domingo, 11 de abril de 2021

O Poder Supremo se mete em tudo?


Edição do Alerta Total – www.alertatotal.net

Por Jorge Serrão - serrao@alertatotal.net

Siga-nos no Twitter e Parler - @alertatotal

O Supremo Tribunal Federal se mete em tudo? O Presidente Jair Bolsonaro reclamou que sim. É mais um capítulo na disputa por soberania no Brasil. Por enquanto, o time dos 11 togados vence de goleada. O chefe de Estado e de Governo do País terá de repensar suas estratégias de exercício do poder e de comunicação. Reclamar pouco adianta. Quem reclama já perdeu. Na visão popular, é o “STF quem está mandando”. Assim, no imaginário da maioria dos cidadãos, Bolsonaro estaria “refém” ou subordinado à atual escalação Suprema.

Acontece que o Poder Supremo não é o Executivo, nem o Legislativo e nem é o Comandante em Chefe das Forças Armadas. O Supremo deveria ser uma Corte Constitucional. Mas, com a judicialização da política (ou da politicagem, você decide), o STF tem se mostrado “acima de tudo” e “acima de todos”. Acionado para resolver qualquer assunto, o papel originário do tribunal se banaliza. Cria-se até a falsa imagem de que existe uma “quarta instância” judicial no Brasil. Eis a jabuticaba das jabuticabas.

Fundamental é constatar que o STF exerce a soberania de seu Poder Supremo. Curiosamente, seus membros não foram eleitos pelo voto do povo. Foram indicados, politicamente, sabatinados pelo Senado e nomeados por Presidentes da República. Portanto, seria natural e óbvio ululante que o titular do Palácio do Planalto também exerça sua soberania. As atribuições presidenciais estão claramente estabelecidas nos artigos 84 e 142 da Constituição Federal de 1988. Todas são impositivas. Se o mandatário não as cumpre, coloca o governo na ilegalidade - como bem ressalta o advogado e livre pensador jurídico Antônio José Ribas Paiva.

A situação institucional sai de controle, com o agravamento da guerra autofágica de todos contra todos os poderes. Na realidade, todos perderam a noção do que realmente acontece no Brasil. O sistema hoje é terra de ninguém. Não existe soberania. A aparente unidade do Estado foi rompida. Alguns grupos querem restabelecer a unidade do sistema. Mas ficou escancarado que o Brasil é uma anarquia feudal. As oligarquias regionais comandam o Estamento Burocrático. O STF tem sido uma correia de transmissão oligárquica.

 

Quando o STF atropela o Executivo, o Legislativo e os Militares, promove uma tentativa de secessão do Estado. A ordem hierárquica estabelecida na Constituição tem sido violada. Isso é secessão. Não existe poder comum. Desde a queda do Império não existe soberania no Brasil. Até a ordem aparente das coisas foi rompida. Agora vale tudo. Quem se acha com mais poder (no caso, os 11 do STF) determina como o jogo se desenvolve.

 

A União não outorga mais poderes a estados e municípios. Assim decidiu o STF no combate à pandemia. A ruptura institucional já foi feita pelo suposto “Guardião da Constituição”. Suposto, porque o legítimo e verdadeiro guardião é o Povo, quem detém o Poder Originário. Acontece que o povo, no jogo real do exercício do poder, não tem a força que parece e merece. Assim, o pirão institucional desandou. Virou guerra de todos contra todos, como movimentos truculentos e surpreendentes. A Presidência da República cedeu a soberania a outras poderes. Soa estranho o Presidente reclamar e recorrer ao STF por usurpação de poder. Agindo assim, ele reafirma e chancela o Poder Supremo (Togado). A vontade popular é irrelevante. Vale o que a oligarquia - comando do Estamento Burocrático - resolver que vale.

 

A luta é por quem tem capacidade real para exercer o papel de poder soberano. Hoje, não existe poder soberano no Brasil. Temos a forte impressão de uma hegemonia exercida pelas correias de transmissão da oligarquia no Supremo Tribunal Federal - indevidamente chamado e tratado como “cúpula do Judiciário”. O STF “interpreta” a Constituição ao bel prazer dos interesses políticos. As narrativas contidas nos votos dos ministros escancaram a insegurança jurídica e promovem a efetiva injustiça no Brasil da impunidade, do perdão conveniente ou do rigor seletivo para punir os “inimigos do Estado”.

 

Junto com a campanha oposicionista sistemática para desgastar e inviabilizar o governo Jair Bolsonaro, o pandemônio gerado a partir das medidas erráticas para combater o vírus chinês (e sua mutação tupiniquim) apenas expôs a degeneração institucional do Brasil. Ao contrário do que insistem, em narrativas fantasiosas, alguns Generais da ativa, as instituições não funcionam normalmente. A não ser que o “normal” seja o regime do Crime Institucionalizado - definido pela associação delitiva entre bandidos de toda espécie e elementos que operam o Mecanismo da máquina estatal em todos os poderes da União, estados e municípios.

Não dá para falar em respeito à legalidade e à normalidade institucional quando os poderes constituídos, na realidade nua e crua, garantem e protegem a rapinagem do Poder Público. O maior inimigo do Brasil, há muito tempo, é a Ditadura Genocida do Crime Institucionalizado. A Cleptocracia assalta os cofres públicos e promove a chacina (genocídio) do povo brasileiro, principalmente de jovens da camada mais pobre. A média macabra é de 60 mil assassinatos por ano. Sem falar no desaparecimento de dezenas de milhares de pessoas.

