segunda-feira, 3 de maio de 2021

“Soviet Acarajé” manda em Bolsonaro e no povo?


Edição do Alerta Total – www.alertatotal.net

Por Jorge Serrão - serrao@alertatotal.net

Siga-nos no Twitter e Facebook - @alertatotal

A tal “oposição” ficou bestificada, perplexa e preocupada porque as manifestações populares a favor do governo Jair Bolsonaro, em defesa da liberdade, do voto impresso auditável e cobrando providências contra a corrupção, foram maiores e mais expressivas que o gigantesco movimento popular pelo impeachment de Dilma Rousseff. O povo em massa nas ruas acendeu o alerta de que Bolsonaro segue favorito à reeleição, apesar das pancadas sistemáticas que toma da mídia e dos inimigos políticos que se proclamam “de esquerda”. Bolsonaro só não pode se empolgar e tem de lembrar que “Poder não é questão de popularidade”. Líder que se baseia nisso está fadado à própria ruína.

O fenômeno real é muito mais complexo. A inadequação para o exercício do Poder está conduzindo o Brasil para o aprofundamento de uma guerra civil já em curso, com genocídio de brasileiros e destruição de oportunidades econômicas. É fundamental e imprescindível uma contraofensiva estratégica de comunicação para neutralizar, conter e impedir tal movimento radical e ilegítimo de desunião e desmonte do País. Precisamos, urgentemente, de um plano de contingência para evitar uma guerra civil que pode agravar a anarquia e acabar em uma tirania, em função do vácuo de poder que pode se escancarar.

A regra é clara! O poder é movido por vaidade, insegurança, pelo ego e pelo medo. Não existe virtude. Nossos “poderosos de plantão” não agem com equilíbrio e serenidade. Parece que ninguém quer corrigir nada. Prefere-se uma solução fácil que não existe. Ou a narrativa é cercada de camadas de mentiras e verdades. Os debates se tornam inúteis nesse modelo e nesse contexto. As pessoas, da situação e da oposição, sobretudo os políticos, precisam se submeter às suas inadequações e se corrigir. Trata-se de um processo educativo.

A turma que usa o verniz bonitinho de esquerda se junta em uma espécie de “Soviet Acarajé” que comanda a Nova República instaurada em 1985, mas cujas bases remontam aos tempos da República Velha - aquela que golpeou o Império, em 15 de novembro de 1889. Os atuais conspiradores de plantão que chamamos de esquerda, cujos líderes são  os "Velhos Comunistas" (ainda vivos) que retornaram do auto exílio associados às seculares Oligarquias Latifundiárias - sobretudo do Norte Nordeste. O “Comitê Central” se completa com a velha mídia. Essa “esquerda” precisa do problema (contido nas narrativas) para exercer sua influência na sociedade. A canhota não propõe soluções reais. O problema tem de existir para eles continuarem sendo vigaristas políticos, enquanto mamam nas tetas estatais. Eis o Capimunismo Tupiniquim que mostra toda podridão.

A situação institucional sai de controle, com o agravamento da guerra autofágica de todos contra todos os poderes. Na realidade, todos perderam a noção do que realmente acontece no Brasil. O sistema hoje é terra de ninguém. Não existe soberania. A aparente unidade do Estado foi rompida. Alguns grupos querem restabelecer a unidade do sistema. Mas ficou escancarado que o Brasil é uma anarquia feudal. As oligarquias regionais comandam o Estamento Burocrático. O Sistema de Tutela Federal (sigla STF) tem sido uma correia de transmissão oligárquica.

Quando o Poder Supremo do STF atropela o Executivo, o Legislativo e os Militares, promove uma tentativa de secessão do Estado. A ordem hierárquica estabelecida na Constituição tem sido violada. Isso é ruptura. Não existe poder comum. Desde a queda do Império não existe soberania no Brasil. Até a ordem aparente das coisas foi rompida. Agora vale tudo. Quem se acha com mais poder (no caso, os 11 do STF) determina como o jogo se desenvolve. O instrumento que “legitima” o caos é a Constituição de 1988 - obra finalizada por Fernando Henrique Cardoso e Nelson Jobim, deixando o desaparecido Ulysses Guimarães levar a fama de “Patrono” da Carta Magna.

