terça-feira, 26 de janeiro de 2021

O ensurdecedor silêncio dos Tenuenses


Artigo no Alerta Total - www.alertatotal.net

Por João Guilherme C. Ribeiro

A comparação é o caminho.  Não vejo como possa haver outro, a não ser por preconceito, doutrina ou interesse, nenhum dos três dignos de quem tem formação democrática. 

Não se precisa de muita matemática para resolver esse tipo de problema. 

Bastam duas colunas para os fatos positivos e mais duas para os negativos.

– Na coluna dos negativos do Presidente, se tirarmos as narrativas cheias de mentiras, injúrias, distorções, mentiras descaradas e outras insignificâncias, ridiculamente retratadas como crimes (como os perdedores gostariam de pena máxima, em vez de impeachment!), não fica muita coisa verdadeira...

– Na coluna dos positivos do Presidente, propositadamente ocultada pela grande mídia imunda, apesar de todo tipo de entrave, processos fake, STF abjeto, políticos da pior extração, o Brasil se recupera e não só as promessas de campanha se cumprem (apesar das agressões e traições) como também não houve qualquer recurso à pretensa de atitudes ditadoriais, as mesmas de que o Presidente foi alvo.  E há dois anos sem superfaturamentos e propinas, corrupção inexiste.  Observem, sequer estou falando de atentados não investigados...

Agora, para ficar mais interessante, que tal mais uma coluninha, intitulada CUI BONOa quem interessa

Ora, não existe geração expontânea.  Tudo vem de algum lugar, com alguma motivação e por algum interesse, concordam? 

Para os que antecederam o Presidente, a comparação será meramente retórica.  Não vai haver papel suficiente para listar os malfeitos desses "democráticos" que – não à toa – perderam as eleições, as ruas, a credibilidade e a chave do cofre.

Desde quando democracia não aceita alternância ou renovação? 

 

Francamente, a comparação é tão absurda que nem sei o que ainda há para discutir.  É preciso estar ainda dopado pelos trinta anos de militância ruinosa para não perceber.  Ou, quem sabe, em um estado de maturidade incompleto, que ainda olha romanticamente para essas doutrinas fracassadas do passado como se fossem bilhetes de entrada para o paraíso igualitário.  Se alguém tiver um único lugarzinho em que tenham dado certo, que cite, porque eu desconheço.  Aliás, o melhor analista dessas doutrinas, George Orwell (!!!) mostra que o igualitarismo delas esparra na realidade em dois fatores: humanos não são iguais como os doutrinadores gostariam e, por isso mesmo, em todos os supostos paraísos, há porcos.  Sim, os porcos que "são mais iguais do que os outros".  Para os "menos iguais", fica a obrigação de sustentar a "nova classe" de potentados dessa monarquia sem nobreza nem escrúpulos...

Finalmente, se meu pai fosse o Presidente e eu filho dele, sabendo que tudo é injúria, difamação, mentira e distorção, vendo a honra dele e da família atacada e depois de um tentado impedido de ser investigado, que por pouco não o matou...

... Ah, podem apostar que eu faria muito pior que a rapaziada Bolsonaro.

E estranharia muito se alguém de brio, como vocês, não fizesse o mesmo!

João Guilherme C. Ribeiro é Livre pensador e empreendedor cultural.

Um comentário:

Anônimo disse...

O pensador precisa estudar mais a Língua Portuguesa para comunicar seu pensamento.