sexta-feira, 16 de outubro de 2020

Ideologia não pode atrapalhar a economia


Edição do Alerta Total – www.alertatotal.net

Por Jorge Serrão - serrao@alertatotal.net

Siga-nos no Twitter e Parler - @alertatotal

Uma coisa é uma coisa na política e outra coisa na economia. Por isso, o Presidente Jair Bolsonaro não pode cometer o erro primário de embarcar em argumentos meramente ideológicos, e menos geoeconômicos, para tomar decisões sobre a implantação do sistema e da banda 5G. O Mito não pode cair no conto dos EUA e simplesmente proibir a chinesa Huawei de participar do processo tecnológico.

Os norte-americanos e britânicos advertem que a China representa uma ameaça global à privacidade de dados e à soberania dos países. Podem ter razão? Claro que sim... Só que a decisão de proibir a Huawei de fornecer componentes para a rede 5G pode ser tão eficaz quanto a revogação da lei da gravidade no planeta Terra. Ou seja, pode não dar para fazer na prática... Grande parte da base da telefonia móvel brasileira utiliza os equipamentos chineses. Ignorar isto é burrice, e pode atrasar o País.

O leilão de 5G no Brasil acontece ano que vem – se nada ocorrer de imprevisto. O governo ainda não tem um consenso sobre o assunto. O Presidente Bolsonaro prefere um alinhamento do Brasil com os Estados Unidos para definir o negócio. Já o vice-Presidente Antônio Hamilton Mourão e o ministro da Ciência e Tecnologia, Marcos Pontes, defendem que a competição seja aberta, inclusive aceitando os chineses, apesar das ressalvas em segurança nacional.

A ideologia não pode atrapalhar a economia. O Brasil não pode errar no 5G – porque isso será essencial para o desenvolvimento presente. O vacilo de agora vai inviabilizar o futuro.  









Ave atque Vale! Fiquem com Deus. Nekan Adonai!

Jorge Serrão é Editor-chefe do Alerta Total. Especialista em Política, Economia, Administração Pública e Assuntos Estratégicos.  A transcrição ou copia dos textos publicados neste blog é livre. Apenas solicitamos que a origem e a data original da publicação sejam identificadas. 


©
Jorge Serrão. Edição do Blog Alerta Total de 16 de Outubro de 2020.

7 comentários:

Silvio Friederichs disse...

É óbvio que o "Zenelal" defende que a competição seja aberta, inclusive aceitando os chineses, APESAR das ressalvas em segurança nacional, afinal ele adola um flango flito.

"O vacilo de agora vai inviabilizar o futuro":

Inviabilizar ou determinar? Vacilo de quem?

Anônimo disse...

O senador Chico Rodrigues do DEM-Roraima, agora confirma o motivo pelo qual era chamado de "FIOFÓ-DE-OURO"! Agora começa uma nova corrida do ouro em Roraima, todos sonhando em "BAMBURRAR" na mina do Chico!

Anônimo disse...

Devemos boicotar tudo que é amarelo podre como as quinquilharias fabricadas naquela pocilga.
Aliás, china é lixo e portanto deveria ser incinerada !
E outra, nem todo fdp é amarelo mas todo amarelo é fdp !

Loumari disse...

Francisco: a fome não é só uma tragédia, mas uma vergonha para a humanidade

No Dia Mundial da Alimentação, o Pontífice propõe novamente a sugestão já avançada pelo Papa São Paulo VI na "Popularium progressio" e contida na encíclica "Fratelli tutti", isto é, a criação de um “Fundo mundial” para eliminar definitivamente a fome com o dinheiro usado em armas e em outras despesas militares.

Vergonhosa: assim o Papa definiu a condição de milhões de pessoas no mundo que não têm o que comer.

Em 16 de Outubro, se celebra o Dia Mundial da Alimentação, que este ano coincide com os 75 anos da Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO).

Para esta ocasião, o Papa Francisco enviou uma mensagem ao director-geral da instituição, Qu Dongyu, dirigida também a todos os membros que a compõem.

Comentando o tema escolhido para 2020 “Cultivar, nutrir e preservar. Juntos. As nossas acções são o nosso futuro”, Francisco ressalta a necessidade de agir conjuntamente e com firme propósito para gerar iniciativas que melhorem o meio ambiente.

