sábado, 29 de maio de 2021

O Protetorado do Crime Institucionalizado


Edição do Alerta Total – www.alertatotal.net

Por Jorge Serrão - serrao@alertatotal.net

Siga-nos no Twitter e Facebook - @alertatotal

A desmoralização do princípio de Justiça é um fenômeno assustador em um Brasil que, falsamente, tenta se mostrar “democrático”. Não pode haver democracia (conceito impreciso, mal definido) em um País que não tem segurança jurídica. Quase sempre parece inviável, quase impossível, sobreviver em uma Nação com regramento excessivo e judicialização da politicagem. Tudo agravado pela falha estrutural do sistema Judiciário que alterna rigor seletivo com impunidade conveniente, dependendo do poderio político e econômico da pessoa física ou jurídica alvo de processo nos tribunais.

Supremo Tribunal Federal não pode ser sinônimo de Sistema de Tutela Federal. O STF existe para discutir pendengas essencialmente constitucionais. O problema essencial é que, como a Constituição de 1988 é prolixa e mal regulamentada por incompetência e má-fé dos políticos que a elaboraram, os 11 supremos magistrados acabam acionados, o tempo todo, para “interpretar” as regras. Tal movimento - claramente influenciado por vontade política, posição ideológica ou interesses pessoais dos magistrados - é causador de agravamento da confusão e conflito institucional.

A guerra autofágica de todos contra todos os poderes - com flagrante hegemonia do Poder Supremo, que obedece aos ditames da oligarquia feudal que controla o Establishment - afeta a governabilidade, inviabiliza a união nacional e agrava a insegurança jurídica. Tendo o Poder Supremo “acima de tudo e de todos”, Executivo, Legislativo, Judiciário se atropelam. Os militares se impõem uma omissão obsequiosa, reclamando do caos nos bastidores. A cada decisão dos que se acham “poderosos” fica evidente a inadequação deles, do modelo estrutural do Estado Brasileiro, do sistema de governo e do regime político.

O mais grave é que não ocorre um debate minimamente saudável sobre o real problema brasileiro. Vem aí mais um ano eleitoral, cuja campanha presidencial foi precocemente antecipada pela inacreditável decisão Suprema que reabilitou os direitos políticos de um personagem condenado por corrupção. A maioria dos brasileiros percebe, constata e reclama, abertamente, mesmo sem medir consequências, que é vítima de um Protetorado do Crime Institucionalizado. O regime bandido “rouba” a sociedade, pratica genocídio contra a população, sabota o progresso econômico e inviabiliza a governança honesta.

Pagador de cada vez mais impostos para sustentar o Mecanismo corrupto, injusto e genocida, o povo não aguenta mais esse modelo. A reação política já aconteceu com a eleição surpreendente de Jair Messias Bolsonaro - que  em 2018 representou uma “terceira via” contra a aliança do fracasso alternada pelo PSDB e PT, tendo sempre o “Centrão” formado pelo MDB, DEM, PP, PR, PL e outros como sustentáculos. A reação prossegue com as recentes e crescentes manifestações populares de apoio ao Presidente, revelando a falsidade e pondo em xeque “enquetes” de opinião que tentam vender a falsa imagem de um “Bolsonaro impopular”.

Quem sempre esteve insatisfeito com Bolsonaro é o regime do Crime Institucionalizado. Por isso, o Establishment faz de tudo para tentar inviabilizar a reeleição do Presidente. Pelo mesmo motivo, a politicagem criminosa apela ao Poder Supremo para que intervenha, o tempo todo, nas ações do Poder Executivo. Assim, Bolsonaro é provocado, permanentemente, até que acabe traído pelo excesso de emoção e cometa algum erro fatal contra nosso “Estado Democrático” de mentira, um simulacro de regime representativo, na realidade comandado pela Organização Criminosa. Nossa DEMO-cracia tem sido nada mais que um instrumento de supressão de soberania.

O Brasil só tem saída e salvação se crescer e atingir força máxima a reação popular contra o Protetorado do Crime Institucionalizado. Não basta criticar decisões estapafúrdias do Poder Supremo. O fundamental é definir que modelo de Nação queremos e precisamos. A saída mais segura é via pressão para que aconteça uma Reforma Política - a mãe de todas as reformas. A partir dela, é fundamental desregulamentar, enxugar o excesso de regras, inclusive da Constituição - que nossa maldição (ops, tradição) histórico-cultural-burocrática não permite substituir por uma carta básica de direitos, deveres e obrigações.

O consenso da maioria é que não dá mais para suportar o Protetorado do Crime Institucionalizado e seus revolucionários da canalhice e roubalheira. É fundamental que se intensifique a luta pela aprovação do voto impresso pela urna eletrônica para recontagem pública (e não apenas auditoria) de 100% dos votos. A PEC 135 não resolve o problema e precisa ser mudada, porque só prevê "auditoria" (o que dependerá de decisão da "Justiça" Eleitoral). Se liga, galera... Ou será marcado mais um gol contra absoluto contra o Brasil, em nome da "melhor das boas intenções"...


3 em 1 - Confira nosso comentário no programa de sexta-feira, na Jovem Pan. criticando a decisão do STF de não permitir que a PF investigue denúncia de Sérgio Cabral Filho contra o ministro Dias Toffoli - https://youtu.be/QwYGBnT-yO8


Veja, também:
Com o objetivo de defender a liberdade de ir e vir dos cidadãos e evitar prejuízos ao Estado, Bolsonaro entrou com um pedido ao STF por meio da AGU contra as medidas restritivas impostas por governadores e prefeitos de alguns estados. Jorge Serrão, Amanda Klein e Rodrigo Constantino analisaram o assunto - https://youtu.be/feYI2YJj780

 








 

Adquira, também, o livro A ÚLTIMA MARCHA DA MAÇONARIA.

Para maiores informações clique aqui:

https://www.amazon.com.br/s?k=A+ULTIMA+MARCHA+DA+MA%C3%87ONARIA&__mk_pt_BR=%C3%85M%C3%85%C5%BD%C3%95%C3%91&ref=nb_sb_noss_2

Ave atque Vale! Fiquem com Deus. Nekan Adonai!

Jorge Serrão é Flamenguista. Editor-chefe do Alerta Total. Comentarista Político da Rede Jovem Pan.  A transcrição ou copia dos textos publicados neste blog é livre. Apenas solicitamos que a origem e a data original da publicação sejam identificadas. 

© Jorge Serrão. Edição do Blog Alerta Total de 29 de Maio de 2021.

4 comentários:

Anônimo disse...

IMBECIL, CANALHA, LADRÃO,BURRO, RETARDADO,E MAIS DE MIL ADJETIVOS PARA ESSE PRESIDENTE QUE EM 30 MESES DEIXOU UM POVO INTEIRO NA MISÉRIA... NÃO TEM DESCULPAS POIS AS, TARIFAS, TAXAS, E IMPOSTOS NÃO PARARAM DE SUBIR E NEM DE SEREM COBRADAS E COM OS SERVIÇOS QUE ELE DEIXOU DE PRESTAR A NAÇÃO SERIAM PARA OS COFRES ESTAREM ABARROADOS,MAS TODOS ESSES LUCROS E MAIS O DAS EXPORTAÇÃO ESSE COMUNISTASINHA ESTA DESTRIBUINDO ATRAVÉS DOS AUMENTOS DAS FOLHAS SALARIAIS CONTENDO PREVILÉGIOS MILIONARIOS... 2022 VAI SER A MAIÓR LAVADA DA HISTÓRIA 75 POR CENTO DOS VOTOS VAI SER PARA QUALQUER CANDIDATO QUE SE OPOR A ESTE MAFIOSO... 45 POR CENTO DE QUEM ELE ROUBOU ATÉ O PÃO COM MORTADELA VAI PARA O SAPO BARBUDO LOGO DE CARA... A PERGUNTA É SE LULA É LADRÃO O QUE SERÁ ESTE CÃO PEÇONHENTO???

ALMANAKUT BRASIL disse...

