quinta-feira, 10 de dezembro de 2020

“Tragédia” em um Ato


Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net

Por Pedro R M Chaves Neto

Há vinte anos, um dos homens mais brilhantes que conheci, já na faixa de seus oitenta, numa véspera de Natal, disse a um sobrinho de cinquenta:

“Fulano, pretendo dar um livro de presente a você !”

Resposta: “Obrigado tio, mas já tenho um !”

O “herói” é um homem inteligente e muito bom pai.

Não obstante, trata um livro com eletro doméstico. “Aspirador de pó ? Já tenho um !”

Quando comecei minha livraria virtual e fiz um catálogo com mais de quinhentos títulos dos mais variados assuntos, imaginei que haveria interesse do respeitável público.

Ledo engano. Em três meses fiz uma única venda. O alimento para o espírito está em baixa.

Criei, também, uma loja virtual para vender CDs e DVDs de música clássica. Em dois meses não vendi nada. Alimento para alma não desperta interêsse.

Devido a minha obstinação, criei por último, como Associado Amazon, um comércio eletrônico de alimentos e bebidas finas.

Espero que nesta época festiva consiga fazer alguma venda.

Obviamente, só inclui no catálogo, produtos de qualidade, tendo provado quase todos.

Numa fase de minha vida estive um pouco gordo. Alguns diziam que precisava perder a barriga. Respondia: “Não posso! Tenho uma fortuna investida nela !”

Abraços!


Pedro R. M. Chaves Neto é Advogado.

5 comentários:

Loumari disse...

PAPA FRANCISCO - Domingo, 6 de Dezembro de 2020

ANGELUS

Praça São Pedro

Estimados irmãos e irmãs, bom dia!

O Evangelho deste domingo (Mc 1, 1-8) apresenta a figura e a obra de João Baptista. Ele indicou aos seus contemporâneos um itinerário de fé semelhante ao que o Advento nos propõe, a nós que nos preparamos para receber o Senhor no Natal. Este itinerário de fé é um itinerário de conversão.

O que significa a palavra “conversão”? Na Bíblia, em primeiro lugar significa mudar de rumo e de orientação; e portanto mudar também o modo de pensar.

Na vida moral e espiritual, converter-se significa passar do mal para o bem, do pecado para o amor de Deus. Era isto que ensinava João Baptista, que no deserto da Judeia «pregava um baptismo de conversão para a remissão dos pecados» (v. 4). Receber o baptismo era sinal externo e visível da conversão de quantos ouviam a sua pregação e decidiam fazer penitência. Aquele baptismo ocorria com a imersão no Jordão, na água, mas era inútil, era apenas um sinal e era inútil, quando não havia a disponibilidade de se arrepender e mudar a vida.

A conversão supõe a dor pelos pecados cometidos, o desejo de se livrar deles, o propósito de os excluir para sempre da própria vida. Para excluir o pecado, é necessário rejeitar também tudo o que está ligado a ele, as situações relacionadas com o pecado, ou seja, é preciso recusar a mentalidade mundana, o apreço excessivo pelas comodidades, o apreço excessivo pelo prazer, pelo bem-estar, pelas riquezas. O exemplo deste desapego vem-nos mais uma vez do Evangelho de hoje, na figura de João Baptista: um homem austero, que renuncia ao supérfluo e procura o essencial. Eis o primeiro aspecto da conversão: desapego do pecado e da mundanidade. Começar um caminho de desapego destas realidades.

O outro aspecto da conversão é o fim do caminho, ou seja, a busca de Deus e do seu reino. Desapego das coisas mundanas e busca de Deus e do seu reino. O abandono das comodidades e da mentalidade mundana não é um fim em si mesmo, não é uma ascese somente para fazer penitência: o cristão não é um “faquir”. É algo mais. O desapego não é um fim em si mesmo, mas visa a consecução de algo maior, ou seja, o reino de Deus, a comunhão com Deus, a amizade com Deus. Mas isto não é fácil, pois há muitos vínculos que nos mantêm próximos do pecado, não é fácil... A tentação derruba sempre, derruba, e assim também os vínculos que nos mantêm próximos do pecado: a inconstância, o desânimo, a malícia, os ambientes nocivos, os maus exemplos. Às vezes o impulso que sentimos rumo ao Senhor é demasiado fraco e até parece que Deus se cala; parecem-nos distantes e irreais as suas promessas de consolação, como a imagem do pastor atento e solícito, que ressoa hoje na leitura de Isaías (cf. Is 40, 1.11).

Continua

Loumari disse...