 

Alguém já viu algum dos 11 membros do Supremo Tribunal Federal tratar, em público, ostensivamente, desse assunto de extrema gravidade? Claro que não! No entanto, muitos já devem ter escutado e visto alguns integrantes do STF acusarem em público, levianamente, o Presidente da República de ser um “Genocida” - mentira exaustivamente repetida pela propaganda esquerdopática, mas que a “direita” não repele com o devido rigor. Nem o Presidente processa quem o xinga de “genocida”. Assim, de tanta a leviandade ser repetida, sobretudo internacionalmente, acaba ganhando foro de veracidade.

 

Genocida é o Crime Institucionalizado no Brasil. O Presidente Jair Bolsonaro precisa recalibrar seu discurso e redefinir sua estratégia para atacar o verdadeiro inimigo. É pura perda de tempo e desgaste político inútil ficar batendo boca com integrantes do Supremo Tribunal Federal. O STF se mete em tudo porque a bandidagem organizada tupiniquim, através de suas bancas de advocacia milionárias, ajudam a promover e financiar (via seus clientes corruptos) a judicialização da politicagem.

 

A sociedade brasileira precisa debater, com a máxima urgência e competência, o problema da soberania institucional - afetada pelo Crime Organizado. Em vez de reclamar (mesmo que esteja certo sobre o que fala), o Presidente Bolsonaro precisa, efetivamente, agir, exercer seu legítimo poder soberano delegado pelo voto do povo brasileiro. Reclamações e bravatas podem ser boas para aguçar a popularidade - ou até gerar o contrário: desgaste de imagem.

 

Os segmentos esclarecidos da sociedade brasileira precisam debater Política com menos emoção infantil e mais racionalidade. É urgente uma retomada da União Nacional. Os extremismos ideológicos e partidários só agravam a crise institucional e não contribuem para a adoção de soluções práticas para problemas estruturais, históricos e culturais. Nossos “poderosos” terão de baixar a bola. Ou o jogo vai terminar na pancada ou na ditadura do “tapetão”. Por enquanto, o Poder Supremo se mete em tudo porque a maioria da sociedade é omissa, e a classe política totalmente inadequada para o exercício do poder, em bases legais e legítimas.

 

Cabe ao Presidente Bolsonaro liderar o processo de rearranjo. Ou, então, terminar como mais uma vítima do desarranjo generalizado que pode redundar em guerra civil, com conflitos de resultados desagradáveis e inesperados, como o separatismo e desintegração do território nacional. O Brasil já está rachado. Só falta acabar repartido, de verdade.

 

Enquanto não cumpre a missão de liderar o processo de reequilíbrio institucional (tomara que encontre condições e demonstre competência para operar tamanho milagre), Bolsonaro tem uma obrigação: fazer o que o sistema criminoso não deseja. Acione sua caneta esferográfica baratinha e mande a PF apurar a responsabilidade de Prefeitos e Governadores com o uso dos bilhões que o Governo Federal enviou para combater a crise do vírus chinês.

 

Resumindo: Não adianta rugir como leão para o STF no discurso, mas na vida real miar como gatinho para a turma do Centrão que teme a apuração dos crimes. O Presidente precisa ser certeiro no tiro, ou a bala atingirá seu pé (ops, seu mandato e seu futuro político). Não precisa ser Django, mas tem de agir como gato, e pegar os ratos. Tem de se antecipar à CPI da Pandemia ou, na pior hipótese, tirar proveito político favorável dela. É isso ou seu papel como Presidente se encerra. Entrega a chave para o STF e vai para pescar em Angra dos Reis.

 

Releia o artigo: O dia em que o Poder Supremo estremeceu

 

Django (o original)

 

Em 1966, eles já sabiam que o homem viria:






Representando Ciro Gomes, dupla caipira leva mensagem à rainha:



  







Adquira, também, o livro A ÚLTIMA MARCHA DA MAÇONARIA.

Para maiores informações clique aqui:

https://loja.umlivro.com.br/a-ultima-marcha-da-maconaria/p

Ave atque Vale! Fiquem com Deus. Nekan Adonai!

Jorge Serrão é Flamenguista. Editor-chefe do Alerta Total. Comentarista Político da Rede Jovem Pan.  A transcrição ou copia dos textos publicados neste blog é livre. Apenas solicitamos que a origem e a data original da publicação sejam identificadas. 

© Jorge Serrão. Edição do Blog Alerta Total de 11 de Abril de 2021.

23 comentários:

Anônimo disse...

rvchudo
domingo, 11 de abril 2021
Lula é o PT. O PT é o Lula.

Foi Lula quem escolheu Dilma para sucedê-lo (uma analfabeta que nada entendia de nada, nem vereadora tinha sido antes).

Foi Lula que chamou Michel Temer para ser o vice dela.

Programas de crédito subsidiado pelo BNDES, emissão de títulos da dívida, Medidas Provisórias, nomeação de diretores em estatais…

Tudo isso depende da assinatura do Presidente da República.

O esquema entre Temer e a JBS foi iniciado e alimentado durante os governos Lula e Dilma.

Lula e Dilma fizeram campanha para Sérgio Cabral e Eduardo Paes.

Lula e Dilma nunca manifestaram interesse em acabar com o foro privilegiado, nem com os super salários e pensões que estão corroendo as contas públicas.

Foram Lula e Dilma que entupiram o estado com militantes e amigos deles.

