quarta-feira, 28 de outubro de 2020

Erros graves: Não votar e não tomar vacina


Edição do Alerta Total – www.alertatotal.net

Por Jorge Serrão - serrao@alertatotal.net

Siga-nos no Twitter e Parler - @alertatotal

Melhor não pagar mico, no Brasil pandêmico (ou pandemônico, termo que parece mais adequado a nossa realidade). O brasileiro não pode deixar de cumprir suas obrigações, enquanto luta para ter seus direitos respeitados. Os pais precisam atender às campanhas de vacinação. Os eleitores devem comparecer para votar. As duas omissões são armadilhas e omissões perigosas.

O brasileiro parece mais confuso que nunca. A crise do coronavírus, que viabilizou todas as maldades previstas nos esquemas de Engenharia Social, gerou medo, acirrou a covardia e alimentou a inação. Em resumo, além de mortes em números acima do normal, o Kung Flu causou traumas psicológicos na sociedade. Todos aguardam uma “volta ao normal” que não vai acontecer.

A espera ansiosa pela vacina milagrosa acontece em ritmo de polêmicas – principalmente políticas. Será que a confusão está afetando o comportamento das famílias? Por que os pais não estão levando seus filhos na campanha nacional de vacinação? Qual a causa desta perigosa omissão irresponsável? O fenômeno é contraditório com uma sociedade que aderiu ao uso paranóico de máscaras de proteção duvidosa... Não vacinar as crianças é uma idiotice criminosa.

Outra omissão socialmente perigosa é não aparecer para votar. Nas últimas eleições, já tem sido bastante elevado o número de votos nulos ou em branco. Também é alto – e ameaça ser ainda maior este ano – o índice de abstenção. Muita gente pensa em não aparecer para a dedada na urna eletrônica. É um sinal de revolta do eleitorado. Só que a omissão cidadã pode piorar, ainda mais, a qualidade da política brasileira. O mais racional é votar naquele que se considera o candidato mais qualificado. Não votar é comodismo irresponsável.

Vamos votar e vacinar as crianças!


Ave atque Vale! Fiquem com Deus. Nekan Adonai!

Jorge Serrão é Editor-chefe do Alerta Total. Especialista em Política, Economia, Administração Pública e Assuntos Estratégicos.  A transcrição ou copia dos textos publicados neste blog é livre. Apenas solicitamos que a origem e a data original da publicação sejam identificadas. 


©
Jorge Serrão. Edição do Blog Alerta Total de 28 de Outubro de 2020.

10 comentários:

Unknown disse...

Vc já foi mais feliz nas redações.
Votar sim! Vacinação sem confirmação científica, nunca!!!!

Anônimo disse...

Quem diria hein! O Celso Rou8ssomano experts em derreter sua candidatura, percebeu que isto acontecia de novo na campanha de 2020. Ele e seu marqueteiro chegaram a conclusão que o fato neste ano era o apoio direto do Jair Bolsonaro. Para tentar chegar ao segundo turno eles tiraram o apoio do Jair Bolsonaro na propaganda do candidato. Tarde, pois o eleitor não é bobo. O Jair Bolsonaro conseguiu a proeza de elevar o nome do mais imbecil desta eleição, o Boulos.

Vanderlei Lux disse...

Fazem mais de 30 anos que votamos... e sempre fede cada vez mais. Olhando mais minuciosamente, nos deparamos que os candidatos são sempre os mesmos! Não sei como um Renan Calheiros, mesmo tendo 40 mil votos, segue firme e forte no senado à décadas.

Na câmara, um gorducho que sequer conseguiu 70 mil votos segue firme e forte como o "presidente" daquela casa.

Qual é o fenômeno por trás disso?

É o tal "quociente eleitoral", onde um banana qualquer consegue se eleger mesmo não tendo um voto direto sequer!

