segunda-feira, 14 de setembro de 2020

O estresse no poder altera os planos


Edição do Alerta Total – www.alertatotal.net

Por Jorge Serrão - serrao@alertatotal.net

Siga-nos no Twitter e Parler - @alertatotal

Quem poderia imaginar que haveria três largadas o Grande Prêmio da Toscana da Fórmula 1, em função dos vários acidentes espetaculares no circuito de Muggelo. O esperado era celebrar as mil corridas da lendária Ferrari, com a previsível vitória de um dos carros da Mercedes. Lewis Hamilton conquistou sua 90ª vitória. Falta só uma para igualar o recorde de 91 do alemão Michael Schumacher. Por pouco, o imponderável não gerou um resultado diferente, como no GP da Itália de domingo retrasado.

Se fatores adversos alteram os resultados esportivos, o mesmo acontece na política ou na vida pública. O Supremo Tribunal Federal do Brasil, por exemplo, passa por um momento de urucubaca. O ministro Celso de Mello, que está de licença médica, pode não retornar ao trabalho até a aposentadoria oficial, em novembro. O ministro Dias Toffoli, que deixou a presidência semana passada, também encara um pesado tratamento de saúde.

No domingo, quem baixou hospital foi o “terrivelmente evangélico” que o Presidente Jair Bolsonaro deve indicar para o STF. O ministro da Justiça André Mendonça teve uma suspeita de infarto. Foi um grande susto. Terça-feira recebe alta médica. Mas fica claro que o extrema tensão no ambiente de poder não faz bem à saúde de ninguém. A tendência natural é que o estressado somatize. O corpo cobra a conta da mente atribulada. Nada de anormal...

O clima seco, quente, com umidade relativa do ar baixíssima, parecendo um deserto, favorece doenças respiratórias cardiovasculares. Festa para os mosquitos transmissores de doenças. Prato feito também para o Kung Flu. Só que o vírus chinês parece já ter atingido o tal “efeito rebanho”. No entanto, o medo ainda fala mais alto na maioria da população. A secura também facilita a ocorrência de sinistros: curtos-circuitos em imóveis e incêndios florestais de grandes proporções. Ambientalistas oportunistas aproveitam para tirar proveito político das queimadas – sobretudo na Amazônia. No Sul, tem até chuva com água preta, por causa da fuligem.

Não tem outro jeito. Temos de suportar o inverno dos infernos. É a pandemia que gerou o pandemônio. A crise econômica segue gerando tensão. É duríssima a missão de caçar o Lobo Guará (a nova nota de 200 reais). Esta corrida é estressante. Cuidemos da saúde, e vamos atrás do ouro (o pacote de arroz e feijão). Os políticos querem nosso voto. A Eleição municipal é nos dias 15 e 29 de novembro. Com tendência a mais do mesmo, a campanha está começando. Haja estresse na corrida pelo poder...  








Ave atque Vale! Fiquem com Deus. Nekan Adonai!

Jorge Serrão é Editor-chefe do Alerta Total. Especialista em Política, Economia, Administração Pública e Assuntos Estratégicos.  A transcrição ou copia dos textos publicados neste blog é livre. Apenas solicitamos que a origem e a data original da publicação sejam identificadas. 


©
Jorge Serrão. Edição do Blog Alerta Total de 14 de Setembro de 2020.

4 comentários:

Loumari disse...

HOJE, 14 DE SETEMBRO A IGREJA CELEBRA A EXALTAÇÃO DE SANTA CRUZ!


Disse Jesus: Se, porém, não perdoardes aos homens as suas ofensas, também vosso Pai vos não perdoará as vossas ofensas. MATEUS 6:15


MATEUS 6:13 Senhor, porque Teu é o reino, e o poder, e a glória, para sempre. Ámen.


AS QUATRO VELAS: PAZ, FÉ, AMOR, ESPERANÇA!

Quatro velas estavam acesas, calmamente ardiam. O ambiente estava tão silencioso que se podia ouvir o diálogo entre elas.

A primeira disse: - Eu sou a Paz, e apesar da minha luz, as pessoas não conseguem manter-me acesa. Em seguida, a sua chama, devagarinho, apagou-se totalmente.

