quarta-feira, 28 de abril de 2021

Relatório de combates


Artigo no Alerta Total - www.alertatotal.net

Por Antônio José Ribas Paiva


No dia em que o traidor Lamarca desertou e roubou armamentos do 4 RI, eu estava de serviço, lá perto, no quartel do Grupo Bandeirante, em Barueri -SP. Entramos de prontidão e perdi uma prova no 3 Colegial. Na época, os atuais comandantes, possivelmente, estavam na preparatória.

 

Estou na trincheira há 57 anos, desde a MARCHA DA FAMÍLIA, da qual participei, em 19 de março de 1964, como estudante secundarista; meu depoimento sobre esse histórico momento está no volume 7 da coleção “História Oral do Exército”. Prossigo na missão, enfrentando fisica e intelectualmente a esquerda revolucionária, em todas as suas expressões, como o MST e os demais traidores do Brasil.

 

Nesse tempo, Bolsonaro ainda era criança. Sofri atentados à bala e invasões de propriedades, enfrentando a Pastoral da Terra, a CNBB, o PT, PCdoB, PSDB, o MDB, Bispos comunistas, a má-fé, a traição e a ignorância. Tenho tentado impedir a decadência do Brasil e sua traição, por toda a vida.

 

Desmoralizei, com outros combatentes, inclusive o patriota Nabhan Garcia, e outros produtores, a  guerrilha do MST, impedindo, que a absurda reforma agrária fosse implantada no Brasil, destruindo a agroindústria e inviabilizando o abastecimento. Caso os comunistas tivessem nos vencido, o agronegócio não teria condições de salvar o Brasil, nem o balanço comercial, nessa pandêmica guerra biológica. O Brasil não estaria garantindo a segurança alimentar,  para 20% da população da terra.

 

No governo do famigerado FHC, tentei impedir a doação da Vale, em operação cívico-militar, da qual Bolsonaro participou como deputado. Em ação popular contra a “privatização” da Vale, argui a suspeição de um Ministro do STJ, favorável à tramoia.

 

Sempre me opus aos desgovernos comunistas e ladravazes da Nova República.  

Razão pela qual, fui condecorado pelo Exército, várias vezes, inclusive, por ter impedido FHC de doar o NIÓBIO de São Gabriel da Cachoeira, por míseros 600 mil reais, informando, por escrito, ao então Ministro do Exército, Gen Ex Zenildo Zoroastro de Lucena, sobre a traição e a bandalheira do atual magnata internacional FHC.(1997).

 

Para defender essa riqueza estratégica, o Exército transferiu a Brigada Militar de Niterói para São Gabriel da Cachoeira, protegendo os trilhões de dólares em NIÓBIO existentes naquela região, onde, antes do meu trabalho, só havia índios, garimpeiros, gente das FARC e ONGS, supostamente religiosas, inclusive católicas. Quando era Gen. de Brigada, o Sr Vice-Presidente Mourão comandou a Brigada Militar de São Gabriel da Cachoeira.

 

Como visto, quando os atuais comandantes começavam suas carreiras, eu já estava em combate, há muito tempo, por isso, insisti em transmitir para as FFAA o que conhecia, por força de experiência profissional. Com os saudosos Dr. Graça Wagner, João Marcos Flaquer (falecidos), Ana Prudente , Marta Serrat e outros patriotas, denunciei a existência do grupo guerrilheiro Foro de São Paulo, fundado em 90, no Hotel Danúbio em São Paulo, por Fidel, Lula, pelas FARC e todos os grupos guerrilheiros da América Latina, do México à Patagônia.

 

Em 24 de agosto de 1992 , participei da fundação da UNIÃO NACIONALISTA DEMOCRÁTICA, com vários generais veteranos da FEB e muitos civis, nas dependências do GBOEX, na Av. 9 de julho, em São Paulo. Em 1995, o Gen.Ex. Antônio Ferreira Marques nomeou-me seu sucessor na presidência da UND. Atualmente, presido o Conselho Deliberativo da entidade.

 

Lancei o Movimento INTERVENCIONISTA em 1995, durante debate público, no Instituto de Engenharia de São Paulo, promovido pela UND, sobre a correta interpretação do artigo 142 da CF, dentre outros, com o saudoso professor Celso Bastos, que foi redator técnico da CF de 88, juntamente com o Prof. Ives Gandra Martins.

 

Organizei e liderei a primeira carreata, contra o governo Lula, na Av. Paulista, numa sexta feira, ao meio dia, em 2003, conclamando o povo, pelo alto-falante, a repudiar o “governo do crime”, alertando sobre tudo o que enfrentaríamos depois. Juntamente com os patriotas da UND, preguei a INTERVENÇÃO CONSTITUCIONAL (expressão que cunhei), em caminhões de som na Av. Paulista.

