quinta-feira, 20 de agosto de 2020

Base bolsonarista segue falsiane?

 

Edição do Alerta Total – www.alertatotal.net

Por Jorge Serrão - serrao@alertatotal.net

Siga-nos no Twitter e Parler - @alertatotal

A base aliada do governo Bolsonaro continua infiel e inconfiável. O Senado impôs mais um vexame à articulação presidencial. Por 42 votos a 30, derrubou o veto ao aumento de despesas com carreira, reajustes, concessão de vantagens ou criação de cargos a servidores de saúde e segurança pública cuja atividade esteja relacionada ao combate à pandemia.

Se o governo esperava economizar de R$ 98 bilhões a R$ 132 bilhões, a conta praticamente foi para o saco. A esperança é que a Câmara dos Deputados não repita a paulada dada pelos senadores. Será um teste para medir a fidelidade dos acordos do Presidente Bolsonaro com o Centrão. O Palácio do Planalto aposta que vai virar o jogo.

O ministro Paulo Guedes pisou nas tamancas com a derrubada do veto. Reclamou que o Senado “deu um péssimo sinal”: “Pegar dinheiro de saúde e permitir que se transforme em aumento de salário para o funcionalismo é um crime contra o País”. Já seu para sentir que será nada fácil a tramitação da proposta de medidas de contenção de despesas, focada principalmente em cortes no funcionalismo, para manter de pé o teto de gastos, regra que atrela as despesas à inflação.

Paulo Guedes ficou pt da vida e justificou a decisão de Bolsonaro: “Foi um veto importante que o presidente fez, justamente em um momento decisivo, justamente esse gasto extraordinário que tivemos este ano, para preservar vidas, preservar empregos, isso correr o risco de se transformar em aumento de salário. Seria um sinal de irresponsabilidade e o presidente justamente vetou”.

A base política do Presidente parece o time do Flamengo treinado pelo catalão Dome Torrent... Cada jogo, um susto... 

A Última Marcha da Maçonaria

Agradecimentos a todos que estão prestigiando o livro da dupla caipira Abreu & Serrão.

Nossa eterna gratidão à Tribuna da Imprensa Livre pela divulgação da obra:

https://tribunadaimprensalivre.com/opiniao-a-ultima-marcha-da-maconaria/




Ave atque Vale! Fiquem com Deus. Nekan Adonai!

Jorge Serrão é Editor-chefe do Alerta Total. Especialista em Política, Economia, Administração Pública e Assuntos Estratégicos.  A transcrição ou copia dos textos publicados neste blog é livre. Apenas solicitamos que a origem e a data original da publicação sejam identificadas. 


©
Jorge Serrão. Edição do Blog Alerta Total de 20 de Agosto de 2020.

2 comentários:

Fredoliveira disse...

Isso tem um no e : traição. Questão de caráter. Que se divulgue na mídia os nome dos que romperam o acordo com o governo, não importando se da oposição ou da base. E que Bolsonaro aprenda a lidar com um congresso não confiável. Quem.sera prejudicado e o país e não o presidente.

Anônimo disse...

Data venia, Serrão. O Senado derrubou o veto, mas NÃO OBRIGA a aplicação de reajuste dos vencimentos dos servidores. O presidente, os governadores e os prefeitos PODEM aplicar reajustes, se quiserem e puderem, e só para servidores que atuam em serviços ligados ao combate à pandemia. Esse blábláblá de gastos de centenas de bilhões é conversa mole, terrorismo fiscal, para enganar bobos. O Bolsonaro pode usar o exemplo do lulladrão, e dar aumento de 0,01% para médicos, enfermeiros e policiais. Com a popularidade dele, ninguém vai reclamar, né.