sexta-feira, 24 de abril de 2020

Saída de Moro é o fim do Governo Bolsonaro?


Edição Extra do Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Jorge Serrão - serrao@alertatotal.net
Siga-nos no Twitter - @alertatotal

Pergunta a ser respondida no curto prazo: A saída do “Herói Nacional” Sérgio Fernando Moro do Super Ministério da Justiça e Segurança Pública representa o fim, o desgaste prematuro e fatal do Governo Jair Bolsonaro? A resposta será negativa se Bolsonaro conseguir emplacar no cargo alguém que cumpra o nada fácil compromisso de combater a corrupção, o crime institucionalizado (ou organizado) e a redução da criminalidade.

Sérgio Moro incorpora o poder simbólico do Juiz da Lava Jato que desafiou o Crime. Moro saiu reclamando que houve uma pressão do Presidente Bolsonaro para fazer a troca de membros da Polícia Federal. Agora, Moro deixou a entender que houve uma gota d’água com a exoneração de seu apadrinhado Maurício Valeixo da Direção-Geral da Polícia Federal. Moro acrescentou que comentou com o Presidente Bolsonaro que seria um equívoco tirar o Valeixo, sem botar alguém que representasse a continuidade do trabalho na PF.

Será que Moro deixa o ministério para se transformar em potencial candidato à Presidência da República em 2022? É muito prematuro para falar disto... De todo modo, Moro queimou Bolsonaro, revelando que o Presidente quer alguém de confiança para lhe prestar informações sobre a PF – o que, segundo Moro, fere a autonomia da instituição, dentro das regras ideais de um Estado Democrático de Direito.

Moro detonou com Bolsonaro ao afirmar que “o problema não é trocar, mas por que trocar e permitir interferência política na Polícia Federal”. Reclamou que ficou sabendo da exoneração do Valeixo pelo Diário Oficial, sem que ninguém lhe comunicasse”. Reafirmou que não houve pedido de “demissão”. Moro também deixou que Valeixo saiu por causa de uma “pressão inadequada”. O herói Moro sai mais forte do que entrou.

Moro reclamou que “o Presidente não me quer mais no cargo”. Prometeu deixar para outra ocasião falar de divergências que teve com o Presidente. Alegou que saía em coerência com sua biografia, porque não concordou e nem se sentiu confortável com a saída de Valeixo. Na realidade, Moro defendeu a proteção da PF contra interferências políticas. Destacou que só poderia trocar o Diretor-Geral da PF com uma justificativa plausível.

Agradeceu a Bolsonaro e diz que sai sendo fiel ao seu compromisso. Avisou que iria empacotar as coisas e vai encaminhar a carta de demissão. Alegou falta de condições de trabalho e falta de condições de garantir a autonomia da Polícia Federal. Comentou que espera a escolha de uma pessoa técnica para o cargo, seguindo com trabalho autônomo e independente.

Moro informou que abandonou 22 anos de magistratura, num caminho sem volta. Avisou que vai descansar um pouco e vai procurar, mais adiante, um emprego, pois não enriqueceu no serviço público. Avisou que estará à disposição do País para ajudar no que for preciso, sempre respeitando o mandamento do Ministério “de fazer a coisa certa sempre”.

Moro saiu aplaudido. Com certeza, nasce o candidato do Podemos à Presidência da República. A saída de Moro é um golaço contra Bolsonaro. O Presidente terá de encontrar um outro herói para substituir Moro... Não será fácil... Ainda mais porque Moro deixou o Bolsonaro nu, com a caneta azul na mão...

Só tem um jeito de Bolsonaro vestir uma roupagem honrosa: encontrar um nome forte para o Ministério da Justiça. E um outro para a Segurança Pública, que deve renascer. Agora, é bom que a petralhada não comemore muito a saída arrasadora e surpreendente de Moro. Bolsonaro pode botar no comando da PF quem tope partir para cima dos inimigos – o que não aconteceria com o time de Moro...

O tempo pode fechar... Tudo é incerto... A PF tem várias “tendências”... A briga interna de poder vai se acentuar até a definição da “nova ordem de comando”...

Repito: Moro deixou Bolsonaro nu... Só lhe resta vestir a roupa nova... E se preparar para a próxima perda... O padrinho da indicação de Sérgio Moro para o governo Bolsonaro foi Paulo Guedes... O Posto Ipiranga é a bola da vez...

Agora, diante da  surpresa, é bom ficar esperto para uma hipótese que não deve ser descartada em tempos de guerra de inteligência, como agora: E se Moro saiu em um jogo combinado, para retornar adiante, em outro cenário, com mais força e poder contra o mecanismo?

No Brasil, é recomendável não desacreditar em nada... O que agora parece pode não ser a realidade... A petralhada vem com pedidos de impeachment contra Bolsonaro, em função do que Moro falou no discurso que foge ao padrão Moro... Melhor que Lula e seu time se preparem para o troco, que vem fortíssimo...

Futuro do Moro?

O imediato é descansar, como ele já avisou na coletiva saideira. A tendência é que parta para uma temporada sabática, de estudos, nos Estados Unidos, onde tem proteção garantida de vida... Enquanto isso, se houver uma articulação política eficiente, pode ser preparado para a sucessão de 2022 - se é que a gente consegue chegar até lá, do jeito que o pirão vai desandando...

Agora, só resta aguardar o que Bolsonaro e seus militares farão...



Releia o artigo: Guerras de Narrativa, Intriga e Mentira


Nota de pesar

Morreu na madrugada desta sexta-feira (24), aos 64 anos, o empresário, escritor e jornalista João Mellão Neto.

Autor de seis livros,  João Mellão teve complicações em seu quadro de saúde e sofreu um infarto.

Foi articulista do Estadão e comentarista político na TV Record da e rádio Jovem Pan. 

Paulistano, ingressou na política pelo PFL. Ministro do Trabalho, em 1992, passou pelas pastas da Coordenação Governamental e da Habitação da Prefeitura de São Paulo. Em 2004, assume a Secretaria estadual da Comunicação. Elegeu-se deputado federal em 1990, por dois mandatos consecutivos, e deputado estadual, em 2007.

João Mellão Neto deixa a mulher, Dora, três filhos, entre eles o atual deputado estadual Ricardo Mellão, e três netos.

Colabore com o Alerta Total

Jorge Fernando B Serrão

Itaú - Ag 9155 cta 10694 2

Banco do Brasil - Ag 0722-6 cta 209.042-2

Caixa (poupança) - 2995 013 00008261-7

Ave atque Vale! Fiquem com Deus. Nekan Adonai!

Jorge Serrão é Editor-chefe do Alerta Total. Especialista em Política, Economia, Administração Pública e Assuntos Estratégicos.  A transcrição ou copia dos textos publicados neste blog é livre. Apenas solicitamos que a origem e a data original da publicação sejam identificadas.

©
Jorge Serrão. Edição do Blog Alerta Total de 24 de Abril de 2020.

21 comentários:

Anônimo disse...

Tais brincando. E a CCS BANESTADO que ele deixou prescrever? Em razão disso tivemos a Lava-Jato.Destruiu milhares de empresas, e milhões de empregos. Foi SELETIVO, PARTIDÁRIO. GOLPISTA,IMPOSTOR, DISSIMULADO. Que estrago. Fico admirado do viés do articulista. O seguia há uns dez anos. Não é o mesmo. Que pena!!! Cadê os três neurônios? Todos sem chão.

Loumari disse...

Juizeco Sérgio Moro! está a ver agora as consequências de vender sua alma ao Diabo contar com ser bem sucedido?
Você cria mesmo que bolsonaro era homem fiável e de espírito equilibrado e que juntos haviam de formar uma equipe de choque? Está a ver agora as consequências de sua cupidez? o seu ídolo se fartou de você e lhe Cortou a grama debaixo do pé. É forte provável que bolsonaro se divertiu muito frustrar este juizeco de pacotilha com benefício esperado adiante para acabar por lhe cortar o caminho e o sucesso tanto ambicionado ficou por inacabado.
Você devia saber que na vida, nada de bom se constrói a partir de bases malignas.

Anônimo disse...

É meu caro Jorge Serrão...

Na marinha, tínhamos um ditado: "Às vezes Deus acalma as tempestades, às vezes Ele acalma o marinheiro. Noutras Ele nos ensina a nadar".

Acredito que os tempos de aprender a nadar, de Jair Bolsonaro, chegaram. Ou ele se afoga, o que preferir.

Na minha humilde opinião, Bolsonaro deveria renunciar. Simples.