 

Como Conferencista Emérito da ADESG -São Paulo, desmistifiquei conceitos e denunciei a suspeita ligação de vários Presidentes, com a conspiração mineral da City de Londres, que subtrai 1 bilhão de dólares, por dia, da economia brasileira, através de contrabando e subfaturamento de exportações de minérios estratégicos.

Desde 1997 venho  fazendo análises político-econômicas para as FFAA, procurando transmitir experiência e os conhecimentos multidisciplinares, imprescindíveis para o aprimoramento da Doutrina de Segurança Nacional, no atual cenário de guerra híbrida, ou de quinta geração (por todos os meios, principalmente comerciais), que utiliza agentes internos e externos para minar as potencialidades do Brasil.

 

Foi um grupo de estudos da UND , composto, inclusive, pelo ilustre Gen. Div. Saraiva, comissão que conceituou a chamada Guerra de Quinta Geração. A coletânea de análises , denominada “ O FIO DA MEADA”, que venho escrevendo para as FFAA, desde 1997, não foi editada, por destinar-se a público específico.

 

Fiz chegar às mãos de Bolsonaro, recentemente, estudo comparativo, entre a taxa SELIC e os juros, que o Brasil paga no exterior, que solicitei à um patriota especialista no assunto, provando, que a exemplo do escândalo das obras públicas, houve SUPERFATURAMENTO da SELIC, para inflar a dívida pública. 

Como demonstrado, através de gráficos , a partir de 1996 até 2019, o Tesouro da União, nada deve, ao contrário, é credor do Sistema Financeiro em 1,5 trilhões de reais. É por isso que o City Bank e o HSBC  pararam de operar no Brasil.

 

Quem, apesar de tudo isso, equivocadamente, impediu a INTERVENÇÃO MILITAR, frustrando o trabalho de décadas dos patriotas, foi o Gen. Ex. Vilas Boas, que optou por apoiar a candidatura de Bolsonaro, candidato que sabia das dificuldades que enfrentaria. Mesmo sendo intervencionista e de saber , que a eleição não resolveria os problemas institucionais do Brasil, fiz campanha com o meu grupo de patriotas, para eleger o Presidente.

 

Tenho apoiado o seu governo, inclusive, com críticas construtivas e sugestões. Conheço quase todos os seus ministros militares, sei até quem apoia, pragmática e equivocadamente, a continuidade do atual sistema político. Escrevo porque não tenho tropa, senão já teria tomado as providências constitucionalmente previstas.

 

Tento convencer o Presidente da República, a exercer suas atribuições Constitucionais, que sem dúvida resolveriam grande parte dos problemas político-econômicos que enfrentamos.

 

Tudo o que faço é para servir ao meu país, como advogado, produtor rural  e combatente. Todavia, aqueles que não conhecem os fatos, muitas vezes, interpretam equivocadamente o que escrevo. Por isso, escrevo este relatório de combate.

 

Sou Bolsonaro, porque ele é combatente nacionalista, preparado intelectualmente e, no momento, a única expectativa de solução, para o Brasil, mas vou sempre sugerir caminhos, como de meu dever, no exercício da cidadania.

 

Para defender o meu Brasil não preciso de mandato, ordem ou licença de ninguém. 

 

O meu Exército, muito menos!

 

Antônio José Ribas Paiva, Advogado e Produtor Rural, é Presidente do Nacional Club.

5 comentários:

Jorge Vaz disse...

Mitou

Praça disse...

Esperiência é tudo e conhecer os fatos e vive-los é para poucos, pois lúcidos passam as novas gerações a VERDADE.

Obrigado pelo artigo.

Anônimo disse...

Excelente relatório, parabéns por todas as iniciativas patrióticas. É necessário que mais patriotas apareçam e se manifestem para que o país saia dessa inércia vergonhosa de muitos anos. Que os traidores da pátria sejam desmascarados publicamente e que a verdade seja do conhecimento de todos.

Anônimo disse...

Excelente relatório, parabéns por todas as iniciativas patrióticas. É necessário que mais patriotas apareçam e se manifestem para que o país saia dessa inércia vergonhosa de muitos anos. Que os traidores da pátria sejam desmascarados publicamente e que a verdade seja do conhecimento de todos.

Anônimo disse...

Bom dia. Relato inquestionável da profundidade da atuação do mecanismo criminoso atuante e do desconhecimento que temos de assunto tão relevante. Muito obrigado por não esmorecer nessa nobilíssima missão.