segunda-feira, 8 de junho de 2020

Os Sem Riso



Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Miguel Lucena

O amigo leitor conhece alguém que não consegue rir de piadas? Eu conheço gente que ri de fingimento e só vai entender a anedota dias depois.
Geralmente, quem não tem senso de humor procura conversar literalmente, abordando assuntos de forma direta e sincera, com semblante fechado.
Até mesmo em mesa de bar ou balcão de boteco, há aqueles que, em meio à contação de lorotas e conversas ao vento, insistem em abordar problemas concretos e às vezes se tornam chatos, levando a terceiros problemas familiares e profissionais ou despejando conhecimentos que ninguém solicitou.
Não se trata de querer que as pessoas vivam contando piadas o tempo inteiro – o que é um distúrbio -, mas de estimular o pensamento abstrato, levando ao entendimento das entrelinhas, sem necessidade de dizer que pau é pau e pedra é pedra.
Estudos comprovam que o senso de humor é uma forma de o cérebro resolver situações complexas e paradoxais de maneira inusitada, estimulando a inteligência. A ironia e o sarcasmo estão entre as diversas formas de humor.
Conforme pesquisadores da escola francesa Insead, o sarcasmo é um tipo de ironia que permite que o cérebro se exercite, já que, para entender as declarações, é preciso compreender observações paradoxais, estimulando o pensamento abstrato e a capacidade criativa.
Segundo Li Huang, líder do estudo e professora de comportamento organizacional do Insead, “o sarcasmo pode estimular a criatividade, a concepção de ideias e a forma de solucionar problemas. Descobrimos que ele certamente catalisa uma maneira superior de pensamento”.
Miguel Lucena é Delegado da Polícia Civil do Distrito Federal, jornalista e escritor.

Um comentário:

Anônimo disse...




E não é por acaso que os implantadores da tal Nova Ordem Mundial se encarregaram de detonar com o entretenimento. Acabaram com a música, acabaram com os bons filmes, acabaram com as boas novelas, acabaram até mesmo com a verdadeira informação. E não podemos deixar de citar a comédia. É... pois é, acabaram também com a comédia. Será que é porque eles são tão mentirosos, tão contraditórios, tão sem lógica que as piadas poderiam lhes trazer sérios problemas? O problema da falta de credibilidade. Ninguém daria crédito aos seus tentáculos que seriam ridicularizados e jamais chegaria à um alto cargo do governo e principalmente o de Presidente da República.