domingo, 14 de junho de 2020

Macaquitos brasileños


Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Félix Maier

Macaquitos brasileños, macaqueando europeus e americanos, propõem a derrubada de estátuas históricas que não se enquadram no modo politicanento correto de ver a história como ela aconteceu.

Em São Paulo, corre lista entre a população para a derrubada da estátua do bandeirante Borba Gato.

No Rio de Janeiro, propõem jogar a estátua da Princesa Isabel, a Redentora dos escravos negros, no fundo do mar.

Quase toda cidade brasileira tem uma rua ou uma avenida com o nome do ditador Getúlio Vargas. Vão também trocar seu nome por personagens da política atual ou recente, que tiveram vida opaca mas que se notabilizaram apenas devido a uma campanha midiática depois da morte, como Chico Mendes e Marielle Franco? 

Todo fato histórico deve ser visto e respeitado de acordo com os valores e tradições de sua época, não de acordo com os conceitos atuais, que estão longe de serem padronizados e uniformes.

Reescrever a história, destruindo seus vultos históricos, não é repensar a história no que ela de fato representa, mas um ato de extremo radicalismo de quem não aceita conviver com opiniões divergentes, e tenta à força fazer valer sua ideologia totalitária, que não aceita contestação. 

A história da humanidade não é um caminho cor-de-rosa, como querem esses farsantes. Ela é composta por ações gloriosas e aviltantes. Sempre foi assim e sempre será.

Será que vão derrubar as estátuas do escravocrata Zumbi dos Palmares, um negro que tinha escravos negros, inclusive para sua satisfação sexual?

O complexo de colônia ainda perdura nesta terra dos macaquitos brasileños. Por que não imitar coisas úteis dos países desenvolvidos?

Por que só copiar o lixo que há por lá?

Félix Maier é Capitão reformado do EB.

Um comentário:

aparecido disse...

Me parece que o cigano FUX assinou diploma de OTARIO.......quem impõe limites a uma força armada é outra força armada..melhor e mais armada que ela.... o resto é o resto......Me parece que o homem nunca frequentou uma faculdade de direito...não é a lei que garante as Forças Armadas... São as Forças Armadas que garantem a lei...qualquer estudante de direito no mundo aprende isso na primeira semana do curso...É a lei que nasce do poder das armas.. e não o poder das armas que nasce das leis...simples .. e o homem que vai ser o prox presidente dp STF não sabe disso..