domingo, 17 de janeiro de 2021

Democracia Virtual e Ditadura Digital

Artigo no Alerta Total - www.alertatotal.net


Por Carlos Henrique Abrão


O mundo vive em compasso de espera, enquanto a vacina contra Covid 19 não chegar. Mas está absolutamente seguro que houve uma fratura no modelo democrático mundial, a partir dos acontecimentos nos EUA especialmente com a invasão do Capitólio. O mundo real vai cada vez perdendo espaço, e a democracia institucional enfraquecida.


Hoje as campanhas dos candidatos quase toda ela é feita por meio de disparos de informações, muitos dados se constituem fake, e a grande briga pelo sigilo entre os maiores agentes internacionais dos portais digitais.


Queiramos ou não a relativização da democracia é fato e o extremismo por mais paradoxal que possa parecer cimenta estranhos contornos, com o prevalecimento de uma mediocridade que ganha passos largos e não desafia competência ou mérito para o exercício do cargo seja no judiciário,executivo ou no legislativo.


Repensar a democracia parece ser o grande motor da nova década do século XXI e nuances em torno dos principais argumentos ante o reclamo da contrariedade da população e da sociedade. Entram temas primordiais tais como meio ambiente, proteção aos excluídos, fim do racismo, melhora na alimentação, planejamento da saúde, enfim um variado cardápio que todos movimentam às vésperas das eleições, quando eleitos desligam-se do eleitor e fazem ouvidos moucos para a democracia.


O tempo atual poderia configura o novo normal da democracia de fachada,do virtual de propostas inconsequentes e incompatíveis além de candidatos que não representam em nada a vontade popular,uma enorme falta de opção que leva ao absenteísmo do voto, além de votos brancos e nulos.


Participa assim que a chave da revolução e de toda a mudança se hospeda na internet com os elementos de uma ditadura digital na qual ocorre uma manipulação em prol de grupos políticos e econômicos concertados e orquestrados para o domínio global.


A questão que não pode calar a democracia tem seus dias contados e a ditadura digital fará mais vítimas mundiais,pela ignorâncias,mentiras e acusações entre os extremos. Os tempos são adversos e a humanidade corre um sério risco de perder a marcha para a evolução e seu aperfeiçoamento,deveríamos limitar a presença do digital e fiscalizar mais e melhor o meio de comnicação, ao passo que a democracia precisa de injeção de ânimo mostra-se tal qual fadiga do material.


O encontro de soluções alternativas notadamente no Brasil, a fim de que abramos horizonte em 22, é inadiável, sob pena da sociedade civil pagar pelos desmandos, desgovernos e total caos não apenas na saúde, mas em várias áreas do funcionamento da máquina administrativa.


Carlos Henrique Abrão é Doutor pela USP, com especialização em Paris e Alemanha. Autor de obras e artigos jurídicos.


3 comentários:

Anônimo disse...

O INFERNO DO BRASILEIRO É O JUDICIARIO, DESEMBARGADORES SÃO PAGOS PARA FORTALECER MAÇONS E MAÇONARIA ENQUANTO UM SIMPLES PROCESSO DEMORA DÉCADAS ESSES MAFIOSOS PRATICAM TODO TIPO DE CAMBALACHOS E SE VOCÊ FAZER UMA DENUNCIA O PROCESSO SOME...JUIZES E DESEMBARGADORES CONCEDEM TITULOS DE POSSE DE AREAS DE DOMINIO PUBLICO PARA TODOS OS MAÇONS QUE PEDIREM PRINCIPALMENTE SE O PREFEITO DEPOIS AS DESAPROPRIAREM E OS INDENIZALOS... MODIFICAÇÃO DAS LEIS DA MAGISTRATURA NEM PENSAR POIS ESSA BARDA NÃO PODE ACABAR...

Anônimo disse...

Competência ou mérito... Leia-se uma prova e uma banca... Ahã...

Anônimo disse...

Capitão Durval Ferreira diz que não pode ser chamada de invasão a entrada de cidadãos na casa do povo que é o Capitólio.