segunda-feira, 25 de maio de 2020

A respeito do respeito



Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net
Por H. James Kutscka

Para início de conversa, temos que aceitar que respeito não é uma coisa que se pode impor, respeito é conquistado.

Então , “hic et nunc”  em bom latim como gostam aqueles que hoje exigem respeito sem terem feito nada para o merecerem,  e em bom português para aqueles que não tem funcionário para vestir-lhes  nenhuma toga, “aqui e agora”  todo Brasil viu e ouviu finalmente o homem reagir como todo cidadão de bem  desse país almejava.

A transmissão da gravação da reunião ministerial do dia 22 de abril, longe de prejudicar o presidente, fez com que aqueles, que como eu haviam votado nele por querer impedir o roubo e o avanço da esquerda rumo ao totalitarismo, se transformassem em seus fãs de carteirinha.

O que aí está, graças aos governadores e prefeitos adjetivados de bosta ou estrume, nada mais é que uma quarentena para os doentes e uma ditadura para os saudáveis.

Expressou em palavras aquilo, que com certeza, mais de sessenta milhões de brasileiros traziam travado na garganta até a última sexta-feira.

Uma catarse para o povo no mesmo momento em que o decano do STF pede para que se quebre o sigilo do telefone do presidente, enquanto seus pares garantem o sigilo do celular de Adélio Bispo e dos advogados que o defenderam.
Me pergunto: o que ouviríamos se reuniões privadas de Dória, Witzel ou Joelson (para quem não sabe o prefeito de Manaus) viessem a público?

Com toda certeza, já que de genocida já sabemos que o chamaram, outros adjetivos como:  fascista, homofóbico, machista sem esquecer é claro o indefectível filho da puta com que é diariamente brindado pela oposição, seriam fartamente distribuídos, perto disso, bosta e estrume é elogio.

Em um dos intervalos da transmissão, aquele repórter gordo da TV chinesa do Morumbi, ficou alucinado, porque o presidente da Caixa Econômica declarou ter, o dito canal, cobrado para colocar no ar as informações referentes ao “Corona Vaucher”.

- Eu nunca cobrei nada da Caixa Econômica Federal, vociferou indignado, enquanto pedia à produção para contatar com o presidente da Caixa para confrontá-lo no ar.

O tal repórter vem dizendo isso à diário, e podemos até acreditar nele, mas também não vou achar que o presidente da Caixa tenha mentido.
Entre o repórter em questão e o departamento comercial da emissora, acontecem mais coisas do que como diria o “bardo” inglês: sonha sua vã filosofia.  

O segundo chilique veio após o presidente referir-se à imprensa pulha.
Nesse momento, dito repórter encheu-se de brios e lembrou ter sido agraciado com três troféus Vladmir Herzog (repórter reconhecido como vítima do governo militar) e ressaltou o papel da imprensa que nos livrou da “ditadura” e lutou bravamente contra a censura no período.

Exigiu respeito aos de sua classe.

É verdade, e não vamos discutir, só esqueceu de dizer que aquela imprensa, ao longo dos últimos 33 anos, foi cooptada pelos travestidos governos socialistas de 1985 a 2003 e descarados de 2003 até 2019, quando contra todas a previsões da imprensa pulha, repito pulha, elegemos Bolsonaro.

A essa imprensa se referia o presidente na reunião  fechada do Ministério, que agora foi divulgada e sua opinião não era nenhuma novidade,  ele já se referira à  “globolixo”, “foice de São Paulo” e outros  órgãos da imprensa falada escrita e televisiva com o mesmo adjetivo, que pessoalmente acho até brando.

Na mesma reunião, o Ministro Weintraub expressa sua opinião sobre os fatos:
- Senhor presidente, estamos conversando, com quem deveríamos estar lutando, (tirou as palavras da minha boca e de mais milhões de brasileiros indignados).

Disse também que: - os vagabundos do STF deveriam estar todos presos.
Bolsonaro também se referiu de maneira clara à ausência de sentido da realidade dos membros do STF e Congresso,  que nunca souberam quanto vale um quilo de feijão ou arroz,  e estão julgando e legislando como se fossem  a rainha de copas do país das maravilhas de Alice ( a comparação é minha).

Na sequência o mesmo repórter alega imparcialidade e que como sempre, não vai julgar ninguém, mesmo tendo acabado de condenar o presidente por palavras proferidas em uma reunião fechada, que somente veio à público devido ao estrelismo de Moro.

Enfim, o presidente tem meu respeito e parece que de muito mais gente, pois logo após ir ao ar o vídeo da reunião, os índices futuros da bolsa subiram expressivamente.

Os “bostas” que chorem na cama que é lugar quentinho, como diria Silvio Luiz, locutor esportivo do mesmo canal do repórter, que por coincidência parece gato da Alice do desenho da Disney e é tão dissimulado quanto.

Então aproveitando a ocasião, eu e milhões de brasileiros, aqui e agora, declaramos somente respeitar a quem nos respeite.

Chega de frescura!

H. James Kutscka é Escritor e Publicitário.

2 comentários:

aparecido disse...

Quem comanda tudo isso é o vice-rei da CHina instalado em Brasilia.. e o Poder Judiciario brasileiro esta a serviço de potencia estrangeira contra o Brasil.. na hora de pedir proteção que peçam aos chineses...O plano é igualzinho ao que a China fez em Hong Kong.." fazer o golpe dentro da pandemia em que o povo não pode sair as ruas" A China aproveitou isso e tomou as ultimas redeas que LHES FALTAVAM PARA SUBMETER hONG kONG AS LEIS TERRITORIAIS CHINESAS E AO JUGO DO PCC... MAS VÃO TER PROBLEMAS POIS O POVO DO HONG kONG NÃO GOSTAM DOS CHINESES TERRITORIAIS...IGUAL A TAIWAN...Será que eles conseguirão um Habeas em Pequim ?????..

juscelino disse...

- Senhor presidente, estamos conversando, com quem deveríamos estar lutando, (tirou as palavras da minha boca e de mais milhões de brasileiros indignados). MAIS OU MENOS ISSO JÁ POSTEI VARIAS VEZES NA PG FB DO PRESIDENTE.. dialogar com quem tem que dar voadoras com os dois pés no papo.. vulgo botafogo por exemplo...