Depois de 13 anos de PT, os jovens pobres continuam saindo das escolas mal sabendo escrever seus próprios nomes.

Cerca de 27% dos brasileiros são analfabetos funcionais e 30% dos brasileiros nunca leram um único livro na vida.

O PT recebeu um país com taxa de evasão escolar de 7,6% e entregou com 16,5%.

Quando Lula foi eleito, 9,5% dos jovens não trabalhavam.

Quando Dilma saiu, esse percentual estava em 25,8%.

Depois de 13 anos de PT, metade dos domicílios brasileiros continuam sem acesso a rede de esgoto e 30% não têm acesso a água tratada.

Depois de 13 anos de PT, metade dos trabalhadores continua ganhando menos de um salário mínimo por mês, 20 milhões de pessoas ganham menos de R$ 140 e quase 9 milhões de pessoas encontram-se na extrema pobreza com renda abaixo de 70 reais.CONTINUA....

Anônimo disse...



RVCHUDO – CONTINUA II....

Depois de 13 anos de PT, metade dos nordestinos dependem do Bolsa Família para viver.

Depois de 13 anos de PT, mais de 60 mil pessoas são assassinadas por ano e a taxa de elucidação de homicídios chega a ser de 4% no Pará.

Outros 21 estados sequer sabem quantos homicídios são elucidados anualmente.

Nunca antes na história deste país os bancos lucraram tanto quanto nos governos Lula e Dilma.

Ambev, Eike Batista e suas empresas, JBS, Lojas Riachuelo, OAS, Odebrecht e tantas outras grandes empresas foram infladas com dinheiro que o PT roubou dos brasileiros.

O PT roubou mais de R$ 70 bilhões dos funcionários da Caixa Econômica, do Banco do Brasil, da Petrobrás e dos Correios.

Roubou mais de R$ 100 milhões de milhares de funcionários públicos.

Segundo o TCU, 578 mil contratos da Reforma Agrária e mais de 1,1 milhão de cadastros do Bolsa Família estavam irregulares.

Junto com outros partidos, o PT roubou R$ 42 bilhões da Petrobrás.

É preciso repetir: era o PT que ocupava a Presidência da República.

Era o PT que tinha o poder das decisões.

Antes de ser afastada, Dilma cortou bilhões de reais em verbas de todas as áreas. CONTINUA....

Anônimo disse...


RVCHUDO – CONTINUA III...

Considerando que a esquerda acredita que uma pequena minoria da população enriquece às custas da pobreza da grande maioria, devemos concluir que o PT foi o maior vetor de desigualdade social da história desse país.

Pesquisa publicada pelo IPEA mostra que a única parcela da população que teve aumento de renda durante o segundo mandato de Dilma foi a dos super ricos, pessoas com renda acima de R$ 150 mil por mês.

O restante da população teve redução na renda.

Os bancos, por exemplo, lucraram durante o governo Lula oito vezes mais do que no governo de FHC.

A intervenção federal na segurança pública do Rio de Janeiro só está acontecendo porque durante 13 anos o PT ignorou a pauta, mantendo as fronteiras escancaradas para a entrada de armas compradas por criminosos e incentivando a delinquência.

Durante os governos do PT, a criminalidade explodiu nas regiões mais pobres do Brasil.

No Amazonas, Ceará, Maranhão, Rio Grande do Norte, Sergipe e Tocantins, o número de homicídios aumentou 100%.

No Rio Grande do Norte, o aumento foi de 232%.

Como se fosse pouca culpa, Lula e o PT ainda se dedicam a atacar a Lava Jato, o que beneficia dezenas de políticos corruptos, incluindo o tucano Aécio Neves.

O PT tem culpa até no colapso econômico da Venezuela, uma ditadura socialista que foi financiada com empréstimos bilionários do BNDES.

O Partido dos Trabalhadores não promoveu “avanços sociais”.

Os “milhões de brasileiros tirados da pobreza” são um golpe de marketing baseado na mudança dos critérios de identificação de classes sociais, a partir do qual só pode ser considerado pobre o cidadão com renda abaixo de R$ 291 por mês..

Acima disso, a pessoa já é “classe média”.

Resumindo, o PT promoveu apenas corrupção e desperdício de dinheiro dos pagadores de impostos em larga escala, resultando na maior recessão da história do país e afetando principalmente os mais pobres..

Portanto, pode gritar: sim, é tudo culpa do PT! CONTINUA....

Anônimo disse...




REVCHUDO = CONTINUA IV E TERMINA....


E para finalizar, se você, depois de tudo isso ainda defende o Lula e seus crimes, vai embora desse país, você é um inimigo da Pátria e não merece viver no Brasil!

OU UM INCURÁVEL ALIENADO!

**Texto de João César de Melo, artista plástico formado em arquitetura.

Jornal da Cidade

Postado por Ricardo Oscar vilete Chudo às 04:10

Rodrigo Almeida disse...

Existem alguns recados interessantes nessa coluna.

(Patrício) - José Ap. Santos disse...

Gostei dessa publicação!

Rogerounielo disse...

Roteiro de enviado de Biden à América do Sul não inclui Brasil - Juan S. Gonzalez é o “Ernesto Araújo” do Conselho de Segurança Nacional dos Estados Unidos e deveria ser demitido, se os EUA querem de fato avançar com questões técnicas com o Brasil e demais países do mundo - Vinte governadores brasileiros estão juntos na preparação de uma carta ao presidente Joe Biden. O grupo se define como “governadores pelo clima”, e diz no texto, ainda em rascunho, que seus estados representam 87% do território nacional ((((((((((((O artigo 5º da Lei nº 1.079, de 10/04/1950 - O artigo 84, da Constituição Federal, que diz que “Compete privativamente ao Presidente da República”, “manter relações com Estados estrangeiros e acreditar seus representantes diplomáticos” - Aplicação dos artigos 34 e 142, da Constituição Federal, para “manter a integridade nacional”)))))))))))) - “Não, obrigado': Coreia do Sul recusa convite dos EUA para participar do grupo Quad, diz mídia” - “EUA coordenarão com aliados possíveis sanções contra Nord Stream 2”, “EUA ameaçam empresas europeias que não abandonarem o gasoduto russo Nord Stream 2”, “Mensagem desagradável': especialistas avaliam entrada de navio dos EUA em zona exclusiva da Índia”

Fonte - Link https://www.linkedin.com/pulse/roteiro-de-enviado-biden-%25C3%25A0-am%25C3%25A9rica-do-sul-n%25C3%25A3o-inclui-brasil-fran%25C3%25A7a/?trackingId=Szc6vOC7kgbozs0DfBnWCQ%3D%3D

Continua

Rogerounielo disse...

Continuação

Observação: depois de ler a análise, a partir do item 1 abaixo, reflita para ver se concorda com as seguintes reflexões:

a) “Os EUA são um país CONFIÁVEL para serem PARCEIROS do Brasil e de qualquer país do mundo, em qualquer tema que envolva a soberania nacional, inclusive na questão climática?;

b) o grupo que se define como “governadores pelo clima”, que diz que seus estados representam 87% do território nacional, que estão preparando uma carta a Biden para dizer “que estão conscientes da emergência climática global e das responsabilidades que têm na redução dos gases de efeito estufa e no combate ao desmatamento” estão adotando uma ação GEOPOLÍTICA, perigosa para os interesses econômicos, financeiros e militares, do Brasil?

Continua

Rogerounielo disse...

Continuação

b.2) por acaso os “governadores pelo clima”, com essa carta a Biden, avaliaram as consequências econômicas, financeiras, geopolíticas, militares e para o agronegócio, do Brasil, no curto prazo, ao se “envolverem conscientemente”, por causa de ideologias de “esquerda” ou “ideologias de direita”, que estão “deixando-se” manipular e manipulando o Brasil, no cenário geopolítico internacional, para atender interesses dos EUA, que podem, no futuro próximo, prejudicar o Brasil economicamente, financeiramente, geopoliticamente, militarmente e prejudicar o agronegócio, do Brasil, inserindo o país, SEM NENHUM TIPO DE ESTRATÉGIA, em “guerra geopolítica, econômica e financeira” entre os EUA, a Rússia e a China???

b.2.1) Se tivermos uma guerra, de fato, entre EUA, Europa, China e Rússia, o Brasil vai ser militarmente atacado pela China e pela Rússia, por que a carta dos “governadores pelo clima”, enviada a Biden, vai ser interpretada pela China e pela Rússia como um alinhamento geopolítico e militar, automático, do Brasil, aos EUA?

Continua

Rogerounielo disse...

Continuação

b.2.2) Onde os “governadores pelo clima”, com essa carta a Biden, estão com a cabeça? Enlouqueceram? Perderam o senso do perigo? Estão recebendo dinheiro do governo dos EUA, em contas na suíça, para preparar e enviar essa carta a Biden?

b.2.2.1) Onde está a responsabilidade da imprensa nacional com o Brasil, uma concessionária de serviço público, ao apoiar e divulgar essa iniciativa dos “governadores pelo clima”, que cria riscos econômicos, políticos locais, políticos internacionais, financeiros, geopolíticos e militares para o Brasil, sem nenhum tipo de análise, mínima, sobre a conjuntura de “guerra declarada” entre EUA, Europa, China e Rússia, olhando, apenas, para seus interesses políticos imediatos em defender a ideologia do grupo que patrocina, contrapondo, MILITARMENTE e GEOPOLITICAMENTE, EUA/Brasil contra Rússia e China, por meio da utilização da estratégia do “clima”?

Continua

Rogerounielo disse...

Continuação

b.2.3) Se os “governadores pelo clima” querem dizer ao mundo “que estão conscientes da emergência climática global e das responsabilidades que têm na redução dos gases de efeito estufa e no combate ao desmatamento”, que façam uma carta ao Biden, Presidente dos EUA, a mesma carta ao “Putin’, Presidente da Rússia, a mesma carta ao “Xi Jinping”, Presidente da China, a mesma carta aos demais Presidentes dos demais países do mundo, inclusive a mesma carta para a ONU, mas não esqueçam os “governadores pelo clima” de que nos termos do inciso VII, do artigo 84, da Constituição Federal, que “Compete privativamente ao Presidente da República”, “manter relações com Estados estrangeiros e acreditar seus representantes diplomáticos”, ou seja, a representação externa do Brasil não cabe aos Governadores dos Estados, mas ao Presidente da República, de acordo com a Constituição Federal do Brasil e não de acordo com a Constituição Federal dos EUA;

b.2.3.1) Então, os 20 (vinte) Governadores brasileiros, que se autointitulam “governadores pelo clima”, podem fazer uma carta ao Biden, Presidente dos EUA, a mesma carta ao “Putin’, Presidente da Rússia, a mesma carta ao “Xi Jinping”, Presidente da China, a mesma carta aos demais Presidentes dos demais países do mundo, inclusive a mesma carta para a ONU, mas esses 20 (vinte) Governadores brasileiros deveriam assinar essas cartas junto com o Presidente da República, para cumprir inciso VII, do artigo 84, da Constituição Federal, que diz que “Compete privativamente ao Presidente da República”, “manter relações com Estados estrangeiros e acreditar seus representantes diplomáticos”;

Continua

Rogerounielo disse...

Continuação

b.2.3.2) os 20 (vinte) Governadores brasileiros, que se autointitulam “governadores pelo clima”, não devem se esquecer de que a Lei nº 1.079, de 10/04/1950, que define os crimes de responsabilidade e regula o respectivo processo de julgamento, em seu artigo 5º, diz que são crimes de responsabilidade contra a existência política da União:

1 - entreter, direta ou indiretamente, inteligência com governo estrangeiro, provocando-o a fazer guerra ou cometer hostilidade contra a República, prometer-lhe assistência ou favor, ou dar-lhe qualquer auxílio nos preparativos ou planos de guerra contra a República;

2 - tentar, diretamente e por fatos, submeter a União ou algum dos Estados ou Territórios a domínio estrangeiro, ou dela separar qualquer Estado ou porção do território nacional;

3 - cometer ato de hostilidade contra nação estrangeira, expondo a República ao perigo da guerra, ou comprometendo-lhe a neutralidade;

6 - celebrar tratados, convenções ou ajustes que comprometam a dignidade da Nação;

Continua

Rogerounielo disse...

Continuação

b.2.3.3) os 20 (vinte) Governadores brasileiros, que se autointitulam “governadores pelo clima”, não devem se esquecer de que assinando essa carta ao Biden, descumprindo o inciso VII, do artigo 84, da Constituição Federal, que diz que “Compete privativamente ao Presidente da República”, “manter relações com Estados estrangeiros e acreditar seus representantes diplomáticos”, criam risco internacional de submeter a República Federativa do Brasil aos interesses dos EUA, com os EUA, comodamente, quebrando a SOBERANIA NACIONAL, por meio dos 20 (vinte) Governadores brasileiros, que se autointitulam “governadores pelo clima”, o que QUEBRA, por via de consequência indireta, A INTEGRIDADE NACIONAL, quando os estados federados agem no cenário internacional, em nome próprio, manifestando PODER SOBERANO, aceito pelos EUA, desconsiderando a PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL, o que autoriza a união a intervir nos Estados e no Distrito Federal, com base no artigo 34, da Constituição Federal, para “manter a integridade nacional”, bem como autoriza aplicação do artigo 142, da Constituição Federal, se a Procuradoria Geral da República se mantiver inerte em processar esses 20 (vinte) Governadores brasileiros, que se autointitulam “governadores pelo clima”, se passarem a agir, sozinhos, no cenário internacional, descumprindo o inciso VII, do artigo 84, da Constituição Federal, criando riscos econômicos, criando riscos financeiros, criando riscos geopolíticos e criando riscos militares para a República Federativa do Brasil.

Continua

Rogerounielo disse...

Continua

1. O título das quatro últimas matérias acima nos faz refletir se não seria uma bênção divina que no roteiro de enviado de Biden à América do Sul o Brasil não foi incluído?

1.1 Da forma como os EUA se comportam geopoliticamente, hoje, não seriam os EUA um grande perigo para a soberania do Brasil, parceiro histórico dos EUA, e um perigo para a soberania de todos os demais países do mundo, parceiros históricos dos EUA?

1.2 O maior inimigo dos EUA são os próprios EUA e o Sistema Financeiro Internacional ((((vide análise abaixo)))). Os EUA se enganam pensando que os inimigos dos EUA são a Rússia ou a China:

Medidas iniciais de Joe Biden desafiam o neoliberalismo - “Fim do neoliberalismo? Biden adota medidas protecionistas e intervém na economia dos EUA” - O que é o verdadeiro “neoliberalismo” para o Instituto Ludwig von Mises - Brasil ("IMB") - Enfraquecimento do mercado interno dos EUA pela adoção de política estratégica de “FINANCEIRIZAÇÃO DAS DECISÕES ECONÔMICAS ESTRATÉGICAS” por parte de grandes corporações americanas e não americanas para produzir fora dos EUA, onde houvesse “ABUNDÂNCIA DE RECURSOS”, “MÃO DE OBRA ABUNDANTE”, “MÃO DE OBRA BARATA” e “INCENTIVOS FISCAIS”, o que enfraqueceu o mercado interno dos EUA e do Brasil ao longo do tempo - “Matemáticos revelam rede capitalista que domina o mundo” - Empresas que controlam “a rede capitalista que domina o mundo” são as responsáveis pelo enfraquecimento da economia interna dos EUA, que implementaram a “GLOBALIZAÇÃO”, em vários países do mundo, utilizando a política estratégica de “FINANCEIRIZAÇÃO DAS DECISÕES ECONÔMICAS ESTRATÉGICAS”, em vários países do mundo, inclusive no Brasil, transferindo atividades produtivas de determinados países para outros países, criando as “CADEIAS GLOBAIS DE PRODUÇÃO” que, atualmente, estão “matando” as indústrias de vários países do mundo como por exemplo nos EUA e no Brasil, para atendimento de retornos de capital aplicado exigidos pelo “SISTEMA FINANCEIRO INTERNACIONAL”, que concentra exponencialmente, ao longo do tempo, receitas e renda - "Intervenção capaz de aprimorar o mercado interno brasileiro" - Mudança da “GLOBALIZAÇÃO DA ERA INDUSTRIAL”, focada na política estratégica de “FINANCEIRIZAÇÃO DAS DECISÕES ECONÔMICAS ESTRATÉGICAS”, “ABUNDÂNCIA DE RECURSOS”, “MÃO DE OBRA ABUNDANTE”, “MÃO DE OBRA BARATA” e “INCENTIVOS FISCAIS” ((((((((((((GLOBALIZAÇÃO PREDATÓRIA E FALSO “NEOLIBERALISMO”)))))))))))), para “GLOBALIZAÇÃO DA ERA DIGITAL”, com abrangente e profunda "Intervenção da parte de todos os governos de cada país do mundo capazes de aprimorar o mercado interno da “ERA INDUSTRIAL” para mercado interno da “ERA DIGITAL” de cada país do mundo", verdadeiro “neoliberalismo mundial não predatório” - As Plataformas de Redes Sociais e o “MERCADO DIGITAL MUNDIAL”. Redes Sociais Como INSTRUMENTO POLÍTICO IDEOLÓGICO. O Florescimento do “MERCADO DIGITAL MUNDIAL” Por Meio Da Ideologia DA PAZ INCONDICIONAL Em Todas As Nações Do Mundo - Fonte - link https://rogerounielo.blogspot.com/2021/01/medidas-iniciais-de-joe-biden-desafiam.html e Fonte – Link https://www.linkedin.com/pulse/medidas-iniciais-de-joe-biden-desafiam-o-fim-do-adota-fran%25C3%25A7a/?trackingId=Lqp%2BFufVRmkGDPHjIrOzxA%3D%3D