A segunda disse: - Eu chamo-me Fé! Infelizmente sou supérflua para as pessoas. Elas não querem saber de Deus, por isso, não faz sentido continuar acesa. Ao acabar de falar, um vento bateu levemente sobre ela, e apagou-se a chama.

Baixinho e triste a terceira vela manifestou-se: - Eu sou o Amor! Não tenho mais forças para para manter-me acesa. As pessoas deixam-me de lado, porque só conseguem ver-se a si próprias, esquecem-se até daqueles que estão à sua volta. E também se apagou.

De repente, chegou uma criança e viu as três velas apagadas... - Que é isto? Vocês devem permanecer acesas e arder até o fim.

Então a quarta vela disse: - Não te espantes, criança. Enquanto eu estiver acesa, pode-se acender as outras velas.

Pausa para reflexão!

Quando apagamos as chamas da Paz, Fé e Amor, ainda assim, nem tudo está perdido... Alguma coisa há-de ter restado dentro da gente. E isto tem que ser preservado, sobre tudo...

Então a criança pegou a vela da Esperança e acendeu novamente as que estavam apagadas.

Que a vela da Esperança nunca se apague dentro de ti. Ela é a nossa luz no fim do túnel.
O caminho da felicidade precisa, antes, ser pavimentado com esperança...

A felicidade nem sempre bate à nossa porta. Para tê-la é preciso uma busca incessante, e ao encontrá-la ter o valor de trazê-la para dentro de nós!

A ti, desejo que a vela da esperança, do amor, da fé, da paz e da AMIZADE, nunca se apague na tua vida!

“Uma vela não perde sua chama por acender outra”.


Guerreiros em Cristo!

Vão ter que combater muitas batalhas, mas não vos preocupeis porque no final vencereis a guerra ante o Santíssimo Sacramento.

(Beato Fulton J. Sheen)


Dovrai combattere molte battaglie, ma non preoccuparti perché alla fine vincerai la guerra davanti al Santissimo Sacramento.

(Beato Fulton J. Sheen)

Loumari disse...

FESTA DA EXALTAÇÃO DA CRUZ

Extracto do comentário de Don Dolindo Ruotolo:

O Crucifixo é como um grande livro aberto a nossa alma; é como um vasto e sereno horizonte que nos atravessa abrindo-nos a eternidade e nos envolve em Deus, é um oceano de amor e de paz no qual a alma suavemente se rende. Nele, a Vítima Divina, meditamos a grandeza de Deus que pondera o espírito, cuja Majestade surge do grande sacrifício oferecido, Nele se aprecia a santidade e a justiça de Deus; se pesa a gravidade das culpas do homem, sentimos nossa própria culpa e a alma Nele permanece submergida no seu próprio nada e em suas próprias responsabilidades.

O Crucifixo do Calvário, como o Senhor do Sinai, promulga uma vez mais a Lei que é o fundamento de toda lei, gravando-a não em tábuas de pedra, mas em Seu Corpo imolado. Na humilhação da Cruz, Ele, imolando-se como Única Vítima ao Único Deus, proclama ao mundo que não há outro Deus senão Ele. Ele oferecendo-se a Si mesmo para glorificar o Santo Nome de Deus, expia na Sua Carne a profanação dos ímpios.

ISAÍAS 45:5 EU SOU O SENHOR, e não há outro; fora de Mim não há Deus.

DEUTERONÓMIO 10:17 Pois o Senhor, vosso Deus, é o Deus dos deuses, e o Senhor dos senhores, o Deus grande, poderoso e terrível, que não faz distinção de pessoas, nem aceita recompensas:
18 Que faz justiça ao órfão e à viúva, e ama o estrangeiro, dando-lhe pão e vestido.
19 Pelo que, amareis o estrangeiro, pois fostes estrangeiros na terra do Egipto.

EZEQUIEL 18:23 Desejaria Eu, de qualquer maneira, a morte do ímpio? diz o SENHOR JEOVÁ: não desejo, antes, que se converta dos seus caminhos, e viva?