A acusação de interferência [de Bolsonaro] no judiciário disparada por Sérgio Moro já deve estar provocando reuniões secretas em vários "centrões" desse Brasil afora. É muita munição para essa gente. Rodrigos Maias e David´s Alcolumbres da vida terão um canhão para matar mosquito agora.



aparecido disse...

DEpois de um ano e meio o Cãogresso e o STF destruiram tudo que a lava jato fez.. e eles se acham gênios...literalmente engordaram como porcos cevados no chiqueiro...mas vencerão a guerra ???.. a guerra continua e os russos ( povo) vão voltar ao asfalto de forma avassaladora...o cãogresso e o STF pensam que controlam o Brasil sem combinar com os russos.. estão enganados...

Anônimo disse...

O Moro saiu fortalecido? O Doria tentou derrubar o Bolsonaro e se queimou. E não foi por causa do Bolsonaro. É porque o Bolsonaro rompeu com a organização criminosa e é isso que o povo quer. O que eu vejo é que o Moro está dado munição para esses bandidos e isso foi péssimo para a reputação dele!

WPisani disse...

NÃO VOTEI NO MORO

Gosto do Moro, mas votei do Bolsonaro.
O Moro foi nomeado Ministro da Justiça, porém:
- Vi a lava-jato desaparecer quando o Moro assumiu o Ministério de Justiça, e era o que mais se esperava;
- Vi o Moro inerte durante as aprovações de projetos do Congresso, ele Moro só foi lá porque foi convocado;
- Vi o Moro inerte com as lambanças praticadas por prefeitos e governadores;
- Vi o Moro inerte com as compras de matérias da COVID;
- Vi as polícias reclamando de falta de estrutura e que não houve melhora;
- Vi o Moro inerte contra os Gomes, no ataque a Polícia do Ceará;
- Vi o Moro inerte com a soltura de Bandidos;
- Vi o Moro inerte com a prisão de civis;
- Vi o Moro inerte em todas as decisões do Congresso;
- Vi o Moro inerte nas ações da OAB;
- Vi o Moro inerte nas decisões do STF.
O Moro era Ministro da Justiça e deveria estar berrando e protegendo os interesses do povo.
Porém...
Vi o Moro inerte.....
Um corpo inerte tende a falecer.
Ao que parece durante este discurso, para o Moro as coisas estavam muito bem no Ministério, o que não é verdade.
Não quero entrar na discussão sobre o Moro, mas sobre o Ministério da Justiça.
Entendo que ele está deixando o cargo porque não admitiu diálogo com outros setores do governo, onde ele cometeu o mesmo equívoco do Mandetta.
O Moro era juiz e estava acostumado a mandar e dar ordens.
A fala pausada, é caraterística de quem pensa para falar, porém é premeditação, e que não se confunde com bom-sendo ou equilíbrio emocional.
Agradeço particularmente ao Moro, e desejo boa sorte ao Ministro.
O Brasil é dinâmico, e neste momento o crime contra o Brasil mudou, existe outro tipo de crime em curso e parece que o Moro não está alinhado a este combate.
Boa sorte Ministro se for deixar o cargo, e Boa Sorte ao novo Ministro que será indicado, não temos tempo para questões de foro íntimo.

WPisani disse...

NÃO VOTEI NO MORO

Gosto do Moro, mas votei do Bolsonaro.
O Moro foi nomeado Ministro da Justiça, porém:
- Vi a lava-jato desaparecer quando o Moro assumiu o Ministério de Justiça, e era o que mais se esperava;
- Vi o Moro inerte durante as aprovações de projetos do Congresso, ele Moro só foi lá porque foi convocado;
- Vi o Moro inerte com as lambanças praticadas por prefeitos e governadores;
- Vi o Moro inerte com as compras de matérias da COVID;
- Vi as polícias reclamando de falta de estrutura e que não houve melhora;
- Vi o Moro inerte contra os Gomes, no ataque a Polícia do Ceará;
- Vi o Moro inerte com a soltura de Bandidos;
- Vi o Moro inerte com a prisão de civis;
- Vi o Moro inerte em todas as decisões do Congresso;
- Vi o Moro inerte nas ações da OAB;
- Vi o Moro inerte nas decisões do STF.
O Moro era Ministro da Justiça e deveria estar berrando e protegendo os interesses do povo.
Porém...
Vi o Moro inerte.....
Um corpo inerte tende a falecer.
Ao que parece durante este discurso, para o Moro as coisas estavam muito bem no Ministério, o que não é verdade.
Não quero entrar na discussão sobre o Moro, mas sobre o Ministério da Justiça.
Entendo que ele está deixando o cargo porque não admitiu diálogo com outros setores do governo, onde ele cometeu o mesmo equívoco do Mandetta.
O Moro era juiz e estava acostumado a mandar e dar ordens.
A fala pausada, é caraterística de quem pensa para falar, porém é premeditação, e que não se confunde com bom-sendo ou equilíbrio emocional.
Agradeço particularmente ao Moro, e desejo boa sorte ao Ministro.
O Brasil é dinâmico, e neste momento o crime contra o Brasil mudou, existe outro tipo de crime em curso e parece que o Moro não está alinhado a este combate.
Boa sorte Ministro se for deixar o cargo, e Boa Sorte ao novo Ministro que será indicado, não temos tempo para questões de foro íntimo.

