terça-feira, 22 de junho de 2021

A Gastança dos Subdesenvolvidos com caças… Para nada!



Artigo no Alerta Total - www.alertatotal.net

Por Sérgio Alves de Oliveira

 

Antes foi o Brasil com os gastos astronômicos inúteis na compra dos aviões Caça F-39 Gripen, da Suécia. Agora é a Argentina, com a encomenda que está fazendo dos caças chineses JF-17,considerados dos mais avançados do mundo.

 

Entre os dois países existem algumas coincidências  “históricas”comuns. Ambos estão na “merda” econômica  (mais os argentinos),e  parecem estar “competindo” pela primazia das respectivas forças aéreas na “pobre” América do Sul,alimentando a ganância econômica irrefreada  dos países e fabricantes estrangeiros.

 

Mas ao mesmo  tempo em que fazem essa competição imbecil  “aeronáutica” ,com caças adquiridos do exterior para suas próprias defesas ,outra equivalência entre eles, ”coincidentemente”, é   que  a qualidade de vida dos seus respectivos povos deixa muito a desejar ,e não é nada condizente com essas astronômicas aquisições através de verbas públicas, suportadas, evidente e invariavelmente, pelos  contribuintes, sujeitos passivos dos “terrorismos tributários” dos seus respectivos países.

 

Não consigo precisar até que ponto essas absurdas políticas de desperdício dos recursos dos povos brasileiro e argentino, dente outros, é lógico,  não seria apenas para  contentar os militares “subdesenvolvidos”, e suas  suas forças aéreas, os quais  provavelmente estariam “sonhando”, ou talvez querendo “fazer de conta”, que essas meias dúzias de caças mais sofisticados estariam garantindo os seus países contra eventuais invasões por outros países mais ricos ,ou militarmente mais potentes.

 

]Somente  para se ter uma ideia, durante os conflitos bélicos envolvendo aeronaves na 2ª Guerra Mundial (01.09.1939 a 02.09.1945),a produção  SEMANAL de aeronaves de combate, caças e bombardeiros, pelas Forças Aliadas, ou pela Alemanha, ou  pelo Japão, tão somente para recompor o número de aeronaves abatidas , supera em muito o número de caças (somados) agora adquiridos pela Argentina e pelo Brasil. Estão sendo comprados 36 caças suecos  F-39 Gripen pela FAB,e 12 caças  chineses JF-17,pela FAA, que parece reforçar a política de total submissão argentina aos interesses da China.

Não faz muitos anos que os arrogantes militares argentinos e sua “força aérea” foram completamente humilhados, desmoralizados e mesmo “despedaçados” pela Marinha, e por  “meia dúzia” de  caças do Reino Unido ,a partir dos seus porta-aviões, na Guerra pela disputa das Ilhas Malvinas, apesar dos argentinos estarem  “em casa”, e os britânicos separados por milhares de quilômetros de mar da sua “sede”. E se esse conflito tivesse sido com o Brasil, certamente o resultado teria sido o mesmo.

 

Isso significa que querer se “exibir”, se defender, ou atacar, com equipamentos e aviões cujas tecnologias não domina, sempre vai dar em desastre.


Quando vejo os números “relativos” das despesas com  instrumentos de defesa ou de guerra brasileiros, comparados às grandes potências econômicas, ou militares do mundo, só posso concluir da inutilidade absoluta desses gastos. Para fins exclusivamente de defesa, nenhuma ou muito  pouca diferença haveria entre o Brasil contar com  os caças suecos, ou com os seus “Super Tucano”, que têm certidão de nascimento e batismo brasileiros.

 

Resumidamente, na cabeça dos  militares e dos políticos, o Brasil não passa de “um pobre metido a rico”, com imenso sacrifício do seu povo.                                                                                  

 

Sérgio Alves de Oliveira/Advogado e Sociólogo.

8 comentários:

Loumari disse...

Mais dizem na vossa muita arrogância, prepotência e orgulho de superioridade: "Brasil acima de tudo", Brasil vai afundando na velocidade vertiginosa para as profundezas dos abismos mais tenebroso gerando este clima infernal em que vos mergulhais.

Unknown disse...

