terça-feira, 1 de dezembro de 2020

Covidão é um Comunista Democrático


Edição do Alerta Total – www.alertatotal.net

Por Jorge Serrão - serrao@alertatotal.net

Siga-nos no Twitter e Parler - @alertatotal

O Covidão mata! Não é gripezinha! Todo cuidado é pouco. No maior e mais rico estado da federação, a quantidade de internados com a doença atingiu o pico desde o começo do pandemônio. São Paulo voltou para a Bandeira Amarela. Muita gente vai sofrer com o coronavírus. No entanto, a mais afetada é a economia. A nova freiada vai detonar os negócios que começavam a ser retomados com o frenesi consumista do fim de ano.

A Covid-19 teve uma diferença em relação a todas as outras doenças: teve dimensão mundial, alta taxa de letalidade e repercussão midiática fora do comum. Foi o argumento perfeito para governantes aplicarem todas as medidas de Engenharia Social, principalmente as restritivas e repressivas. Facilmente, constatou-se que é extremamente fácil controlar as pessoas através do medo, induzido e amplificado.

A insegurança econômica talvez seja mais assustadora que o temor de pegar a doença. Previsível com a flexibilização das medidas de distanciamento social, o recente aumento de casos de atingidos pelo Covidão se transformou no motivo fácil para aumentar a tensão, com doses de paranóia. As focinheiras (ops, máscaras) já estão incorporadas à moda do medo. Pouco importa se efetivamente protegem. A imposição de uso venceu.

A coisa está feia. Não é linda como a Patrícia Ellen (Secretária do Desnevolvimento Econômico do João Dória. A grande tragédia é a economia. A tal retomada consciente não é fácil. O lockdown inicial foi fatal. Agora, só resta aguentar o tranco. Na verdade, nosso sistema de saúde (talvez o de lugar nenhum) é deficiente. No fundo, pouco ou nada se aprende com as falhas estruturais.

A impressão é que sempre faltarão leitos de UTI, se forem necessários. Os Hospitais de Campanha, em sua maioria, só serviram para espertos ganharem muito dinheiro em operações sem licitação. Tanto que foram montados e desmontados. Não foram mantidos porque sua manutenção é caríssima. A tendência é que o número de casos aumente com o crescimento da testagem.

De cara, quem vai se ferrar na fase laranja é a turma do comércio. Os governantes só cobram que a população tome cuidado e obedeça a todas as medidas. Manda quem pode. Obedece quem tem juízo ou não tem outro jeito. A conscientização é difícil. A maioria de idiotas sempre complica qualquer situação. Os controladores da Engenharia Social se aproveitam da situação de insegurança. Ah, o valor do pedágio, que subiria em julho, sobe hoje... Outros impostos também subirão... Em janeiro, novos prefeitos e novos reajustes. Não importa os prejuízos das pessoas e empresas com o Covidão...

Não adianta chorar. Quem reclama já perdeu. Os vitoriosos são o medo e a repressão. Aguardemos pela chegada das milagrosas vacinas. Algumas devem custar bem caro. Quem vai pagar é a administração pública (ou melhor, o dinheiro dos impostos que a gente paga). Na realidade, não tem injeção de graça. Nada de anormal.

O Covidão é um Comunista Democrático. Ferra todo mundo. Esculhamba a economia. Mas os prejuízos são socializados. Maravilhoso consolo...   







Ave atque Vale! Fiquem com Deus. Nekan Adonai!

Jorge Serrão é Editor-chefe do Alerta Total. Especialista em Política, Economia, Administração Pública e Assuntos Estratégicos.  A transcrição ou copia dos textos publicados neste blog é livre. Apenas solicitamos que a origem e a data original da publicação sejam identificadas. 

© Jorge Serrão. Edição do Blog Alerta Total de 1º de Dezembro de 2020.

6 comentários:

Loumari disse...

O COVID-19 é doença de classe.

Anônimo disse...