Anônimo disse...

Não pode falar em termino do que nunca começou. Um eleito presidente, que só criou desesperanças e desuniões. Como homens que se consideram livres foram escravizados por um pensamento tosco e brutal, de tal ,...tamanho? Quantos vícios e quantas poucas virtudes? Falsos deuses? Bezerro de Ouro?
Que a liberdade volte a raiar e que os ditos livre pensadores aceitem diferentes pensamentos. Isto deve estar em algum lugar nos tais landmarks.

Marcelo Baglione disse...

Serrão, boa noite,

Que curioso, né, para eu comentar por completo este seu Alerta de hoje, seria necessário a publicação de uma Edição Extraordinário do Alerta Total ainda nesta noite. Por quê? O Primeiro Match já foi concluído com cara de empate - mas só com cara, meu caro.
Meu T.

M.

Anônimo disse...

O Moro a gente não sabe se é honesto, porque a gente não sabe o que ele fazia com as informações e/ou inquéritos contra o FHC e PSDBs; mas, o Moro garantiu e afirmou que o Bolsonaro não cometeu nenhum crime. Querer, ou pensar em cometer crime, não é crime. Segundo o Mouro, o Bolsonaro não NÃO obteve informações, com o ex-diretor.

Anônimo disse...

Vou dizer o que acho... mas o que eu "acho" é só meu, de mais ninguém!

Acho que quem senta no trono do bobo da corte, lugar mais conhecido por "presidência da república do Brasil", não é alguém qualquer, escolhido por 51% ou 49%, nem mesmo 100% daquilo que chamam de "democracia".

Não! Quem senta naquela cadeira, naquele "Palácio do Planalto", é alguém que foi "peneirado" antes, alguém que pode ser controlado justamente pelo seu rabo preso em alguma maracutaia, não importa o quão pequena ela seja.

De vez em quando essa criatura tenta escapar do controle, e sofre as consequências. Mas convenhamos: quais consequências? O último que sofreu uma consequência real de suas "desobediências" enquanto pilotava a cadeira de rodinhas de presidente da república foi Collor de Mello nos distantes 1992. Nada que 8 anos de "reclusão" não garantissem o retorno do carioca (sim, Collor nasceu no Rio de Janeiro) logo em 2006 como senador em Alagoas.

Já a dama da estocagem de ventos, Dilma Rousseef, afastada pelo fato de ter se tornado incontrolável até mesmo para o seu legítimo "dono", Luís Inácio Lula da Silva, não ocorreu nenhuma consequência. Dilma continua por aí, se candidatando a qualquer coisa e provavelmente ganhando, dado a legião de fanáticos que o PT possui.

E o que tenho a dizer sobre Bolsonaro? Bem... uma coisa é dizer aquilo que bolsonaristas e petistas querem (ou NÃO querem ouvir). Outra bem diferente é simplesmente colocar no "papel" aquilo que percebemos do homem Bolsonaro: um cara grosseirão, um tipo "caipira", que acredita que a vida é "8 ou 80", preto no branco. Um sujeito bronco e simples, sem papas na língua e, comparado com os outros "presidentes" que tivemos, sem sombra de dúvida o mais honesto, dentro do que consideramos "honesto" dentro da política. Nesse ponto quero deixar claro que não estou justificando Bolsonaro pelo fato de julgar o mesmo "bronco e simples". Não! O mundo está cheio de psicopatas "broncos e simples".