O Brasil é uma Republiqueta fake. A União não outorga mais poderes a estados e municípios. Assim decidiu o STF no combate à pandemia. A ruptura institucional já foi feita pelo suposto “Guardião da Constituição”. Suposto, porque o legítimo e verdadeiro guardião é o Povo, aquele que detém o Poder Originário. Acontece que o povo, no jogo real do exercício do poder, não tem a força que parece e merece. No máximo, consegue gritar nas ruas e nas redes sociais da internet. Assim, o pirão institucional desanda.

Vivenciamos uma guerra de todos contra todos, com movimentos truculentos e surpreendentes. A Presidência da República cedeu a soberania a outros poderes. Soa estranho o Presidente reclamar e recorrer ao STF por usurpação de poder. Agindo assim, ele reafirma e chancela o Poder Supremo (Togado). Nesse contexto, a vontade popular é irrelevante. Pouco adianta proclamar: “Eu Autorizo!”. Na realidade, vale o que a oligarquia - comando do Estamento Burocrático - resolver que vale. A luta é por quem tem capacidade real para exercer o papel de poder soberano. Hoje, não existe poder soberano no Brasil. Temos a forte impressão de uma hegemonia exercida pelas correias de transmissão da oligarquia no Supremo Tribunal Federal - indevidamente chamado e tratado como “cúpula do Judiciário”.

No Presidencialismo de coalizão, Jair Bolsonaro está nas mãos das raposas do Congresso e das hienas do Sistema de Tutela Federal. Ele já não governa. Temos uma anomia na governabilidade, em meio a guerra de todos contra todos os poderes. Vivemos um caos institucional. Quem governa é uma entidade chamada de “interesse dos estados, e suas oligarquias regionais”. Temos um País cada vez mais cindido. A ruptura institucional já ocorreu. Bolsonaro perdeu a governabilidade porque aceitou a tutela do STF, a partir daquele episódio do “impedimento” para nomear o Diretor-Geral da Polícia Federal. O Presidente encontra dificuldades para transformar em ação o próprio discurso. Ele não consegue encarar o Establishment de peito aberto, mesmo tendo base popular. Até porque ele não é “louco” - porque não faria isso.

Assistimos e participamos de um jogo de dissimulação. Políticos e a mídia desviam a atenção do povo para assunto diverso daquele que é vital, enquanto o regime do crime institucionalizado cumpre sua missão originária: roubar. A CPI do Covidão, comandada por honoráveis corruptos e por esquerdistas malandros, surgiu para criar uma realidade aparente focada em desgastar o governo Jair Bolsonaro, até o Presidente não aguentar mais e, pressionado psicologicamente, terminar induzido a um erro que justifique sua queda antecipada ou a derrota eleitoral em 2022. O negócio pode ter o efeito contrário. Bolsonaro pode acabar “vencedor”, se a economia der uma ajudinha. No entanto, se nada mudar realmente, do ponto de vista estrutural, a tendência perigosa é por um segundo mandato tão ou mais ingovernável que o primeiro.

O Capimunismo Tupiniquim segue vivíssimo. Continuamos sob a democradura do Establishment do “Soviet Acarajé”. Até quando? Bolsonaro foi o cara eleito para fazer a transição para algo melhor que o regime atual. Será que ele vai conseguir, com apoio popular? Ou acabará neutralizado, assimilado ou destruído pelo Sistema da Tutela Federal - como sempre acontece no Brasil?  

Releia o artigo: Povo ordeiro não é sinônimo de cordeiro

God Save de Queen…

 


A senhora ao lado da Cleópatra comemorou ontem 95 anos de idade. Exemplo de quem sabe exercer sua soberania real. Deus salve a Rainha Elisabeth - comandante em chefe de Forças Armadas realmente preparadas para cumprir sua missão constitucional. Que inveja dessa viúva... Poder é para quem tem sabedoria, preparo e adequação para exercer...









Adquira, também, o livro A ÚLTIMA MARCHA DA MAÇONARIA.

