segunda-feira, 16 de novembro de 2020

Recado das Urnas


Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net

Por Carlos Henrique Abrão

O Brasil enfrenta e todos sabem uma grave crise. A democracia sempre bafeja ares estranhos nas circunstâncias de processos eleitorais. Afirmam especialistas que o retrato da democracia revela patologia e uma doença que poderá desencadear seu esfacelamento e também a própria morte.

Sem uma ampla reforma político partidária nada acontecerá de novo no Brasil e os candidatos serão aqueles apaniguados e apadrinhados pelo grande irmão no caso os partidos políticos que precisam ser reduzidos e seus cargos diretivos terem alternância. Enquanto tal não ocorre vimos os recados das urnas do último dia 15: a falta de um centro forte e o esvaziamento de grandes partidos perdendo fôlego.

O povo quer e exige mudanças. Os que governam de forma adequada foram reeleitos no primeiro turno. Os demais estão sendo testados
e alguns reprovados. As urnas eletrônicas mostraram problemas de atraso considerável e não podem os votos ter sua contagem centralizada no TSE,os tribunais locais devem processar fazer a totalização e remeter o resultado final,ao menos a nível municipal.

Temos um quadro que nos permitira em muitas capitais o segundo turno,mas precisamos ter o voto eletrônico, o fim do voto obrigatório e do horário para começarmos a pensar em termos de uma Nação de primeiro mundo. A população esfomeada e sem emprego não confia mais em promessa de campanha e os currais eleitorais colocam de volta milhares de vereadores inexpressivos com fadiga de material os quais deveriam dar lugar e espaço para novas personalidades.

O fim da reeleição é fundamental em questão de poderes Legislativo e Executivo. Assim também acontece no judiciário no qual a cúpula fica por dois anos e até menos nos Tribunais Superiores e não pode retornar. Bobagem enorme confiar na reeleição haveria a obrigatoriedade de um intervalo de no mínimo quatro anos para que o eleito voltasse e pudesse se candidatar.

Caso contrário vamos assistir vereadores e deputados,além de senadores há mais de duas décadas no legislativo. Preocupa sobremodo a inflitração de quadrilhas querendo fazer seus representantes com a prática de atos ilícitos e organizações voltadas à proteção da macrocriminalidade.

Nada de novo no horizonte terra brasilis. Apenas candidatos caras pálidas que voltam a prometer mas no fundo subirão o IPTU, manterão multas de radares espalhados pela cidade, não serão competentes para serviços de varrição e eliminação dos moradores de rua, já que a crise que nos assola é Nacional.

Finalmente colocar todas as eleições na mesma data seria básico para uma economia racional de gastos. Somente com urnas e fundos partidários mais de 3 bilhões são desperdiçados - o que daria para ser alocado no processo
produtivo e eliminarmos a exclusão social. E sem falar nos números da pandemia que darão saltos de qualidade pós processo eleitoral.

O resultado mais expressivo é que a polarização fruto da radicalização continua a ser o temor de todos enquanto não houver uma junção de
força de centro nossos modelos de governabilidade serão insuflados por candidatos que se julgam predestinados às mudanças sociais incessantes

Carlos Henrique Abrão é professor e Doutor USP.

Um comentário:

Anônimo disse...

SE O JUDIIARIO NÃO AMORDASSASE E NÃO ATASSEM AS MÃOS DOS PROMOTORES,OS VEREADORES SERIAM TODOS CASSADOS... UMA VEZ QUE ELES NÃO CUMPREM O DEVER DEFISCALIZAR OS MUNICIPIOS... MAS SEMPRE O QUE SE VE SÃO PROMOTORES NAS RECOLHAS DOS ENVELOPES, É POR ISTO QUE TUDO SEMPRE CAMINHA PARA PIOR... NARCOTRÁFICO, CONTRABANDO,JOGOS ILEGAIS EM TODOS OS MUNICIPÍOS DOS ESTADOS,ONDE OJUDICIARIO JUNTO COM A MAÇONARIA DÃO GOLPES MILIONARIOS EM AREAS DE DOMINIO PUBLICO ONDE TODOS DOS 4 PODRES PODERES SÃO PREVARICADORES... OS MAÇONS INVADEM,O JUDICIARIO CONCEDE A POSSE,O PREFEITO DESAPROPIA E INDENIZA,E ISTO FAZ A ALEGRIA DOS EXPLORADORES IMOBILIARIO,JÁ LHE FIZ UMA DENUNCIA INFORMAL E O QUE ESSE DESEMBARGADOR FEZ FOI ABRIR OS OLHOS DOS BANDIDOS,BANDIDO É BANDIDO, E QUEM PROTEGE O BANDIDO É MAIS BANDIDO AINDA...