1.2.1 A diplomacia americana é um completo desastre para os EUA, para os parceiros dos EUA e para o ocidente.

Continuação

Rogerounielo disse...

Continua

1.2.2 Está a diplomacia dos EUA, claramente, trabalhando para beneficiar os interesses GEOPOLÍTICOS da Rússia e da China, apesar de o discurso oficial da Casa Branca ser no sentido de que trabalham para conter a crescente influência geopolítica da China e da Rússia, no mundo.

1.2.2.1 Você chega a essa conclusão, facilmente, de que a diplomacia dos EUA, claramente, trabalhando para beneficiar os interesses GEOPOLÍTICOS da Rússia e da China, apesar de o discurso oficial da Casa Branca ser no sentido de que trabalham para conter a crescente influência geopolítica da China e da Rússia, ao analisar todas as ameaças econômicas, financeiras e militares, constantes do item 4.1.2, abaixo, que os EUA estão cometendo contra aliados históricos dos EUA, inclusive contra o Brasil, que estão quebrando a relação de confiança entre os EUA e seus aliados históricos.

2. Como é que os EUA poderiam enviar Juan S. Gonzalez, diretor sênior de questões ocidentais do Conselho de Segurança Nacional dos Estados Unidos, para o Brasil, se Juan S. Gonzalez é crítico do Governo Jair Bolsonaro?

2.1 Seria no mínimo estranho que a Casa Branca enviasse Juan S. Gonzalez, um “desafeto” público declarado do Governo Jair Bolsonaro, para fazer uma visita oficial ao Brasil.

Continuação

Rogerounielo disse...

Continua

2.1.1 Por um lado, a Casa Branca foi coerente ao não enviar Juan S. Gonzalez ao Brasil, um “desafeto” público declarado do Governo Jair Bolsonaro, para fazer uma visita ao Brasil, pois dessa forma impediu que as relações de Juan S. Gonzalez, um “desafeto” público declarado do Governo Jair Bolsonaro, degringolem mais ainda, e façam as relações do Brasil com os EUA, também, irem pelo ralo.

3. Juan S. Gonzalez é o “Ernesto Araújo” do Conselho de Segurança Nacional dos Estados Unidos.

3.1 Se os EUA desejam retomar algum tipo de liderança no cenário GEOPOLÍTICO GLOBAL, para combater o crescente aumento da esfera de influência da China e da Rússia, não poderia se dar ao luxo de ter Juan S. Gonzalez, o “Ernesto Araújo” do Conselho de Segurança Nacional dos Estados Unidos, no Conselho de Segurança Nacional dos Estados Unidos, para dar declarações públicas desastradas e inconsequentes, que minam a relação do Brasil com os EUA e abrem um mar de oportunidades para a China e para a Rússia junto ao Brasil.

Continuação

Rogerounielo disse...

Continua

3.1.1 Certamente, o Brasil vai saber aproveitar as oportunidades com a China e com a Rússia, em relações mutuamente vantajosas para todos os lados, pois parcerias devem ser relações “ganha ganha” e não “ganha perde”, pois as relações “ganha perde” não são sustentáveis ao longo do tempo.

3.2 É, para dizer o mínimo, incoerente que o Governo Biden mantenha Juan S. Gonzalez, o “Ernesto Araújo” do Conselho de Segurança Nacional dos Estados Unidos, no cargo, promovendo opiniões pessoais próprias, contra o Governo de Jair Bolsonaro ou contra o governo de qualquer outro país do mundo.

3.2.1 A postura de Juan S. Gonzalez, o “Ernesto Araújo” do Conselho de Segurança Nacional dos Estados Unidos, promove desgastes nas relações dos EUA com o Brasil e com os demais países do mundo, minando por completo a ESTRATÉGIA GEOPOLÍTIPA dos EUA de retomar algum tipo de liderança no cenário GEOPOLÍTICO GLOBAL, para combater o crescente aumento da esfera de influência da China e da Rússia, no Brasil e no mundo.

