domingo, 6 de dezembro de 2020

O Potro e o Poltrão


Artigo no Alerta Totalwww.alertatotal.net

Por Carlos Maurício Mantiqueira

Estava decidido a não mais escrever.

Não é conveniente continuar dando murro em ponta de faca.

Falarei apenas de temas espirituais.

Quando um enorme número de pessoas se desaponta com alguém, surge um inconsciente coletivo de revolta.

O personagem admirado até a véspera, passa e ser desprezado e/ou odiado.

Recentemente, alguém que tem agido com deslealdade para com a Pátria, caiu do cavalo, literalmente.

Em breve cairá também em sentido figurado.

Não é possível que alguém confesse que não tem meios para defender o Brasil e continue no mando.

O excelentíssimo senhor Presidente da República ainda não se deu conta de que está pessimamente assessorado.

Corre o risco de causar a própria ruína.

Não lhe falta coragem, patriotismo e inteligência.

Por jejuno em assuntos jurídicos, fica impassível diante de contínuas violações da Constituição Federal por aqueles que deveriam defendê-la.

Num cotubérnio asqueroso, uns bandidos “protegem” os outros.

Até quando ? Quem viver verá.







Carlos Maurício Mantiqueira é um livre pensador.

4 comentários:

Sempre Mais do MESMO disse...

Líderes da esquerda e a PRAXIS COMO FIM

A esquerda, bandidos, percebendo que seus adversários são covardes e preferem rezar a ter que lutar, amolecidos pela moral do escravo em que foram doutrinados pelos ocupantes do Poder que, receosos quanto a insubordinações, adestraram as populações para ACEITAREM A SERVIDÃO como se uma excelsa virtude, não mais querem se dar ao debate, preferindo FALAR APENAS AOS SEUS, num empolgante ASINUS ASINUN FRICAT. Enquanto impõem sua vontade pela FORÇA e chamam a própria vontade de justiça para punir covardemente os divergentes.

"O FORTE NÃO SERÁ SEMPRE O MAIS FORTE SE NÃO FIZER DE SUA FORÇA UM DIREITO E DA OBEDIÊNCIA UM DEVER" ...essa é a realidade. Como Marx cansou de convocar: "o que vale é a praxis"

...diga-se:
o que importa é realizar, independentemente dos questionamentos contemplativos estéreis.

O esquerdista já não se envergonha minimamente ao mentir, fingir e fraudar claramente.
SUN TZU: A GUERRA SE BASEIA NO ENGÔDO.

Mentir, enganar, fraudar e etc. SÃO VIRTUDES na MORAL do GUERREIRO, CUJO ÚNICO OBJETIVO É VENCER O INIMIGO. Tudo que é praticado nesse sentido é considerado virtuoso na moral do guerreiro, cultivada pela esquerda que exige dos adversários o exercício da moral do escravo.

Ansiosa por moldar-se aos valores da "moral certa" que a esquerda cobra de suas vítimas, a DIREITA VAIDOSA se pavoneia curvando-se ante a esquerda, na vã esperança de ser por esta valorizada.

Guerreiros não valorizam estúpidos nem covardes, aproveitam-se deles.

Vanderlei Lux disse...

Não aguentou ficar sem comentar meu caro Mantiqueira?

É complicado né?

Mas te "alegra!": pelo menos a nossa Suprema Corte 'julgou por julgar' inconstitucional a reeleição da dupla de gordões na câmara e senado.

O mais hilário foi o voto do indicado do nosso 'mito' na Suprema Corte: Kássio Nunes teria votado a favor da reeleição de Alcolumbre mas não de Maia! Realmente o indicado de Bolsonaro é do centrão mesmo: Votou meio a meio kkkk...

Deixa eu te dar um pitaco: O placar foi de 6x5 contra a reeleição, mas se o indicado de Bolsonaro tivesse votado contra, o placar geral teria sido a favor da reeleição.

Mais uma vez a Suprema Corte humilhou Bolsonaro. Só que será exatamente essa a narrativa que os bolsonaristas usarão para defender seu 'mito'.

A verdade dolorida e triste dessa decisão da Suprema Corte: O STF só proibiu a reeleição no senado e câmara porquê o ministro do Broxonauro votou a favor. Se tivesse votado contra, os outros ministros teriam votado diferente. Kkkk.

É isso!

aparecido disse...

O Numes do Bolsonaro ca..ga só a metade.. metADE DE MANHÃ E METADE A TARDE...bem ao estilo do antecessor, o Sr. ministro de mer..da...

Mauro Moreira disse...

Votei em Bolsonaro. Não mais. Aguentei, embora não tenha entendido, a indicação do petista Augusto Aras para um dos cargos mais importantes e delicados do país, a PGR. Quando escolheu Kassio Nunes Marques para "sinistro" do STF, um completo desconhecido e mentiroso, como ficou comprovado, aí foi demais. Diferente do presidente Trump, que fez a escolha certa e corajosa para a Suprema Corte dos EE.UU. Então, se diante da escolha entre o presidente Bolsonaro e um canhoto, farei algo que jamais fiz, anularei o meu voto. Na última eleição municipal, embora dispensado de votar, compareci e votei em candidato que julguei ser de direita. Ficou em 4º lugar. O Brasil cansa e, nos meus setenta anos de idade, cansa ainda mais.