Então, pode ir votar tranquilo meu amigo! Mesmo tu não votando em Maia ou Calheiros, vai ajudar a eleger qualquer um deles, independente se votar ou não, pois essa máfia se elege indiretamente. Tu pode votar no zé ninguém, mas ainda assim o zé ninguém vai puxar no mínimo uns 5 outros patifes, indiretamente, e estes puxam outros 15, que por sua vez...

Assim, pra essa gente, quanto mais tu votar, melhor pra eles. Afinal, esse é o sentido dessa máquina infernal toda: continuar girando a patifaria dando a ilusão de que tu tem escolhas.

Já quanto à vacinação das crianças, sim... é um crime não vaciná-las. Mas crime maior ainda é obrigar um país de 220 milhões de pessoas a ser a 1° cobaia de uma vacina nem testada e que ninguém nem sabe o que tem dentro. Mas o objetivo da vacina é mesmo... vacinar?

Vanderlei Lux disse...

"SUS OU NÃO SUS? EIS A QUESTÃO!"

BOZO mais uma vez mostrou a que veio: cagar fora do penico. Hoje explodiu nas redes sociais a revogação do decreto 10.530 que BOZO havia decretado ONTEM (sim! ontem!) sobre uma tal PPP envolvendo o SUS. Para quem não sabe, PPP = Parceria Público Privada.

Confesso que nem sabia de tal decreto. No Brasil as leis surgem como que por mágica. Ninguém sabe direito se foi um tribunal superior, decreto, votação. De repente, ei-las.

Hoje, menos de 24 horas depois, BOZO revogou o tal decreto, cedendo as críticas, melhor, pressão das esquerdas, principalmente do "youtubber" Felipe Neto, que alardeava a fake news de que o SUS estaria sendo privatizado.

BOZO, ao revogar o tal decreto, postou no twitter que era mentira a história de que estaria privatizando o SUS. O n° 3 de Bolsonaro, Carlos, ainda saiu no Twitter defendendo seu pai e criticando quem estava criticando o presidente, kkkk...

O fato é que mais uma vez BOZO, que ameaça seus apoiadores que o criticam à votarem em Haddad, cede que nem um cordeirinho quando as críticas partem das esquerdas.

Anotem: se o STF aprovar a vacinação chinesa obrigatória, irão impor à BOZO a mais humilhante derrota da sua carreira, talvez a definitiva, que enterre seu caminho de vez. E o mais hilário é que o STF vai aprovar a vacinação compulsória de acordo com a lei sancionada pelo próprio Bolsonaro em fevereiro. E a partir daí, a obrigação da vacina servirá ao intuito de causar revolta e instabilidade à ordem social: preparar o terreno, criar a falsa legitimidade à Nova Constituição.

BOZO será enxotado pelas mesmas cobras que alimentou pra livrar o filhote n° 1 da cadeia. Acho que nem Kássio Nunes poderá salvar BOZO do desastre completo.

Não me admira que em breve algum "general" não sopre nos ouvidos de BOZO: "Sr. Presidente, essa coisa de Bolsonaro na Presidência não pega muito bem, sabe como é, né? O Felipe Neto não tá gostando Sr. Presidente! Quem sabe a gente não negocia uma renúncia amparada em uma anistia hein?"

Unknown disse...

Erro grave: decidir o que eu devo fazer, ou não. Tone a sua vacina. Vote no seu candidato. Mas não queira apontar os meus erros. S.'. F.'. U.'.

Anônimo disse...

Apoiado

Andrea disse...

O objetivo seria matar?

Andrea disse...

Apoiado 2

Carlos disse...

Apoiado 3

Anônimo disse...

Mais que rejeitar vacina sem comprovação científica, rejeitar vacina por não ter necessidade, pela imunidade de rebanho, principalmente porque o coronavírus já mutou umas 30 vezes desde o início da "pandemia". Além disso, pesquisadores dizem que quem já teve a Covid-19, mesmo assintomática, não deve tomar a vacina porque estimularia em excesso o sistema imunológico, podendo causar mais dano que a própria doença, como acontece no caso da dengue e febre amarela.