sexta-feira, 15 de janeiro de 2021

Escândalo do capimunismo brasileiro: Caso Invepar


Edição do Alerta Total – www.alertatotal.net

Por Jorge Serrão - serrao@alertatotal.net

Siga-nos no Twitter e Parler - @alertatotal

Depois do Mensalão, do Petrolão e de outras falcatruas que sequer ainda foram investigadas ou viraram processos, com rigor seletivo para algumas condenações e muitas impunidades, o capimunismo tupiniquim se prepara para o estouro de mais um grande escândalo. Trata-se do Caso Invepar - uma das empresas criadas na Era PT, a partir da parceria entre empreiteiras, bancos “estatais” e muita grana dos fundos de pensão.

O Ministério Público Federal já investiga denúncias na gestão da empresa, de olho no prejuízo bilionário sofrido pelos fundos Petros e Funcef. Ou seja, existe risco concreto para as aposentadorias e pensões de empregados da Petrobras e da Caixa. A Previ (do pessoal do Banco do Brasil), também sofreu perdas na diluição de participação feita no passado, aparentemente conseguiu se livrar do problema antes do agravamento.    

O Presidente Jair Bolsonaro deveria ligar o desconfiômetro e acompanhar o caso com toda atenção. Defensor da narrativa das privatizações (ou desesatizações), o ministro da Economia, Paulo Guedes, teria de fazer o mesmo. A Invepar é daqueles esqueletos que a petelândia deixou no armário, mas, pelo menos até agora, o governo do “Bozo” (como eles xingam Jair) não deu sinais públicos de atenção cuidadosa e apuração rigorosa. O problema Invepar envolve gente que ocupa, atualmente, altos cargos nas “estatais” federais. Portanto, se a bomba estourar, sobra, politicamente, para Bolsonaro.

Bolsonaro deveria ficar mais esperto com tudo que envolve investimentos de fundos de pensão patrocinados por empresas estatais. O motivo principal é que a maioria dos negócios resultam nas “parcerias”, feitas na Era PT, entre grandes empreiteiras e as fundações de seguridade social. O mercado sabe que quase todos os negócios foram concebidos pela mente brilhante de José Dirceu de Oliveira e Silva. O ideólogo petralha que sobreviveu ao Mensalão e ao Petrolão, foi condenado por corrupção, ficou preso bom tempo, mas agora segue livre, leve e solto, continuaria tocando tudo, nos bastidores. Além disso, Dirceu é quem lidera a campanha aberta para derrubar Jair Bolsonaro - que deveria ficar mais ligado nos movimentos subterrâneos do “empresário-mor” da petelândia.  

O Alerta Total teve acesso a um resumão sobre tudo que precisa ser sabido por contribuintes e beneficiários dos fundos de pensão de trabalhadores de “estatais” que injetaram muito dinheiro na Invepar. O caso, que merecia uma atenção mais explícita da Secretaria de Previdência Complementar, tende a gerar ações judiciais para ressarcimento de perdas, além de arbitragens (a exemplo da movida pelos integrantes da Petros, Previ e outros em função da roubalheira que a Lava Jato comprovou na Petrobras (empresa que ainda posa de “vítima”, enquanto seus empregados ativos e inativos pagam a conta).

O caso Invepar é apenas mais uma grave aberração do corrupto Brasil Capimunista. Focado em sobreviver politicamente, via alianças nada confiáveis com os demônios do Centrão do Congresso Nacional, o Presidente Bolsonaro e seus estrategistas mais próximos, até agora, não tomaram cuidados com as pancadas que vão tomar dos operadores dos esquemas “estatais”. A tão idolatrada Lava Jato nem chegou perto da maioria das negociatas da Era Petralha, ainda em vigor, envolvendo políticos, empreiteiros e grandes bancos, usando a poupança previdenciária dos Fundos de Pensão.