Mas enfim, Bolsonaro já é carta fora do baralho, para a alegria de milhões de batedores de panelas (quase todos funcionários públicos de classe média alta Brasil afora).

O problema é como o próprio algoz de Bolsonaro afirmou: "o problema não é QUEM trocar. O problema é PORQUÊ trocar?". Pensem nisso quando assumir o trono de bobo da corte o Sr. Hamilton Mourão.

Parabéns Bolsonaro, por servir de "bobo da corte" contra o Partido dos Trabalhadores em 2018... Nos deste uma pequena luz de esperanças na luta contra as trevas.

Anônimo disse...

Díficil acreditar que Moro poderia dizer o que disse aos 4 ventos, não é o padrão Moro...acho que não foi inteligentes politicamente.

Anônimo disse...

Serrão, quanto a sua pergunta deste artigo "a saída do Moro é o inicio do fim do governo Bolsonaro"??? Loumari e irmandade de Maçons e Comunistas, TODOS UNIDOS E EM ORGASMO GRITAM "SIMMMMMM"!!!

Almanakut Notícias - São Paulo - Brasil disse...

O BRASIL PRECISA DE UM MILITAR LINHA DURA PARA O MINISTÉRIO DA JUSTIÇA E SEGURANÇA PÚBLICA E TERRIVELMENTE MILITARES DO STM PARA O STF, PARA FAZER A ASSEPSIA COM TRANCO FORYE PARA QUEM QUOSER.

WILTON disse...

Dentro de 8 ou 10 dias, MORO estará no OSTRACISMO junto com o MALEDETO.

Unknown disse...

Fostes marujo? Tirou serviço na barriga? Então não és confiável. Volte para o reduto.

Rogerounielo disse...

Equipe econômica: se mudar o teto de gastos 'todo mundo sai' - O MODELO DE GASTANÇA PÚBLICA, DESENFREADA, sob rótulos genéricos de “INVESTIMENTOS EM INFRAESTRUTURA” e aumento do emprego (que não se sustenta ao longo do tempo, conforme se observa historicamente, não é investimento é, apenas, despesa e conveniência política para desvio de recursos públicos, sem que a sociedade perceba), de onde nasceu a CORRUPÇÃO DESENFREADA via construtoras, sendo a mais famosa delas a ODEBRECHT, o DNIT, etc., etc., etc. e que foi (MODELO DE GASTANÇA PÚBLICA, DESENFREADA, sob rótulos genéricos de “INVESTIMENTOS EM INFRAESTRUTURA” e aumento do emprego) o grande responsável por termos R$ 15,7 TRILHÕES, em gastos, diretos, do Governo Federal, realizados entre 2004 e 2014, no programa “XXYZ - Pessoal, Encargos Sociais e Dívida”, ou seja, por 74,093% do total de gastos - Fonte - Link https://rogerounielo.blogspot.com/2020/04/equipe-economica-se-mudar-o-teto-de.html

Arquivo “DESCENTRALIZAÇÃO DA INTERNET no mundo - 03.04.2020.docx”, contendo esta análise, está disponível no Google Drive, pasta pública (WEB) “ECONOMIA DIGITAL - DIGITAL ECONOMY”, conforme link https://drive.google.com/drive/folders/0B-FB-YQZiRk8SEdQb1BYUTRQLXc?usp=sharing

Início

Equipe econômica: se mudar o teto de gastos 'todo mundo sai'

Fonte - Link https://blogs.oglobo.globo.com/miriam-leitao/post/equipe-economica-se-mudar-o-teto-de-gastos-todo-mundo-sai.html (vide item 13 abaixo)

Digital Triangle Brazil a evolução do International Data Center Hub - DESCENTRALIZAÇÃO DA INTERNET no mundo

A) De um lado o Ministro Paulo Guedes e sua equipe econômica tem razão quando dizem que vão abandonar a condução econômica do Brasil, se houver a VOLTA DO MODELO DE GASTANÇA PÚBLICA, DESENFREADA, sob rótulos genéricos de “INVESTIMENTOS EM INFRAESTRUTURA”, pois foi com rótulos genéricos de “INVESTMENTOS EM INFRAESTRUTURA” e aumento do emprego, para tirar o país da recessão, no pós inúmeras crises econômicas pelas quais o Brasil passou ao longo do tempo, é que nasceu a CORRUPÇÃO DESENFREADA via construtoras, sendo a mais famosa delas a ODEBRECHT, o DNIT, etc., etc., etc., revelada pelo “Mensalão”, pelo “Petrolão”, etc. e, se eu estive no lugar do Ministro da Fazenda Paulo Guedes e sua equipe econômica, também, abandonaria o Governo Federal.

Continua

Rogerounielo disse...

Continuação

A.1) O MODELO DE GASTANÇA PÚBLICA, DESENFREADA, sob rótulos genéricos de “INVESTIMENTOS EM INFRAESTRUTURA” e aumento do emprego (que não se sustenta ao longo do tempo, conforme se observa historicamente, não é investimento é, apenas, despesa e conveniência política para desvio de recursos públicos, sem que a sociedade perceba), de onde nasceu a CORRUPÇÃO DESENFREADA via construtoras, sendo a mais famosa delas a ODEBRECHT, o DNIT, etc., etc., etc. e que foi (MODELO DE GASTANÇA PÚBLICA, DESENFREADA, sob rótulos genéricos de “INVESTIMENTOS EM INFRAESTRUTURA” e aumento do emprego) o grande responsável por termos R$ 15,7 TRILHÕES, em gastos, diretos, do Governo Federal, realizados entre 2004 e 2014, no programa “XXYZ - Pessoal, Encargos Sociais e Dívida”, ou seja, por 74,093% do total de gastos.

A.2) Assim, de 2004 a 2014, de cada R$ 100,00, o Governo Federal utilizou R$ 74,09 para pagar, apenas, três despesas: pessoal, encargos sociais e dívidas, com percentual, representativo, dos recursos públicos, desviados em superfaturamentos ou em aplicações improdutivas nos Estados e Municípios (obras desnecessárias, obras paralisadas, obras sem qualidade, etc. etc. etc.), conforme item “E” abaixo e, sempre, a dívida pública cresceu com rótulos genéricos de “INVESTIMENTOS EM INFRAESTRUTURA” e aumento do emprego (que não se sustenta ao longo do tempo, conforme se observa historicamente, não é investimento é, apenas, despesa e conveniência política para desvio de recursos públicos, sem que a sociedade perceba), de onde cresceram várias construtoras, sendo a mais famosa delas a ODEBRECHT, o DNIT, etc., etc., envolvidos até o pescoço na CORRUPÇÃO DESENFREADA, revelada pela Lava-Jato.

B) O Ministro da Economia Paulo Guedes e sua equipe econômica estão, absolutamente, corretos, quando dizem que o Brasil necessita retirar o ESTADO DA ECONOMIA, mas não podemos abrir mão do INVESTIMENTO PÚBLICO, EM PROJETOS VOLTADOS PARA A INICIATIVA PRIVADA QUE, DE FATO, MODERNIZEM A ECONOMIA DO BRASIL, TORNANDO-A MAIS COMPETITIVA E PRODUTIVA.

B.1) Para que os recursos públicos, escassos, não sejam direcionados pelo mundo político sob rótulos genéricos de “INVESTIMENTOS EM INFRAESTRUTURA” e aumento do emprego, gerando crescimento insustentável da dívida pública, ao longo do tempo, SEM NENHUM BENEFÍCIO PARA A ECONOMIA DO PAÍS, mas sejam de fato direcionados para PROJETOS VOLTADOS PARA A INICIATIVA PRIVADA QUE, DE FATO, MODERNIZEM A ECONOMIA DO BRASIL, TORNANDO-A MAIS COMPETITIVA E PRODUTIVA seria necessário, contudo, a apresentação de uma “PLANTA DA CASA DE CRIAÇÃO DA ECONOMIA DIGITAL DO BRASIL”, para modernização da “Economia Industrial Brasileira”, para que esta passe a ser uma “Economia Digital Brasileira”, com INVESTIMENTO PÚBLICO e INVESTIMENTO PRIVADO, CONCOMITANTES, na infra-estrutura que, de fato, criaria a “Economia Digital Brasileira”, em parceria com a iniciativa privada.

Continua

Rogerounielo disse...

