sábado, 2 de maio de 2020

O Coronavírus e seus Tentáculos



Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Laércio Laurelli

Pois é: na madrugada do dia 30/4/20 reuni forças para desenvolver uma pesquisa sobre algo que possa dominar nossas paixões e encontrar até um resultado sublime por esta vereda estreita, assumindo o compromisso, dada a emancipação de minha vontade tentar orientar e acalmar as pessoas que hoje, como eu, vivem trilhando um caminho de atenção e cuidado na defesa contra o maior inimigo que o homem tem conhecimento: corona vírus e seus tentáculos.

Na verdade fiz uma mescla da tolerância, perfeição pela candura que significa boa-fé, pureza de sentimentos, simplicidade no trato em relação aos próprios sentimentos.

Fui buscar o exemplo da Fênix, uma bela ave que possui ou possuía uma força extraordinária e podia viver quinhentos anos. Suas penas seriam vermelhas, e nquanto o bico, a cauda e as garras seriam douradas.Suas lágrimas podiam curar qualquer doença, exaltando um lindo canto e, que ao final da vida entoava uma melodia muito triste. Após isto, queimava-se, e, voltava a ressurgir, e as cinzas que sobravam deste processo tinham a propriedade de ressuscitar a si e aos mortos.
Segundo algumas versões, a Fênix colocava um ovo e o chocava por três dias, ao fim dos quais se produzia o incêndio. Outras ramagens afirmam que do fogo aparecia diretamente outra ave fênix.

Enfim, de forma simples, eis o Significado da Fênix: A Fênix é uma ave maravilhosa trazendo maiores encargos e maiores responsabilidades, que simboliza o renascimento, o triunfo da vida sobre a morte, o eterno recomeçar, porém sem perder a essência ao se tratar sempre da mesma criatura.

Desta maneira, simboliza a vida e seus ciclos, a esperança, o fato de que é preciso dar a volta por cima nas situações adversas, (covid 19) sendo mais do que certo, invocá-la neste momento de incertezas, uma vez que estamos vivendo dias terríveis aceitando estranhas provações para dissipar o medo, já que nos impele a buscar nas trevas um pouco de paz espiritual, mostrando-nos, além desta caridade, a conhecer a verdadeira luz e a beleza do que é justo e bom, quando somos obrigados , pela indulgência a fazer pelos outros o que desejaríamos que eles próprios nos fizessem, aplicando a máxima, até por excesso de justiça, sendo esta uma verdade em ação e não uma faculdade abstrata.

“Ad Augusta per Augusta”

Laércio Laurelli é Desembargador aposentado do TJ São Paulo. Apresentador de TV e Escritor de obras jurídicas.

Nenhum comentário: