terça-feira, 28 de abril de 2020

Crise Institucional



Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Carlos Henrique Abrão e Laércio Laurelli

O Brasil há mais de décadas passa por seguidas crises institucionais, de governabilidade. Em nenhum País do mundo civilizado há conflito entre o Presidente, supremo mandatário e ministro, o que se lamenta. Apesar de tudo, a população e toda sociedade assistiram estupefatas a renúncia do ícone no combate à corrupção Sérgio Moro, figura ímpar e que tem lugar na história da República Federativa do Brasil.

É preciso saber que a Nação não resistirá a tantas crises. Vínhamos de recessão com a pandemia depressão e brutal queda do produto interno bruto, sem margem de espaço com prejuízos agudos para comércio,serviços,etc. A quem interessa uma crise institucional deste porte, com elevação absurda do preço do dólar? Somos importadores natos de insumos, e o repasse abalará o poder aquisitivo e acarretará inflação.

Vivemos de forma insegura e instável numa verdadeira roda gigante que dia sim dia não cai com todo impulso e impacto,com derretimento das bolsas de valores e milhares de empresas estado de insolvência. Precisamos ter juízo, responsabilidade, forças moral e ética para suplantar a dificuldade que se perpetuará anos a fio, porém assistir deletério espetáculo de mútuas acusações não tem lugar e nem vez no cenário democrático.

Que todos se conscientizem,notadamente a imprensa e os arautos da democracia que um novo impedimento porventura evidenciado poderá nos jogar numa encruzilhada,quanto tempo perdemos com conversas fiadas e dando corda para a imprensa ficar como urubu tentando saber de quem é a culpa ou efetiva responsabilidade.

O Brasil somente sairá dessa atalho e do fundo do poço se houver entre todos uma junção de forças e a mídia não martelar diariamente, pois que temos pouco mais de dois anos para novas eleições. Basta de futilidade e de tanta intriga. A história nos dirá o que exatamente aconteceu, e que nosso Parlamento tenha a necessária envergadura para marcar presença e resolver a histórica crise da Nação, juntamente com o Executivo e essencialmente com o Judiciário que não inventará a roda mas manterá vigente a Constituição e os princípios mais reluzentes a fim de que a dignidade humana seja preservada ao lado do desenvolvimento social e crescimento.

O Estado Brasileiro tem pressa e as crises provocadas e constantes nos instigam o desafio à pacificação, fim do ódio e a solidariedade fundamental em tempo de guerra.

Carlos Henrique Abrão (ativa) e Laércio Laurelli (aposentado) são Desembargadores do Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo.

Nenhum comentário: