quarta-feira, 27 de janeiro de 2021

Estado Anárquico


Artigo no Alerta Total - www.alertatotal.net

Por Carlos Henrique Abrão


O total desrespeito à cidadania e a absoluta falta de representatividade fizeram com que novos partidos ingressassem no cenário nacional e principalmente internacional. A pandemia brotou o sentimento de revolta e protesto. Pipocam em alguns Países Europeus movimentos de discórdia com as medidas governamentais rigorosas, enquanto no Brasil a crise se agudiza e o resultado operacional é mais roubalheira e corrupção - aliás como não poderia deixar de ser, uma vez que maus empresários e péssimos governantes compõem o lado nefasto de uma pseudo sociedade organizada.


Mas não é só. Atualmente temos cortes seguidos de água e basta chover um pouco ficamos sem luz. A submissão completa à vontade do soberano governante parece ter os dias contados, e não somos escravos da livre manifestação de pensamento daqueles que nos dirigem.


Erramos sim e feio no remédio no isolamento total e agora mais medidas de recrudescimento adotadas,pessoas desesperadas,aumenta a taxa de suicídio e a esquizofrenia parece não ter vim,no início do ano de 2021 sem a milagrosa vacina ficaremos

errando do nada para lugar algum.Os governantes batem cabeça se criticam e buscam por meio de ácidas críticas aumentar o ibope, é uma pré estréia para o jogo que será jogado em 22, porém a população precisa do necessário para sobreviver e sem postos de trabalho e fechamento dos estabelecimentos comerciais teremos elevados números de falências ao mesmo tempo insolvências.


A queda do poder aquisitivo é bem notada e a expectativa que temos é uma piora do quadro geral sem o turismo interno e as viagens programadas. Não

haverá carnaval e os grandes espetáculos marcham à deriva. O futebol virou um lúdico esporte sem a presença do público e de bilheteria.


Poderá o Estado anárquico sobreviver em meio ao desfiladeiro para o qual somos empurrados diariamente com elevação de preços e sem perspectiva alguma de incrementação de alguma melhoria?


Tudo leva a crer que o povo está no limite da suportabilidade e de tolerância em relação à anarquia estatal que deixa faróis sem funcionar, permite crateras nas ruas, não honra precatórios e faz elevado deságio, cortes seguidos de água e luz interrompido o fornecimento,mas os tributos são impiedosos contra a cidadania e o aumento de homicídio sobe vertiginosamente ao lado da criminalidade.


É momento de se fazer uma trégua, do armistício, da população exigir responsabilidade da governabilidade, pelo menos por 30 dias, cooperando a mídia e trabalharmos de mãos dadas para um ideal comum.


Caso contrário instaurado o caos deflagrado pela anarquia teremos dias tormentosos pela frente e uma constante ameaça da quebra de um estado de direito que recalcitra em ser implantado definitiva e exitosamente.


Carlos Henrique Abrão, Desembargador do Tribunal de Justiça de São Paulo, Doutor em Direito Comercial pela USP com especialização em Paris, professor pesquisador convidado da Universidade de Heidelberg, autor de obras e artigos.


2 comentários:

Anônimo disse...

No meu humilde entender eh uma Bela análise do Dr. Infelizmente, vai piorar, o povo não vai reagir, o gobiernU eh pior q o anterior. Não temos identidade, nem nada q nós sustente como nação. Hah sádicos.em posições chaves, gente d renda farta às custas do suor alheio. Vejo 'gentes' quase humanas por todos os lados. Não hah esperança para a maioria nomporvir. Br acabou tristemente. Foi um projeto injusto desde o nascedouro... Sinto tb pelos mais jovens. Espero estar errado. Savanah Mínguas

Anônimo disse...

O povo da Suíça já está reagindo legalmente. O povo brasileiro desobedece o que considera injusto, sem se deter em legislação para isso. Os que não estão reagindo pertencem à classe média com salário ou aposentadoria garantidos e que foram histerizados pela mídia quanto à "pandemia".

Suíça fará referendo para retirar do governo o poder de impor bloqueios (Sinais do Reino/Notícias e Comentários) https://www.sinaisdoreino.com.br/?cat=3&id=13287