Comunismo democrático, ferra todo o mundo! Táis brincando, Serrão! Desde quando comunismo aparece ou quer países pobres??? Comunismo só comparece onde tem prato feito e tem muito dinheiro para meter a mão na massa, para roubar o que "lhes é de direito"!!! E desde quando a China é kamicaze para se ferrar com o seu dominador "plano/projeto corona", em plena atividade, a todo o vapor mundo a fora, com uma rede de comparsas mundo afora e pelo Brasil, com seus cúmplices maiores Dória & Governadores com o apoio irrestrito do STF??? Uma pergunta: a maçonaria também aplica o método Paulo Freire em suas promoções, pelo qual ninguém é reprovado com um "must" de possibilitar saltar muitos e muitos niveis igual a saltar de para-quedas em curtíssimo tempo ou em tempo relâmpago de um nivel inicial para o nivel final como o ocorrido com o Mourão????

Loumari disse...

PAPA FRANCISCO - Domingo, 29 de Novembro de 2020

ANGELUS

Praça São Pedro

Prezados irmãos e irmãs, bom dia!

Hoje, primeiro domingo do Advento, começa um novo ano litúrgico. Nele a Igreja cadencia o curso do tempo com a celebração dos principais acontecimentos da vida de Jesus e da história da salvação. Ao fazê-lo, como Mãe, ilumina o caminho da nossa existência, ajuda-nos nas ocupações diárias e orienta-nos para o encontro final com Cristo. A liturgia de hoje convida-nos a viver o primeiro “tempo forte” que é o do Advento, o primeiro do ano litúrgico, o Advento, que nos prepara para o Natal, e devido a esta preparação é um tempo de espera, um tempo de esperança. Espera e esperança.

São Paulo (cf. 1 Cor 1, 3-9) indica o objecto da espera. Qual é? A «manifestação do Senhor»(v. 7). O Apóstolo convida os cristãos de Corinto, e nós também, a concentrar a atenção no encontro com a pessoa de Jesus. Para o cristão, o mais importante é o encontro contínuo com o Senhor, estar com o Senhor. E assim, habituados a estar com o Senhor da vida, preparamo-nos para o encontro, para estar com o Senhor na eternidade. E este encontro definitivo virá no fim do mundo. Mas o Senhor vem todos os dias, pois com a sua graça podemos praticar o bem na nossa vida e na dos outros. O nosso Deus é um Deus-que-vem - não vos esqueçais disto: Deus é um Deus que vem, vem continuamente - Ele não desilude a nossa expectativa! O Senhor nunca desilude! Talvez nos faça esperar, nos faça esperar alguns momentos na escuridão para fazer amadurecer a nossa esperança, mas nunca desilude. O Senhor vem sempre, está sempre ao nosso lado. Às vezes não se manifesta, mas vem sempre. Veio num momento histórico específico e fez-se homem para assumir sobre si os nossos pecados - a festividade do Natal comemora esta primeira vinda de Jesus no momento histórico - virá no fim dos tempos como juiz universal; e vem também uma terceira vez, de um terceiro modo: vem cada dia para visitar o seu povo, para visitar cada homem e mulher que o acolhe na Palavra, nos Sacramentos, nos irmãos e irmãs. Jesus, diz-nos a Bíblia, está à porta e bate. Cada dia. Está à porta do nosso coração. Bate à porta. Sabes ouvir o Senhor que bate à porta, que veio hoje para te visitar, que bate à porta do teu coração com uma inquietação, com uma ideia, com uma inspiração? Veio a Belém, virá no fim do mundo, mas vem a nós cada dia. Prestai atenção, vede o que sentis no coração quando o Senhor bate à porta.

Sabemos que a vida é feita de altos e baixos, de luzes e sombras. Cada um de nós experimenta momentos de desilusão, de fracasso e de confusão. Além disso, a situação em que vivemos, marcada pela pandemia, gera em muitas pessoas preocupação, medo e desânimo; corremos o risco de cair no pessimismo, o risco de cair no fechamento e na apatia. Como devemos reagir diante de tudo isto? O Salmo de hoje sugere-nos: «A nossa alma espera no Senhor, porque Ele é o nosso amparo e o nosso escudo. É nele que se alegra o nosso coração» (Sl 32, 20-21). Ou seja, a alma que espera, uma expectativa confiante no Senhor faz encontrar alívio e coragem nos momentos sombrios da existência. E de onde brotam esta coragem e esta aposta confiante? De onde brotam? Nascem da esperança. E a esperança não desilude, é a virtude que nos leva em frente, em vista do encontro com o Senhor.

