segunda-feira, 8 de junho de 2020

Moro e o cocô do passarinho



Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net
Por H. James Kutscka

Começo esse artigo pedindo perdão aos meus leitores por mais uma vez, citar aquele que considero um dos maiores escritores contemporâneos, Kurt Vonnegut.

Em uma de suas inúmeras obras, encontra-se a seguinte consideração:

- Sabe o que é aquela coisa branca no cocô do passarinho? É cocô de passarinho também.

A princípio o querido leitor pode imaginar o que tem essa história a ver com meus costumeiros textos, onde procuro esclarecer a verdade por trás da ”verdade oficial” veiculada pela mídia de estimação da quadrilha política que vem assaltando nosso país a mais de três décadas.

Esclareço: Tudo!

Mas primeiro é justo reconhecer que esse povo privado de educação e cultura desde sempre, tenha necessidade de heróis nessa terra carente deles.

Então, quando no meio da podridão imperante, aparece um moço bem educado, que com  a frieza advinda  da certeza do conhecimento das leis, enfrenta o maior ladrão da história da humanidade e sem perder o “aplomb” diante dos deboches do meliante, o reduz à sua insignificância  frente  ao país e termina por pô-lo na cadeia, parece justa toda admiração granjeada junto ao público.

Admiração à ponto de considerá-lo candidato imbatível para a presidência da nação em próximas eleições.

Isso até o sucesso ter lhe subido à cabeça.

Aí então, como muitos antes dele que atingiram o nível de incompetência, quando foi elevado a ministro do primeiro governo decente em muito tempo, achou que podia tomar um atalho e tornar-se Califa no lugar do Califa.

Perdeu-se na incompetência, cuspiu no prato em que comeu e tentou limpar com sua biografia, que a partir do momento em que deixou o governo, começou a vazar impropriedade por todos os pontos, vírgulas e até reticências.

Amizade suspeita com sócios de sua mulher em um escritório de advocacia envolvido em negociações escusas com um doleiro, perguntas sem resposta como a blindagem óbvia de políticos do PSDB que escaparam ilesos de todas as acusações de corrupção.

Há apenas uma semana, o claro apoio dado a ação inconstitucional promovida pelo ministro Humpty Dumpty (que está prestes a cair do muro e quebrar a cabeça de ovo), na ação contra os youtubers acusados de promover “fake news”.

No meio disso tudo, estimulados por políticos de esquerda os auto denominados ANTIFAS, vão as ruas defender a “democracia” e Moro declara que é um movimento justo.

A foto estampada nos jornais, mostrando um bando de marginais bombados sem camisa, de braços dados, avançando em fúria contra um inimigo invisível, poderia ser descrita, sem medo de errar, como comissão de frente de uma hipotética escola de samba que tivesse como nome “Pederastas da Paulista”.
Vendo tudo isso, a consideração a ser feita por este escriba com o devido perdão a Vonnegut, é: Sabe o que é aquele Moro no meio dos Ministros do STF e políticos do Congresso? É parte da mesma merda.

H. James Kutscka é Escritor e Publicitário.

2 comentários:

Anônimo disse...

A biografia do ex- ministro e ex-Tudo, que não gosto nem de citar o nome, está na lata de lixo da cozinha da maquiavélica e influenciável esposa. Acabou, cavalo de Tróia!!

aparecido disse...

O ex ministro vai se achegando e os vermelhos o deixam chegar bem pertinho......quando estiver ao alcance da mão vai levar uma bordoada no focinho que nem vai achar o caminho de casa...ele arrumou inimigos a esquerda e a direita e o centro não o quer nem enfeitado de miss......não vai ter vida fácil....até os hermanos o botaram pra correr em Buenos Aires....