quarta-feira, 12 de agosto de 2020

ELEFANTE


Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net

Por Carlos Maurício Mantiqueira

É uma forma elegante de dizer: “Ele é Fante”*

Ou seja um insignificante. O que passou de pato a ganso num instante.

No passado escrevia-se com “ph” mas para não ser confundido com efecagácê, optou por salvar a cara, melhor que a do boca mole, capivara.

Até o passado Carnaval, militava em Trombudo Central.

Da cidade culta foi arremessado pela catapulta, em vôo alto até o Planalto.

Lá (em razão de overdose?), passou a sofrer de trombose.

Não esperava a trombada de quem resistiu à facada.

Vestido de urubu, em breve tomará na rima.

Não vai à Itália por temer o Stromboli.

Sofre de elefantíase ou seu inchaço é fruto do cachaço ?

Diuturnamente se debate até virar extrato de tomate.

Camões continua eterno vate. Será que quem e não late, ao fim da pandemia ainda se rebate ?

E chega de disparate!

Tomará coca quem mora na Moóca ?

E sobre as propinas será só fofoca ?

Santinho do pau ôco. Não invento o nome do vento:

Zéfiro , Mistral ou Scirocco ?

Carlos Maurício Mantiqueira é um livre pensador.


*La definizione di fante nel dizionario è soldato di fanteria.Fante è anche nelle carte da gioco francesi e napoletane, la figura di minor valore: avere un f. di fiori.

Nenhum comentário: