sábado, 27 de junho de 2020

A prega que o PC Chinês espalhou para matar idosos


Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Sérgio Alves de Oliveira

Não deve ser por mera “concidência” que um dos pouquíssimos laboratórios do mundo especializados em “guerra biológica” situa-se  exatamente   em Whuan, República Popular da China, localidade onde “nasceu” o novo coronavirus (Covid-19),e dali se espalhou pelo mundo . Essa historinha que andam contando por aí que o maldito vírus tivesse  se originado num “mercado” local, onde vendem cobras,ratos ,morcegos ,e “otras cositas más”, certamente não passa de disfarce para enganar bobo.

Tenho para mim que acabaram colocando em prática  um  diabólico plano para  diminuir a população do mundo, que realmente cresceu numa estupenda progressão ,passando de 2,5 bilhões de pessoas ,em 1950,para 7,9 bilhões no corrente ano de 2020,ou seja, após somente  70 anos,num extraordinário salto populacional.

Essa informação jamais  foi divulgada ao público ,mas sabe-se que o tema da redução da humanidade  já teria sido tratado, secretamente, sem qualquer registro, por algumas importantes organizações mundiais, dizem alguns, inclusive pelo “Grupo”(ou “Clube”) de Bilderberg”,uma sociedade secreta  composta pelas pessoas mais poderosas do mundo, que se reúne anualmente para traçar os destinos do mundo, e que teria “parido” do seu meio quase  TODOS os Presidentes dos Estados Unidos ,a partir da segunda metade do Século 20.

Mas considerando que o mundo não dá um só passo  sem que grandes interesses econômicos entrem em jogo, em reforço à  tese  de que o Covid-19 tenha sido “construído” em laboratório para diminuir a humanidade, é evidente  que as vítimas “preferenciais” teriam que ser os idosos que já estavam aposentados, ou em vias de se aposentar, considerados, na “filosofia” pragmático-utilitarista, ou “mercenária”,que hoje domina o mundo, uns “inúteis ” para a economia, pouco ou nada produzindo, mais “consumindo”.

Por isso também não deve ser por mera “coincidência” que dos cerca de 9 milhões de infetados pelo Covid-19, e das 480 mil mortes, no mundo, a grande maioria dos óbitos seja da população de idosos que já ultrapassaram a idade de 60 anos.                                            
Valendo como referência o Estado de São Paulo ,por  exemplo, dos mortos por essa maldita doença,o exorbitante percentual de 73,1%  dos óbitos se refere a pessoas com mais de 60 anos de idade. Essa informação certamente vale para o mundo inteiro, em relação ao percentual de idosos com mais de 60 anos mortos, comparativamente   aos que ainda não chegaram a essa idade. Isso significa  que, de cada (quase) 4  mortes pelo novo coronavírus,(quase) 3 serão de idosos. E essas mortes abalarão a distribuição dos quadros das populações dos países por idade, diminuindo os idosos em relação aos não-idosos.

Tenho plena convicção que o impacto mundial pelo novo coronavirus tenha sido previamente  calculado ,mediante  as informações dos laboratórios de guerra biológica,no caso, de Whuan, “trabalhados” nos  computadores. Se “nós” fomos pegos de surpresa,certamente “eles”,não.  E também deve ter sido considerado que esse  vírus mataria muito mais os idosos do que os jovens, esses últimos  mais úteis aos interesses econômicos.

Resumidamente:  “fabricaram” um vírus para matar velhos
O certo é que muita gente , organizações, e até “países”, sairão beneficiados  com a tragédia mortal do novo coronavírus, que feriu tantos corações,algo porém  considerado absolutamente irrelevante aos grandes interesses econômicos que dominam os países e o mundo.

A China, por exemplo, que tem 1,4  bilhões de habitantes, nem “estaria aí” se perdesse 100 ou 200 milhões da sua população mais “velha” ,em face do Covid-19. Certamente  o “resto” sairia “lucrando”,e  além disso  ganharia   mais espaço   geográfico para viver. Sem “apertos”. E se ela pensa isso em relação ao seu povo, seria de se esperar que pensasse outra coisa  relativamente  aos demais  povos do mundo?

A pergunta que eu gostaria que todos me ajudassem a responder é se houve, ou não, planejamento proposital dos efeitos do Covid-19 ;  se por trás de tudo teria havido interesse em diminuir a população “inútil”da China e do mundo e ; finalmente,se houve interesse econômico envolvido no Covid-19 , dentro do objetivo declarado da China de dominar o mundo.

Sérgio Alves de Oliveira é Advogado e Sociólogo.

6 comentários:

Anônimo disse...

Eu acho que temos a liberdade de considerar este um dos propósitos do vírus chinês. Outro que me parece muito pertinente diz respeito ao isolamento das pessoas. Seria aceito ou as sociedades se rebelariam? parece me que os suecos ganharam no quesito respeito às liberdades fundamentais. Sem esquecer jamais, que este laboratório de Wuhan foi largamente subsidiado pelo governo Obama. Me intriga demais o fato de a China estar preparada para suprir as necessidades dos países no que diz respeito ao combate ao vírus. Me intriga ainda mais que em agosto de 2019 ele já estivesse pensando numa vacina. Em suma: considero o vírus chinês uma arma criminosa de dominação comunista.

Baluarte disse...

Concordo em parte, pois de acordo com o vídeo "Carta de 1871 - Albert Pike", no youtube, tal como ocorreu nas 1a. e 2a. Guerras Mundiais, a 3a. também está agendada com o propósito de extinguir o islamismo e o judaísmo, e consequentemente reduzir consideravelmente a população mundial. Assim, acredito que o covid-19 foi planejado para desestabilizar economicamente o mundo, facilitando e ensejando a implementação do objetivo maior, com a próxima guerra mundial

nina matos disse...

Concordo inteiramente com você.

Anônimo disse...

A pergunta principal é:Como a China conseguiu evitar que a pandemia não espalhasse para o resto do país mas não conseguiu evitar que espalhasse para o resto do mundo?

Blue Eyes Na Resistência disse...

Ainda bem que não sou o único que aventou tal FATO !!!... estava a pensar que estaria ficando louco num mundo de cegos conduzidos por raposas...

Félix Maier disse...

Reforma chinesa da Previdência é isso: matar os "veinho".
Quanto melhoraram as contas previdenciárias no mundo, especialmente na idosa Europa?