Contra Bolsonaro, manifestantes se juntam na Praça da Liberdade, em BH - 29/05/2021

Em local de encontro de bolsonaristas, "estudantes", "trabalhadores" e representantes de "organizações políticas" participam de manifestação contra o presidente.

https://www.em.com.br/app/noticia/politica/2021/05/29/interna_politica,1271572/contra-bolsonaro-manifestantes-se-juntam-na-praca-da-liberdade-em-bh.shtml

Zema destaca aumento de 147% de demissões por atos ligados à corrupção, em Minas - 09/12/2019

Governador disse que Controladoria Geral do Estado era amordaçada, no governo de Pimentel (PT).

https://diariodopoder.com.br/brasil-e-regioes/minas-gerais/zema-destaca-aumento-de-147-de-demissoes-por-atos-ligados-a-corrupcao-em-minas

Desembargador investigado por corrupção assume a presidência do TRE de Minas Gerais - 19/06/2020

A peça narra as ligações do marido da advogada com o PT, partido do então governador Fernando Pimentel, com registros de amizade com membros expoentes do partido. “Em verdade, o denunciado praticou o ato de mercância com a função pública, cedendo aos declarados interesses do governador mineiro” .

https://www.espacovital.com.br/publicacao-38035-desembargador-investigado-por-corrupcao-assume-a-presidencia-do-tre-de-minas-gerais

ALMANAKUT BRASIL disse...

Manifestação contra Bolsonaro no Recife termina com tumulto, bombas e disparos de balas de borracha - 29/05/2021

Os manifestantes afirmam que a PM atacou de forma inesperada e sem nenhum motivo aparente. “A gente não estava fazendo nada. Não estava acontecendo nada'.

https://www.msn.com/pt-br/noticias/brasil/manifesta%C3%A7%C3%A3o-contra-bolsonaro-no-recife-termina-com-tumulto-bombas-e-disparos-de-balas-de-borracha/ar-AAKw1zc?ocid=msedgdhp

Indústria da corrupção em Pernambuco movimenta mais de R$ 300 milhões por ano

Levantamento realizado junto às prestadoras de serviço do estado mostra rombo causado pela população com delitos “normalizados” no cotidiano de Pernambuco.

https://curiosamente.diariodepernambuco.com.br/project/industria-da-corrupcao-em-pernambuco-movimenta-mais-de-r-300-milhoes-por-ano

Ex-servidores da União em Pernambuco são alvos de operação da PF por corrupção - 27/04/2021

As diligências têm o objetivo de recuperar prejuízos causados pela prática de corrupção passiva por ex-servidores da Secretaria de Patrimônio da União (SPU) no Estado.

https://jc.ne10.uol.com.br/pernambuco/2021/04/12117615-ex-servidores-da-uniao-em-pernambuco-sao-alvos-de-operacao-da-pf-por-corrupcao.html

Anônimo disse...

Amanda Klein vai se firmando como a "escada" preferida para a apresentação didática dos argumentos conservadores pela mídia de direita.
A questão não é se Lula acredita em Deus, mas que ele não usou esse argumento para se eleger, apenas aproveitou o trabalho feito pela militância bolchevique no convencimento do clero para apoiar a esquerda. Essa é uma vantagem comparativa dos políticos da esquerda, porque atuam em várias frentes para o resultado final, garantindo a blindagem do candidato para não aparecer a mentira de sua atuação.
Já o presidente Bolsonaro baseia sua atuação nos valores religiosos e familiares tradicionais, e será fácil Lula confrontar as incoerências do presidente no quesito Fé e valores: ele se diz católico, mas aceita uma "benção" do "bispo" Maçom Maiscedo (o que estaria mais para um feitiço lançado); diz que defende os valores da família cristã, mas estes não contemplam a união fora do casamento ou o divórcio, e o presidente teve três uniões, nenhuma na Igreja Católica a qual ele diz pertencer; como católico, ele deveria honrar e acreditar na proteção e intercessão de Nossa Senhora, mas assistiu visivelmente constrangido e hesitante à consagração do Brasil ao Seu Imaculado Coração, e consta que demorou para assinar o documento da cerimônia. Isso tudo está sendo observado e relevado pelo eleitorado desse espectro desde sua candidatura à presidência, mas a esquerda pode conseguir acertar o tom para demoli-lo trabalhando sobre a imagem recorrente da hipocrisia conservadora, podendo colher frutos dentro e fora do universo conservador. Para os fieis, não é o financiamento de entidades evangélicas e católicas que convence, mas a coerência entre discurso e prática.