PAPA FRANCISCO - Domingo, 6 de Dezembro de 2020

ANGELUS

E por isso temos a tentação de dizer que é impossível converter-se verdadeiramente. Quantas vezes sentimos este desânimo! “Não, não consigo. Começo um pouco e depois volto atrás”. E isto é negativo. Mas é possível, é possível. Quando tiveres este pensamento de desânimo, não fiques ali, porque é areia movediça, é areia movediça: a areia movediça de uma existência medíocre. A mediocridade consiste nisto. O que se pode fazer em tais casos, quando gostaríamos de ir em frente mas sentimos que não conseguimos? Antes de mais nada, recordemos que a conversão é uma graça: ninguém se pode converter com as próprias forças. É uma graça que o Senhor nos dá, e portanto devemos pedi-la com força a Deus, pedir a Deus que nos converta, que realmente possamos converter-nos, na medida em que nos abrirmos à beleza, à bondade, à ternura de Deus. Pensai na ternura de Deus. Deus não é um Pai malvado, um mau pai, não! É terno, ama-nos muito, como o bom Pastor, que procura a última do seu rebanho. É amor, e a conversão consiste nisto: uma graça de Deus. Tu começas a andar, porque é Ele que te impele a caminhar, e verás como Ele há-de vir. Reza, caminha e darás sempre um passo em frente.

Maria Santíssima, que depois de amanhã celebraremos como a Imaculada, nos ajude a desapegar-nos cada vez mais do pecado e das mundanidades, para nos abrirmos a Deus, à sua palavra, ao seu amor que regenera e salva!


Depois do Angelus

Amados irmãos e irmãs!

Saúdo de coração todos vós aqui presentes - sois corajosos, com este mau tempo - romanos e peregrinos, e quantos estão sintonizados através dos meios de comunicação social.

Como vedes, na praça foi levantada a árvore de Natal e o presépio está em construção. Durante estes dias, preparam-se também em muitas casas estes dois sinais de Natal, para a alegria das crianças... e inclusive dos adultos! São sinais de esperança, especialmente neste tempo difícil. Não nos limitemos ao sinal, mas vamos ao significado, isto é, a Jesus, ao amor de Deus que Ele nos revelou, vamos à bondade infinita que Ele fez resplandecer no mundo. Não há pandemia, não há crise que possa apagar esta luz! Deixemo-la entrar no nosso coração, e estendamos a mão aos mais necessitados. Assim Deus nascerá de novo em nós e no meio de nós.

Desejo bom domingo a todos. Por favor, não vos esqueçais de rezar por mim. Bom almoço e até à vista!

[Respondendo às aclamações da praça] São bons os da Imaculada!


"Quando tudo parece se desmoronar, só há uma saída: a oração, o grito" Senhor, ajuda-me! ". A oração abre vislumbres de luz na escuridão mais densa." Papa francesco

Loumari disse...

Vaticano anuncia primer viaje del Papa tras más de un año de parón por la pandemia: Irak

https://www.youtube.com/watch?v=Fz5jIkDI7UU

Loumari disse...

Papa convoca el Año de San José “para implorar su intercesión e imitar sus virtudes”

https://www.youtube.com/watch?v=faVS7H3UPB4&feature=emb_logo

El 2021 será un año especial para la Iglesia, estará dedicado a San José. El Papa Francisco lo ha declarado así por conmemorarse los 150 años de su declaración como Patrono de la Iglesia Universal, durante el pontificado de Pío IX, en 1870.

FRANCISCO
“Dios le confió sus tesoros más preciosos: Jesús y María. Y él correspondió plenamente con fe, con coraje, con ternura, con corazón de Padre”.

El objetivo de Francisco es “que crezca el amor a este gran santo, para ser impulsados a implorar su intercesión e imitar sus virtudes”.

(Carta Apostólica Patris corde).

Para guiar este año, Francisco ha publicado la Carta Apostólica Patris corde “Con corazón de Padre”. En ella explica que “los dos evangelistas que evidenciaron su figura, Mateo y Lucas, refieren poco, pero lo suficiente para entender qué tipo de padre fuese y la misión que la Providencia le confió”.

La Carta repasa 7 características de la vida de San José, desde el amor, la ternura, la obediencia y la acogida hasta cualidades como la valentía creativa, su ejemplo de trabajo y su discreto servicio desde la sombra.

El Papa Francisco también ha querido ofrecer la posibilidad de ganar la indulgencia plenaria hasta el 8 de diciembre de 2021.

MASSIMO DEL POZZO
Pontificia Universidad de la Santa Cruz
"Es una gran manifestación de misericordia y piedad. La Iglesia muestra su maternidad poniendo a disposición medios para arreglar todas las deudas y consecuencias del pecado”.

Las condiciones para obtener la Indulgencia plenaria en el Año de San José son las mismas de siempre: Confesión sacramental, comulgar y rezar por las intenciones del Papa.

Daniel Díaz Vizzi

Unknown disse...

Bergoglio é argentino, portanto não confiável. Além disdo é comunista, menos confiável ainda.