quinta-feira, 13 de agosto de 2020

Dr Ribas Paiva – o candidato conservador em São Paulo

 

Edição do Alerta Total – www.alertatotal.net

Por Jorge Serrão - serrao@alertatotal.net

Siga-nos no Twitter e Parler - @alertatotal

Antônio José Ribas Paiva, advogado e produtor rural, é pré-candidato à Prefeitura de São Paulo pelo Partido Trabalhista Cristão – PTC. Sua vice é a Coronel PM Adriana Ribeiro – mãe e comprometida com o empoderamento da mulher.

Conservador raiz, Dr. Ribas Paiva, inscrito na OAB-SP sob nº 35799, é presidente do NACIONAL CLUB, tradicional clube, localizado no bairro do Pacaembu, destinado ao desenvolvimento sociocultural de São Paulo e do Brasil.

Dr. Ribas Paiva tem como meta DEVOLVER SÃO PAULO PARA O POVO porque, de há muito, a cidade foi usurpada por uma associação criminosa de cartéis com políticos. 

Para quebrar essa oligarquia criminosa, uma novidade institucional: será implantado o CONSELHO CORREICIONAL de São Paulo, composto por eleitores sorteados nos quadros eleitorais. O conselho atuará nas subprefeituras, secretarias e autarquias. 

Estão no projeto do pré-candidato , as hidrovias Tietê e Pinheiros , como novo modal de transportes e turismo, bem como,  o transporte por barcos na Billings e na Guarapiranga. Os melhoramentos urbanos serão estendidos às favelas e à periferia, promovendo-se a regularização fundiária. 

A segurança primária será garantida pelo Guarda Civil Metropolitana que terá efetivo ampliado. 

Os sistemas de saúde e educação serão adequados à riqueza da Capital, que tem orçamento de 69 bilhões de reais. Afora essas providências, o povo será libertado do CONFISCO TRIBUTÁRIO e da INDÚSTRIA DE MULTAS DE TRÂNSITO.

Ribas Paiva adverte: “Radares de trânsito não podem ser taxímetros de políticos corruptos!”

As cobranças abusivas de IPTU serão revistas aos níveis constitucionais de respeito a capacidade contributiva dos cidadãos. 

Essa é a síntese conservadora das propostas para melhorar São Paulo, que como a quarta cidade mais rica do mundo, é solução e não problema.

É importante observar que Ribas Paiva é o único e legítimo candidato de direita a Prefeito de São Paulo e não é político profissional.

Seu objetivo: “Vamos devolver São Paulo para o povo!”

Releia o artigo: A hora (e mais uma vez) do Conservadorismo

Ave atque Vale! Fiquem com Deus. Nekan Adonai!

Jorge Serrão é Editor-chefe do Alerta Total. Especialista em Política, Economia, Administração Pública e Assuntos Estratégicos.  A transcrição ou copia dos textos publicados neste blog é livre. Apenas solicitamos que a origem e a data original da publicação sejam identificadas. 


©
Jorge Serrão. Edição do Blog Alerta Total de 13 de Agosto de 2020.

13 comentários:

Anônimo disse...

Blog do Welbi

Gabinete de Jair Bolsonaro abasteceu 'rachadinha' por meio da filha de Queiroz
12.8.20

Após ser nomeada na Câmara, Nathalia seguiu transferindo maior parte do salário ao pai, ex-assessor de Flávio Bolsonaro

Procurador quer Bolsonaro investigado por nomeação de filha de ...
Nathália, Queiroz e Bolsonaro

Camila Mattoso e Italo Nogueira - Folha.com

A personal trainer Nathália Queiroz continuou repassando a maior parte de seu salário ao pai, Fabrício Queiroz, ex-assessor de Flávio Bolsonaro (Republicanos-RJ), mesmo quando empregada no antigo gabinete do presidente Jair Bolsonaro na Câmara dos Deputados.

Dados da quebra de sigilo bancário de Nathália autorizada pela Justiça mostram que ela transferiu R$ 150.539,41 para a conta do policial militar aposentado de janeiro de 2017 a setembro de 2018, período em que esteve lotada no gabinete de Bolsonaro. O valor representa 77% do que a personal trainer recebeu da Câmara dos Deputados.

A dinâmica dos repasses é a mesma descrita pelo Ministério Público do Rio de Janeiro sobre a suposta “rachadinha” no antigo gabinete de Flávio na Assembleia Legislativa fluminense.

Promotores identificaram que Nathalia repassou ao menos 82% de seus vencimentos para o pai no período em que esteve lotada na Assembleia do Rio, de dezembro de 2007 a dezembro de 2016. As transferências ou depósitos ocorriam sempre em até uma semana após o recebimento do salário.

Dinâmica semelhante se deu na Câmara dos Deputados. Segundo a Folha apurou, quase a totalidade dos repasses ocorreu entre os dias 21 e 24 de cada mês, data em que os servidores costumam receber seus salários.

A defesa de Queiroz afirmou, em nota, que os repasses seguiam a lógica de “centralização das despesas familiares na figura do pai”. Também procurada pela reportagem, a Presidência da República afirmou que não comentaria o caso.

Amigo do presidente há mais de 30 anos, Queiroz é apontado pelo MP-RJ como o operador financeiro do esquema da "rachadinha", prática que consiste na devolução de salário de assessores ao parlamentar. Os possíveis crimes apontados a Flávio e Queiroz são peculato, lavagem de dinheiro, ocultação de patrimônio e organização criminosa.

De acordo com a Promotoria, o esquema contava com o uso de funcionários fantasmas, que repassavam seus vencimentos ao PM aposentado. Os recursos eram usados, segundo as investigações, para pagar despesas pessoais do senador.

Como revelou a Folha em dezembro de 2018, Nathalia atuava como personal trainer no mesmo período em que trabalhava para Bolsonaro, de dezembro de 2016 a outubro de 2018.

Residente no Rio de Janeiro, as redes sociais dela giravam em torno de sua atuação como professora de educação física nas academias cariocas e na praia. Havia registros, inclusive, de aulas com famosos, como os atores Bruno Gagliasso, Bruna Marquezine e Giovanna Lancellotti.

De acordo com o MP-RJ, os repasses de Nathália representaram 30% dos R$ 2 milhões arrecadados de 2007 a 2018 na suposta “rachadinha” com origem identificada. Incluindo os valores da Câmara, o peso dos repasses da personal trainer entre as transferências com origem identificada sobe para mais de um terço (35,4%).

Os investigadores, porém, só analisaram as transferências da filha de Queiroz feitas no período em que ela esteve nomeada no gabinete de Flávio —o presidente não pode ser investigado pela Promotoria fluminense.

A análise dos repasses feitos quando ela esteve no gabinete do presidente é possível porque a quebra de sigilo abrangeu todos os investigados de janeiro de 2007 a dezembro de 2018. CONTINUA...

Anônimo disse...



Blog do Welbi – CONTINUA II...

No ano passado, o jornal O Globo já havia revelado que relatório do Coaf (órgão federal de inteligência financeira) mostrava quatro transferências de Nathália para o pai de junho a novembro de 2018. Os dados do documento, contudo, não permitiam a vinculação de datas entre os repasses e o salário pago na Câmara, além de se referir apenas a parte do período dela lotada no gabinete do presidente.

Além de Nathalia, são suspeitas de participação no esquema a mulher de Queiroz, Márcia Aguiar, e outra filha, Evelyn. Somada, a família do ex-assessor de Flávio representa 58% da movimentação com origem conhecida e considerada criminosa pelo MP-RJ.

Há a suspeita de que o valor movimentado no esquema seja maior do que os R$ 2 milhões com origem identificada. Investigadores consideram a possibilidade de que outros ex-assessores faziam seus repasses em espécie para Queiroz, sem depósito em conta, inviabilizando sua identificação como parte do esquema. A hipótese decorre do fato de alguns assessores terem sacado a maior parte de seus salários.