Para maiores informações clique aqui:

https://loja.umlivro.com.br/a-ultima-marcha-da-maconaria/p

Ave atque Vale! Fiquem com Deus. Nekan Adonai!

Jorge Serrão é Flamenguista. Editor-chefe do Alerta Total. Comentarista Político da Rede Jovem Pan.  A transcrição ou copia dos textos publicados neste blog é livre. Apenas solicitamos que a origem e a data original da publicação sejam identificadas. 

© Jorge Serrão. Edição do Blog Alerta Total de 3 de Maio de 2021.

10 comentários:

Mari Padilla disse...

Show! Ótima matéria! Excelente semana!

Mari Padilla disse...

Boa matéria! Ótima semana!!

Anônimo disse...

PORRA, CARALHO,VOCÊS DEIXEM DE SEREM BURROS E VÃO TOMA NO OLHO DO CÚ... VOTO IMPRESSO NÃO SERVE NÃO, NEM PRA LIMPA O CÚ, SERIA UMA FARRA DE VENDA DE VOTOS, VENDO, RECEBO E PROVO MOSTRANDO O COMPROVANTE , ISTO E MAIS OS QUE SERÃO OBRIGADOS A MOSTRAR O IMPRESSO COM A AMEAÇA DE MORRER SE NÃO VOTAR NO BANDIDO...

Chauke Stephan Filho disse...

Governa! Oh, Bolsonaro, meu capitão e General, aclamado pelo povo, governa! Converge o teu poder: na mão aduna as fúrias celestiais!

Almanakut Notícias - São Paulo - Brasil disse...

A HISTÓRIA MOSTRA, COM AS CORJAS DE LAMPIÃO E DE ANTÔNIO CONSELHEIRO, COMO SE TRATA PEÇONHENTOS.

ALMANAKUT BRASIL disse...

Produtores rurais articulam marcha a Brasília em apoio a Bolsonaro no próximo dia 15 de maio e atos nas principais regiões agrícolas do país.

O movimento é apoiado por lideranças de setores como os de café, milho, soja e pecuária e sindicatos rurais. No Norte do país, produtores já arrecadaram mais de R$ 50 mil para instalar outdoors nos municípios em apoio a Bolsonaro. Há, inclusive, a proposta de montar um acampamento de agricultores em Brasília para apoiar o governo.

https://agroemdia.com.br/2021/04/21/produtores-rurais-articulam-marcha-a-brasilia-em-apoio-a-bolsonaro

Anônimo disse...

Deus salve a rainha? Porquê? Porque ela é a cabeça mundial da maçonaria da qual o senhor Serrão é membro? Essa velha criminosa e sanguinária é uma das maiores genocidas da história da raça humana. Judia, ela se considera de uma raça superior, predestinada a controlar as hordas quem eles chamam de "goiym" (em hebraico: bestas, amaldiçoados). O filho dela, charlles, é um dos grandes arquitetos da redução populacional através de doenças, guerras de fome. Outro, que acabou de ser chamado pelo capeta, o phillips, declarou há 40 anos que, quando morresse, desejava voltar como vírus para dizimar a população. E você prestando vassalagem para esta escória, Serrão? Quem adora um bode, é menos que bode!

Anônimo disse...

BOLSONARO É UMA GRANDE FRAUDE......
Só 16.000 brasileiros o apoiaram para montar um partido político; além disso é só fumaça, pirotecnia e enganação.
"POLITICA
Partido de Bolsonaro consegue apenas 3,2% de assinaturas para ser criado
Em nove meses de campanha, organizadores do Aliança pelo Brasil conseguiram quase 16 mil assinaturas consideradas válidas, 3,2% daquilo que é necessário para concretizar a agremiação. Dirigentes da legenda contestam razões apresentadas pelo TSE"........correiobraziliense.com.br/app/noticia/politica/2020/07/15/interna_politica,872200/partido-de-bolsonaro-consegue-apenas-3-2-de-assinaturas-para-ser-cria.shtml

Unknown disse...

Salve e o caralho

Chauke Stephan Filho disse...

Eu quero que a rainha e a Inglaterra se fodam. Aliás, dia 5 deste mês de maio é aniversário da morte de Bobby Sands, o mártir republicano norte-irlandês: quarenta anos.