Ele é a Verdade, Ele é o Testemunho da Glória do Pai e morre pela Verdade, impondo-se assim a todas as criaturas: não fale falso testemunho.
Ele desnudo se despojou de tudo e deu tudo; ferido, é despojado da Sua Igreja na inefável fidelidade do Seu Amor e de Suas promessas, e com isso culpou de morte a concupiscência dos olhos e da carne.

Ante o cúmulo da perversidade humana, refulgente está a Divina Majestade do Crucifixo, a Sua Verdade, a Sua mansidão, a Sua paciência, Seu Amor que é Vítima do mal, mesmo quando o mal parece vencido. Só no Sinal da Cruz os povos podem sentir-se irmãos e a Caridade que disso emana, como raios de sol, é o único meio para que se receba paz e salvação.

Só o Crucifixo salvou o mundo e pode renová-lo agora que o mundo apostatou do Seu Amor. O mundo malvado e ingrato, se esqueceu d'Ele, substituiu o Sinal da Cruz por seus farrapos, sujos de tanta impureza e ensanguentados pela tirania, e caiu caduco no abismo da ignorância, da perversidade e da perdição.

A humanidade nunca foi assim tão idiota quando Lhe repudia e seus alardeados avanços todos transformados em armas de destruição dos princípios morais, materiais e de extermínio. O Crucifixo nos faz chorar de compaixão e consola nosso pranto, humilha a alma pecadora e a eleva no esplendor da caridade; desperta uma plácida e tranquila aversão ao mal e acende o coração de amor; dá a alma a segurança da Misericórdia e a felicidade da vida sobrenatural.

O Crucifixo nos revela a inefável grandeza da Vida Divina, vida que nos comunica através de Seus Méritos, através da Luz do Espírito Santo. Esta é a Suprema Sabedoria de Deus que está no mistério da Cruz e que Ele revela na Sua Bendita Eternidade.


Loumari disse...

ISAÍAS 60 JERUSALÉM É RESTITUÍDA À SUA GLÓRIA

1 LEVANTA-TE, resplandece, porque já vem a tua luz, e a glória do Senhor vai nascendo sobre ti.
2 Porque, eis que as trevas cobriram a terra, e a escuridão os povos; mas sobre ti o Senhor virá surgindo, e a sua glória se verá sobre ti.
3 As nações caminharão à tua luz, e os reis, ao resplandor que te nasceu.
4 Levanta em redor os teus olhos, e vê; todos estes já se levantaram, e vêm a ti: teus filhos virão de longe, e tuas filhas se criarão a teu lado.
5 Então o verás, e serás iluminado, e o teu coração estremecerá e se alegrará; porque a abundância do mar se tornará a ti, e as riquezas das nações a ti virão.


EXORTAÇÃO À PERSEVERANÇA, AO AMOR FRATERNAL, À HUMILDADE E À SANTIDADE

PORTANTO, se há algum conforto em Cristo, se alguma consolação de amor, se alguma comunhão no Espírito, se alguns entranháveis afectos e compaixões,
Completai o meu gozo, para que sintais o mesmo, tendo o mesmo amor, o mesmo ânimo, sentindo uma mesma coisa.
Nada façais por contenda ou por vanglória, mas por humildade; cada um considere os outros superiores a si mesmo.
Não atente cada um para o que é propriamente seu, mas cada qual, também, para o que é dos outros.
De sorte que haja em vós o mesmo sentimento que houve também em Cristo Jesus,
Que, sendo em forma de Deus, não teve por usurpação ser igual a Deus,
Mas aniquilou-se a si mesmo, tomando a forma de servo, fazendo-se semelhante aos homens;
E, achado na forma de homem, humilhou-se a si mesmo, sendo obediente até à morte, E MORTE DE CRUZ.
Pelo que, também, Deus O EXALTOU soberanamente, e lhe deu um nome que é sobre todo o nome;
Para que, ao Nome de Jesus, se dobre todo o joelho dos que estão nos céus, e na terra, e debaixo da terra,
E toda a língua confesse que Jesus Cristo é o Senhor, para a glória de Deus Pai.
De sorte que, meus irmãos, assim como sempre obedecestes, não só na minha presença, mas muito mais agora na minha ausência, assim, também, operai a vossa salvação, com temor e tremor;
Porque Deus é o que opera em vós, tanto o querer como o efectuar, segundo a sua boa vontade,
Fazei todas as coisas sem murmurações nem contendas;
Para que sejais irrepreensíveis e sinceros, filhos de Deus, inculpáveis, no meio de uma geração corrompida e perversa, entre a qual resplandeceis como astros no mundo;
Retendo a palavra da vida, para que, no dia de Cristo, possa gloriar-me de não ter corrido nem trabalhado em vão.
E, ainda que seja oferecido por libação sobre o sacrifício e serviço da vossa fé, folgo e me regozijo com todos vós.
E vós, também, regozijai-vos e alegrai-vos comigo, por isto mesmo.
(FILIPENSES 2:3,18)