Bolsonaro deveria cobrar de Paulo Guedes e do Gabinete de Segurança Institucional relatórios, com rigor científico, sobre os negócios das empresas de economia mista, nas quais a União Federal é acionista majoritária e, supostamente, controladora. A Lava Jato comprovou que é necessária uma investigação rigorosa sobre o histórico e atuação de Sociedades de Propósito Específico (SPEs) e os famosos Fundos de Investimento em Participações (FIPs). 

Uma dica: a Sete Brasil e a Invepar são as bolas da vez... Se liga, Bolsonaro… Ou vai tomar bola nas costas… A turma do Zé Dirceu está cheia de grana para acabar com você…

Breve relatório

Leia, com cuidado, as advertências sobre a Invepar - Investimentos e participações em Infraestrutura S/A, fundada no ano 2000 (ainda na Era FHC), que é uma das maiores gestoras de mobilidade urbana e infraestrutura de transportes da América Latina.    

  1. HISTÓRICO da INVEPAR

1.1 Quando a FUNCEF e a PETROS entraram na INVEPAR, em 2008, ela tinha apenas 2 acionistas: A Construtora OAS LTDA e a  BB Carteira Livre I – Fundo de Investimento em Ações (PREVI), e o Capital Social Integralizado e Subscrito de R$ 102.567.872,60 (cento e dois milhões .......).  O Fundo BB Carteira Livre  I, participava com 83% e a Construtora OAS com 17%.. Mas, os dirigentes da INVEPAR eram, em sua maioria, representantes do Grupo OAS.

Em 2008, a  INVEPAR contava com apenas DUAS Concessionárias:  A LINHA AMARELA S.A. e a CONCESSIONÁRIA LITORAL NORTE (CLN).

  1. ENTRADA DA FUNCEF e PETROS NA INVEPAR

2.1 Os primeiros aportes da FUNCEF e da PETROS foram, cada um, com R$ 400 milhões, a partir de 2009.  A FUNCEF e a PETROS ingressaram em 2008, mas começaram a aportar recursos em 2009, conforme consta no RELATÓRIO ANUAL, documento público, publicado no site dos Fundos de Pensão.

2.2 No ano de 2009, com os APORTES da FUNCEF e da PETROS, foram adquiridas mais duas concessionárias: A AUTO RAPOSO TAVARES (CART) e Metroviária Rio de Janeiro (METRORIO). Consta no Relatório ANUAL DA INVEPAR.

2.3 Depois disso, a FUNCEF e a PETROS fizeram vários aportes entre 2009 e 2012, chegando, cada um dos Fundos de Pensão a integralizar cerca de R$ 1,25 bilhão. Ou seja, os dois juntos, FUNCEF e PETROS,  integralizaram cerca de R$ 2,5 bilhões. (Fonte Relatórios Anuais de 2009 a 2012)

  1. NÃO CONSTATAÇÃO DE APORTES DA PREVI 

3.1 Não se tem notícia, no exames dos documentos públicos no site da INVEPAR, de ,  NENHUM APORTE DE RECURSOS  realizado pelo BB Carteira Livre I – Fundo de Investimento em Ações (PREVI). Apenas de DILUIÇÕES na sua participação, pois, iniciou com 83% das ações da INVEPAR em 2008, e estava com 25,5% em 2012 e 2013. Resta saber se houve irregularidades nos cálculos das “diluições” em face do não acompanhamento dos aportes da FUNCEF e PETROS.

3.2 E, por outro lado, só se tem notícia de um aporte da Construtora OAS, ou OAS PARTICIPAÇÕES S.A, que teria ocorrido em março de 2012,  quando ela aportou cerca de R$ 400 milhões, com o repasse da LAMSAC , rodovia do PERU, para a INVEPAR. Essa Rodovia no PERU foi avaliada por cerca de R$ 400 milhões, pela empresa APSIS

3.3 Nessa integralização da OAS com a LAMSAC, há indícios de irregularidades, pois, ela adquiriu ações da INVEPAR pelo valor unitário  em torno de R$ 7,50 e, no mesmo dia, a FUNCEF e a PETROS adquiriram as mesmas ações nominais sem valor nominal, pagando mais de R$ 15,00.  