Continua

Loumari disse...

PAPA FRANCISCO - Domingo, 29 de Novembro de 2020

ANGELUS

Praça São Pedro

Domingo, 29 de Novembro de 2020

O Advento é um apelo incessante à esperança: lembra-nos que Deus está presente na história para a levar ao seu fim último, para a levar à sua plenitude, que é o Senhor, o Senhor Jesus Cristo. Deus está presente na história da humanidade, é o «Deus connosco», Deus não está longe, está sempre connosco, a tal ponto que muitas vezes bate à porta do nosso coração. Deus caminha ao nosso lado para nos amparar. O Senhor não nos abandona; acompanha-nos nas nossas vicissitudes existenciais para nos ajudar a descobrir o sentido do caminho, o significado da vida diária, para nos incutir coragem nas provações e na dor. No meio das tempestades da vida, Deus estende-nos sempre a mão e liberta-nos das ameaças. Isto é bom! No livro do Deuteronómio há um trecho muito bonito, onde o profeta diz ao povo: “Pensai, que povo tem os seus deuses perto de si, como tu me tens perto de ti?”. Nenhum, só nós temos esta graça de ter Deus perto de nós. Aguardamos Deus, esperamos que Ele se manifeste, mas também Ele espera que nos manifestemos a Ele!

Maria Santíssima, Mulher da expectativa, acompanhe os nossos passos neste novo ano litúrgico que começamos, ajudando-nos a cumprir a tarefa dos discípulos de Jesus, indicada pelo Apóstolo Pedro. E em que consiste esta tarefa? Em explicar a razão da nossa esperança (cf. 1 Pd 3, 15).


Depois do Angelus

Estimados irmãos e irmãs!

Desejo manifestar mais uma vez a minha proximidade às populações da América Central, atingida por fortes furacões, e recordo em particular as Ilhas de San Andrés, Providencia e Santa Catalina, assim como a costa pacífica do norte da Colômbia. Rezo por todos os países que sofrem devido a estas calamidades.

Dirijo as minhas cordiais saudações a vós, fiéis de Roma e peregrinos de vários países.

Saúdo em particular aqueles que - infelizmente em número muito limitado - vieram por ocasião da criação dos novos Cardeais, que teve lugar ontem à tarde. Oremos pelos treze novos membros do Colégio Cardinalício.

Desejo a todos vós bom domingo e bom caminho de Advento. Procuremos tirar o bem inclusive da difícil situação que a pandemia nos impõe: maior sobriedade, atenção discreta e respeitosa aos vizinhos que podem estar em necessidade, alguns momentos de oração em família, com simplicidade.

Estas três atitudes ajudar-nos-ão muito: maior sobriedade, atenção discreta e respeitosa aos vizinhos que podem estar em necessidade e depois, muito importante, alguns momentos de oração em família, com simplicidade. Por favor, não vos esqueçais de rezar por mim.
Bom almoço e até à vista.


Não desistas: a coerência compensa, embora que às vezes demora. Compensa também a honestidade. E a esperança não defrauda jamais.
(Don Tonino Bello)

Loumari disse...

Combatir el VIH-SIDA desde la perspectiva católica: Programa DREAM

https://www.youtube.com/watch?v=9WEWEeolaHA&t=31s


Papa pide a los jueces compromiso por el dolor del otro y no caer en la indiferencia

https://www.youtube.com/watch?v=Z-_mMmKp13Q&t=2s

Anônimo disse...

O teste PCR não detecta infecções, logo, muitos "diagnósticos" são para aumentar as estatísticas e referendar as medidas de contenção: apenas engenharia social para ensejar o Great Reset. As gripes sazonais sempre mataram e deixavam sequelas em mais gente que o SarsCov-2, mas ninguém prestava atenção. O problema será se ele foi apenas uma amostra do que a guerra biológica trará daqui para a frente, principalmente com o DNA que a China está coletando nos grupos de testes para a vacina para criar armas biológicas específicas para cada povo e que não atinjam o povo chinês.


https://tercalivre.com.br/china-esta-coletando-o-dna-no-mundo-todo/