A GLÓRIA DE DEUS É MANIFESTADA NA CRIAÇÃO E NA CONSERVAÇÃO DE TODAS AS COISAS

BENDIZE, ó minha alma, ao Senhor: Senhor, Deus, tu és magnificentíssimo, estás vestido de glória e de majestade.
(SALMO 104)

Loumari disse...

Festa della Esaltazione della Croce.

Dal commento di Don Dolindo Ruotolo:

“Il Crocifisso è come un gran libro aperto all’anima nostra; è come un vasto e sereno orizzonte che ci sconfina nell’eternità e ci inabissa in Dio, è un pelago d’amore e di pace nel quale l’anima soavemente si perde. In Lui, Vittima Divina si pondera la grandezza di Dio alla cui Maestà viene offerto un sacrificio così grande, in Lui si apprezza la santità e la giustizia di Dio; si pondera la gravità delle colpe dell’uomo, si sente la propria colpevolezza e l’anima in Lui rimane inabissata nel proprio nulla e nelle proprie responsabilità.

Il Crocifisso del Calvario, come il Signore del Sinai, promulga nuovamente la Legge che è il fondamento di ogni legge, scolpendola non su tavole di pietra ma nel Suo Corpo immolato. Nell’umiliazione della Croce Egli, immolandosi come Unica Vittima all’Unico Dio, proclama al mondo che non vi è altro Dio all’infuori di Lui.

Egli offrendosi per glorificare il Nome SS. di Dio, espia nella Sua Carne la profanazione degli empi. Egli è la Verità, è la Testimonianza della Gloria del Padre e muore per la Verità, imponendo così a tutte le creature: non dire falsa testimonianza.
Nudo si è spogliato di tutto e ha dato tutto; piagato, si è spogliato alla Sua Chiesa nella ineffabile fedeltà del Suo Amore e delle Sue promesse e con questo ha colpito a morte la concupiscenza degli occhi e quella della carne.

Di fronte al cumulo della umana perversità rifulgono la Divina Maestà del Crocifisso, la Sua Verità, la mansuetudine, la pazienza, l’Amore che è Vittima sul male, anche quando sembra vinto il male. I popoli solo nel Segno della Croce possono sentirsi fratelli e la Carità che Esso emana come fasci di raggi di sole, è l’unico mezzo per dare loro pace e salvezza. Solo il Crocifisso ha salvato il mondo e può rinnovarlo ora che il mondo ha apostatato dal Suo Amore.

Il mondo scellerato e ingrato si è dimenticato di Lui, ha sostituito al Segno della Croce i suoi cenci, sporchi d’impurità e sanguinanti dalla tirannide, ed è caduto nel baratro dell’ignoranza, della perversità e della perdizione. Mai l’umanità è stata così stolta come quando Lo rinnega e i suoi decantati progressi si mutono tutti in armi di distruzione morale, materiale e di sterminio.

Il Crocifisso fa piangere di compassione e consola il nostro pianto, umilia l’anima peccatrice e la eleva negli splendori della carità; suscita una avversione placida e pacata al male e infiamma di amore il cuore; dona all’anima la sicurezza della Misericordia e la felicità della vita soprannaturale.

Il Crocifisso ci scopre le ineffabili grandezze della Vita Divina perché ce le comunica per i Suoi meriti attraverso la Luce dello Spirito Santo. È questa l’altissima Sapienza di Dio che è nel mistero della Croce e che svela nella Sua Beata Eternità”.