4. Se é que essa ESTRATÉGIA GEOPOLÍTIPA dos EUA de retomarem algum tipo de liderança no cenário GEOPOLÍTICO GLOBAL, para combater o crescente aumento da esfera de influência da China e da Rússia, no Brasil e no mundo é séria, a Casa Branca deveria era demitir Juan S. Gonzalez, diretor sênior de questões ocidentais do Conselho de Segurança Nacional dos Estados Unidos, como fizeram com “Ernesto Araújo”, no Brasil.

Continuação

Rogerounielo disse...

Continua

4.1 Se Juan S. Gonzalez, o “Ernesto Araújo” do Conselho de Segurança Nacional dos Estados Unidos, for mantido no cargo e não houver mudanças profundas na forma como a diplomacia americana trabalha com seus parceiros históricos, não só a diplomacia americana vai continuar a ser um completo desastre para os EUA e para o ocidente como vai aprofundar esse desastre, além do que vai beneficiar, cada vez mais, com esse comportamento desastroso, os interesses GEOPOLÍTICOS da Rússia e da China. Dúvida?

4.1.1 Os EUA exortaram a Coreia do Sul a aderir ao grupo Quad, que conta com a participação dos EUA, Japão, Austrália e Índia e, entre outras coisas, visa combater a expansão chinesa no Indo-Pacífico.

4.1.2 Previsivelmente, a Coreia do Sul recusa o convite dos EUA para participar do grupo Quad, conforme matéria citada abaixo:

a) Início da transcrição da matéria nº 01:

Não, obrigado': Coreia do Sul recusa convite dos EUA para participar do grupo Quad, diz mídia”, matéria divulgada em 11.04.2021, por Sputnik Brasil, no link https://br.sputniknews.com/asia_oceania/2021041117308802-nao-obrigado-coreia-do-sul-recusa-convite-dos-eua-para-participar-do-grupo-quad-diz-midia/

Imagem Removida

Continuação

Rogerounielo disse...

Continua

b) Início da transcrição da matéria nº 02:

“EUA coordenarão com aliados possíveis sanções contra Nord Stream 2”, matéria divulgada em 16.02.2021, por Sputnik Brasil, no link https://br.sputniknews.com/asia_oceania/2021041117308802-nao-obrigado-coreia-do-sul-recusa-convite-dos-eua-para-participar-do-grupo-quad-diz-midia/

Imagem Removida

c) Início da transcrição da matéria nº 03:

“EUA ameaçam empresas europeias que não abandonarem o gasoduto russo Nord Stream 2”, matéria divulgada em 19.03.2021, por Sputnik Brasil, no link https://br.sputniknews.com/americas/2021031917158643-eua-ameacam-empresas-europeias-que-nao-abandonarem-o-gasoduto-russo-nord-stream-2/

Imagem Removida

d) Início da transcrição da matéria nº 04:

Imagem Removida

“'Mensagem desagradável': especialistas avaliam entrada de navio dos EUA em zona exclusiva da Índia”, matéria divulgada em 10.04.2021, por Sputnik Brasil, no link https://br.sputniknews.com/oriente_medio_africa/2021041017305862-mensagem-desagradavel-especialistas-avaliam-entrada-de-navio-dos-eua-em-zona-exclusiva-da-india/

d.1) “Kanwal Sibal, um ex-secretário das Relações Exteriores da Índia, disse que os EUA deveriam obedecer à ordem baseada em regras que defendem”.

d.2) “O ex-chefe da Marinha indiana, Arun Prakash, sublinhou que, embora a Índia tenha ratificado a Lei dos Mares da ONU de 1995, os EUA ainda não fizeram o mesmo. Prakash desafiou os EUA a revelarem as verdadeiras intenções por trás da ação em um post em sua conta no Twitter”.

d.3) “Há ironia aqui. Enquanto a Índia ratificou a Lei dos Mares da ONU em 1995, os Estados Unidos ainda não o fizeram. Para a 7ª Frota realizar missões de liberdade de navegação na ZEE indiana, em violação de nossa legislação doméstica, é ruim o suficiente. Mas divulgar isso? Marinha dos EUA, por favor, ligue o botão de identificação amigo-inimigo!”

Continuação

Rogerounielo disse...

Continua

e) Início da transcrição da matéria nº 04:

Imagem Removida

“Governadores se unem pelo clima e articulam carta a Biden”, matéria divulgada em 09.04.2021, por O Globo, no link https://blogs.oglobo.globo.com/miriam-leitao/post/governadores-se-unem-pelo-clima-e-articulam-carta-biden.html

e.1) “Vinte governadores brasileiros estão juntos na preparação de uma carta ao presidente Joe Biden. O grupo se define como “governadores pelo clima”, e diz no texto, ainda em rascunho, que seus estados representam 87% do território nacional, são de diversos partidos e tendências políticas. Têm em comum a “união e a construção colaborativa de soluções em defesa da humanidade e de todas as espécies de vida que estão ameaçadas”.

e.2) “Os governadores dizem na carta em preparação que estão conscientes da emergência climática global e das responsabilidades que têm na redução dos gases de efeito estufa e no combate ao desmatamento. “Ações que, além da remoção de carbono, da proteção da biodiversidade e da redução da pobreza, podem evitar futuras pandemias.”

