domingo, 5 de abril de 2020

Vírus x Parasita



Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Carlos Henrique Abrão e Laércio Laurelli

No olho do furação e endemoniado pela pandemia que assola a humanidade, o contraponto a ser feito é o abalo que acarretará no sistema capitalista e na impregnada globalização e sua revolução tecnológica. Não sei se é cedo ainda para uma análise sistêmica daquilo mais  relevante entre o socialismo comunista e o capitalismo global.

Entendemos que a máxima produção industrial com a robótica e tecnologias de ponta sacrificaram a mão de obra e submeteram o homem ao jugo da máquina. Os fundos de trilhões de dólares foram esmagando e controlando mundo afora mas o vírus entrou lenta e sorrateiramente engolindo o modelo parasita da globalização o qual se favorece não da produção em larga escala mas simples e puramente do capital.

Hoje se o empresário dispuser de máquinas e mão de obra e não tiver
apoio financeiro raramente avançará. O que se pretende significar é que nosso sistema é explorador da mão de obra e faz com que cada vez mais trabalhemos dia após dia e nos finais de semana, mas o vírus atacou o coração e o enfrentamento sucederá.

Doravante prevalecerá o parasita que suga e explora o trabalho e somente busca lucro e fazer capital ou o vírus será o divisor de água. Qualquer solução ou antevisão parece ser precipitada na medida em que o coração da Europa foi atingido e também os EUA. Poucas notícias do leste Europeu, e de alguns Países da Africa e Ásia - o que não desconfigura a falta de empenho dos governos e total desconhecimento para derrubar o vírus o qual não morrerá ou será vencido já que novos e mais potentes poderão no futuro aparecer.

Toda a engrenagem do sistema capitalista se deu conta quão frágil é e menos capaz de combater um organismo vindo da China através de animais e seus hospedeiros ou evolução típica de laboratório para alcançar mais de um milhão de pessoas e matar em torno de cinco por cento.

O futuro não é previsível mas o sistema global de capital perderá trilhões de dólares. As economias cambaleantes dos Países emergentes poderão naufragar, além de várias outras complicações em Países mais pobres da Ásia e da Africa. A luta intestina entre o sistema capitalista parasita que afunila recursos
financeiros em mãos de cem magnatas ou 50 grandes empresas parece ter chegado a um ponto de inflexão.

Se o vírus for de color socialista ou comunista ninguém pode decifrar. Mas uma coisa é absoluta, certa e inescondível: o ruído provocado foi mil vezes maior do que aquele causado pela derrubada das torres gêmeas.

Assim, a humanidade, em pleno domingo de ramos, deve ser madura e suficiente antenada para saber o que projeta solidariedade e o convívio harmônico e pacífico entre os povos e Nações. Que as doenças e pestes não impeçam a liberdade e fundamentalmente a luta para melhores dias no cenário devotado à Páscoa e completude da ressureição.

Carlos Henrique Abrão (ativa) e Laércio Laurélli (aposentado) são Desembargadores do Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo.

Um comentário:

Anônimo disse...

Que visão marxista da vida quando dizem : "O que se pretende significar é que nosso sistema é explorador da mão de obra e faz com que cada vez mais trabalhemos dia após dia e nos finais de semana"
O trabalhador do século 21 não é igual ao trabalhador do século 19, mas este pessoal que decide a vida de muitos pensa que são. Quando vamos evoluir e entrar no ano de 2020 e olhar para frente e não para 1853 e achar que o mundo ainda é desta era ??????