“No decorrer desses 75 anos, a FAO aprendeu que não é suficiente produzir alimento, mas é preciso também garantir sistemas alimentares que sejam sustentáveis e ofereçam dietas saudáveis e acessíveis a todos.”

Em outras palavras, se trata de adoptar soluções inovadoras que possam transformar o modo em que produzimos e consumimos os alimentos.

Vergonha

Para o Papa, vivemos uma época de contradições: de um lado, somos testemunhas de um progresso sem precedentes em vários campos da ciência; de outro, o mundo enfrenta múltiplas crises humanitárias, com um aumento do número de pessoas que lutam contra a fome e que a pandemia está agravando.

Francisco então entra no âmago do seu discurso com um apelo à responsabilidade:

“Para a humanidade, a fome não é só uma tragédia, mas também uma vergonha. Em grande parte, é provocada por uma distribuição desigual dos frutos da terra, à qual se acrescentam a falta de investimentos no sector agrícola, as consequências das mudanças climáticas e o aumento dos conflitos em várias regiões do planeta. Por outro lado, se descartam toneladas de alimentos. Diante desta realidade, não podemos permanecer insensíveis ou paralisados. Somos todos responsáveis.”

Francisco reforça a necessidade de políticas e acções concretas, pois as “discussões dialécticas ou ideológicas” nos afastam do objectivo de erradicar a fome e permitem que “nossos irmãos e irmãs continuem a morrer por falta de alimento”.

O Pontífice propôs novamente a sugestão já avançada pelo Papa São Paulo VI na Popularium progressio e contida na encíclica Fratelli tutti, isto é, a criação de um “Fundo mundial” para eliminar definitivamente a fome com o dinheiro usado em armas e em outras despesas militares.

O Papa encerra sua mensagem fazendo votos de que a actividade da FAO seja sempre mais incisiva e fecunda, de modo que todos “possamos viver dignamente, com respeito e amor”.

Afronta

Em sintonia com o Papa Francisco, o secretário-geral da ONU, António Guterres, afirmou que “em um mundo de fartura, é uma afronta grave que centenas de milhões de pessoas vão para a cama com fome todas as noites.”

Actualmente, 690 milhões de pessoas não têm o que comer. Ao mesmo tempo, mais de 3 bilhões de pessoas não têm dinheiro para fazer uma dieta saudável.

Guterres lembra ainda a entrega do Prémio Nobel da Paz deste ano ao Programa Mundial de Alimentos, PAM, e os 75 anos da FAO, afirmando que a comunidade internacional deve aproveitar a data para “intensificar os esforços para alcançar os Objectivos de Desenvolvimento Sustentável.”

O secretário-geral convocou para Setembro do próximo ano, à margem da Assembleia Geral, uma Cúpula de Sistemas Alimentares para inspirar acções rumo aos Objectivos.

Vatican News

16.10.2020

Anônimo disse...

Há controvérsias. E por que a China deveria participar, sabendo-se da escravidão e exploração do seu povo que recebem um salário de fome pelo seu trabalho? Sem falar da pandemia, colocou o mundo inteiro de joelhos, menos os países casualmente comunistas ....que dá a sensação que foram avisados ou imunizados... apenas uma opinião.

Anônimo disse...

Honestamente, nao se trata de mera ideologis, mas de segurança nacional. A China é comunista assassina, sem liberdade, além de roubar tecnologia do Ocidente e estar matando e confinando quem não concorda com o regime comunista. Sem esrarem no controle já estão damdo ordens ao Brasil e EUA sobre Taiwuan. Somente quem recebe algum da Chins defende essa merda de tecnoligia de 5a categoria e sem segurança alguma
Para crescer é necessario confiar na teclogia e o que vem da China ou é quinquilhara ou mata. A pior mortr é a da liberdade.

Anônimo disse...

Os Zeua são.tao bonzinhos. Principalmente, com os aduladores... BR sempre procurando alguém para lhe "bancar"... Por uns trocados desde empréstimos bancários antigos... Vive como senhÔra d prostíbulo... Eh brabo.