sexta-feira, 5 de junho de 2020

A Bolsa é a Vida!



Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Carlos Maurício Mantiqueira

Uma clara manifestação de que a situação volta, aos poucos, à normalidade é a recuperação da Bolsa de valores [B3].

Todos os dias úteis, podemos ver um magnífico exemplo de neo-darwinianismo.

Vence sempre o mais forte, com maior capacidade de adaptação às mudanças de cenário.

Uma palavra amaldiçoada pela maioria dos bovinos espectadores da situação nacional é ESPECULADOR.

Derivada do latim speculum significa espelho. A pessoa prudente e atenta aos acontecimentos políticos e sociais APENAS reflete um cenário futuro provável. Corrijam-me os mais doutos.

Por minha conta e risco, enumerarei os diferentes tipos de investidores em bolsa.

O molecote ingênuo que se acha um gênio. Com péssima formação cultural, quer tirar vantagem de tudo; até do que não entende.

O riquinho cagão de meia idade. Entrou na onda porque os amigos também entraram ou para impressionar alguém. Não tem estômago para aguentar a primeira grande queda e, apavorado, realiza o prejuízo e sai com o rabo entre as pernas.

Há pessoas com razoável experiência de vida e algum estudo, mas preguiçosas em averiguar até os últimos pormenores as empresas em que investiu (ou pretende investir) informando-se sobre o caráter de seus dirigentes ou executivos principais.

Finalmente, há os brilhantes e pacientes, que investigam inclusive, quem são os controladores das empresas listadas.

Esses últimos são sábios o suficiente para não confundir Decano com Deu Cano: a vida deles é a Bolsa.

Carlos Maurício Mantiqueira é um livre pensador.

3 comentários:

Anônimo disse...



Esperamos que normalize mesmo. Depois que fecharam várias empresas e muita gente perdeu seus empregos com um virus de laboratório e propagado propositalmente. Os responsáveis devem ser responsabilizados por crimes contra a humanidade.


slsoares disse...

Se retirarmos os domínios da Vale da mão de George Soros,muitos atingirão a independência financeira no Brasil.Para a Petrobrás vale o mesmo ,apenas mudando os donos maioritários.

slsoares disse...

Aliás,escrevi antes de ler o penúltimo parágrafo e concordo com o mesmo.