quinta-feira, 23 de abril de 2020

Queremos enfrentar o Mecanismo?




Edição do Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Jorge Serrão - serrao@alertatotal.net
Siga-nos no Twitter - @alertatotal

É fogo no parquinho... Só que em dimensão transnacional. A crise do coronavírus ultrapassou o limite da fragilidade humana, sobretudo onde a saúde pública não funciona com a qualidade que se deseja e imagina. O vírus infectou poderosos, ricos e pobres. Se não era comunista, na letalidade, foi, no mínimo socialista ou capitalista selvagem. Bagunçou com a economia que já esperava por uma quebradeira em algum lugar do planeta... A doença foi mais uma que socializou a tragédia humana.

O golpe mortal do “KungFlu” nos obriga a contestar e rever paradigmas. Ruíram muitas ideias e conceitos que pareciam bons, corretos ou convenientes. A crise exige que nos reinventemos. Não só como ser humano, mas principalmente como sociedade, precisamos mudar. A pandemia chamou atenção para a necessidade de corrigir a grande falha na cooperação entre as pessoas, povos e nações. O Globalismo (ou globalitarismo) foi colocado em xeque-mate. Perigosos surtos nacionalistas já se manifestaram. Por sorte, o sentimento patriótico, também.

Além das mortes súbitas, o mais assutador dessa crise do coronavírus foram as manifestações autoritárias e os abusos de poder cometidos pelos dirigentes públicos. As aberrações acontecem em todo o planeta. Nos lugares que parecem democráticos e naqueles que só fingem ser. Acontece que o Brasil, com certeza, foi o País no qual a crise ganhou politização apocalíptica e hedionda. Aqui, a “Turma do Mecanismo” aproveitou o caos para tentar um golpe contra o Presidente da República.

Bolsonaro reagiu emocionalmente, com sinceridade e duras manifestações verbais. Assustou as pessoas mais sensíveis. E apavorou os inimigos desleais. O deep state ou establhishment (aquele poder nem tão oculto que opera o mecanismo estatal) ficou tão impactado que obrigou alguns de seus agentes a pedirem uma trégua. O problema é como acalmar os ânimos, em meio ao parquinho em chamas, com todos presos nele. O paradoxo só aumenta a dimensão e a intensidade do pavor.

Teremos de resolver essa equação dos infernos. A sociedade brasileira terá de encontrar o mínimo de civilidade, racionalidade e tolerância para encontrar saídas verdadeiras para os graves e variados problemas culturais e estruturais do Brasil. Precisaremos de uma inédita união, paradigmas corretos, muita inovação, criatividade e jogo de cintura para ultrapassar a fase de depressão econômica. É consenso de que o País necessita de uma espécie de “Plano Marshal” (que recuperou países arrasados na 2ª Guerra Mundial).

O desafio é implementar um plano gigantesco de recuperação em um ambiemte político extremamente conflitante, em uma sociedade rachada por radicalismos ideológicos, e ainda sofrendo os efeitos negativos da mentalidade Capimunista Rentista. O esquerdismo, que já foi hegemônico, continua muito forte, apesar da derrota na eleição presidencial de 2018. O direitismo ainda não encontrou seu ponto de equilíbrio, definição estratégica, organização e mobilização. As duas pontas extremas se entrechocam. O pau vai comer de verdade? Ou a briga ficará apenas no patamar das narrativas radicalóides?

A economia é a preocupação mais sensível, pois envolve a sobrevivência das pessoas físicas (seres humanos, cidadãos) e das pessoas jurídicas. As empresas que são alvos fáceis da barbárie tributária, sobretudo a praticada pelos estados e municípios. Nenhum empreendedor formal aguanta tantos impostos, taxas e multas covardes, sem falar na brutalidade tecnoburrocrática e judicial-processual. É por isso que tanta gente resiste ou sobrevive do jeito que pode na informalidade – o que atrasa a explosão social.

Ainda na economia, é preciso lembrar que é o nosso fundamento mais falho. O sábio livre pensador Antônio José Ribas Paiva postou nas redes sociais uma constatação ululante: “É impossível mudar fazendo as mesmas coisas. É o caso dos ministros da Economia no Brasil. Defendem privatizações como a panacéia, mas não demonstram o que foi feito com os parcos valores apurados com a venda de empresas e concessões, desde Fernando Henrique Cardoso”.

O atalho para o Brasil resolver os problemas estruturais, fazendo a roda da economia girar de verdade, é um intenso programa de investimentos em infraestrutura. Não dá para cair na narrativa libertina fácil de que os grandes investimentos privados vão fazer o dever de casa. Será preciso rever o papel do Estado como indutor e investidor econômico.

Novamente, somos impactados pelo problema cultural do patrimonialismo e da corrupção. As oligarquias de sempre continuam mandando, de forma aberta ou disfarçada, nas decisões e nos negócios que, de forma direta ou indireta, dependem do Poder Estatal. Como faremos o cachorro raivoso parar de correr atrás do próprio rabo, enquanto consegue morder o bolso do cidadão e das empresas?

Pista para respostas certas: Temos de mudar os modelos que aplicamos, hoje e há muito tempo. O Brasil tem de focar na evolução, mais rápida possível, do Capimunismo Rentista para um Capitalismo Democrático. Ou seja, antes e acima de tudo, precisamos implantar uma Democracia Verdadeira (Segurança do Direito Natural + exercício pleno da razão pública). Isto implica romper e lutar contra o Mecanismo e sua turma.  

Pergunta fatal: Será que estamos preparados para a brutalidade do jogo? Ou melhor: será que queremos, realmente, enfrentar o Mecanismo? Ou é mais fácil fazer corpo mole e deixar ele nos cooptar?

O Governo não fará milagres! Nós, o povo, temos de lutar e pressionar pelas reformas e mudanças. O Mecanismo reagirá - como sempre. Teremos de neutralizá-lo e derrotá-lo. 


Colabore com o Alerta Total

Jorge Fernando B Serrão

Itaú - Ag 9155 cta 10694 2

Banco do Brasil - Ag 0722-6 cta 209.042-2

Caixa (poupança) - 2995 013 00008261-7

Ave atque Vale! Fiquem com Deus. Nekan Adonai!

Jorge Serrão é Editor-chefe do Alerta Total. Especialista em Política, Economia, Administração Pública e Assuntos Estratégicos.  A transcrição ou copia dos textos publicados neste blog é livre. Apenas solicitamos que a origem e a data original da publicação sejam identificadas.

©
Jorge Serrão. Edição do Blog Alerta Total de 23 de Abril de 2020.

8 comentários:

Anônimo disse...

Mas agora sabemos quem fica de cima por causa dessas privatizações. Não devemos esquecer que o FHC entregou a Vale para o George Soros por títulos podres e dinheiro do BNDES, ou seja, privatizou um patrimônio nosso com nosso próprio dinheiro. É o caso de nos remetermos à época dos militares e questionar: por que eles criaram tantas Estatais? Usar nosso dinheiro para fundar uma Estatal e depois privatizá-la de graça ou por uma miséria. É assim que essas pessoas enriquecem à custa da exploração dos povos.

Marcelo Baglione disse...

Serrão, bom dia,

Destaco no seu Alerta de hoje, a questão da recuperação econômica no nível de uma reestruturação de pós-guerra e de terra arrasada. Bolsonaro terá que buscar inspiração e até baixar o santo do ex-chanceler da Alemanha "boa", depois do termino da Segunda Grande Guerra. Estou me referindo a Konrad Adenauer. No entanto, sua observação da aplicação séria de um plano de reestruturação e recuperação econômica inspirado no Plano Marshal é inevitável. Quanto ao peste do Gafanhoto Chileno travestido de zebra de General Severiano, não irá longe e vai pro saco. Para tanto, basta um "twettada"...
Meu T.

M.

Marcelo Baglione disse...

Serrão, bom dia,

Destaco no seu Alerta de hoje, a questão da recuperação econômica no nível de uma reestruturação de pós-guerra e de terra arrasada. Bolsonaro terá que buscar inspiração e até baixar o santo do ex-chanceler da Alemanha "boa", depois do termino da Segunda Grande Guerra. Estou me referindo a Konrad Adenauer. No entanto, sua observação da aplicação séria de um plano de reestruturação e recuperação econômica inspirado no Plano Marshal é inevitável. Quanto ao peste do Gafanhoto Chileno travestido de zebra de General Severiano, não irá longe e vai pro saco. Para tanto, basta um "twittada patriota Verde-oliva"...
Meu T.

M.

Anônimo disse...

NUTAVAEL DIZ...
O NOSSO PRESIDENTE TEM QUE FAZER EXATAMENTE O QUE DISSE QUE FARIA ANTES DE SENTAR A BUNDA NO PLANALTO.
-ACABAR COM A PUTARIA DOS TRES PODERES DE MERDA.
-ACABAR COM REELEIÇAO DE CAPITANIAS HEREDITARIAS MAIS DO QUE FAJUTA NESTES TRES PODERES.
-DAR FORÇA AO MINISTRO QUE FOI O MAIOR RESPONSAVEL PARA QUE ELE SENTASSE O RABO NO PLANALTO E QUE NOS LIBERTARIA DOS LADROES DO ERARIO PUBLICO E NAO FAZER CONVERSAS FAJUTAS COM VAGABUNDOS MAIS DO QUE MARCADOS PARA SEREM PRESOS SE LAVAJATO PUDESSE REALMENTE TRABALHAR.
-ACABAR DE FAZER POLITICA FAJUTA DE POLITIQUEIROS. ACABAR COM OS PROCESSOS DE FAZER COISAS NO PODER SEM ESCLARECER PARA A NAÇAO O QUE ESTA SENDO FEITO.
-ACABAR COM TODOS OS PROCESSOS VIGARISTAS EM SEGREDO DE JUSTIÇA QUANDO SABEMOS QUE OS MAIORES PROCRASTINADORES DA JUSTIÇA E O PROPRIO SUPREMO FEDERAL E ELEITORAL QUE ESCONDEM OS PROCESSOS E SO ATENDEM AOS PARTIDINHOS MULAMBENTOS SEM VERGONHAS QUE PEDEM COISAS E MAIS COISAS PARA JUSTIFICAR QUE ESTAO TRABALHANDO QUANDO NA REALIDADE ESTAO SABOTANDO.
ACABAR COM AS MORDOMIAS DE CAIXA ECONOMICA, BANCO DO BRASIL, LOTERIAS E ASSEMELHADOS QUE COM MAOS DE FERRO ENGANAM O POVO E ZE POVAO COM LIBERAÇAO DE VERBAS PARA FERRAR COM OS QUE PRECISAM DELES.
ACABAR COM AS FACÇOES CRIMINOSAS IGREJAS DE TODOS OS TIPOS, ORDENS HERMETICAS DE TODOS OS TIPOS. ESSAS GENTALHAS NAO TOMAM CONTA DE SEUS FIEIS SOMENTE QUEREM ARRECADAR DINHEIRO E VIVER NA SOMBRA DO BOI COM ISENÇOES QUE NAO PODERIAM TER PORQUE GASTAM AGUA, DEFECAM E OUTRAS NECESSIDADES PORTANTO TINHAM QUE PAGAR IMPOSTOS.
ACABAR COM A FALTA DE CLAREZA BNDS E OUTROS BICHOS QUE NAO MOSTRAM NADA DO QUE E REAL E PRINCIPALMENTE A MERDIA MORTA QUE ESTA FAZENDO TRABALHO DE TERRORISMO COMO UMA INICA PRATICA PARA SE SAFAR DA BAIXARIA DE QUE SEMPRE PROPORCIONARAO AO POVO BRASILEIRO ESTA MERDA DE PROGRAMAS AFOCINHADOS DENTRO DE FAVELAS E TOXICO PARA QUE NOSSA JUVENTUDE DE PROSTITUA E SE DIMINUA PARA SEMPRE. SERA QUE FOMOS BEM CLAROS E OS MALDITOS QUE ESTAO NO PODER AGORA NAO TEM CAPACIDADE E NEM CULHOES PARA BOTAR ORDEM NO PUTEIRO DE SUAS MAGESTADES OS TRES PODERES DE MERDA QUE NOS COLOCARAM NO VALAO? O QUE ESTAO FAZENDO E TERRORISMO MEDIATICO E ISSO NOS TODOS SABEMOS. NINGUEM ESTA SEGUINDO A IGREJA CATOLICA JESUS ESTA SENDO TRAIDO OUTRA VEZ POR TODOS OS SEUS SERVOS QUE TEM AS MAOS SUJAS. OS TRES PODERES DE MERDA ESTA RECHEADO DE RATOS E MALANDROS DO PODER E A DEPENDER DELES JAMAIS SAIRAO SO A BALA.O UNICO GENERAL QUE PODE TRANSFORMAR TUDO E O GENERAL AUGUSTO HELENO O RESTO E A CAMARILHA QUE BATE CONTINENCIA PARA O PECADO, PARA JUDAS E PARA A ESBORNIA.



Anônimo disse...


BLOG DO ALUIZIO AMORIM

quinta-feira, abril 23, 2020

O COMUNAVÍRUS E OS PAPA-DEFUNTOS MIDIÁTICOS

Quando os jornalistas da grande mídia começam a zurrar desesperados, quando os chefetes do Partido Comunista, recentemente apelidado de "Cidadania", não se contêm e levantam foices e martelos, quando seus asseclas papa-defuntos não conseguem pilhas de cadáveres mortos pelo comunavírus e nem mesmo pacientes gemendo nos leitos dos hospitais, tem-se a certeza absoluta que o Governo do Presidente Jair Bolsonaro segue flanando, fazendo a coisa certa. Sem contar que Brasília anteontem estava pintada de verde e amarelo. A galera não esmoreceu e nem se assustou com aquelas preleções fúnebres do Mandetta, o amigão do sepulcro Caiado, do João Doria Jr, e demais estrupícios da política brasileira.

Aos poucos o esquema de prender todo mundo em casa por causa do tal comunavírus vai sendo desidratado. Circulam, graças a Deus, dezenas de vídeos mostrando grandes hospitais vazios. Graças a Deus! Entretanto, a grande mídia e seus boçais das redações desprovidos dos caraminguás estatais provindos dos desgovernos comunistas de antanho estão desesperados. Perseveram na infausta sanha de encontrar milhares de cadáveres por conta do comunavírus, a peste chinesa esparramada no mundo pelos esquerdistas assassinos.

Por isso que se encontra nos sites da dita grande mídia matérias sem pé nem cabeça. As pautas das editorias são rigorosamente iguais tendo como mote encontrar alguma coisa que possa tisnar a performance do Governo Bolsonaro. Querem cadáveres!

É nesses momentos que a bandalha das redações, que eu conheço muito bem, pois já gastei quase meio século de vida na profissão de jornalista, fica agitada e começa a publicar comentários completamente furados. Para os leigos pode parecer normal, mas quem, com a experiência deste velho de guerra, percebe imediatamente que supostas análises não passam de 'cascata' e são escritas não pela ação cerebral, mas pelo fígado.

Resta então para essa cambada de vagabundos travestidos de jornalistas, insuflar o ódio contra o Presidente Jair Bolsonaro. E mais: insistem nessa mega prisão domiciliar da população brasileira de forma a criar o caos, haja vista a falência já constatada de diversos negócios comerciais, grandes, médios e pequenos. Aliás, na primeira hora da dita pandemia do comunavírus o Presidente Jair Bolsonaro alertou para a quebradeira geral.

Para concluir: já está se vendo em todo o Brasil que a dita quarentena chega a ser pior que o próprio comunavírus e interessa só e apenas para o establishment e seus amigos comunistas. Leiam o artigo do Chanceler Ernesto Araújo que postei aqui no blog e explodiu como uma bomba no terreiro dos comunistas ao devassar o esquema globalista por trás do comunavírus.

Vejam que usei acima, à guisa de conclusão, o termo "globalista" que jamais é evocado pelos jornalistas midiáticos. Reputam como teoria da conspiração. Todavia é o embrião de uma espécie de governo mundial. Desejam os globalistas derrubar todas as fronteiras, ou seja, liquidar o Estado-nação. Não é à toa que o Bill Gates, dono da Microsoft vem alardeando a possibilidade de implantar um chip em cada um dos habitantes do nosso planeta. Está tão obcecado nessa tramoia que provavelmente se considera imortal. Ou talvez já esteja caducando. A ver.

Postado por Aluizio Amorim às 4/23/2020 02:46:00 AM

Anônimo disse...


rvchudo

quarta-feira, 22 de abril de 2020

ELITE VIRA-LATA (NO GLOG RVCHUDO TEM UM MAPA MOSTRANDO O CENTRAO DO CONGRESSO)

Os Estados Unidos financiaram a reconstrução da Alemanha após a Segunda Guerra, e fez daquele país a segunda potência mundial em duas décadas;

Em seguida os Estados Unidos também fizeram do Japão uma potência, ensinando os japoneses a fabricar carros que depois se aproveitaram do mercado americano, aberto, livre para todos.

Os Estados Unidos atenderam apelos dramáticos do ditador Joseph Stalin e mandaram comida para a Rússia, para que o povo russo não morresse de fome; em plena guerra fria, travada contra os Estados Unidos.

Os Estados Unidos fizeram da China uma potência, processo iniciado quando Deng Xiaoping recebeu Richard Nixon e abriu a economia chinesa para o capitalismo, tirando da fome e miséria iminente quase um bilhão de chineses escravizados por Mao Tse Tung, o único barrigudo da China. Repetindo o fenômeno agora com Maduro, o único barrigudo da Venezuela, e Raul Castro o único barrigudo de Cuba.

Os Estados Unidos fizeram da Coreia do Sul uma potência, financiando seu desenvolvimento e abrindo o mercado americano para os produtos coreanos se fartarem.

Os Estamos Unidos estão fazendo da Índia uma potência, ao privilegiar mais investimentos naquele país. Bastou os Estados Unidos desviarem investimentos da China para a India para que a economia chinesa parasse de crescer os 15% ao ano, que impressionavam o mundo. Não deixando dúvidas de que são os Estados Unidos que fomentam as grandes economias, com investimentos e importações;

Os Estados Unidos não fizeram do Brasil uma potência porque desde a década de trinta, século passado, que nossos governos preferem se alinhar com regimes comunistas e investir na ignorância do nosso povo, em benefício de suas ambições políticas.

País nenhum vira potência sem Educação, e há oitenta anos que o Brasil vive às voltas com o arcaismo ideológico comunista, que investe na ignorância para controlar o povo e atrasar o país. Mas mesmo assim, as multinacionais americanas instaladas no Brasil são responsáveis por uma imensa fatia das exportações brasileiras, e do nosso PIB.

Sem os investimentos americanos o Brasil, com sua extensão continental, seria uma África.

A introdução é para que atentem ao fato mais relevante do momento; é a primeira vez na nossa história que um presidente eleito encara os Estados Unidos como aliado sem restrição, o que não ocorreu nem durante o regime militar, que tinha nos Estados Unidos apenas um aliado político contra a expansão do comunismo.

Temos agora a primeira chance para o Brasil se transformar na potência econômica que sempre sonhamos.

Mas para que isso aconteça é necessário enterrar o que há de podre. Na política, na Justiça, principalmente no STF, e na Educação.

A vocação de vira-lata do brasileiro, identificada por Nelson Rodrigues, não é do povo, essa vocação é da elite, dos políticos. O povo é vítima dessa elite de gangsters, de esquerdistas. Temos que destruir essa canalhada de traidores da pátria, para que o Brasil comece a se transformar naquele país do futuro que o mundo apregoa há muito tempo. O futuro é agora.

Para conseguir isso é compulsório destruir a imprensa comunista, os políticos canalhas e os quatro pilares do imoral, vulgar STF, o quanto antes. O Brasil tem pressa. São mais de oitenta anos jogados fora, que precisam ser esquecidos.

E esses idiotas que tentam desqualificar a aproximação do Brasil com os Estados Unidos, primeiro ato sensato de um presidente eleito pelo povo; esses traidores motivados por pura inveja e sensação de inferioridade, que vão todos para a puta que pariu.

Hygino Vieira
Postado por Ricardo Oscar vilete Chudo às 01:00

Anônimo disse...


http://blogdafamiliacatolica.blogspot.com/
Na Igreja Católica repete-se a Paixão de Nosso Senhor


Apesar da crise na Igreja, ocorrerá com ela, ainda em nossos dias, algo semelhante à Ressurreição de Jesus Cristo


➤ Paulo Roberto Campos

A Santa Igreja, bem sabemos, é imortal, mas passa presentemente por uma Paixão — ela é martirizada e, por assim dizer, passa por uma nova “Sexta-Feira Santa”, na qual se procura condená-la e crucificá-la.

A exemplo de Nosso Senhor Jesus Cristo, a Igreja Católica é perseguida, odiada, abandonada por inúmeros de seus próprios filhos, muitos destes, inclusive, ocupando altas funções em sua hierarquia. Assim, a Igreja muitas vezes parece sepultada sob a pesada pedra de um sepulcro.

Porém, os verdadeiros fiéis confiam firmemente na promessa de Nosso Salvador a São Pedro: “as portas do inferno não prevalecerão” contra a Igreja (Mt 16,18), e com Ela ocorrerá algo semelhante à Ressurreição do Divino Redentor. Ela poderá ser crucificada, mas um dia triunfará gloriosamente!

Posta essa conjuntura, nós, católicos que desejamos manter a íntegra fidelidade mesmo nas circunstâncias presentes, nas situações mais amargas e aparentemente sem saída, temos a obrigação de fazer em prol da Igreja e da Cristandade o que outrora realizaram os cruzados para libertar o Santo Sepulcro de Nosso Senhor Jesus Cristo.

O texto abaixo — extraído de histórico artigo de Plinio Corrêa de Oliveira publicado na revista Catolicismo (janeiro/1951) — constitui um verdadeiro programa para todos católicos autênticos e nos encoraja à resistência aos males que presentemente nos afligem.

“Na Idade Média, os cruzados derramaram seu sangue para libertar das mãos dos infiéis o Sepulcro de Nosso Senhor Jesus Cristo e instituir um Reino Cristão na Terra Santa. [...] Mas o que é o Reino de Cristo, ideal supremo dos católicos? [...] O próprio da Igreja é de produzir uma cultura e uma Civilização Cristã. É de produzir todos os seus frutos numa atmosfera social plenamente católica. O católico deve aspirar a uma civilização católica, como o homem encarcerado num subterrâneo deseja o ar livre, e o pássaro aprisionado anseia por recuperar os espaços infinitos do céu.

E é esta a nossa finalidade, nosso grande ideal. Caminhamos para a civilização católica que poderá nascer dos escombros do mundo de hoje, como dos escombros do mundo romano nasceu a civilização medieval. Caminhamos para a conquista deste ideal, com a coragem, a perseverança, a resolução de enfrentar e vencer todos os obstáculos, com que os cruzados marcharam para Jerusalém. Porque, se nossos maiores souberam morrer para reconquistar o Sepulcro de Cristo, como não querermos nós, filhos da Igreja como eles, lutar e morrer para restaurar algo que vale infinitamente mais do que o preciosíssimo Sepulcro do Salvador, isto é, seu reinado sobre as almas e as sociedades, que Ele criou e salvou para O amarem eternamente?”.

Postado por Paulo Roberto Campos
OOS-NOSSA TERRA E A TERRA DA SANTA CRUZ ESTE E O PRIMEIRO NOME DO BRASIL E NOS FOMOS CATEQUISADOS PELOS PADRES JESUITAS.OS JESUITAS SAO OS PADRES QUE FAZEM VOTOS DE POBRESA.

Mauro Moreira disse...

"Si vis pacem, para bellum"