terça-feira, 23 de junho de 2020

Presidente é refém da Ditadura Togada?



Edição do Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Jorge Serrão - serrao@alertatotal.net
Siga-nos no Twitter - @alertatotal

A Política foi judicializada. Quem manda no Brasil é o Mecanismo. Basta qualquer um acionar o Judiciário que consegue uma ordem contra o Presidente - que apenas tem a ilusão de governar. A governabilidade foi usurpada.

O Judiciário tomou de assalto o Poder Executivo. Basta alguém, um político ou um partido entrar na "Justiça". Qualquer juiz dá a ordem que cancela ato do @jairbolsonaro , ou o obriga a seguir alguma ordem. A toga manda no Brasil!? Claro que manda.

A “última”: @jairbolsonaro é obrigado por um juiz a usar máscara e todos os locais públicos. Ordem vale para todos os servidores públicos. Não é só o STF que anda no Executivo. Qualquer magistrado faz isto. Bolsonaro devia renunciar e favor do Judiciário.

Não é legítimo que o Presidente da República seja refém da Ditadura Togada. A situação é grave e preocupante. A Turma do Mecanismo corre para cassar a chapa Bolsonaro/Mourão. Só desistirá se não houver tempo hábil até o fim do ano. Depois, o Establishment não quer correr o risco de Mourão assumir a Presidência.

O Mecanismo já definiu que seu principal inimigo não é Jair Bolsonaro, mas sim o movimento conservador. O grande foco do Crime Institucionalizado é calar os conservadores através da justiça. Estamos sendo caçados e seremos todos jogados nas masmorras por “crime contra segurança nacional”, pelo simples fato de defendermos banderias como, família, pátria e LIBERDADE!

O Mecanismo tem de ser neutralizado e vencido. O atalho é aprovar a revisão da Lei da Bengala no Congresso Nacional. O foco de luta tem de ser a aprovação das reformas e mudanças estruturais. As Reformas Tributária e Política são urgente. Junto com elas, a luta pela Nova Constituição enxuta, principiológica e sem necessidade de interpretações supremas para ser rigorosamente cumprida. 

Colabore com o Alerta Total

Jorge Fernando B Serrão

Itaú - Ag 9155 cta 10694 2

Banco do Brasil - Ag 0722-6 cta 209.042-2

Caixa (poupança) - 2995 013 00008261-7

Ave atque Vale! Fiquem com Deus. Nekan Adonai!

Jorge Serrão é Editor-chefe do Alerta Total. Especialista em Política, Economia, Administração Pública e Assuntos Estratégicos.  A transcrição ou copia dos textos publicados neste blog é livre. Apenas solicitamos que a origem e a data original da publicação sejam identificadas.

©
Jorge Serrão. Edição do Blog Alerta Total de 23 de Junho de 2020.

8 comentários:

Anônimo disse...

kkkkkkkk Olha que gostava muito deste Blog, mas Serrão você pirou. Para de assistir filmes durante a pandemia. Você vai ganhar dinheiro como roteirista de filmes políticos ou de fantasmas. Volte para a terra e volta a ser Serrão do passado.

Loumari disse...

SE O HOMEM PENSASSE, APRENDERIA A CURAR-SE

Mau grado as continuadas interrogações, os reiterados apelos das mais diversas origens, das experiências vindas de séculos atrás, dos textos sábios que vão sendo divulgados, tendo a acreditar na sabedoria do povo quando afirma que “de boas intenções está o inferno cheio”, o que significa que a actual crise rapidamente será absorvida pelo vórtice da vida a que nos habituámos, mais propensa ao gozo imediato dos sentidos do que à reflexão racional.

Receio que o medo se dilua no marasmo das rotinas, nos convívios acéfalos, nas tontas idas às grandes superfícies, no álcool, no sexo ocasional, nas futilidades que nos preenchem uma vida sem sentido profundo. O homem habituou-se a cultivar um ego arrogante com fracos hábitos de leitura, de reflexão, de escolaridade aprofundada. Se queremos verdadeiramente percorrer um caminho saudável, teremos de aprender a amar e a respeitar o outro, as suas diferenças, as suas maneiras de estar na vida; a lutar pelos valores por que morremos ao longo dos séculos, como a liberdade, a fraternidade, a igualdade, a democracia.

Enfim, tudo faremos para derrubarmos as prepotências, os horrores das fomes, da escravatura, das fragilidades que nos humilham, das doenças.

Será por acaso que os mais frágeis, sejam pessoas ou nações, são sempre os mais sacrificados e sofredores em situações de crise? Como vamos ajudá-los a fugir às circunstâncias que os matam?

Como vamos inventar oportunidades de vida iguais para todos? As crianças, os velhos, os marginais da vida terão direito a ser pessoas?

Vamos continuar a deixar que milhões de crianças morram sem escolaridade, sem vacinas que as salvariam, sem comida?

Vamos continuar a deixar que milhões de raparigas sejam abusadas, violadas, escravizadas, vendidas como mercadorias pelos próprios pais, a troco de um boi ou de um cabrito, sem nunca saberem qual o seu verdadeiro papel na sociedade?

Culturas, hábitos e crenças arreigadas e tidas como imutáveis vão continuar a dizimar milhões de seres humanos?

Seremos capazes de nos libertar das amarras que os séculos e as condições de vida nos impuseram e conseguiremos abafar o ódio, os conflitos culturais, étnicos, religiosos e outros?

Conseguiremos amar o outro, tentar compreendê-lo, respeitá-lo? Seremos capazes de cultivar a tolerância e a fraternidade e interiorizarmos que o eu não existe sem o tu?

Unidos, combatamos os vírus que nos condicionam há séculos: a inveja, o egoísmo, a ganância, a arrogância… Talvez, assim, escancaremos a janela da Esperança.

Por Leonel Marcelino

Artigo publicado no jornal: Wamphula Fax Nampula, 23 de Junho de 2020 . Ano XVIII Edição número 3615

Director: Jerónimo C. Júnior

Unknown disse...

E o governo se mostra incapaz de reagir a este estado de coisas.

aparecido disse...

ja temos um duce para pendurar no telhado de um posto de gasolina....

Vanderlei Lux disse...

Eu ia postar um belo comentário, bem escrito e com consistência.

Mas agora tá ficando perigoso demais, rsrsrs...

Abços Serrão!

Marcelo Baglione disse...

Serrão, boa tarde,

Antes de tudo é qualquer coisa, como você tem leitor imbecil que nasceu com este dom nato, intransferível e graças ao bom Deus, não contagioso; logo, esta merda fica com ele, mesmo, porque é congênito. Como diz o saudoso Baden Powell em um histórico show em São Paulo, no Samba de Bênção de Baden & Vinícius (1963). Diz:

"A burrice, não tem transplante."

Feita esta consideração em homenagem a imbecilidade alheia, vamos lá.

Não há muito o que ser dito. Você vem, há vários dias, dizendo e repetindo o certo, a estratégia correta: o Mito tem que reestruturar e fortalecer, o máximo possível em todo o Congresso, em especial no Senado, para alterarmos a Lei da Bengala e cimentarmos um freio no STF. Falar mais o quê? PARABÉNS!!!
Meu T.

M.

Chauke Stephan Filho disse...

O Brasil acima do STF! O Brasil acima de tudo!

Anônimo disse...

Sou servidor federal e só uso máscara, se for para dar um tapa na orelha de juiz vagabundo, que dita ordens imbecís. No comércio, coloco a máscara para entrar, e depois penduro no queixo. Como é bom ouvir os mimizentos sussurrando "ele tá sem máscara!". Kissíphoam!