quarta-feira, 7 de outubro de 2020

Reeleição complica a gestão política


Edição do Alerta Total – www.alertatotal.net

Por Jorge Serrão - serrao@alertatotal.net

Siga-nos no Twitter e Parler - @alertatotal

Em Política, não dá para ser morno. Ou se é quente ou frio. Bancar o isentão ou ficar em cima do muro é postura covarde. Apoiamos a eleição de Jair Bolsonaro. Continuaremos apoiando o governo até seu último dia. Só que isso não significa que sejamos obrigados a assumir uma postura acrítica. A regra é aplaudir o que é certo, cobrar o que tem de ser feito e foi prometido e reclamar das posturas eventualmente erradas dos componentes da administração federal.

É fundamental aproveitar o momento pandemônico para antecipar posicionamentos estratégicos. Apoiar o governo Bolsonaro não significa apoiar a reeleição dele. No Brasil, a reeleição é uma desgraça gestada pelo ex-Presidente Fernando Henrique Cardoso. Curiosamente, o Príncipe dos Sociólogos é um dos críticos atuais da reeleição. Não importa a motivação oportunista do FHC – que teme o avanço temporal do Bolsonarismo. A reeleição é uma porcaria. Serve mais para manter os erros da gestão anterior. E menos para dar continuidade no bom trabalho.

A reeleição é uma ilusão. Trata-se de mais uma “jabuticaba” tupiniquim. Não contribui para o processo de construção da Democracia. O ideal é a rotatividade de poder. Tal princípio vale para a gestão de governos e das organizações em gerais. O dirigente que tenta se perpetuar na função de comando fica refém dos próprios erros e defeitos. Não é à toa que as Forças Armadas, instituições permanentes, primam pela alternância dos postos de chefia ou comando.

É ético e saudável deixar claro o posicionamento editorial no momento em que o Presidente da República, em alta popularidade, também sofre as maiores críticas de seus aliados de primeira hora, principalmente na classe média para cima. Pelas regras atuais, Bolsonaro tem grande chance de ser reeleito. O perigo é se isso se transformar no principal alvo do Presidente. Aliás, por uma questão humana é até compreensível o desejo de seguir mandando (ou de ter a ilusão disso).

A reeleição complica a gestão política. Vide a insanidade que começa a tomar conta  da discussão sobre o futuro da assistência social tocada pelo governo federal. A coisa ficou mais feia porque o “Auxílio Emergencial em tempos de Covid-19” é apontado como um fator decisivo para o aumento da popularidade de Bolsonaro. Assim, ganha importância o destino do “Renda Cidadã” ou “Renda Brasil”. Já se especula que Bolsonaro até prefere deixar para discutir o assunto em 2021, para implantar em 2022, tirando proveito no ano (re)eleitoral.

Os defensores mais radicais de Bolsonaro têm todo direito de reclamar: “Por que tirar dele o direito à reeleição?”. A questão não deveria ser bem esta. O mais sensato seria indagar se a reeleição é boa ou ruim para o Brasil. Desde FHC, passando pelos desastrosos governos petistas, até agora, a reeleição tem se mostrado uma tragédia. Quem está no poder tende a  usar e abusar da máquina para se perpetuar no cargo. Este é o problema. Bolsonaro, por melhor que seja, dificilmente agirá diferente dos outros.

Alguém tem de acabar com a porcaria da reeleição. Bolsonaro poderia  inovar e consertar a obrada cometida por FHC. A grande dúvida presente é se Bolsonaro vai ser fiel e coerente com suas promessas de reformas e mudanças, ou se vai ser mais um mero e medíocre refém do establishment, impedindo que avanços institucionais aconteçam no Brasil. O negócio é aguardar para ver o que acontecerá.

A eleição municipal já está mostrando a confusão entre o papel de prefeito e do candidato à reeleição. A situação patética vai se repetir na eleição do Presidente e dos Governadores. Vamos seguir neste mesmo esquema escroto?







Ave atque Vale! Fiquem com Deus. Nekan Adonai!

Jorge Serrão é Editor-chefe do Alerta Total. Especialista em Política, Economia, Administração Pública e Assuntos Estratégicos.  A transcrição ou copia dos textos publicados neste blog é livre. Apenas solicitamos que a origem e a data original da publicação sejam identificadas. 


©
Jorge Serrão. Edição do Blog Alerta Total de 7 de Outubro de 2020.

7 comentários:

Anônimo disse...

Fui eleitor do Bolsonaro, mas jamais volto a votar nele. Não gosto de traidor.

Silvio Friederichs disse...

Um presidente que NÃO É COMUNISTA/SOCIALISTA, deveria ser reeleito tantas vezes quanto fossem necessárias até que todos os melancias apodreçam.

Anônimo disse...