4.1.3 Por que disse que era previsível que a Coréia do Sul recusasse o convite dos EUA para participar do grupo Quad?

4.1.4 Todos os países do ocidente parceiros dos EUA e os EUA tem seus próprios interesses financeiros, comerciais, GEOPOLÍTICOS, militares e necessidade de manter relações internacionais equilibradas com todos os países do mundo, em função de que da segunda guerra mundial para cá muita coisa no mundo mudou, debaixo do nariz dos EUA, que ficaram todas essas décadas dormindo em berço esplêndido.

Continuação

Rogerounielo disse...

Continua

4.1.5 Parece que os EUA desaprenderam como atuar no cenário internacional, se comportando como “uma criança mimada que tomaram o brinquedinho da mão dela”, agindo geopoliticamente como se todos os países do mundo que são seus parceiros devessem, de forma automática, se curvar aos desejos e aos interesses geopolíticos, econômicos, financeiros e militares dos EUA, em prejuízo dos seus próprios interesses geopolíticos, econômicos, financeiros e militares.

4.1.6 Não passa de “comportamento infantil dos EUA”, estrategicamente bem definido, todas as ações que está empreendendo contra seus parceiros históricos, adotando sanções ou ameaçando de adotar sanções, conforme consta das matérias transcritas no item 4.1.2 anterior.

4.1.6.1 Nutrirem, “infantilmente”, os EUA a expectativa de que todos os países parceiros dos EUA vão simplesmente agir em prejuízo próprio, para defender os EUA nessa “guerra fria” com a China e com a Rússia, achando que seus parceiros históricos são inocentes e entraram ontem para as relações geopolíticas internacionais e que só os EUA são dotados do mínimo de inteligência geopolítica.

Continuação

Rogerounielo disse...

Continua

4.7 Acorda EUA! O mundo mudou!

4.7.1 A “Era da Manipulação” unilateral, efetuada, apenas, pelos EUA, mudou.

4.7.2 Os EUA ensinaram muita gente mundo afora como atuar na GEOPOLÍTICA INTERNACIONAL e nas RELAÇÕES INTERNACIONAIS.

4.7.2.1 Agora os EUA têm concorrentes de peso na GEOPOLÍTICA INTERNACIONAL e nas RELAÇÕES INTERNACIONAIS. e não vai ser com declarações de Juan S. Gonzalez, o “Ernesto Araújo” do Conselho de Segurança Nacional dos Estados Unidos, contra o Governo Jair Bolsonaro ou adotando sanções ou ameaçando de adotar sanções contra seus parceiros históricos, conforme matérias transcritas no item 4.1.2 anterior, que os EUA vão chegar a algum lugar. Não vão! Podem até levar o mundo inteiro a guerra nuclear, mas não voltarão, da forma como está agindo a diplomacia americana, com todos os países do mundo, a serem “LÍDERES RESPEITADOS”, pois respeito se conquista e não se impõe com base em sanções e ameaças.

4.7.3 Todos os países do mundo já estão vivendo em uma outra era geopolítica que os próprios EUA ajudaram a criar e, agora, de uma hora para outra, “descobriram” os EUA que a China e a Rússia “estão geopoliticamente” ampliando sua esfera de influência em várias regiões do planeta terra, enquanto a potência econômica e financeira dominante, do alto da sua “inocência”, ficaram décadas assistindo esse processo da China e da Rússia ampliarem suas respectivas esferas de influência em várias regiões do planeta terra acontecer ao longo do tempo, bem debaixo dos olhos dos EUA, como se os EUA fossem a “virgem no puteiro” das relações internacionais e não o “dono do bordel”. Conta outra piada que essa é sem graça e a narrativa não cola!

Continuação

Rogerounielo disse...

Continua

5. Início da transcrição da matéria:

Imagem Removida

Roteiro de enviado de Biden à América do Sul não inclui Brasil

Redação O Antagonista
10/04/2021 19:56

A Casa Branca informou neste sábado que a primeira viagem para a América do Sul de Juan S. Gonzalez, diretor sênior de questões ocidentais do Conselho de Segurança Nacional dos Estados Unidos, não incluirá o Brasil.

O cargo que Gonzalez ocupa na gestão Joe Biden trata, em especial, da relação do governo americano com assuntos referentes à América Latina.

O enviado de Biden passará entre 11 e 15 de abril por Colômbia, Argentina e Uruguai. Nesses países, ele deverá tratar de temas como recuperação econômica, crise na Venezuela, mudanças climáticas e a pandemia de Covid.

Juan S. Gonzalez é crítico do governo de Jair Bolsonaro. Em outubro do ano passado, durante a campanha presidencial dos EUA, ele usou o Twitter para mandar um recado indireto ao presidente brasileiro:

“Qualquer pessoa, no Brasil ou em qualquer outro lugar, que pensa que pode promover um relacionamento ambicioso com os Estados Unidos enquanto ignora questões importantes como mudança climática, democracia e direitos humanos claramente não tem ouvido Joe Biden durante sua campanha.”

Fonte - Link https://www.oantagonista.com/mundo/roteiro-de-enviado-de-biden-a-america-do-sul-nao-inclui-brasil/amp/

Fim

Fonte - Link https://www.linkedin.com/pulse/roteiro-de-enviado-biden-%25C3%25A0-am%25C3%25A9rica-do-sul-n%25C3%25A3o-inclui-brasil-fran%25C3%25A7a/?trackingId=Szc6vOC7kgbozs0DfBnWCQ%3D%3D

Fim