sexta-feira, 16 de abril de 2021

Desilusão Suprema da Nação


Artigo no Alerta Total - www.alertatotal.net

Por Carlos Henrique Abrão

De repente, não mais do que de repente, o Brasil afundou e não mostra reação. O que aconteceu exatamente com o País do Futuro em meio ao tsunami da pandemia e falta de liderança para renovar as forças e demonstrar o vigor do qual não mais somos a décima economia do planeta?

Muitos e seguidos erros foram cometidos ao longo de uma década, de todas as formas e modos. O endividamento público é marcante, e o acovardamento da sociedade que não evidencia sinal de querer construir o futuro da Nação. As instituições praticamente não funcionam, e vivemos um regime quase parlamentar. A imprensa somente notícia tragédia, de uma maneira geral, e o que sempre fomos hoje não mais representamos.

País alegre e cheio de vida para todos os cantos, o brasileiro sempre foi sorriso,agora carrancudo preocupado com tudo e com todos, desde o seu dia a dia até o envelhecimento. Mas a polarização da política revestiu-se de péssimo gosto ancorado no extremismo e assim fomos catapultados.

O Brasil saiu do mapa global e as Nações desenvolvidas não nos olham com aquela visão do passado. Foi rompido o elo que nos vinculava ao País pujante de recursos minerais, de uma juventude aguerrida, e principalmente de setores industriais e empresariais lutando para conseguir uma maior competitividade.

E apesar de uma certa euforia que domina os negócios na bolsa de valores,no mais os projetos arrojados se foram, o diálogo parece cessado, e somente a interlocução se prende à pandemia e a eleição de 2022. Péssimo exemplo que se ostenta na reeleição a qual deveria ser banida do cenário nacional.

Enquanto isso um número nada desprezível de pequenas e médias empresas mantendo-se fechadas pelas ordens das autoridades púbicas terão enormes dificuldades para soerguimento e renovação dos estoques, fluxo de caixa e retomada dos negócios atrelados à clientela.

A disrupção é notória e fomos perdendo ao longo dos anos toda a identidade do brasileiro, sem sorriso, sem esperança, sem alegria, sem emprego, sem saúde e principalmente sem amanhã. Hoje a juventude, quase toda ela, que tem recurso pega o avião e prefere morar no exterior. Os bolsões de miséria se acentuam e a fome se propaga.

A realidade nua e crua evidencia hoje, mais do que nunca, uma desilução suprema com o País e o modelo que fracassou. A questão a ser colocada é se teremos no cenário internacional global apoiamento suficiente para sairmos do marasmo e da comodidade de produtos agrícolas para exportação.

Eis que muitas empresas estrangeiras já partiram e não quiseram experimentar desiluções em solo pátrio. Os benefícios fiscais, cada dia mais, vão ficando espremidos e os grupos poderosos não aceitam o risco. O nosso empresariado se locomove com muito discernimento, mas a tributação é irracional e a burocracia extremamente danosa.

Alcançaremos níveis de qualidade de vida melhor? É a dùvida, mas para tanto se exige cultura, educação e sobretudo uma competente pasta da saúde que olhe com carinho e dedicação aos milhões de brasileiros sem recursos financeiros e nas filas de atendimento.

Repaginar o Brasil passa por reformas, melhoria de renda, distribuição da riqueza, tudo isso dependerá de uma equação: o verdadeiro encontro da sociedade com seu destino.

Carlos Henrique Abrão é Doutor em Direito Comercial pela USP com especialização em Paris, professor pesquisador convidado da Universidade de Heidelberg, autor de obras e artigos. 

5 comentários:

Anônimo disse...

"""Péssimo exemplo que se ostenta na reeleição a qual deveria ser banida do cenário nacional."""

Nos textos desse filosofo, sempre dá para refutar todas as linhas. Então vou me apegar á apenas essas linhas, que são seguidas por 11 em cada 10 firulosofos.

Se não tivesse reeleição, não mudaria nada; você e o resto da teta publica, continuariam atacando o Bolsonaro, para inviabilizar o seu escolhido (sabendo ou não, qual seria ele). Porque o que vocês querem, não é tirar o Bolsonaro; é retomar a chave da teta publica (e interromper as mudanças estruturais).

Stars disse...

Uma DESajuda ao Brasil escrever tamanha bobagem. Isto faz o povo ficar com mais medo e agir menos, e coloca os comunistas em vantagem por estas razoes. Povo inutil ainda mais inutilizado e os comunistas com uma ideia que talvez eles nao se lembraram. Que jornalismo inteligente e saudavel vcs acreditam estar fazendo com tais postagens?

Stars disse...

Que tipo de jornalismo inteligente e informativo é este que põe medo na população , manda tirar dinheiro de circulacao e demitir todos os funcionarios ? Convenhamos, facam algo se util pelo pais mas nao inventem oi falam coisas deste tipo. Em vez de encorajar o povo á ir em peso as ruas e exigir uma INTERVENÇÃ0 FEDERAL, alguem sem curriculum ou conhecimento para falar tal coisa, simesmente entope as redes sociais com tamanha incompetencia ( para falar deste caso) e irresponsabilidade e piora as coisas. Eu naoeio VCs e recebi isto de um coitado que ja esta tremendo aceeditando vcs estarem falando a verdade. Pensa num pais com di heiro escondido e todo mundo demitido. CONVENHAMOS. E vcs vao apagar meu comentario ou nem permitir a postagem dele. Mas eu tirei.pri t screen.

Anônimo disse...

"""Repaginar o Brasil passa por reformas, melhoria de renda, distribuição da riqueza, tudo isso dependerá de uma equação: o verdadeiro encontro da sociedade com seu destino."""

Repaginar o Brasil, passa por liberar a informação. Que vocês liberem os comentários do povão; para que a gente saiba da opinião do povão; em vez de sermos obrigados, á ter acesso apenas a opiniões de MALANDROS iguais a você.

Chauke Stephan Filho disse...

Nação?! Que nação?