NUTAVAEL DIZ...
REELEIÇAO POR QUE E PARA QUE? O BRASIL CONTINUA REFEM DE BANDIDOS INSTALADOS DENTRO DO PODER. BANDIDOS QUE FORAM CRITICADOS POR BOLSONABO E AGORA SAO ACARICIADOS POR BOLSONABO. O BRASILEIRO ESTA EXAUSTO DO MESMO BLA BLA BLA EM TORNO DE TUDO E DE TODOS.
NOSSO PAIS ESTA INFESTADO DE PARASITAS DENTRO DO SERVIÇO PUBLICO GOZANDO DE PRIVILEGIOS QUE JAMAIS, JAMAIS MESMO UM TRABALHADOR TERA.
TEMOS FALTA DE TUDO MAS A PIOR FALTA E A FALTA DE VERGONHA NA CARA. FALTA DE VERGONHA DE POLITICOS, MENTIROSOS DE MERDA. FALTA DE VERGONHA DOS COLARINHOS BRANCOS SENTADOS EM CIMA DE UMA CONSTITUIÇAO INOPERANTE, SEM VERGONHA, MODIFICADA DIARIAMENTE PARA SOLTAR BANDIDOS EM TODOS OS SENTIDOS.
ESTAMOS VENDO A FALENCIA DE NOSSO PAIS SO OUVINDO FALACIAS, FALACIAS E MAIS FALACIAS.
AS FFAA TEM QUE PARA DE AJUDAR OS BANDITISMO ATUAL OFERECENDO GUARIDA A ESTA PORCARIA CHAMADA TRES PODERES DE MERDA.
DESDE A 470 QUE ESTAMOS VENDO FATIAMENTO DE CRIMES, FATIAMENTO DE PESSOAS DIVIDINDO NOSSO PAIS ENTRE AS RAÇAS QUE NAO QUEREM QUE O PAIS VA PARA FRENTE.
O QUE FALTOU A BOLSO NABO FOI TER UMA POSIÇAO CLARA DO QUE QUER AGORA ELE ESTA PROMISCUO E RIDICULO QUERENDO UMA POPULARIDADE QUE JAMAIS TERA DE VOLTA ENQUANTO PERMITIR QUE OS FILHOTES DE BOSTA PENDURADOS NO SERVIÇO PUBLICO CONTINUEM A FALAR EM NOME DELE JUNTO COM O DEMAGOGO QUE MORA NOS EEUU A SECULO E JAMAIS ESTEVE AQUI NO BRASIL E JAMAIS TEVE QUE ENFRENTAR UM SECA SUVACO. O QUE ESTAMOS VENDO E MAIS UM BANDIDO DOS TRES PODERES DE BOSTA QUERENDO REELEIÇAO E USANDO TODOS OS BENEFICIOS QUE OBTEVE A CUSTA DA FALACIA.
ABANDONOU O PROJETO DE LIMPAR O BANDITISMO DO BRASIL PARA SE FILIAR AOS DESETORES DE NOSSA NAÇAO. JAMAIS TERA SUCESSO PORQUE ESQUECEU DE LIMPAR O RABO ANTES DE ABRAÇAR O PROJETO DE LIMPESA DA NAÇAO. AGORA MENTE COMO POLITICO, MENTE COMO RELIGIOSO E PRINCIPALMENTE MENTE COMO PAI DE FAMILIA PORQUE ESTA ACOBERTANDO ERROS EM VEZ DE FAZER A MEA CULPA QUE O CULPADO DE TUDO E ELE. ELE E UM FERNANDO HENRIQUE2, UM LULA2, UMA LOUCA DILMA2, E UM INSETO TEMER2, NAO PARA DE MAIS UM MALUQUINHO DAS DUZIAS2 QUERENDO SER REELEITO SE NEM PARTIDO TEM. ESTE E NOSSO PAIS. CONSTITUIÇAO AMORAL DESDE 88 PARA CA AQUINHOADA COM DIREITOS DISTOS E DAQUILO SEM DAR DIGNIDADE E RESPEITO A NAÇAO. O QUE BOLSONABO ESQUECEU FOI DE LIMPAR A BUNDA DE TODO O CONGRESSO E SUPREMA CORTE ANTES DE PLEITEAR REELEIÇAO. E MAIS UM FALADOR DE BOSTA QUE NAO FEZ NADA PARA LIMPAR O CHIQUEIRO.

Sérgio Alves de Oliveira disse...

O maior problema no regime da reeleição numa "oclocracia",ou democracia deturpada,como é a do Brasil,é que o "cara" tem que trabalhar não para o bem do país,mas sim para "agradar" eleitores,coisa muito diferente. Bolsonaro,por exemplo,acabou potencializando a níveis inimagináveis o já exacerbado "assistencialismo" adotado na época do PT. Aumentou o que estava errado.Está trabalhando não para o país,mas pela sua reeleição.Desse modo o Brasil jamais sairá do buraco em que está. É profundamente lamentável.

Vanderlei Lux disse...

A "reconciliação" de Guedes e Maia só tem um significado: O Bozo n° 1 desse país vai apoiar, nos bastidores é claro, a reeleição de Maia e Alcolumbre... em troca de mais, cof, cof... hahãmmm... "reformas"... obviamente.

Uma dessas "reformas" é colocar o homem de Bolsonaro no STF...

Um amigo sempre me diz: "eleições NÃO são feitas em cima de idéias... mas de candidatos!". Maia e Alcolumbre não são nem idéias... nem candidatos. São somente dois gordos que não tem para onde ir sem a geringonça da reeleição.

Guedes, por outro lado, não precisa se preocupar com eleições nem reeleições.

O que fica escancarado é como Bolsonaro vem se vendendo por pouco. Isso sim é preocupante. Pois Bolsonaro não tira do "Bolso" dele para pagar essas vendas. Tira do Bolso de 230 milhões de otários.

P.S.: E sobre a "fuga" de Sérgio Moro heim? Se eu fosse um promotor de justiça, diria que terminou em "acordo" isso tudo. "Anistia"? Kkkkk...

Sérgio Alves de Oliveira disse...

O comentário do "anônimo" das 12:03 foi um dos mais completos e reais que já li sobre o fracassado Governo Bolsonaro,que só não me arrependo de ter ajudado a eleger porque o "outro" era o PT,ou da sua mesma laia. Ele só errou na expectativa equivocada que teve sobre os militares,cujas lideranças hoje estão mancumunadas e "mamando" com o Governo, e que inclusive estão "desmanchando",perante a opinião pública,o prestígio dos bons feitos dos governos militares de 64 a 85.

Anônimo disse...

Tá cheio de petralha e tucano bancando o isentão aqui!
Simples!
Na próxima eleição vcs votam no Moro ou no poste do Lula e sejam felizes!!