4 AQUISIÇÕES DE CONCESSIONÁRIAS COM OS APORTES DA FUNCEF E PETROS

4.1 Ocorre que, com os aportes da FUNCEF e da PETROS, as concessionárias da HOLDING INVEPAR chegaram a ser 16 (dezesseis) até o  ano de 2014, enquanto que a HOLDING apresentou prejuízos financeiros sucessivos em todos os exercícios, e elevado endividamento, conforme informado nas  Demonstrações Financeiras publicadas no site da INVEPAR.

5 VENDA DAS CONCESSIONÁRIAS

5.1 A partir de 2016, começaram a VENDER as concessionárias que integravam a INVEPAR. Existiam 16, agora, no final de 2020,  são apenas 9 (nove), ressaltando que a LINHA AMARELA foi tomada pela Prefeitura do Rio de janeiro, ficando, na realidade 8 (oito).

A primeira concessionária vendida foi a LAMSAC, localizada no PERU, que a INVEPAR afirma em seu Relatório Anual ter vendido por R$ 4,5 bilhões, mas a empresa que comprou, a VINCI afirma ,na mídia, ter pago outro valor.

6 QUESTIONAMENTOS:

6.1) O que foi feito com o dinheiro da VENDA de 7 (sete) concessionárias da INVEPAR?

6.2) Há citações que as vendas foram para pagamento de dívidas, mas, o endividamento continua muito alto. Estava em mais de R$ 6 bilhões, em setembro/2020.

6.3) Quando a FUNCEF e a PETROS fizeram os aportes, com os recursos foram realizados INVESTIMENTOS, ou seja, adquiridas concessionárias de serviços públicos. Com a VENDA das concessionárias (DESINVESTIMENTOS) os recursos não teriam que retornar para a FUNCEF e PETROS?  

FONTES DAS PESQUISAS: 

Todos esses assuntos abordados são públicos e estão disponíveis no RELATÓRIO ANUAL da INVEPAR, no RELATÓRIO ANUAL DA FUNCEF e no RELATÓRIO ANUAL DA PETROS.  E, ainda, no FORMULÁRIO DE REFERÊNCIA e no ESTATUTO DA INVEPAR, publicado no site daquela empresa.

SÃO INFORMAÇÕES PÚBLICAS. MAS, AS SUAS CONSEQUÊNCIAS PARA A FUNCEF e a PETROS precisam ser esclarecidas. Só a FUNCEF investiu cerca de R$ 1,25 bilhão, que atualizado soma mais de R$ 4 bilhões. Mas, o ATIVO figura no Balanço da FUNCEF por cerca de R$ 900 milhões. Isto significa DÉFICIT já consolidado, e que pode ser agravado com o ENDIVIDAMENTO e a delapidação das concessionárias da HOLDING Invepar!

Fica...

Jair Bolsonaro foi convencido por Paulo Guedes e pelo presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto, a não detonar o presidente do Banco do Brasil, André Brandão.

Bolsonaro quis demiti-lo porque não foi avisado sobre a intenção de botar em prática um Plano de Demissão Voluntária (PDV) de 5 mil empregados do BB, além do fechamento de 361 agências ainda este ano.

O Presidente ficou mais pt da vida porque as decisões, sem ele ter sido consultado previamente, tinham o aval do Ministério da Economia…

Bonsonaro chegou a reclamar que a tratorada do Brandão era uma conspiração montada em parceria com a petelândia que tem hegemonia no BB...

Sinal de alerta…

Márcio Coimbra twittou uma informação na qual os marketeiros do Presidente deveriam ficar espertos:

“Jair Bolsonaro segue em queda livre nas redes sociais. Menções negativas ao presidente hoje bateram 64%, contra apenas 36% de citações positivas”.

“O nível de confiança registrado é de 14,6%, enquanto 18% sentem medo, 18,7% tristeza e 15,4% estão com raiva”.

Na veia, Rodrigão!

Advertência pertinente de um amigo, atento observador da realidade econômica brasileira, sobre o destino imediato do governo Jair Bolsonaro, do qual foi eleitor (como eu também):

“Preocupa-me a evolução dos problemas e a involução das soluções”.









Ave atque Vale! Fiquem com Deus. Nekan Adonai!

Jorge Serrão é Editor-chefe do Alerta Total. Especialista em Política, Economia, Administração Pública e Assuntos Estratégicos.  A transcrição ou copia dos textos publicados neste blog é livre. Apenas solicitamos que a origem e a data original da publicação sejam identificadas. 


© Jorge Serrão. Edição do Blog Alerta Total de 15 de Janeiro de 2021.

12 comentários:

Claudio Janowitzer disse...

Caro Jorge Serrão,

Até que enfim, nesse seu objetivo texto sobre a podridão da empresa Invepar (desviadora de recursos de fundos de pensão), você FINALMENTE começa a acordar do seu encantamento incompreensível pelo demente transtornado Jair Messias como transcrevo:

“Bolsonaro deveria cobrar de Paulo Guedes e do Gabinete de Segurança Institucional relatórios, com rigor científico, sobre os negócios das empresas de economia mista, nas quais a União Federal é acionista majoritária e, supostamente, controladora. A Lava Jato comprovou que é necessária uma investigação rigorosa sobre o histórico e atuação de Sociedades de Propósito Específico (SPEs) e os famosos Fundos de Investimento em Participações (FIPs).”

Na fase de ferrenho combate do seu Alerta Total às repugnantes roubalheiras do lulismo (em quem nunca votei) você chegou a publicar alguns textos meus, mas nunca entendi o que leva supostos defensores das instituições democráticas (entre as quais nossa boa imprensa investigativa) poderiam acreditar num mau soldado desequilibrado e depois membro pendurado no baixo clero parlamentar durante 30 anos.

Está mais na hora de apoiarmos a IMEDIATA pressão da opinião pública ponderada para o pronto IMPEACHMENT do Bolsonaro, já que o Hamilton Mourão demonstra ser muito mais bem preparado e equilibrado para levar o Brasil até as eleições de 2022 – quando espero que tenhamos a satisfação de poder escolher um presidente competente e equilibrado – e principalmente defensor das instituições democráticas.

Abraços,

Claudio Janowitzer

Anônimo disse...

Esta é para o editor, que aparentemente fica desiludido com seus 12,5 leitores (comentaristas).

Veja nesse link abaixo, um blog que vive de falácias (cito esse exemplo de apoio ao booner); eles publicam um post de "militância jornalística partidária de ódio", com erro de gramática; e, em seus 212 comentários (até agora), além de encontrar vários comentários, que dizem que o erro (português) não existe; você não irá encontrar NEM UM ÚNICO comentário digno de nota (inteligente). Sem falar nos comentários contrários ao Booner que "somem".


https://www.oantagonista.com/brasil/estamos-esgrimando-com-loucos-diz-bonner-no-jn/

Loumari disse...

Estirpe brasileira tem "maior potencial de transmissão"

Explosão de casos em Manaus pode estar ligada à mutação do coronavírus. Estirpe brasileira terá maior risco de contágio.

As autoridades de Manaus, a capital do Estado brasileiro do Amazonas, começaram a instalar câmaras frigoríficas em cemitérios locais para conservar corpos de vítimas de Covid-19, numa altura em que a região assiste a uma explosão de casos.

Perto de 4 mil novas infecções por dia, um recorde, instalaram o caos e alguns especialistas associam o aumento à nova estirpe brasileira, que tem origem precisamente no Amazonas. E tudo indica que será muito mais contagiosa.

"Existe essa possibilidade, eu não posso garantir que já esteja ocorrendo mas existe, por conta das mutações que ela apresentou na posição 484 e na posição 501. São mutações que já foram associadas com esse maior potencial de transmissão, então muito provavelmente sim", declara Felipe Naveca, investigador da Fiocruz Amazónia, que identificou a variante pela primeira vez.

