terça-feira, 11 de maio de 2021

A luta pela Transparência Total Eleitoral


Edição do Alerta Total – www.alertatotal.net

Por Jorge Serrão - serrao@alertatotal.net

Siga-nos no Twitter e Facebook - @alertatotal

Nada justifica que o Sistema da Tutela Federal imponha o Trâmite Sigiloso Eleitoral da votação eletrônica sem direito e possibilidade de recontagem dos votos. Não é legítimo que o Establishment insista em impedir a Transparência Total da Eleição, por simples vontade de ministros do Supremo Tribunal Federal e de alguns membros (inclusive supremos magistrados) que acumulam função no Tribunal Superior Eleitoral - que nem deveria existir. Afinal, eleição é procedimento administrativo, e não judicial ou judiciário.

A luta pelo voto impresso auditável será a maior batalha legislativa (e judiciária) do ano de 2021. A mudança no “modernoso” procedimento brasileiro de votação precisa ocorrer até outubro, a tempo de valer para o pleito de 2022, quando serão escolhidos Presidente, um Senador por estado, governadores e deputados federais e estaduais. Existe o risco de o aprimoramento do processo eleitoral ser aprovado pelo parlamento, mas terminar não implementado pela burocracia judiciária que gerencia a votação. Há risco concreto de a decisão terminar “politicamente judicializada” no STF - cuja maioria dos ministros é contra qualquer auditoria (recontagem) do voto eletrônico.

A Transparência Total Eleitoral é uma necessidade urgente na construção do processo democrático brasileiro. Se o voto eletrônico é um avanço, também é um atraso considerar seu resultado um “dogma inquestionável”. Da mesma forma que não são apresentadas provas (apenas suspeitas) de fraude eleitoral também não são apresentados fatos concretos que justifiquem, totalmente, a segurança das urnas e do sistema de transmissão dos dados (votos) para processamento final no supercomputador do TSE.

A possibilidade do voto impresso para auditoria já melhora o sistema. No entanto, o ideal e correto seria a recontagem de 100% dos votos. Resultado eleitoral não pode gerar a mínima margem para dúvidas e questionamentos. Se a recontagem física do voto for prevista junto com o processo eletrônico, não haverá sequer risco de “judicialização excessiva” do resultado - como vêm pregando alguns supremos magistrados. Se o resultado da votação eletrônica coincidir com a conferência física, tudo certo. Do contrário, faça-se uma nova votação e fim de papo. Simples, assim.

O que não é justo, nem legítimo, é persistir o risco e suspeita de fraude eleitoral, por imposição do “dogma” da aceitação do resultado apresentado, em altíssima velocidade, pela votação eletrônica. Por isso, é fundamental a pressão popular a favor da Transparência Total Eleitoral. O Establishment e a “oposição” não querem o voto auditável? Tem algo muito estranho e suspeito nesse negacionismo ao aprimoramento eleitoral. Voto Seguro, com apuração pública e a vista dos olhares de todos, é um fundamento básico de qualquer mecanismo de escolha que se pretenda democrático.

Assim, continuemos votando SIM pelo Voto Impresso Auditável em 100% das urnas eletrônicas, no site do Senado. Os corruptores, os corruptos e os adeptos da corrupção estão votando em massa. Os eleitores do Bem vão ficar omissos e parados acreditando só no apoio do Além? https://www12.senado.leg.br/ecidadania/visualizacaomateria?id=132598&s=08

 

Justa homenagem a Paulo Gustavo

 


 

Paulo Gustavo batizando centro cultural é justo... Trocar nome de rua tradicional pelo dele é stalinismo histórico em Niterói…

 

Reveja o programa 3 em 1 de segunda-feira, com o debate sobre a importância do voto auditável - https://youtu.be/2HSBfZr--lk

 

Direto ao Ponto com Cabo Anselmo

 


 

Reveja a entrevista de ontem com José Anselmo dos Santos, testemunha-viva e sobrevivente da História pós-1964 - https://youtu.be/1TuwB1N-yKk

 









 

Adquira, também, o livro A ÚLTIMA MARCHA DA MAÇONARIA.

Para maiores informações clique aqui:

https://loja.umlivro.com.br/a-ultima-marcha-da-maconaria/p

Ave atque Vale! Fiquem com Deus. Nekan Adonai!

Jorge Serrão é Flamenguista. Editor-chefe do Alerta Total. Comentarista Político da Rede Jovem Pan.  A transcrição ou copia dos textos publicados neste blog é livre. Apenas solicitamos que a origem e a data original da publicação sejam identificadas. 

© Jorge Serrão. Edição do Blog Alerta Total de 11 de Maio de 2021.

3 comentários:

ARS disse...

Quem disse que comunista ou esquerdofrênico se importa com o pesadelo burocrático dos moradores de uma rua que teve o nome mudado arbitrariamente? "Que se danem", pensam elles.

Anônimo disse...

Tem que mostrar depois o comprovante em quem votou para o coroné do nordeste e para as milicias do RJ? Sigilo do voto e século 21 são compatíveis.

Anônimo disse...

Enquanto Bolsonaro não fizer uma Intervenção Militar para acabar com essa palhaçada o Brasil segue sem rumo. Ou melhor, rumo à venezuelização.