Continuação

B.1.1) Sugestão de “PLANTA DA CASA DE CRIAÇÃO DA ECONOMIA DIGITAL DO BRASIL” (PROJETO VOLTADO PARA A INICIATIVA PRIVADA PARA MODERNIZAÃO DA ECONOMIA DO BRASIL, PARA TORNÁ-LA MAIS COMPETITIVA E PRODUTIVA), onde mudaríamos da “Economia Industrial Brasileira” para a “Economia Digital Brasileira”, com INVESTIMENTO PÚBLICO e INVESTIMENTO PRIVADO, CONCOMITANTES está descrita logo após o item “E” abaixo.

C) Se a SOCIEDADE RESOLVER EM INVESTIR EM QUALQUER “PLANTA DA CASA DE CRIAÇÃO DA ECONOMIA DIGITAL DO BRASIL” (PROJETO VOLTADO PARA A INICIATIVA PRIVADA PARA MODERNIZAÃO DA ECONOMIA DO BRASIL, PARA TORNÁ-LA MAIS COMPETITIVA E PRODUTIVA), onde mudaríamos da “Economia Industrial Brasileira” para a “Economia Digital Brasileira”, com INVESTIMENTO PÚBLICO e INVESTIMENTO PRIVADO, CONCOMITANTES, e o Governo Federal desejasse propor “UMA EMENDA CONSTITUCIONAL PARA RETIRAR OS INVESTIMENTOS NO TETO DE GASTOS”, para carimbar esses recursos para modernização da economia brasileira, para que esta passe da “Economia Industrial Brasileira” para a “Economia Digital Brasileira”, estaríamos de pleno acordo e, a nosso ver, a equipe econômica do Ministro Paulo Guedes, com base nos seus conceitos de diminuição do tamanho do Estado, crescimento da iniciativa privada, incentivo ao empreendedorismo, etc., etc., etc., SÃO A EQUIPE MAIS INDICADA PARA LEVAR A CABO UM PROJETO DESSA ENVERGADURA ADIANTE, EM CONJUNTO COM OS MILITARES E COM TODOS OS AGENTES ECONÔMICOS DO BRASIL.

D) Entretanto, se os militares brasileiros (civis no Governo Federal), saudosos de um desenvolvimentismo “fora de época”, for desvirtuado, não por eles, mas por uma estrutura política nas esferas Federal, Estaduais e Municipais, que busca criar, novamente, uma condução econômica do Brasil VOLTADA PARA O MODELO DE GASTANÇA PÚBLICA, DESENFREADA, sob rótulos genéricos de “INVESTIMENTOS EM INFRAESTRUTURA” e aumento do emprego, fazendo renascer a CORRUPÇÃO DESENFREADA via construtoras, sendo a mais famosa delas a ODEBRECHT, o DNIT, etc., etc., etc., vão jogar o Brasil na mais profunda miséria, no curto prazo.

Continua

Rogerounielo disse...

Continuação

D.1) Se o Brasil, nos novos tempos pós coronavírus, não se conduzir, POLITICAMENTE FALANDO, para passar da “Economia Industrial Brasileira” para a “Economia Digital Brasileira”, vai condenar o seu povo à miséria profunda, em pouco tempo, em NOME DE BENEFICIAR ALGUNS ESPERTALHÕES DA POLÍTICA BRASILEIRA, que já atrasaram o Brasil por muito tempo, mas desta vez, se os interesses de ALGUNS ESPERTALHÕES DA POLÍTICA PREVALECER, vão afogar o Brasil no atraso de uma vez por todas e as várias elites sabem disso.

E) RESUMO - Portal da Transparência - Gastos Governo Federal - Série Histórica - 2004 a 2014:

E.1) Identifica-se o tamanho das derrapagens fiscais, do Governo Federal, do Brasil, no “Portal da Transparência - Gastos Governo Federal - Série Histórica - 2004 a 2014”, por meio do qual analisamos, minuciosamente, as contas nacionais, de forma integrada, buscando identificar a situação atual da situação, fiscal, do país, e que demonstrou que as contas públicas brasileiras estão com tendência de descontrole total;

E.2) No item 19, de referida análise, temos que do total de R$ 15.748.557.917.000,90 (R$ 15,7 TRILHÕES), em gastos, diretos, do Governo Federal, realizados entre 2004 e 2014, atualizados monetariamente -- valor sem atualização monetária é de R$ 12.198.072.173.459,50 (R$ 12,2 TRILHÕES) --, o programa “XXYZ - Pessoal, Encargos Sociais e Dívida” foi responsável por 74,093% desses gastos.

E.3) Assim, de 2004 a 2014, de cada R$ 100,00, o Governo Federal utilizou R$ 74,09 para pagar, apenas, três despesas: pessoal, encargos sociais e dívidas.

E.4) No item nº 25, de referida análise, temos que a amortização e pagamento de juros da dívida pública federal (R$ 826,7 BILHÕES) representaram 56% do total das despesas do Governo Federal, em 2014 (R$ 1,47 TRILHÕES).

Continua

Rogerounielo disse...

Continuação

E.5) No item 69, de referida análise, temos a demonstração da crescente paralisia do Governo Federal, por falta de recursos, quase que integralmente direcionados para pagamento das três despesas citadas anteriormente, especialmente pagamento de juros e amortização da dívida pública federal bruta.

E.6) De 2004 a 2014, o Brasil teve 706 programas, mas deste total, apenas, 262 programas, continuam vigentes, em 2014.

E.7) houve redução de 63% na quantidade de programas, no Brasil, de 2004 a 2014, como decorrência, lógica, da falta de recursos públicos, cada vez mais comprometidos com o pagamento de amortização e juros da dívida pública federal e salários e encargos de servidores públicos.

E.8) No item nº 29, de referida análise, temos que a “Dívida Pública Federal Bruta” era de R$ 1.971.590.391.400,00 (R$ 1,9 TRILHÕES), em 2001, e saltou para R$ 3.466.519.331.480,00 (R$ 3,4 TRILHÕES), em 2014, acréscimo de R$ 1.494.928.940.080,00 (R$ 1,4 TRILHÕES), de 2001 a 2014, ou 76%, no período, em valores corrigidos monetariamente, ou seja, trata-se de crescimento real da “Dívida Pública Federal Bruta”, sem os efeitos inflacionários.

E.9) Gastos Governo Federal - Série Histórica - 2004 a 2014 - Contas Nacionais - Análise Integrada - Situação Atual - Tendência de Descontrole:

Parte 01 - Link http://rogerounielo.blogspot.com.br/2015/01/gastos-governo-federal-serie-historica.html

Parte 02 - Link http://rogerounielo.blogspot.com.br/2015/01/gastos-governo-federal-serie-historica_21.html

Parte 03 - Link http://rogerounielo.blogspot.com.br/2015/01/gastos-governo-federal-serie-historica_64.html

E.10) Essas análises foram produzidas por meio da utilização de dados oficiais, extraídos do “Portal da Transparência”, mantido pela Controladoria Geral da União-CGU, disponível no link http://www.portaltransparencia.gov.br/

========================================================================================================================
Arquivo “DESCENTRALIZAÇÃO DA INTERNET no mundo - 03.04.2020.docx”, contendo esta análise, está disponível no Google Drive, pasta pública (WEB) “ECONOMIA DIGITAL - DIGITAL ECONOMY”, conforme link https://drive.google.com/drive/folders/0B-FB-YQZiRk8SEdQb1BYUTRQLXc?usp=sharing ou no link https://rogerounielo.blogspot.com/2020/04/equipe-economica-se-mudar-o-teto-de.html
====================================================================================================================================================================================

“PLANTA DA CASA DE CRIAÇÃO DA ECONOMIA DIGITAL DO BRASIL” - PROJETO VOLTADO PARA A INICIATIVA PRIVADA PARA MODERNIZAÃO DA ECONOMIA DO BRASIL, PARA TORNÁ-LA MAIS COMPETITIVA E PRODUTIVA),

========================================================================================================================

=====================================================================================================================
Maçonaria Oculta - Decreto Grau 666 - 7º Nível - 49ª Potência
=====================================================================================================================

Continua na análise original - Arquivo “DESCENTRALIZAÇÃO DA INTERNET no mundo - 03.04.2020.docx”, contendo esta análise, está disponível no Google Drive, pasta pública (WEB) “ECONOMIA DIGITAL - DIGITAL ECONOMY”, conforme link https://drive.google.com/drive/folders/0B-FB-YQZiRk8SEdQb1BYUTRQLXc?usp=sharing ou no link https://rogerounielo.blogspot.com/2020/04/equipe-economica-se-mudar-o-teto-de.html

Link https://blogs.oglobo.globo.com/miriam-leitao/post/equipe-economica-se-mudar-o-teto-de-gastos-todo-mundo-sai.html

Início