quarta-feira, 15 de abril de 2020

Preparando o “Day After”



Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Maynard Marques de Santa Rosa

O efeito devastador da paralisação da economia, em consequência do coronavírus, terá um desfecho fatal inevitável. O componente social será o mais agudo, representado pela massa de milhões de trabalhadores desempregados, muitos famintos e todos insatisfeitos.

É hora de despertar para esta realidade os planejadores públicos de todos os níveis, com vistas a antecipar providências que possam atenuar a crise.

Em um cenário restrito, imposto pelas necessidades básicas de sobrevivência, não sobra espaço para divagações acadêmicas, nem para a aplicação de ideologias econômicas. Para maior probabilidade de acerto, deverá ser construída uma estratégia adequada ao enfrentamento do desafio, inspirada nas experiências bem-sucedidas do passado.

Embora o liberalismo se apresente como a melhor trajetória para a prosperidade das economias modernas, cabe ao Estado, nesta conjuntura de exceção, assumir o direcionamento dos esforços de recuperação da vitalidade econômica. Em outras palavras, a necessidade da hora faz o pensamento de John Maynard Keynes prevalecer sobre a doutrina de Friedrich von Hayek.  

A política do New Deal, adotada corajosamente pelo governo Franklin D. Roosevelt, após a recessão de 1929, trouxe inovações interessantes para a matriz do capitalismo internacional, que merecem ser invocadas como fontes de inspiração.

Preciso é, no entanto, que o Poder Executivo recupere as suas legítimas atribuições, usurpadas pelas corporações após 1988, e passe a administrar o País de modo eficaz.

O Centro de Governo, testado pelos países mais desenvolvidos e proposto pela OCDE (Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico), precisa ser implantado antes mesmo de aprovada a proposta de adesão feita pelo Brasil.

Nesse modelo, a Casa Civil da Presidência da República assume a gestão estratégica da agenda de governo, como núcleo central de coordenação e integração dos ministérios.          

A autoridade suprema do Presidente da República fica preservada como última palavra das decisões governamentais, porém, livre das querelas administrativas, ganhando mais espaço para a dialética política.

A prioridade da agenda estratégica, nesta conjuntura, é a recuperação econômica, mas a sua implementação transcende as atribuições do ministério da Economia, pelas suas implicações sociais e de segurança.

Um enorme mutirão nacional precisa ser planejado para o “day after”, com uma agenda de grandes obras de infraestrutura capazes de absorver o máximo possível de mão-de-obra. Paralelamente, o país necessita realizar um mutirão legislativo, para recuperar o princípio da independência dos três poderes, a harmonia social e a segurança.

A crise, que não provocamos, mas não pudemos evitar e que dispersa as energias da nação, pode catalisar um benefício, se despertar uma aspiração essencial. A união de todos os brasileiros em favor do País, neste momento, é o nosso ideal e o bem mais importante.

Maynard Marques de Santa Rosa  é  General-de-Exército (res.) e ex-ministro-chefe da secretaria de Assuntos Estratégicos da Presidência da República (SAE). Publicado originalmente na Resenha Estratégica 08 Abril 2020.

5 comentários:

Anônimo disse...

Tente convencer quem está fazendo a desordem propositalmente. Ou pensa que eles não sabem disso e é exatamente isso que eles querem? Criminosos só entendem a linguagem da força senão não seriam criminosos. E vamos nós rumo à Venezualização do Brasil.

Unknown disse...

Há uma energia criativa manietada no Brasil. A.politixagem impede o crescimento dessa grande nação. Após a crise se o Brasil se unir superarmos e chegaremos a um.novo e elevado patamar. Que o.lider nos livre . As que cada cidadão se lidere liberando sua energia com o papo de todos os agentes sociais. O Brasil irá vencer.

Anônimo disse...

Só por esta "viagem na maionese" deste general Santa Rosa dá para antever como foram as promoções ao generalato na era petralha! Estariam os militares do exército superiores-coronéis em geral, não comunistas e não maçons satisfeitos em ver seus nomes preteridos por aqueles cujas "maiores qualidades" para suas promoções foram pertencer a maçonaria e ser comunista enrustido ou comunista declarado????? Imaginar o "esforço de todos" na reconstrução do Brasil, só faltou o Santa Rosa concitar os crápulas do STF como "digníssimos cidadãos"!

Stefano di Pastena disse...

O isolamento é criminoso e suas consequências serão infinitamente piores do que cem pandemias.

Anônimo disse...

A união de todos os brasileiros em favor do País? Infelizmente não existe esta possibilidade. Estamos irremediavelmente divididos.