sábado, 2 de janeiro de 2021

2021 – o ano que recomenda cautela


Edição do Alerta Total – www.alertatotal.net

Por Jorge Serrão - serrao@alertatotal.net

Siga-nos no Twitter e Parler - @alertatotal

Sabadão?! Encaremos o segundo dia, provavelmente pouco útil, de um ano novo que começou numa sexta-feira. Assim já dá para desconfiar de 2021 – o ano que exige cautela, porque todo cuidado é mais pouco que nunca. Ainda mais em tempos de renitente covidão, com vacina de efeito duvidoso ou sequer sem programação de data e campanha para tomá-la em Bruzundanga.

Temos obrigação de manter a ternura do otimismo, porém sem perder de vista a tortura do realismo. Meras mudanças de calendário nem sempre produzem mágicas, mudanças ou transformações profundas, principalmente para melhor. Acreditamos e temos de apostar na melhora, só que a chance de acerto nunca é garantida. Ainda mais no País que sofre da “Doença do Amanhã” – baseada no vício de anunciar um futuro glorioso em um lugar que cuida mal do presente e adora repetir erros do passado.

O modelo estatal Capimunista do Brasil continua o mesmo: gastador, corrupto e moedor de gente boa. A classe política é a mesma porcaria – reflexo da cultura subdesenvolvida e da característica clientelista, paternalista e estadodependente do eleitorado. A conjuntura política oferece riscos de instabilidade, mesmo com o Presidente da República pregando “honestidade”, porém negociando a alma, o tempo todo, com os demônios fisiológicos da base congressista.

A conjuntura econômica é outro oceano de dúvidas, incertezas e instabilidades. A Turma da Oligarquia e seus parasitas seguem gastando e se privilegiando e locupletando, enquanto a sociedade (cidadãos e empresas) são forçadas a pagar impostos cada vez mais absurdos, sem uma contrapartida justa. A insegurança jurídica continua ameaçando quem deseja empreender e investir. Produtores, fornecedores ou prestadores de serviços, se não entrarem no jogo do sistema, acabam triturados pelo Mecanismo e sua “gestapo” (o persecutor aparato policial judasciário).   

O Alerta Total insiste na advertência: O Brasil segue entre a esperteza e a incerteza. Estamos sujeitos à demagogia, muita narrativa mentirosa e promessas com alto risco de não serem cumpridas. A situação continua gravíssima. O covidão parece apenas um teste para algo muito mais assustador e letal que vem por aí, tanto em termos de doença como em manobras canalhas de engenharia social, para manter a maioria idiotizada, amedrontada, acovardada e sob controle.

Resumindo: A saída é sobreviver, da melhor maneira ou da forma menos traumática que for possível. Por enquanto, apenas mudou o ano. O resto continua do mesmo jeitinho. Assim, só nos resta mudar de atitude. Fé em Deus e pau no Mecanismo – mesmo sabendo do altíssimo risco de você terminar a luta nocauteado pela canalhice da realidade.

O único jeito é se organizar e se preparar para a porradaria. Haja saúde, dinheiro e sabedoria! Como bom morto-vivo-insepulto, sigo em frente com meus três demônios da guarda: Coração leviano, Colesterol e Diabetes... Meus 12 leitores e meio que me aguentem até a hora do judasciário final...






Ave atque Vale! Fiquem com Deus. Nekan Adonai!

Jorge Serrão é Editor-chefe do Alerta Total. Especialista em Política, Economia, Administração Pública e Assuntos Estratégicos.  A transcrição ou copia dos textos publicados neste blog é livre. Apenas solicitamos que a origem e a data original da publicação sejam identificadas. 


©
Jorge Serrão. Edição do Blog Alerta Total de 2 de Janeiro de 2021.

Nenhum comentário: