quarta-feira, 6 de maio de 2020

“Você votaria nele?”



Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Fábio Chazyn

Você votaria num cara que falasse assim?

Nossos tempos são de grandes disputas, grandes riscos e escolhas claras. Todos estão tendo que fazer a sua opção em toda parte. Mais uma vez na História todos são chamados para optar entre aqueles sedentos pelo poder e iludidos pela crença de que eles estão destinados a dirigir os outros e aquelas pessoas e nações que querem dirigir-se a si próprias.

Sabemos que num mundo em que há conquistadores e dominadores, é preciso ser forte em riqueza, em poder de resistência e em espírito. É preciso defender vigorosamente as tradições, os costumes que nos fizeram o que somos. Todas as nações têm história, cultura e herança que vale a pena. Defender e celebrar a memória da nação dá a ela a força interna e o potencial de resistência. A luta de uma nação tem que se apoiar nas suas próprias fundações. Não pode apagá-las, nem tentar substituí-las.

A verdade está em toda parte deste maravilhoso Planeta. Quem quer liberdade, orgulha-se do seu País; quem quer democracia, garante a sua soberania; e quem quer paz, ama a sua Nação. Um Estadista coloca o seu povo e o seu país em primeiro lugar. O futuro não pertence aos globalistas, mas sim aos Patriotas. O futuro pertence às nações soberanas e independentes que protegem os seus cidadãos e os seus vizinhos e honram as diferenças que fazem que cada país seja especial e único.

Um dos mais sérios desafios que os nossos países estão enfrentando é o espectro do socialismo, que destroi nações e sociedades. Os eventos na Venezuela nos mostram que, de fato, o socialismo não trata de justiça e de igualdade, não trata de elevar o pobre nem de promover o bem da nação. Trata somente de promover o poder da classe dominante. Socialismo e comunismo são lembrados por terem eliminado 100 milhões de pessoas no século XX. A Venezuela, infelizmente, está seguindo para a mesma tumba.

As ideologias totalitárias combinadas com tecnologia moderna têm o poder de fomentar novas formas de supressão e dominação. É por isso que um país que quer proteger a sua soberania tem que filtrar tecnologias e investimentos estrangeiros, proteger suas informações e seu sistema de segurança. Enfim, proteger a liberdade e a democracia contra ameaças internas e externas. É preciso desconfiar sempre daqueles que querem controlar, assim como procurar entrever sinais alarmantes de ameaças à liberdade.

Um pequeno número de plataformas de mídias-sociais está conquistando o poder sobre o que podemos ver e sobre o que podemos dizer. Uma classe política permanente tem desprezado, distorcido e desafiado abertamente o desejo do povo. Uma burocracia-sem-cara opera em segredo e enfraquece a regra democrática. A mídia e as instituições acadêmicas promovem atentados às nossas tradições e valores históricos.

Jamais devemos renunciar à defesa da liberdade de expressão, da mesma forma que a sociedade livre não pode permitir que os gigantes da mídia-social silenciem as vozes do povo, como as pessoas livres não podem se permitir a silenciar, coagir, eliminar ou chantagear seus próprios vizinhos.

Uma sociedade livre não ataca nem se cansa de defender a liberdade de praticar uma religião, pois ela promove a liberdade para todos. Nunca se cansará de defender as vidas dos inocentes. Não pode admitir projetos que se utilizem de dinheiro do contribuinte para financiar abortos voluntários, como o das Nações Unidas, e seus burocratas globais, que querem se impor sobre a soberania das nações que querem proteger inocentes, nascidos ou ainda não nascidos, pois toda a criança é um presente sagrado de Deus. Não pode haver nenhuma circunstância sob a qual a ONU possa pisar nos direitos de autodefesa de uma nação soberana.

Sempre haverá aqueles que acreditam que têm o direito de controlar os outros. A tirania progride sob muitos nomes e muitas teorias, mas sempre se reduz ao desejo de dominar. Sempre protege o interesse não de muitos, mas o privilégio de poucos. É preciso sim proteger um sistema que afaste esse impulso perigoso.  É preciso conceder poder ao cidadão que é o único que se interessa pelo futuro da nação e que tem o orgulho de ser parte de um povo independente e destemido.

O bem verdadeiro de uma nação só pode ser perseguido por aqueles que a amam, por cidadãos que estão enraizados na sua história, que se nutrem da sua cultura, subordinados aos seus valores, ligados ao seu povo, e que sabem que o seu futuro depende deles para construir, ou deles para destruir.

Patriotas vêem uma Nação e seu destino de uma forma em que ninguém mais consegue ver. Liberdade só pode ser preservada, soberania só pode ser garantida, democracia só pode existir, prosperidade só pode ser alcançada pelo desejo e devoção de Patriotas.

No seu espírito repousa a força de resistir à opressão, a inspiração de transmitir legado, a boa-vontade de conquistar amizades e a bravura de atingir a paz. O amor de nossas nações produz um mundo melhor para todas as nações. Um verdadeiro Estadista é aquele cuja missão é a mais realizadora que uma pessoa pode ter. A contribuição mais profunda que alguém pode dar.


Eleve uma Nação, honre a sua cultura e sua história, valorize os seus cidadãos, honre a dignidade de seu povo e verá que nada estará fora de suas possibilidades. Quando uma Nação é maior, o seu futuro é mais brilhante, seu povo mais feliz e seus parceiros mais fortes.

Com a ajuda de Deus, uma Nação consegue expulsar os inimigos da liberdade e superar os opressores da dignidade, estabelecer novos padrões de vida e alcançar novos patamares de realização humana e descobrir velhas verdades e descortinar velhos mistérios e realizar superações com o maior entusiasmo. E encontraremos amizades mais bonitas, mais harmonia entre as Nações do que jamais vista.

O caminho para a paz e progresso e liberdade e justiça e um mundo melhor para toda a humanidade começa em casa!

Se você votaria num cara que fala assim, então você votaria num cara como Donald Trump!

Fabio Chazyn, autor dos livros “Consumo Já! Projeto Vale-Consumo” (2019) e “O Brasil Tem Futuro? Projeto A.N.O.R. – Inteligência Artificial Coletiva” (2020)   https://clubedeautores.com.br/livro/o-brasil-tem-futuro

Um comentário:

Fredoliveira disse...

A mania de se rotular pessoas faz com que o autor desse discurso no anonimato seja considerado um gênio mas quando se fala que foi o conservador trump aí alguns viram o rosto...belo e expressivo discurso.