Não se sabe ainda se traz mais riscos ou se pode resistir à vacina. O que é factual é que em Manaus vive-se a saturação das unidades de saúde. A falta de abastecimento de oxigénio tornou-se crítica.

"São mutações que já foram associadas com um maior potencial de transmissão. Felipe Naveca - Investigador da Fiocruz Amazónia"

"A minha avó, com 84 anos, não resistiu. Ela precisava de 15 litros por minuto [de oxigénio]. Não tinha suficiente", contava Mayline da Mata, à porta de um hospital.

Marcellus José Barroso Campêlo, secretário da Saúde do Estado do Amazonas, desabafa: "Nós estamos batendo recordes em cima de recordes de internações".

Os protestos de familiares à porta dos hospitais têm-se sucedido. De acordo com a Folha de São Paulo, o governador estadual pretende parar a transferência de pacientes para outras unidades para travar a disseminação da nova estirpe.

euronews (em português)

15.01.2021

https://www.youtube.com/watch?v=Sm1f80Fr2V0

Loumari disse...

O apelo do arcebispo de Manaus: pelo amor de Deus, precisamos de oxigênio nos hospitais

https://www.youtube.com/watch?v=Sxi_kYIaxvQ&t=31s

Dom Leonardo Steiner, arcebispo metropolitano de Manaus, em mensagem divulgada nesta sexta-feira, 15 de janeiro, faz um apelo por uma melhor assistência aos que estão internados por causa da Covid-19 e precisam de leitos e de oxigênio: "as pessoas não podem continuar morrendo por falta de oxigênio e por falta de leitos nas UTIs" e "coloquemos a serviço de todos a nossa humanidade melhor e forças espirituais", sem descuidar da saúde.

Vatican News - Português

15.01.2021

Sérgio Alves de Oliveira disse...

Vivi de perto o problema dos fundos de pensão,primeiro como diretor de seguridade (década de 80) e depois como Presidente de uma importante "fundação" do Rio Grande do Sul,e também como Presidente da Associação Gaúcha de Entidades Fechadas de Previdência Privada,no início da década de 90. Tentei mudar os critérios de investimentos (carteiras de aplicação) determinados pelo Governo Federal,que eram dirigidos compulsoriamente às áreas que o Governo queria,sem nenhuma liberdade para os fundos de pensão aplicarem em áreas possivelmente mais rentáveis.Mas quem acabou sendo "mudado" fui eu. Já tinha administrador desonesto nesse tempo. Mas eram meros ladrõezinhos de galinha perto do que aconteceu depois,quando os "sindicalistas" da era PT se infiltraram na direção e conselhos das fundações. Aí a "coisa" passou a ser "grossa",envolvendo gente importante da política.Praticamente quebraram os maiores fundos de pensão e prejudicaram imensamente os participantes ativos e assistidos dos fundos.Por isso quem "quebrou" os trabalhadores foi principalmente o tal Partido dos Trabalhadores. A ladroeira "grossa"começou na gestão do PT,com Lula,em 2003. Por isso não deve ser imotivada a versão que anda por aí de que "eles" teriam roubado cerca de 10 trilhões de reais,e hoje podem comprar todo mundo para ficarem livres,leves,e soltos.

Loumari disse...

A MAIS ANTIGA E PODEROSA ORAÇÃO AO ANJO DA GUARDA

Esta oração ao Anjo da Guarda que vos é apresentada aqui, data do século IV D.C. A sua origem provém de um padre do deserto, São Macário do Egipto.

Aqui está a oração, como recitá-la:

Santo Anjo, que velas por minha pobre alma e cuidas da minha miserável vida, não me abandones eu tão pecador, não te apartes de mim por causa das minhas impurezas.

Não permitas que o espírito maligno se apodere de mim através da ingratidão deste corpo mortal.

Segura a minha pobre e debilitada mão e conduz-me no caminho da salvação.

Sim, Santo Anjo de Deus, que custodias a minha pobre alma e o meu corpo, perdoa-me tudo o que pode ofender-te todos os dias da minha vida, incluso hoje, se cometi algum pecado.

Protege-me na noite que se aproxima, preserva-me de todas as emboscadas e não permitas que eu caia sob a influência do inimigo e que por algum pecado desperte a ira de Deus.

Seja meu intercessor ante o Senhor para Ele fortalecer-me no temor santo e torne-me servo digno da Sua santidade. Ámen.


La più antica e potente preghiera all'ANGELO CUSTODE.

L’antica preghiera all'Angelo Custode che vi proponiamo risale al IV secolo d.C. ed ha avuto origine con un Padre del deserto, San Macario di Egitto.

Ecco la preghiera da recitare:

Angelo santo che vegli sulla povera anima mia e sulla infelice mia vita, non abbandonare me peccatore e non allontanarti da me a causa delle mie impurità.

Non dare allo spirito maligno il potere di impadronirsi di me attraverso la tirannia di questo corpo mortale.

Domina la mia mano povera e debilitata e conducimi sulla via della salvezza.

Si, o angelo santo di Dio che custodisci la mia povera anima e il mio corpo, perdonami tutto quello che ha potuto offenderti in tutti i giorni della mia vita, e anche se ho commesso qualche peccato oggi.

Proteggimi nella notte che si avvicina e preservami da ogni minaccia e insidia del nemico onde non incorra nella collera di Dio con qualche peccato.

Sii mio avvocato presso il Signore affinché mi fortifichi per il santo timore e faccia di me un servo degno della sua santità. Amen.

Loumari disse...

Por que o estado brasileiro não ajuda empresas em dificuldades? Tão rico que é estado brasileiro não dispõe de fundos reservados a subvencionar empresas em dificuldades, sobretudo quando se trata de grandes empresas que fazem o prestígio da Nação? Um governo deve ter como prioridade a preservação do emprego.
Olhem para países europeus quando suas grandes empresas atravessam por momentos difíceis, o estado desbloqueia bazuca em fundos para o resgate de empresas em dificuldade e ajudá-las a emergir do fundo do poço.
Brasil é um estado que vale triliões e triliões, e não depõe de fundos para ajudar as grandes e medianas empresas?
Cruza de braços e assistir as empresas a afundarem e deixar milhões de brasileiros desempregados.
Um estado é forte graças a diversas empresas em actividade. Um povo feliz é um estado estável e amado pelo seu povo.
Brasil tem dinheiro para enviar um avião das forças aéreas até Maputo para ir resgatar um baron das drogas, e não tem dinheiro para suportar empresas nacionais que geram este dinheiro que o estado mal gasta.

Rodrigo Almeida disse...

Eu não vejo nenhum envolvimento do Bolsonaro nesse escândalo. Quem tem filho no Banco do Brasil é o Mourão. Com promoções bastante questionáveis, diga-se de passagem. A principal fonte de problemas atual do presidente é a atuação do pateta Pazuello na saúde. Os militares estão participando da conspiração porque também têm seus esquemas na administração pública, como qualquer pessoa que trabalhou no mercado financeiro sabe.

Anônimo disse...

Mais um .: Assumirá. Seguem o script d.sempre. e o gado muge... Tudo altamente.previsível e escrito por aí.... Lah vamos nós!!!!!!

Anônimo disse...

Todos parecem estar ricos ou com a vida ganha porque "mereceram". BraZil eh Soh esquema. Pqp.*

Anônimo disse...

Quando o governo quis mandar kits Covid para Manaus, que poderiam evitar internações, criaram empecilhos administrativos para seu uso. Tudo é orquestrado para causar o maior dano possível.

Anônimo disse...

Quem considera equilibrado um vice que afirma que as perigosas e inseguras "vacinas" devem ser obrigatórias (inclusive a terapia genética das mRNA contratadas pelo governo federal)?