sábado, 4 de abril de 2020

Soltem Barrabás


Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Carlos Henrique Abrão e Laércio Laurelli

Em tempos conturbados e de pandemia associado à quaresma,a pergunta que não quer calar é soltem Barrabás e prendam a sociedade nos seus lares, o que tem sido comumente noticiado pela mídia em geral para que não se torne o sistema carcerário um meio de contaminação lenta e gradual e até fatal.
Adam Smith, séculos atrás, escrevia sobre a Riqueza das Nações. O vírus que já atinge um milhão de pessoas e totaliza morte de 5% fez Nações ricas e pobres estagnarem no isolamento quase total.

Talvez uma nova ideologia esteja sendo redigida a pobreza das nações, toda a América Latina desfigurada, enquanto a Europa reúne seus mortos para cremação ou enterro imediato. Os americanos, America first, não podem sair da hecatombe e constatam um tsunami na economia. No Brasil, mais de 21 bilhões saíram no mês de março do mercado de ações. Existem regras que poderiam ser disciplinada pelo órgão regulador como congelar os investimentos ou taxar saídas rápidas de especuladores.

Entretanto com a mentalidade sempre combativa dos que pretendem deixar tudo como está para ver se pior fica, pouco ou nada tem sido feito para amenizar essa tragédia associada à saúde e à fragilidade da economia. Não hesitamos em dizer que sem uma ajuda para os Países da América Latina haverá uma explosão desemprego, fome, miséria e exclusão social.

Olhem o exemplo Alemão quando empresas e pessoas físicas já estão recebendo apoio,assistência financeira e polpuda somas para que, ao fim da quarentena, não sintam necessidade demitir ou colocar em férias ou licença compulsória seus empregados.

O governo federal está de mãos amarradas carrega o peso da quebradeira geral de Estados e Municípios e crescimento nanico. Soltaremos verdadeiramente Barrabás para condenar o inocente é tempo de reflexão de mudarmos a Constituição Federal caduca e obsoleta e também a Federação que
impregna tudo nas mãos da União.

Assim o momento de parada nos leva à reconstrução de um Brasil mais justo, solidário e essencialmente que dinamize a distribuição de riqueza e não prolifere a miséria desumana e cruel.

Carlos Henrique Abrão (ativa) e Laércio Laurélli (aposentado) são Desembargadores do Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo.

Um comentário:

Anônimo disse...

Mudar a Constituição federal no momento criaria uma carta magna mais esquerdista que a atual, porque a mentalidade da esmagadora maioria dos parlamentares é comunista.