O PM aposentado também sacou outros R$ 900 mil no período de 12 anos. Os promotores afirmam que parte desse valor também pode se referir a depósitos de assessores cuja identificação não foi possível.

Todo o dinheiro vivo do esquema, segundo o MP-RJ, pode ter sido usado para pagar despesas pessoais de Flávio Bolsonaro. O senador quitou boletos escolares e de plano de saúde com recursos em espécie ao longo de cinco anos. Os investigadores conseguiram identificar que Queiroz foi o responsável pelo pagamento em ao menos uma oportunidade, em outubro de 2018.

Em entrevista ao jornal O Globo, o senador reconheceu que seu ex-assessor pagava em algumas ocasiões suas contas pessoais, mas com seu dinheiro e de origem lícita. O MP-RJ, porém, não identificou saques compatíveis com o pagamentos dos boletos nas contas bancárias do filho do presidente.

Este não é o primeiro episódio em que Bolsonaro é vinculado ao esquema da suposta “rachadinha” do filho na Assembleia.

A primeira-dama Michelle Bolsonaro recebeu 27 cheques de Queiroz e sua mulher, Márcia, que somam R$ 89 mil. Os repasses ocorreram em dois períodos: o primeiro de janeiro de 2011 a abril de 2013, e o segundo em 2016.

O valor supera os R$ 24 mil identificados no relatório do Coaf, pivô da investigação contra Flávio, bem como os R$ 40 mil descritos pelo presidente após a revelação do caso.

Queiroz foi preso em junho em Atibaia (interior de São Paulo), em um imóvel do advogado Frederick Wassef, então responsável pelas defesas de Flávio e do presidente.

Em 10 de julho, Queiroz deixou o Complexo Penitenciário de Gericinó, no Rio, para cumprir prisão domiciliar. O presidente do STJ (Superior Tribunal de Justiça), João Otávio de Noronha, concedeu o benefício a pedido da defesa.
NUTAVAEL DIZ.
O PROCESSO E SEMPRE O MESMO. FALACIA, FALACIA E FALACIA. COM A MORTE DA JUSTIÇA BRASILEIRA OS FICHAS SUJAS CONTINUAM MANDANDO NO BRASIL E O POVO CADA VEZ FICANDO MAIS POBRES. OS IMPERADORES DOS QUARENTA MULAMBENTOS CONTINUAM MODIFICANDO LEIS. SEM LEIS A FALENCIA DO PAIS SERA SEMPRE TOTAL. NAO TEMOS MAIS A QUEM RECORRER. JUSTIÇA PIFIA. TRES PODERES PIFIOS E O FICHA SUJA MIGUEL TEMER REPRESENTANDO O PAIS AMIGO DE BERÇO DO BOLSO NABO.

Rodrigo Almeida disse...

Ótima notícia, não tinha candidato.
Mas a experiência com Bolsonaro nos mostra que o voto para o legislativo é tão ou mais importante que o para prefeito.
O Fidelix não vai ser candidato com apoio do Mourão ??

Nilton disse...

Boa. Parece ser uma excelente dupla e uma otima linha de prioridades.

Anônimo disse...

Caro Serrão, fique atento para essa terminologia: narrativa, maracutaia, empoderameno, e outras da mesma espécie, que são expressões de uso cativo da "esquerda progressista" propagadora do Politicamente Correto. ARGH!

Vanderlei Lux disse...

Eu me pergunto, que tipo de milagre vai conseguir fazer um desconhecido como o Sr. Ribas em prometer o [praticamente] impossível.

As promessas do Sr. Ribas assustariam até mesmo o mitológico Hércules, que jamais trocaria seus "12 trabalhos" pela tarefa insana de desburocratizar São Paulo e pior: mexer na imensa e corrupta máquina de arrecadar dinheiro.

Eu não duvido das boas intenções de pessoas que gostariam de poder fazer algo pela sua cidade. Mas entre o prometer e o fazer, existe um precipício imenso, ainda mais se tratando de Brasil. E para piorar, o Sr. Ribas sequer conseguirá tirar os radares em 4 anos. Chuto que para isso, ele precisaria de no mínimo uns 16 anos.

Uma coisa é você prometer, como fez o demagogo Jair Bolsonaro. Outra, bem diferente, é você sentar na cadeira do cargo e descobrir que tudo o que você quer fazer depende da aprovação e boa vontade de uma verdadeira manada de sanguessugas, puxa-sacos, traidores e invejosos.

Unknown disse...

Por isso ele cresce em todas as pesquisas de opinião....continuem com isso

Chauke Stephan Filho disse...

Coronel Adriano é homem, coronela Adriana é mulher.

Coronel Adriana seria homem ou mulher? Talvez homem trans? Quem sabe mulher trans?

Sugiro ao Dr. Ribas Paiva que comece a sua campanha acertando o seu português.

Anônimo disse...

"Uma coisa é você prometer, como fez o demagogo Jair Bolsonaro...."

Medindo com seu a régua? Sejamos honestos, BOLSONARO em um ano é meio fez mais pelo País que todos os governos nos últimos 30 anos, sem esquecer que em 1 ano e sete meses a corrupção, os roubos caíram para Zero, um feito histórico que por si só valeu sua eleição.

Anônimo disse...

"Uma coisa é você prometer, como fez o demagogo Jair Bolsonaro...."

Medindo com seu a régua? Sejamos honestos, BOLSONARO em um ano é meio fez mais pelo País que todos os governos nos últimos 30 anos, sem esquecer que em 1 ano e sete meses a corrupção, os roubos caíram para Zero, um feito histórico que por si só valeu sua eleição.

Anônimo disse...

O candidato a prefeito não pode influir nas atividades da polícia militar, mas pode mostrar sua posição política sobre o desarmamento da população, o aborto, o casamento gay, a vacinação universal obrigatória.



[O Brasil não é um país violento; é um país com criminalidade alta e muita impunidade. Vamos destruir algumas mentiras, destruir a desinformação, questionar o tamanho do Estado e o poder que ele tem sobre nós. (...) Arma está ligada à ideia de liberdade, não à criminalidade, à violência. (...) O brasileiro precisa entender que não é a política que muda a sociedade, mas a sociedade que muda a política. (...) Todos os que estão no poder têm porte de arma, mas o cidadão comum não tem. (...) Não existe e nem pode existir polícia onipresente. (...) "Meninos vestem azul e mulheres vestem armas." (Mariana Brito) (...) Homens armados matam; mulheres armadas sobrevivem. (...) O criminoso não necessita do mercado legal para se abastecer de armas.]

Lacombe convida: Ana Paula Henkel e Bene Barbosa (Luís Ernesto Lacombe)
https://www.youtube.com/watch?v=73SJ5omLthA

Anônimo disse...

Tem planejamento para incentivar, organizar e aumentar a coleta seletiva na cidade? A população de São Paulo tem disciplina para aderir a qualquer iniciativa que ela considere relevante. O oposto é verdadeiro: ela nunca mais confiará em quem mente que vai cumprir o mandato, porque, além de tudo, isso mostra desprezo por um povo valoroso que veio de várias partes do país.

Anônimo disse...

Londres, Ottawa, Paris e Zurique protestarão contra medidas da Covid (Sinais do Reino/Artigos)
https://www.youtube.com/watch?v=?cat=1&id=12121


Datena quer ser o biombo do PCCh, seu patrão, na prefeitura de São Paulo.
Será que o presidente apoiará Márcio França porque ele teve ampla votação na eleição passada? Esse voto era anti-Dória; não significava que o paulistano queria votar em socialista. Mas o candidato conservador precisa se posicionar inequivocamente na questão dos valores, tanto quanto nas medidas administrativas que pretende tomar para se destacar da massa socialista de todos os matizes das outras candidaturas. Nesta pandemia, vimos a importância do alinhamento do prefeito com a esquerda globalista no isolamento a que ele submeteu a população paulistana.
Também temos o risco de Edir Macedo tomar o cofre da cidade via Russomano.