sábado, 30 de maio de 2020

Fulanização e Pisoteamento



Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Carlos Henrique Abrão e Laércio Laurelli

Autofagia institucional no Brasil é algo preocupante e para além de qualquer imaginação. Nos Estados Unidos da América nos recordamos de um episódio no qual o Presidente Trump dirigiu palavras inadequadas a um magistrado da Suprema Corte, mas depois se desculpou e tudo fora resolvido de forma democrática livre e soberana.

No Brasil todo dia há uma novidade por causa do uso da internet e talvez o excesso do direito de liberdade de expressão. O respeito institucional é fundamental e cada um no seu quadrado. Se a decisão não agrada ela não se descumpre, ou se recorre ou se coloca em prática.

No País tupiniquim tudo é motivo de estremecimento e desentendimento, como se fossemos distantes da realidade e da proteção maior da sociedade civil. A imprensa espetaculariza e enquanto isso já somos o primeiro sim em número de óbitos e na falta total de planejamento para o combate do vírus chinês.

Milhões e bilhões serão gastos,empregos sacrificados, emperramento completo da máquina estatal sucateada, e no momento mais delicado da República nossos dirigentes, ao invés de selarem a paz e o acordo, um armistício, batem boca e querem mostrar quem manda. Não é o caminho certo e adequado. Os representantes do povo estão provisoriamente nos seus cargos e fizeram juramento de cumprir soberanamente a constituição.

Vamos usar menos as redes sociais, criticar menos, xingar nunca, tratar de forma civilizada e urbana a todos os que têm e os que são carentes. Vivemos a fulanização da mídia digital acompanhada do pisoteamento da imagem de pessoas que ao fazerem um tratamento menos polido desservem à Nação e causam rubor nos próprios cidadãos e na imprensa internacional.

Menos entrevista, menos fuxico, menos bate boca, menos estardalhaço, menos invasão de privacidade, menos decisão monocrática. Fez muito bem o Ministro Fachin de submeter ao exame do colegiado o pedido do PGR, e de modo pontual que eliminemos as rusgas e selemos o desarmamento de espíritos.
Somos uma Nação alquebrada pela pandemia, desajustes sociais, falta de racionalidade, de planejamento, e principalmente de meios eficazes desenvolvimento e progresso. Por isso precisamos mais de ordem e de nenhuma bagunça.

Os que são simpatizantes do Presidente continuem assim sem agressões. Os que decidem priorizem menos holofotes, e desta forma não causaremos rupturas e muito menos o rancor, pois que pós democracia os governos deram mostras suficientes da incompetência e excesso de corrupção.

Não há espaço para intervenção militar. A sociedade precisa perder este viés e tal mania e acreditar que temos pessoas sérias e competentes de passar o Brasil a limpo.

Temos que lutar em prol da democracia do Brasil e apoiar o livre arbítrio do Estado democrático de direito! Viva o Brasil!!!

Carlos Henrique Abrão (ativa) e Laércio Laurelli (aposentado) são Desembargadores do Tribunal de Justiça de São Paulo.

3 comentários:

Q disse...

Tudo que a esquerda quer é que nós(direita) fiquemos quietos.
Não vamos morrer como ratos, como um Cordeiro.
Apesar de sermos cristãos.

Anônimo disse...

Estado de direito quando a PF , por vias indiretas, se transveste e faz busca e apreensão nos que se indignam nominalmente a corte colenda fruto de quis sinistros, como aguardar sentados.

Anônimo disse...

Dois caquéticos idiotas úteis ou meramente iludidos? Um golpe de Estado em andamento e a duas figuras preocupadas com os modos na internet... também, com o salário de procurador garantido, até eu ia bancar o conselheiro acácio.