sexta-feira, 30 de outubro de 2020

Chapa Ciro-Lula? Golpe eleitoral


Edição do Alerta Total – www.alertatotal.net

Por Jorge Serrão - serrao@alertatotal.net

Siga-nos no Twitter e Parler - @alertatotal

A esquerdalha pensa que todo mundo é idiota. Ficou completamente manjado o movimento para criar um factóide prematuro para a campanha presidencial de 2022. O marketeiro João Santana deu uma entrevista ao Roda Viva para especular sobre uma chapa presidencial encabeçada por Ciro Gomes com Lula da Silva de vice. Aí se anuncia que a dupla, que sempre viveu entre tapas e beijos, fez uma reunião de conciliação. Pura ficção política.

A chapa Ciro-Lula já nasce morta. Trata-se de um estelionato político antecipado. Todo mundo sabe que o companheiro $talinácio, condenado várias vezes por corrupção, não tem direitos políticos para disputar eleição. Portanto, na prática, Lula é candidato a nada. Assim, a jogada é pura farsa. Para piorar, dificilmente, o PT aceitaria indicar algum candidato a vice. A gula petralha pelo poder exige sempre estar na cabeça de chapa. Por isso, a parceria com o PDT já nasce mais morta que Inês.

A esquerda sabe que a eleição de 2022 será quase impossível de vencer. Não é só por causa da popularidade persistente de Jair Bolsonaro – a cada dia mais candidato à reeleição. Pesquisas criteriosas indicam que a tendência do eleitorado é pelo voto conservador, mais à direita. Deste modo, será bem complicado emplacar uma candidatura esquerdista. Até um nome de centro-esquerda pode não ser viável.

O “Centrão” está no poder com Bolsonaro. Dificilmente, a base fisiológica do Congresso Nacional vai dar mole para largar o poder. Não vai ser a gritaria desesperada da esquerda, com mentiras, oposição irresponsável e falta de propostas honestas, que vai alterar o jogo. A tucanalha, que é a esquerda envergonhada, tende a embarcar na aventura de uma candidatura light, como a de Luciano Huck. Todo um trabalho de marketing é feito para que Angélica seja primeira-dama. Mas o andar da carruagem indica que é mais fácil a Michele ficar onda está...

A antipatia arrasa, antecipadamente, com a candidatura Ciro Gomes. O cearense é uma mala pesada. A vaidade de Lula, Presidente em dois mandatos, impediria que aceitasse uma posição subalterna a Ciro. Assim, cogitar uma união Ciro-Lula é um baita golpe eleitoreiro. Nem a Velhinha de Taubaté, inteiramente bêbada ou drogada, apostaria em tamanha mentira. Ciro será candidato presidencial pelo PDT. Lula é candidato ao ostracismo. O resto é conversa fiada.





Ave atque Vale! Fiquem com Deus. Nekan Adonai!

Jorge Serrão é Editor-chefe do Alerta Total. Especialista em Política, Economia, Administração Pública e Assuntos Estratégicos.  A transcrição ou copia dos textos publicados neste blog é livre. Apenas solicitamos que a origem e a data original da publicação sejam identificadas. 


©
Jorge Serrão. Edição do Blog Alerta Total de 30 de Outubro de 2020.

2 comentários:

Vanderlei Lux disse...

Um bolsonarista no Twitter, respondendo um questionamento de alguém, sobre a "fidelidade" das FA´s à Bolsonaro:

"Vc está dizendo que o PR não conta com o apoio das FFAA? Pq ele colocou tantos militares no governo então, se eles não dão apoio? Ou vc acha que ele conta com o esse apoio?"

Uma coisa é você não entender NADA dessas questões e aceitar isso, admitindo. Outra, é você não entender NADA dessas questões, e sair fingindo que sabe.

TODOS os governos, antes da revolução industrial, "dormiam" na cama com os militares. Reis, rainhas, imperadores, czares, bachares, faraós, etc. TODOS. Mas não era com TODOS os militares que eles dormiam. Eles dormiam com aqueles que lhe eram mais fiéis. As chamadas "Guardas Pessoais".

Do império Romano ao Bizantino, da longínqua Khur à refulgente Babilônia, Júlio César e Teodósio I, passando por Ackabar e Nabucodonosor, todos esses e os entre eles, "dormiram" com suas guardas pessoais.

Essa é a ENORME diferença entre ter o apoio das forças armadas, e ter a LEALDADE das forças armadas. Nenhum imperador do passado tinha confiança cega em todos os seus generais. Mas tinha confiança absoluta em sua guarda pessoal, geralmente generais escolhidos "à dedo", comandantes das forças armadas.

Bolsonaro não tem uma guarda pessoal nas Forças Armadas. Aliás, poucos lá dentro gostam do ex-capitão que planejava, junto com Fábio Passos, nos anos 80´s, colocar bombas nos quartéis. Quase nenhum militar se esquece disso. Talvez isso explique o desespero de Bolsonaro em se escorar no "centrão", único porto de salvação que o navio de Bolsonaro pode atracar. Um porto de piratas!

Mas infelizmente essa simples constatação não é suficiente para fazer cair a ficha dos partidários de Bolsonaro.

Quanto à "chapa" Lula-Ciro, terão grandes chances se Bolsonaro se encontrar "impossibilitado" de concorrer em 2022, o que certamente jamais aconteceria se Bolsonaro já tivesse montado sua "Guarda Pessoal" nas Forças Armadas.

Anônimo disse...

João Santana ser entrevistado já é uma afronta, cogitar lula como candidato vai muito além. É preciso dar um basta e colar esses senhores onde deveriam estar...