou com Bolsonaro, o presidente do PTB, Roberto Jefferson, que revelou e também foi condenado no escândalo do mensalão, assumiu a linha de frente da defesa do mandatário.
Congressistas que foram a esses encontros dizem que é natural que os partidos conversem diretamente com Bolsonaro já que a interlocução anterior, feita pelo presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), foi cortada.
Nessas reuniões estariam sendo discutidas não só a ampliação da distribuição de cargos às siglas -que já têm participação no governo-, mas outros pleitos, como as emendas parlamentares.
Um dos poucos a falar abertamente é o presidente do Solidariedade, o deputado Paulo Pereira da Silva (SP). "Me ofereceram o porto de Santos e eu não vou aceitar, não vou para o governo uma hora dessas. O ideal agora é fazer um entendimento entre Maia e Bolsonaro e garantir a governabilidade", afirmou.
Além do Porto de Santos, as negociações de Bolsonaro com o centrão envolvem a ampliação da participação do grupo no Banco do Nordeste, Codevasf (Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba) FNDE (Fundo Nacional para o Desenvolvimento da Educação), Dnocs (Departamento Nacional de Obras Contra as Secas) e Funasa (Fundação Nacional de Saúde), entre outros.Não só ele, é fato, mas o sentimento anti-Moro ajuda a explicar por que o grupo saiu em defesa de Bolsonaro logo após a demissão do ministro, se colocando contra a instauração de um processo de impeachment.
Integrantes da Polícia Federal e secretários de Segurança Pública disseram à reportagem acreditar que os encontros de Bolsonaro com presidentes e líderes desses partidos, nas últimas semanas, serviram para o presidente ter a segurança de que poderia se livrar de Moro sem risco de ficar com o mandato sob ameaça.
Segundo relatos que eles receberam, Bolsonaro perguntou se os congressistas reforçariam sua retaguarda na eventualidade da saída do ministro. Congressistas ouvidos pela reportagem negaram ter tratado da situação de Moro nas conversas com o presidente.