Prezado, Compartilho dos mesmos entendimentos seus no artigo, o pior de tudo é que no caso dos caças Gripen do Brasil, houve crime Mlitar em sua aquisição, enviei a algumas semanas uma Denuncia ao Alerta Total sobre o tema e não obtive resposta, caso queira que eu mande na integra favor me contactar pelo - andrefurkim@gmail.com. Obrigado

Anônimo disse...

Advogado,sociólogo e imbecíl!

Rinaldo dos Santos disse...

O Exército Brasileiro deveria solicitar - isso sim - de um redimensionamento na formação de novos militares, mesmo aprendizes, para serem situados - primeiramente - nas fronteiras. Se o Brasil rearmasse os Tiros-de-Guerra, colocando-os nas fronteiras - seriam milhões de soldados impedindo a entrada de drogas. Seriam milhões de soldados "úteis" ao Brasil, e isso ajudaria até no tocante à flagrante desigualdade social. O "soldo" de um soldado raso ajuda - e muito! - qualquer família brasileira.
Também poderiam ser empregados em obras públicas necessárias que não conseguem ser realizadas pela iniciativa privada (sem corrupção nos preços).
O Brasil do futuro não precisa de "caças", nem porta-aviões, pois não interessa competir com os "aliados". Em caso de invasão, basta recorrer aos "aliados" e pagar o serviço!!! Caças adquiridos logo se transformam em "sucata tecnológica", exigindo novas compras, numa espiral eterna manjada e, não raramente, passíveis de corrupção.

Anônimo disse...

O autor fala sobre um tema que não conhece. Vale registrar apenas um dos aspectos dessa ignorância: comparar a aquisicao argentina com a do Brasil.
No Brasil, a aquisição dos caças da SAAB vem acompanhada de transferência de tecnologia e do desenvolvimento da indústria brasileira, o que vai gerar emprego e divisas para o Brasil. Neste caso, a EMBRAER irá se associar e contribuir fundamentalmente nesse processo, fortalecendo ainda mais a indústria aeronáutica nacional.
Por fim, o F-39 Gripen, caça de geração 4.5 com a mais avançada tecnologia de guerra eletrônica do mundo, foi destaque, já na sua versão anterior (C/D), em simulações com aeronaves como o F-16 e F-18 americanos e o europeu EuroFighter. Também é considerado um vetor capaz de enfrentar eficazmente o russo SU-35. O nosso caça Gripen possui autonomia para efetuar ataques em todas as capitais do países vizinhos, tem tecnologia furtiva e capacidade de utilização de mísseis de cruzeiro.
Enfim, a fragilidade de nossa soberania no espaço aéreo brasileiro será minimizada, com transferência de tecnologia e fortalecimento da indústria nacional.

Anônimo disse...

O autor fala sobre um tema que não conhece. Vale registrar apenas um dos aspectos dessa ignorância: comparar a aquisicao argentina com a do Brasil.
No Brasil, a aquisição dos caças da SAAB vem acompanhada de transferência de tecnologia e do desenvolvimento da indústria brasileira, o que vai gerar emprego e divisas para o Brasil. Neste caso, a EMBRAER irá se associar e contribuir fundamentalmente nesse processo, fortalecendo ainda mais a indústria aeronáutica nacional.
Por fim, o F-39 Gripen, caça de geração 4.5 com a mais avançada tecnologia de guerra eletrônica do mundo, foi destaque, já na sua versão anterior (C/D), em simulações com aeronaves como o F-16 e F-18 americanos e o europeu EuroFighter. Também é considerado um vetor capaz de enfrentar eficazmente o russo SU-35. O nosso caça Gripen possui autonomia para efetuar ataques em todas as capitais do países vizinhos, tem tecnologia furtiva e capacidade de utilização de mísseis de cruzeiro.
Enfim, a fragilidade de nossa soberania no espaço aéreo brasileiro será minimizada, com transferência de tecnologia e fortalecimento da indústria nacional.

richard smith disse...

Comentário absolutamente idiota por parte do ignorante no assunto.

Anônimo disse...

Se o povo não estar atendido em suas necessidades fosse argumento para não se armar, a Coreia do Norte não estaria com tecnologia nuclear que faz as potências levá-la a sério (não importa se com um "botão menor"), enquanto seu povo morre de fome. Se o Brasil já estivesse melhor equipado militarmente, um idiota como Macron não se atreveria a levantar a hipótese de atropelar a soberania brasileira sobre a Amazônia.